Noticirio 05 04 2016

Download Noticirio 05 04 2016

Post on 27-Jul-2016

216 views

Category:

Documents

0 download

DESCRIPTION

 

TRANSCRIPT

  • O DEBATEDIRIO DE MACA

    Bairros ainda registram cenrio de destruio aps obras da Odebrecht

    www.odebateon.com.br

    Maca (RJ), tera-feira5 de abril de 2016Ano XL, N 8984Fundador/Diretor: Oscar Pires

    DIVULGAO PM KAN MANHES

    facebook/odebate

    twiter/odebate

    issuu/odebateon

    Na semana passada, a Odebrecht Ambiental anun-ciou que a populao do Vale Encantado, Granja dos Ca-valeiros, So Marcos, Bairro da Glria, Novo Cavaleiros e Cancela Preta j pode ligar seus imveis rede coletora

    PM SUFOCA TRFICO DE DROGAS NA REGIO

    SINDSERVI MANTM DIRETORA NO CARGO

    GOVERNO J EXECUTOU R$ 324 MILHES EM DESPESAS

    Concessionria orienta moradores a interligar imveis nova rede, em reas onde ruas seguem avariadas pelas obras de saneamento

    R$ 1,00

    POLCIA, PG.6 ECONOMIA, PG.5 POLTICA, PG.3

    Cidade perde 2 mil postos de trabalho

    NDICETEMPO

    COTAO DO DLAR

    CIDADE POLTICA

    Saldo negativo referente apenas aos dois primeiros meses deste ano PG. 3

    DIVULGAO/ PMM WANDERLEY GIL

    Evento entra com destaque no calendrio oficial da cidade Comrcio e setor offshore so os que mais geram demisses

    Polo Macah Antiga festeja sucesso de FestivalEvento realizado no Mercado de Peixes superou expectativas PG. 2

    EDITORIAL 4

    PAINEL 4

    GUIA DO LEITOR 4

    ESPAO ABERTO 4

    CRUZADINHA C2

    HORSCOPO C2

    CINEMA C2

    AGENDA C2

    Mxima 33 CMnima 24 C

    Compra R$ 3,6128Venda R$ 3,6138 Anuncie: (22) 2106-6060 (215)

    POLCIA EDUCAO ECONOMIA CADERNO DOIS

    Conselho de Segurana realiza reunies

    Cederj oferece mais de seis mil vagas

    Semana comea com 257 vagas de emprego

    CineMaterna atrai ateno das mes

    Equipe passa a visitar bairros e comunidades da cidade PG. 6

    Oportunidades so relativas a novo vestibular PG. 7

    Oportunidades so registradas pela Agetrab Maca PG. 5

    Projeto exibe hoje Casamento grego 2 CAPA

    MARIANNA FONTES

    Rua segue parcialmente interditada devido aos estragos ocasionados por obras de saneamento

    Impostos geram para o governo R$ 48 milhes a mais de receitas em trs mesesISS e ICMS garantem arrecadao superior a prevista pela prefeitura no primeiro trimestre do chamado 'ano da crise'

    CIDADEPOLTICA

    No 'ano da crise', o governo municipal registra o excesso de mais de R$ 48,8 milhes na arrecadao, apenas com as duas principais fontes das receitas prprias: o Imposto sobre Servios (ISS) e o Imposto sobre a Circulao de Mercadorias e Servios (ICMS) repassados pelo Estado. Os nmeros foram alcanados atravs de uma balano or-amentrio relativo ao primeiro trimestre de 2016, feito por O DEBATE com base nos dados disponibilizados pelo Portal da Transparncia, auditado pelo Ministrio Pblico Federal. De janeiro a maro deste ano, o governo foi capaz de recolher exatos R$ 48.827.874,99 a mais do que o esperado para ser arrecadado pelos cofres pblicos. Ao comparar os dados registrados no Portal da Transparncia e os valores publicados do quadro das metas mensais de arrecadao, anexado a LOA, O DEBATE apurou que s de ISS o governo passou a contar com R$ 33,3 mi-lhes a mais depositados nos cofres pblicos. Vale ressaltar que o supervit de ISS e ICMS ga-rante um alvio maior ao governo para garantir a execuo das despesas relativas ao pagamen-to dos servidores e os investimentos em Sade e Educao. PG. 3

    R$ 178 milhesVolume de receitas consolidadas pela prefeitura entre janeiro e maro apenas com o Imposto Sobre Servios (ISS)

    R$ 107 milhesArrecadao gerada apenas pelo Imposto de Circulao de Mercadorias e Servios (ICMS) no primeiro trimestre de 2016

    R$ 48 milhesVolume de ISS e ICMS arrecadados pelos cofres pblicos alm do que foi previsto pelo governo atravs da LOA de 2016

    NMEROS

    POLTICA

    Arrecadao de Maca sobe para R$ 492 milhesEm trs meses, a Capital Nacional do Petrleo foi ca-paz de arrecadar um total de R$ 492 milhes com impos-tos, taxas, repasses governa-mentais e convnios. O valor total das receitas acumuladas

    pelos cofres pblicos no pri-meiro trimestre de 2016 foi atualizado ontem pelo Portal da Transparncia, mas ainda pode sofrer alteraes devido ao processo tributrio execu-tado pela secretaria municipal

    de Fazenda. Como havia sido apurado por O DEBATE na ltima sexta-feira (1), a arre-cadao total da prefeitura es-tava calculada em mais de R$ 480 milhes, de acordo com o Portal da Transparncia. PG. 3

    de esgoto. A concessionria ressalta que esse tipo de ser-vio de responsabilidade do morador, que dever interligar a tubulao interna com a Cai-xa de Inspeo (CI), constru-da na calada. Menos de uma semana depois, a populao j

    comea a se planejar para se regularizar. Em contrapar-tida, moradores cobram da empresa uma maior agilidade na recuperao das ruas que sofreram intervenes para a implantao da rede de sane-amento. PG. 2

    EDUCAO

    Bolsa Universitria segue suspensa pelo quarto anoUm programa denomi-nado Estuda Maca e que em 2008 atendia mais de 700 bolsistas. Assim era o progra-ma Bolsa Universitria/Tcnico Profissionalizante da Prefeitura de Maca e que garantia acesso

    capacitao de pessoas que no possuem renda familiar suficiente para o custeio edu-cacional. Mas desde 2013 j no existe mais. De acordo com a Prefeitura, para atender aos muncipes que visam ingres-

    sar na educao superior, o go-verno municipal tem mantido investimentos na modalidade de ensino, com a manuteno da Cidade Universitria, a Fe-MASS e do Transporte Social Universitrio. PG. 7

  • O DEBATE DIRIO DE MACA2 Maca, tera-feira, 5 de abril de 2016

    Cidade1 EDIO

    Festival de Frutos do Mar movimenta a cidadeEvento, promovido pelo Polo Gastronmico Macah Antiga, foi realizado no Mercado de Peixes

    Marianna Fontesmarifontes@odebateon.com.br

    O Mercado Municipal de Peixes, que foi revitali-zado, foi o cenrio esco-lhido pelo Polo Gastronmico Macah Antiga para a realiza-o do 1 Festival de Frutos do Mar, que aconteceu no ltimo final de semana. Em um ambiente familiar, a

    populao teve a oportunida-de de apreciar uma gastrono-mia de qualidade, com preos acessveis, alm de vivenciar o resgate da identidade da cida-de. Ao contrrio da maioria dos eventos da cidade, dessa vez a escolha do local surgiu antes do tipo de culinria. Sou morador de Maca des-

    de 1982 e me considero ma-caense, j que a maior parte da minha vida passei aqui. Foi emocionante ver tantas famlias frequentando um espao urba-no que estava abandonado diz o chef de cozinha Mauro Dias, do Domma Restaurante, que trouxe para o pblico uma fei-joada de frutos do mar.Alm do Domma, o evento

    reuniu mais nove estabeleci-mentos do Centro e da Imbeti-ba, alm de convidados do Polo Gastronmico do Cavaleiros e tambm de bikes foods. Eu, junto a outros empresrios, ti-ve o prazer de fazer parte com um stand do Polo Gastronmi-co Praia dos Cavaleiros, que foi muito bem aceito pelo pblico.

    O evento foi muito bem orga-nizado e acabou sendo mais uma oportunidade de juntar famlia, cultura e gastronomia. Eu moro em Maca h 14 anos e a cada dia que passa fico mais apaixonado pela cidade. Para-bns aos organizadores, diz o chef de cozinha e proprietrio do restaurante Sancho Panza, Alex Luz. Apesar do balano ainda es-

    tar sendo finalizado, a presi-dente do Polo Macah Antiga, a empresria Isabela Catharino, diz que o festival foi um suces-so. A gente esperava receber uma mdia de mil pessoas em cada dia, s que isso foi muito maior. Superou as nossas ex-pectativas. Tivemos que repor insumos pois tinha acabado no primeiro dia. Vendemos tudo que tnhamos programado e um pouco mais. muito grati-ficante para ns. Conseguimos trazer as famlias para c. Isso o mais importante. resga-tar essa essncia dessas regies que no passado eram muito frequentadas pelos macaen-ses, conta.Quem fez questo de compa-

    recer foi o empresrio Patrick Wolko, proprietrio da Porto-bello Shop. Eu moro em Maca h mais de uma dcada e sem-pre achei que a regio ao redor do Mercado de Peixes deveria ser mais valorizada, por ser um local belssimo. Estive l no s-bado e fiquei bastante impres-sionado com a quantidade de fa-

    DIVULGAO/ PMM

    Empresrios envolvidos comemoram ao dizer que o pblico superou as expectativas da organizao

    mlias curtindo o espao. A ideia fantstica e acho que deve ser continuada, pois a convivncia das pessoas, com a boa comida e o ambiente bacana fizeram toda a diferena, elogiou. Boa parte do pblico presen-

    te era composta por morado-

    res, que elogiaram a iniciativa. Achei o Festival uma tima oportunidade de humanizar ainda mais aquela regio do Mercado de Peixes. uma ao cultural importante e caiu mui-to bem para o fim de semana, diz o produtor cultural Enrico

    Cipriani, morador da Imbeti-ba, apontando alguns pontos que precisam melhorar. O sol forte mostrou a importncia de mais tendas. E que tenha mais msica. O chorinho demorou a comear, mas quando iniciou foi bom demais. Parabns aos

    organizadores, finalizou.Isabela ressalta que o Polo

    pretende realizar outros even-tos na cidade ainda esse ano. Esse foi o nosso segundo, sen-do o primeiro na rua. Tanto esse, quanto o Circuito do Ba-calhau, teve tima aceitao da populao. Agora a gente vai se reunir para definir qual ser o prximo. Percebemos que ain-da tem alguns pontos que pre-cisamos melhorar e estamos buscando no repeti-los nas prximas edies ressalta. Alm de aquecer o movimen-

    to para os estabelecimentos, o evento acabou beneficiando o setor da pesca. Eu fui com um casal de amigos depois da de-gustao e compramos camaro para levar para casa, diz Enrico.

    SOBRE O POLO

    O Polo Gastronmico Macah Antiga comeou a ser organi-zado em 2014, mas foi oficial-mente criado em julho do ano passado. Uma das suas propos-tas fazer o resgate das razes culinrias da cidade, conec-tando a gastronomia com a sua histria. Os estabelecimentos esto situados na regio central, onde Maca teve o seu incio. E nessa parte histrica que se encontram o Forte Marechal Hermes, o Mercado de Peixes, o Solar dos Mellos, a Lira dos Conspiradores, a Nova Aurora e a Praa Verssimo de Melo, ressalta Isabela.

    WANDERLEY GIL

    Campanha Nacional ser realizada em Maca entre os dias 30 de abril e 30 de maio

    H1N1

    Campanha de imunizao comea no nal do ms

    O nmero crescente de ca-sos de H1N1 em todo o pas tem feito com que as autoridades ado-tem medidas emergenciais para conter o avano da doena no territrio nacional. Segundo es-pecialistas, a incidncia precoce da doena pode estar relacionada aos casos no Hemisfrio Norte. Como a preveno a melhor

    soluo, no final do ms comea a Campanha Nacional de Vacina-o. Em Maca, a prefeitura diz que ir seguir as datas previstas pelo Governo Federal. A previso de inici-la no dia 30 de abril e terminar no dia 30 de maio, data que considerado o Dia D. Ela ressalta que os postos de sade onde a populao poder se imu-nizar sero divulgados em breve. Segundo a secretaria de Estado

    de Sade, at o dia 31 de maro j tinham sido confirmados trs ca-sos da doena no Rio, com uma morte. At o momento no fo-ram confirmados casos de H1N1

    Prefeitura diz que vai seguir o cronograma do Ministrio da Sade

    em Maca. Os sintomas dela so febre,

    tosse ou dor na garganta, alm de outros, como dor de cabea, dor muscular e nas articulaes. J o agravamento pode ser identifica-do por falta de ar, febre por mais de trs dias, piora de sintomas gastrointestinais, dor muscular intensa e prostrao. Em caso de suspeita, a pessoa deve procurar o atendimento mdico o mais rpido possvel. O atendimento precoce a principal arma para evitar complicaes que podem ser causadas pela gripe.A transmisso do vrus Influen-

    za acontece por meio do contato com secrees das vias respirat-rias, eliminadas pela pessoa con-taminada ao falar, tossir ou res-pirrar. Tambm ocorre por meio das mos e objetos contaminados, quando entram em contato com mucosas (boca, olhos, nariz). Pa-ra evitar o contgio da doena, a pessoa pode tomar medidas preventivas como lavar as mos vrias vezes ao dia; cobrir o nariz e a boca ao tossir e espirrar; evitar tocar o rosto e no compartilhar objetos de uso pessoal.

    SANEAMENTO

    Rede de esgoto ainda gera reclamaesAps a Odebrecht Ambiental anunciar que a populao deve se regularizar, moradores apontam falhas

    Na semana passada, a Ode-brecht Ambiental anunciou que a populao do Vale Encantado, Granja dos Cavaleiros, So Mar-cos, Bairro da Glria, Novo Ca-valeiros e Cancela Preta j pode ligar seus imveis rede coletora de esgoto. A concessionria res-salta que esse tipo de servio de responsabilidade do morador, que dever interligar a tubulao interna com a Caixa de Inspeo (CI), construda na calada. Menos de uma semana de-

    pois, a populao j comea a se planejar para se regularizar. Quando eu vi o anncio na in-ternet, os procurei e pedi para confirmarem as informaes. Estou orientando os moradores a fazerem isso o quanto antes, diz o presidente da AMOGRAN-JA, Dirant Ferraz. Em contrapartida, a popu-

    lao cobra da empresa uma maior agilidade na recuperao das ruas que sofreram inter-venes para a implantao da rede de saneamento. Eles me informaram que vo seguir o cronograma. Mas claro que a populao est ansiosa para que isso seja feito o quanto antes. Eu questionei sobre os acabamen-tos e eles informaram que vo fazer o servio. Agora a gente vai aguardar e, se no for feito, vamos cobrar, ressalta Dirant.Apesar de ser uma das obras

    de maior importncia para a cidade, alguns moradores ain-da questionam a qualidade do servio. Estamos tendo muito

    rastros de trabalhos mal feitos. A Odebrecht est preocupada em cumprir um cronograma e eu estou preocupado com o bem-estar do morador. J acionei a prefeitura (Esane) para que ela tome providncias. A Rua Mano-el Francisco Nunes est com os bueiros entupidos juntamente com a galeria. Recebemos au-torizao para ligar o esgoto, mas ele est minando na pista na altura do nmero 400. A Rua Fagundes Varela est com os bueiros entupidos. A Rua Olavo Bilac est com a caixa de esgoto quebrada e assoreada, a pista intransitvel cheia de buracos cortando pneus dos veculos. A Via do Sol est com bueiros en-tupidos e soterrados. Nossa pre-ocupao que a concessionria finalize os trabalhos e deixem es-se rastro para trs ficando num jogo de empurra-empurra com o poder pblico, diz o presiden-te da Associao de Moradores, Marcos Segadas.O representante do bairro diz

    que j procurou a concessionria

    diversas vezes. Em resposta ao meu ofcio, a Odebrecht afirmou que o servio de desentupimen-to seria concretizado at o dia 30 de maro. Agora mandaram outra informao de que o ser-vio ser at o ms de agosto. Ns no podemos esperar esse descaso pois as chuvas no avi-sam quando vm, desabafa o morador.

    O QUE DIZ A ODEBRECHT AMBIENTAL

    Em nota, a Odebrecht infor-mou que "a recomposio do pavimento nos bairros que rece-beram as obras de implantao do sistema de esgoto continua sendo realizada. O cronograma com a relao das vias a serem recapeadas divulgado sema-nalmente no site da empresa ht-tp://www.odebrechtambiental.com/macae/agua-e-esgoto/seu-esgoto/cronograma-de-obras/. Em caso de dvida, a Odebrecht Ambiental pode ser contatada pelo 0800 771 0001 ou na Lo-

    ja de Atendimento ao Pblico, localizada na Rua Jlio Olivier, 238 - loja 03, Centro". Sobre o cronograma de limpe-

    za da rede de drenagem pluvial do bairro Novo Cavaleiros, a Odebrecht Ambiental esclare-ce que o prazo de atendimento foi reorganizado para atendi-mento de todas as demandas do bairro e ser concludo at o ms de agosto. A prxima rua a ser atendida no cronograma a Manoel Francisco Nunes, cujo trabalho comeou hoje e ser concludo em 17/04. A Via do Sol receber as equipes entre os dias 23/05 a 05/06. A concessio-nria enviar equipe para avaliar as ruas Fagundes Varela e Olavo Bilac, e caso identifique proble-mas, tambm sero includas no cronograma. A Odebrecht Ambiental ressalta que todo o trabalho de limpeza das galerias, recomposio dos pavimentos, substituio de itens quebrados sero realizados conforme cro-nograma enviado associao de moradores do bairro.

    MARIANNA FONTES

    Recuperao das vias um dos itens aguardados pelos moradores da rea sul

    Primeiro Festival de Frutos do Mar supera expectativas

    NOTA

  • O DEBATE DIRIO DE MACA Maca, tera-feira, 5 de abril de 2016 3

    PolticaSUPERVIT

    Impostos geram ao governo R$ 48,8 milhes a mais de receitas em apenas 3 mesesISS e ICMS garantem arrecadao superior a prevista pela prefeitura no ano da crise

    Mrcio Siqueiramarcio@odebateon.com.nr

    No 'ano da crise', o gover-no municipal registra o excesso de mais de R$ 48,8 milhes na arrecadao, apenas com as duas principais fontes das receitas prprias: o Imposto sobre Servios (ISS) e o Imposto sobre a Circulao de Mercadorias e Servios (ICMS) repassados pelo Estado.Os nmeros foram alcana-

    dos atravs de uma balano or-amentrio relativo ao primeiro trimestre de 2016, feito por O DEBATE com base nos dados disponibilizados pelo Portal da Transparncia, auditado pelo Ministrio Pblico Federal.De janeiro a maro deste ano,

    o governo foi capaz de recolher exatos R$ 48.827.874,99 a mais do que o esperado para ser ar-recadado pelos cofres pblicos.Os R$ 48 milhes represen-

    tam o volume de dinheiro gera-do pelo ISS e o ICMS acima das expectativas do governo para o desempenho oramentrio do municpio neste ano, segundo os valores registrados na Lei Oramentria Anual (LOA) san-cionada aps discusso e apro-vao na Cmara de Vereadores.Ao comparar os dados regis-

    trados no Portal da Transpa-rncia e os valores publicados do quadro das metas mensais de arrecadao, anexado a LOA, O

    KAN MANHES

    Dados disponveis no Portal da Transparncia da prefeitura demonstram arrecadao de impostos acima do estimado pelo governo

    DEBATE apurou que s de ISS o governo passou a contar com R$ 33,3 milhes a mais deposi-tados nos cofres pblicos.Enquanto o governo esperava

    arrecadar R$ 144,8 milhes com o ISS nos trs primeiros meses do ano, o imposto foi capaz de gerar aos cofres pblicos uma receita total de mais de R$ 178 milhes, gerando assim o exces-so de arrecadao apenas com esta fonte oramentria.

    J os dados disponveis no Portal da Transparncia, e os valores previstos na LOA san-cionada pelo governo, apon-tam que o ICMS j garantiu prefeitura R$ 15,4 milhes a mais que o esperado pela ad-ministrao municipal nesse primeiro trimestre.Nas metas mensais, o governo

    estimava receber R$ 91,6 mi-lhes com os repasses do gover-no do Estado sobre o ICMS de

    janeiro a maro deste ano. Po-rm, no mesmo perodo, o im-posto gerou Capital Nacional do Petrleo um total de R$ 107,1 milhes, j depositados nos co-fres pblicos da prefeitura.Vale ressaltar que o super-

    vit de ISS e ICMS garante um alvio maior ao governo para garantir a execuo das despe-sas relativas ao pagamento dos servidores e os investimentos em Sade e Educao.

    BALANO

    Arrecadao de Maca sobe para R$ 492 miEm trs meses, a Capital Nacional do Petrleo foi capaz de arrecadar um total de R$ 492 milhes com impostos, taxas, repasses governamen-tais e convnios.O valor total das receitas

    acumuladas pelos cofres p-blicos no primeiro trimestre de 2016 foram atualizadas on-tem pelo Portal da Transpa-rncia, mas ainda pode sofre alteraes devido ao processo tributrio executado pela se-cretaria municipal de Fazenda.Como havia sido apurado

    por O DEBATE na ltima sexta-feira (1), a arrecada-o total da prefeitura estava calculada em mais de R$ 480 milhes, de acordo com o Por-tal da Transparncia.Mas, com a atualizao dos

    dados realizada pela prefei-tura nos ltimos dias, o valor registrado no sistema passou para R$ 492 milhes.Com isso, a arrecadao

    consolidada por Maca ape-nas em maro tambm au-mentou. Na sexta (1), o Portal da Transparncia indicava um saldo de R$ 143 milhes. Mas ontem, o sistema registrava o total de R$ 156.016.735,99.Os R$ 492 milhes incluem

    tambm os mais de R$ 48 mi-lhes gerados como excesso de arrecadao do ISS e do ICMS.No entanto, comparado ao

    ano passado, a arrecadao alcanada por Maca nesses trs meses registrou queda de cerca de 17,5%. A queda no volume de re-

    ceitas est atrelada, principal-mente, reduo nas quantias repassadas pela Secretaria de Tesouro Nacional, referentes s parcelas dos royalties e da cota da Participao Especial j recebidas pela prefeitura.

    KAN MANHES

    Servio de limpeza j gerou despesa de R$ 9 milhes neste ano

    33,3 milhesReceitas geradas pelo ISS a mais do que o esperado pelo governo para o primeiro trimestre de 2016

    15,4 milhesExcesso de arrecadao gerado apenas pelo ICMS aos cofres pblicos de janeiro a maro

    NMEROS

    Municpio mantm cenrio de queda no quadro de empregos

    QUADRO

    Nos dois primeiros meses do ano, mais de 2 mil postos de trabalho foram fechados

    A Capital Nacional do Petrleo mantm o cenrio de reduo de postos de trabalho, gerado principalmente pela re-cesso das operaes do petr-leo em todo o pas. Em apenas dois meses deste ano, mais de dois mil empregos foram fecha-dos na cidade, representando assim o crescimento do nmero de demisses homologadas pela agncia do Ministrio do Traba-lho e Emprego no municpio.De acordo com os dados atu-

    alizados pelo Cadastro Geral de Empregos e Desempregos (Ca-ged), 5.357 vagas foram criadas em Maca entre janeiro e feve-reiro deste ano. No mesmo pe-rodo, 7.613 demisses foram registradas, gerando assim o saldo negativo de 2.256 vagas fechadas neste perodo.Ainda segundo o Caged,

    apenas em janeiro 834 postos de trabalho foram encerrados, resultantes do comparativo entre as 2.842 admisses e as 3.676 demisses.J em fevereiro o saldo ne-

    gativo foi de 1.422 postos de trabalho encerrados. No ms ocorreram 2.515 contrataes, mas 3.937 demisses foram homologadas.Maca lidera o ranking re-

    gional entre as cidades que re-gistraram o maior volume de

    reduo de postos de trabalho neste ano, o que representa o efeito da retrao dos neg-cios relativos ao mercado de explorao e de produo de petrleo, na Bacia de Campos.Na segunda colocao do

    ranking est Campos dos Goytacazes. Entre janeiro e fevereiro, 2.2024 vagas foram encerradas no municpio nes-ses dois meses.Rio das Ostras aparece na

    terceira colocao, com 347 postos de trabalho fechados neste primeiro bimestre.Apesar das operaes do

    Porto do Au, So Joo da Barra tambm registrou que-da na gerao de emprego, en-cerrando neste ano 217 postos

    WANDERLEY GIL

    Maca lidera o ranking regional entre as cidades que registram saldo negativo no quadro de emprego

    ORAMENTO

    Prefeitura executou R$ 324 milhes em despesas neste ano

    No mesmo perodo em que R$ 492 milhes foram arreca-dados pelos cofres pblicos, o atual governo executou mais de R$ 324 milhes em despesas, liquidadas de janeiro a maro deste ano.E nesse perodo mais de R$

    175 milhes foram destinados ao custeio da folha de pagamen-to, hoje a maior despesa da pre-feitura que pode chegar a mais de R$ 1 bilho at o final do ano.De acordo com o Portal da

    Transparncia, a prefeitura j pagou cerca de R$ 18 milhes para a empresa SIT, atravs do subsdio do transporte.

    Mais de R$ 175 milhes foram destinados ao custeio da folha de pagamento

    Neste perodo, mais de R$ 9 milhes foram pagos pelo go-verno empresa Limpactech, detentora do contrato assinado ainda na gesto passada, manti-do por prorrogaes e aditivos, referente ao servio de coleta de lixo, entre outros objetos.Dentre as maiores despesas

    executadas pelo governo esto os R$ 5,7 milhes aplicados na Merenda Escolar. Com a edu-cao bsica, mais de R$ 75 milhes j foram investidos, dentro das receitas do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educao Bsica (Fundeb).E outros R$ 5,9 milhes fo-

    ram pagos pela prefeitura Odebrecht Ambiental, relativos a contrapartida pela execuo da Parceria Pblica Privada (PPP) do Saneamento em exe-cuo na cidade.

    de trabalho. Cabo Frio, um dos munic-

    pios que enfrentam problemas administrativos em funo da queda nos repasses dos royal-ties e da Participao Especial, registrou o encerramento de 101 postos de trabalho em 2016.J Casimiro de Abreu conta-

    bilizou a reduo de 29 vagas de emprego nesse perodo.Na regio Norte Fluminense,

    apenas Carapebus e Quissam iniciaram o ano com saldo po-sitivo na gerao de empregos.Segundo o Caged, 4 vagas

    foram abertas em Carapebus nesses dois meses, enquanto em Quissam o saldo foi de 14 vagas.Desde o incio da crise do

    petrleo, em 2015, ao atual ce-

    nrio de recesso econmica nacional, Maca viu serem fe-chados mais de 13 mil postos de trabalho, um cenrio atpico ao longo dos 40 anos de pujan-a proporcionados pelas opera-es oshore.Apenas em 2015, a Capital

    Nacional do Petrleo, que che-gou a ser reconhecida tambm como a Eldorado dos Empregos, encerrou em 12 meses mais de 11,3 mil postos de trabalho.Neste ano, o segmento osho-

    re o que mais reduziu a oferta de trabalho na cidade, sendo responsvel por quase 60% dos postos de trabalho fechados neste ano.O comrcio e a construo

    civil tambm fecharam vagas.

    Igor Sardinha (PRB) pressiona o governo a orientar bancada para aprovar CPI relativa as planilhas da Operao Lava-Jato

    NOTA

  • O DEBATE DIRIO DE MACA4 Maca, tera-feira, 5 de abril de 2016

    Opinio NOTA

    ESPAO ABERTO

    EDITORIAL FOTO LEGENDA

    O repasses mensais dos royalties e as cotas trimes-trais geradas pela Participao Especial (PE) criaram nos municpios produtores de petrleo a 'falsa' im-presso de evoluo oramentria ao longo dos lti-mos 40 anos, situao que colocada prova diante da atual crise registrada pelo segmento offshore. Mas, a verdade que enquanto cidades esto verda-deiramente beira da falncia, a Capital Nacional do Petrleo ainda tem flego para garantir o equilbrio administrativo, uma segurana que precisa ser de-monstrada pelo poder pblico.

    Com o agravamento da crise e diminuio de crdito no sistema financeiro, ressurge no Brasil silenciosa-mente a figura sinistra do agiota. Recente matria, pu-blicada pelo Correio 24 horas, apontou que simulando operaes com mquinas de carto de crdito, agiotas estariam emprestando dinheiro a juros elevadssimos. Mas quem o agiota? Ele a pessoa que empresta di-nheiro fora do mercado de crdito, sem superviso e nem autorizao do governo, com taxas de juros abu-sivas que chegam a 20, 30, 40% ao ms, por exemplo.

    Costume

    Emprstimos ilegais

    De forma constitucional, as principais contas da pre-feitura esto asseguradas atravs da gerao das cha-madas receitas prprias, fru-to da incidncia de impostos controlados pelo governo municipal e baseados no co-tidiano da economia local.Em 2015 e tambm nos

    trs meses de 2016, essas re-ceitas oriundas de fontes co-mo o Imposto Sobre Servios (ISS) mantm-se acima dos valores estimados pela pre-feitura para serem arrecada-dos no ano, superando ainda as despesas planejadas pelo governo, criando o supervit que alivia o peso dos efeitos do cenrio de recesso ainda visto no campo oshore.Com isso, segue assegu-

    rado o valor estimado pelo governo para bancar o pa-gamento dos servidores e garantir os investimentos necessrios em Sade e Educao, dentro dos ndices

    previstos pela Constituio Federal. E so essas as prio-ridades garantidas pelas re-ceitas prprias.A queda nas receitas do pe-

    trleo geram impactos ao go-verno por estar relacionado a despesas programadas para o pagamento de servios pres-tados por empresas contrata-das atravs de concorrncias pblicas realizadas no gover-no passado, mas que seguem atuando na cidade sob fora de prorrogaes e termos adi-tivos, que elevam as despesas aos cofres pblicos.Portanto, no momento

    em que os municpios pro-dutores de petrleo voltam a discutir o acesso ante-cipao das receitas dos royalties, esses dois pontos precisam ser bem avaliados na opinio da populao que precisa entender o que se passa em meio aos regis-tros de bilhes e os ann-cios de cortes de milhes.

    Imagine o seguinte, se uma instituio financeira lesa o con-sumidor, ele tem onde recorrer. Pode representar no Banco Cen-tral, ouvidoria do banco, Minist-rio Pblico, Procons Municipais, ajuizar aes civis junto ao Poder Judicirio, etc. Os mecanismos de controles estatais no funcio-nam to bem. E mesmo se fun-cionassem, no haveria tantas aes na Justia contra bancos. H uma segurana maior de es-tar lidando com uma instituio controlada pelo Estado.J o agiota no tem controle

    nenhum e, em muitos casos, ele deseja que o consumidor no consiga pagar o emprstimo pa-ra tomar o patrimnio do deve-dor. As operaes de crdito com agiotas, alm de ilegais, so rea-lizadas com total desequilbrio para o devedor levando ao enri-quecimento sem causa do agiota.Para conseguir o objetivo de

    tomar o patrimnio do devedor e enriquecer muito, os agiotas, em muitos casos, alegam que preci-sam de uma "garantia" maior e forjam procuraes ou simulam escrituras de compra e venda, previamente assinadas pelo de-vedor, para dar uma aspecto de legalidade agiotagem. Mas, no fundo, o que eles desejam que o devedor no pague e, ento, eles podero tomar o bem dado em garantia de maneira fcil e con-tando com documentos frauda-dos e dificultando que o devedor

    apresente o caso posteriormente ao Poder Judicirio.Ento, em hiptese alguma

    se aproxime ou faa operaes com agiotas. Caso necessite de dinheiro recorra ao sistema le-gal de crdito, onde voc estar protegido pelo Cdigo de Defesa do Consumidor. O agiota traba-lha com taxas de juros abusivas e impagveis. E, em muitos casos, o que ele busca mesmo (objeti-vo camuflado) tomar o bem dado em garantia pelo devedor, inclusive simulando operaes financeira e comerciais que nun-ca existiram. Isso pode dificultar a defesa do devedor em juzo pos-teriormente. Fuja desse "cava-leiro do apocalipse" e busque as solues legais junto a bons ad-vogados ou Defensoria Pblica. Em alguns estados h, inclusive, setores na Defensoria Pblica para auxiliar consumidores su-perendividados. No postergue procurar ajuda especializada e jurdica. Cada momento que voc demora a fazer isso, pode agravar a sua situao pessoal.

    Llio Braga Calhau Pro-motor de Justia de defesa do consumidor do Ministrio Pbli-co de Minas Gerais. Graduado em Psicologia pela UNIVALE, Mestre em Direito do Estado e Cidadania pela UFG-RJ, pales-trante e Coordenador do site e do Podcast "Educao Finan-ceira para Todos".

    EU

    LE

    ITO

    R,

    O R

    EP

    R

    TE

    R

    PAINEL

    EXPEDIENTE GUIA DO LEITOR Telefones teisEJORAN - Editora de Jornais, Revistas e agncias de Notcias

    CNPJ: 29699.626/0001-10 - Registradona forma de lei.DIRETOR RESPONSVEL: Oscar Pires.SEDE PRPRIA: Rua Benedito Peixoto, 90 - Centro - Maca - RJ.Confeccionado pelo Sistema de Editorao AICS e CTP (Computer to Plate).Impresso pelo Sistema Offset.

    CIRCULAO: Maca, Quissam, Conceio de Macabu, Carapebus, Rio das Ostras, Campos dos Goytacazes e Casimiro de Abreu.

    A direo do O DEBATE no se responsabiliza e nem endossa os conceitos emitidos por seus colaboradores em aes ou artigos assinados, sendo de total responsabilidade do autor.

    Filiado ADJORI-RJ - Associao dos Diretores de Jornais do Estado do Rio de Janeiro e ABRAJORI - Associao Brasileira de Jornais do Interior. ANJ - Agncia Nacional de Jornais. ADI Brasil - Associao dos Jornais Dirios do Interior.

    REPRESENTANTE: ESSI PUBLICIDADE E COMUNICAO S/C LTDA.

    SO PAULO: R. Ablio Soares, 227/8 andar - Conjunto 81 - CEP: 04005-000 Telefone: (11) 3057-2547 e Fax: (11) 3887-0071 RIO DE JANEIRO: Av. Princesa Isabel, 323 - sala 608 - CEP: 22011-901 - Telefone: (21) 2275-4141 BRASLIA: SCS Ed. Maristela, sala 610 / DF - CEP: 70308-900 - Telefone: (61) 3034-1745(61) 3036-8293.TEL/FAX: (22) 2106-6060, acesse: http://www.odebateon.com.br/, E-MAIL: odebate@odebateon.com.br, COMERCIAL: Ligue (22) 2106-6060 - Ramal: 215, E-MAIL: comercial@odebateon.com.br, classificados: E-mail: classificados@odebateon.com.br

    POLCIA MILITAR 190

    POLCIA RODOVIRIA FEDERAL 191

    SAMU 192

    CORPO DE BOMBEIROS 193

    DEFESA CIVIL 199

    POLCIA CIVIL 123 DP 2791-4019

    DISQUE-DENNCIA (POLCIA MILITAR) 2791-5379

    DELEGACIA DE POLCIA FEDERAL (24 HORAS) 2796-8330

    DELEGACIA DE POLCIA FEDERAL (OPERAES) 2796-8320

    DELEGACIA DE POLCIA FEDERAL (PASSAPORTE/VISTO) 2796-8320

    CMARA DE MACA 2772-2288

    HPM 2773-0061

    CEDAE: 2772-5090

    AMPLA 0800-28-00-120

    PREFEITURA MUNICIPAL 2791-9008

    DELEGACIA DA MULHER 2772-0620

    GUARDA MUNICIPAL 2773-0440

    AEROPORTO DE MACA 2763-5700

    CARTRIO ELEITORAL 109 ZONA 2772-3520

    CARTRIO ELEITORAL 254 ZONA 2772-2256

    CORREIOS (SEDE) 2759-3390

    CORREIOS CENTRO 2762-7527

    CEG RIO 0800-28-20-205

    RDIO TAXI MACA 2772-6058

    CONSELHO TUTELAR I 2762-0405/ 2796-1108 PLANTO: 8837-4314

    CONSELHO TUTELAR II 2762-9971/ 2762-9179 PLANTO: 8837-3294

    CONSELHO TUTELAR III (SERRA) 2793-4050/2793-4044 PLANTO: 8837-4441

    Sesso de Negcios acontece na prxima quinta-feira. Promovido pelo Sebrae, evento reunir empresas de Maca e regio

    NominatasOs ltimos dias foram decisivos para os candidatos que iro disputar o pleito mu-nicipal deste ano. At os ltimos minutos para o encerramento do prazo definido pelo calendrio do Tribunal Superior Eleito-ral (TSE), nominatas ainda eram compos-tas visando principalmente a concorrncia pelas vagas do Legislativo. Passada essa fase, agora inicia-se as negociaes para as coligaes, processo que segue at ju-lho quando haver as convenes.

    Corpo a corpoEmbarcando no sucesso histrico obtido pelo I Festival de Frutos do Mar, promovido pelo Polo Gastronmico Macah Antiga, ex-integrantes do governo que abdicaram dos postos de se-cretrio para concorrer s eleies neste ano aproveitaram para antecipar o 'corpo a corpo'. Apresentando-se como pr-candidatos, eles recorreram a um artifcio que ser muito utili-zado na disputa eleitoral deste ano: as redes sociais. Mas para construir uma boa imagem preciso credibilidade.

    Ataques E a credibilidade o que falta para perfis no Facebook e blogs pseudo-polticos, criados nica e exclusivamente com objetivo, ou de enaltecer padrinhos polticos, ou para atacar adversrios, sendo as lideranas de oposio como os principais alvos. Prtica comum ao perodo pr-eleitoral, esses artifcios acabam gerando apenas um efeito consolidado: o de arranhar a imagem de quem est por trs do financiamento desses 'ratos do poder'. Sim, eles esto de volta!

    Histrico Voltando a falar do festival, o evento entra, sem sombra de dvidas, em uma posio de destaque no calendrio oficial de eventos do municpio, uma conquista que garante ao Polo Gastronmico Macah Antiga todos os reconhecimentos e elogios. E a escolha pelo Mercado de Peixes remete ao efetivo resgate da histria e da cultura da cidade, um processo esquecido pelo poder pblico. Com o tamanho sucesso, os restaurantes situados na rea cen-tral da cidade j pensam em novidades.

    Turismo E o I Festival de Frutos do Mar demonstrou tambm que Maca possui um forte apelo para o turismo de lazer, com capacidade de atrair moradores da regio e at de ou-tros Estados. Isso j havia sido represen-tado pelo I Festival de Foodtruck no ano passado. Mas, sem o devido planejamen-to, a cidade deixa de ganhar o dinheiro que gasto por muitos macaenses em cidades como Cabo Frio, Armao dos Bzios e at Rio das Ostras.

    Sade O ltimo final de semana foi movimentado na Unidades de Emergncias Peditricas (UEP). Com uma demanda crescente de atendimentos e com o quadro de mdicos de planto reduzido, o polo de referncia em sade infantil ficou superlotado, o que gerou reclamaes de pais e responsveis. E a situao tende a piorar, j que a relao de doenas com grande incidncia nesta poca do ano aumentou com a chegada do novo vrus H1N1.

    Golpe No sbado (2), lideranas do diretrio municipal do Partido dos Trabalhadores, do Sindicato dos Petroleiros do Norte Fluminense (Sindipetro-NF) e represen-tantes de movimentos sociais se reuniram em frente da Praa Verssimo de Melo em protesto contra 'o golpe e a favor da de-mocracia'. Com faixas, cartazes e vestidos de vermelho, cerca de 50 pessoas parti-ciparam do ato que teve a participao do vereador Marcel Silvano (PT).

    Estrada Est cada vez pior as condies do asfalto da Rodovia Amaral Peixoto, no trecho compreen-dido entre Maca e Rio das Ostras, seguindo tambm para a Regio dos Lagos. Crateras se abriram em virtude das ltimas chuvas, que fizeram crescer o mato no acostamento, bloqueando placas e at os radares de con-trole de velocidade. Por mais que haja apelos por aes do Departamento de Estradas de Rodagem (DER), o governo estadual segue omisso diante desse grave problema.

    Vitria O Sindicato dos Servidores Pblicos Muni-cipais de Maca (Sindservi) registrou, nas redes sociais, a concluso do processo elei-toral que culminou na reeleio da atual dire-tora, Rose Mary Gomes, para seguir frente da categoria por mais quatro anos. Em um processo que envolveu questionamentos quanto a inscrio e impugnao de chapas, as eleies ocorreram coincidentemente na semana em que o pagamento das incorpo-raes foi retomado por ordem da justia.

    A Praa 29 de Julho, no Novo Cavaleiros, destruda aos poucos em virtude do trfego de carretas que saem do Polo Offshore e seguem em direo Rodovia Amaral Peixoto. que os caminhes pesados acabam subindo na calada da rea de lazer, quando seguem da Avenida Aristeu Ferreira da Silva em direo Via do Sol, uma manobra que gera transtornos ao trnsito e causa prejuzo ao patrimnio pblico, que precisa urgentemente de reforma.

  • O DEBATE DIRIO DE MACA Maca, tera-feira, 5 de abril de 2016 5

    Economia

    WANDERLEY GIL

    Mais de 9 mil medicamentos esto includos na lista de reajuste

    DINHEIRO

    Sade mais cara no bolso do consumidor

    Como prova de que a infla-o progressiva vem se tornan-do dona de tudo, em abril, at a farmcia deve passar a ficar consideravelmente mais cara para o bolso do consumidor. que de acordo com uma reso-luo da Cmara de regulao do Mercado de Medicamentos (CMED), rgo formado por representantes de vrios minis-trios do governo, a partir desse ms o preo dos remdios deve subir at 12,5%. A deciso j foi publicada no Dirio Oficial da Unio.Segundo o texto da nova

    medida, o nmero percentual de 12,5% trata-se do reajuste mximo permitido aos fabri-cantes na definio dos preos dos medicamentos. Na prtica, isto significa que nem todos os 9 mil remdios controlados pelo governo e includos na regula-o tero o aumento mximo concedido.

    REAJUSTE ACIMA DA INFLAO

    Conforme informaes ce-didas pela Interfarma, asso-ciao que representa os prin-cipais laboratrios farmacu-ticos do pas, esta a primeira vez em mais de 10 anos que o governo autoriza um reajuste anual de preos acima da in-flao. No ano passado, o rea-juste mximo autorizado foi de 7,7%. J em 2014, o reajuste foi de 5,6%. Alm disso, diferente dos rea-

    A partir desse ms, medicamentos vo ficar at 12,5% mais caros

    justes anteriores, quando foram autorizados trs nveis diferen-tes de alta conforme o perfil de concorrncia dos remdios, esse ano o governo determinou uma faixa nica de reajuste mxi-mo para todas as categorias de medicamentos. Em 2015, por exemplo, seguindo a lgica de que nas categorias com um maior nmero de genricos a concorrncia maior, o aumen-to calculado para elas tambm foi superior.

    JUSTIFICATIVA SERIA A CRISE

    Ainda de acordo com a In-terfama, o reajuste acima da inflao seria reflexo da crise econmica no setor farmacu-tico, de modo que, pelas regras do setor, o clculo do reajuste tambm leva em conta fatores como produtividade da inds-tria e variaes dos custos de insumos.A forte alta do dlar e das

    tarifas de energia eltrica tive-ram forte impacto nos custos da indstria, cuja boa parte da matria-prima importada. Desta forma, a produtividade do setor foi negativa, ou seja, a mo de obra contratada pro-duziu menos que no ano ante-rior. Assim, os fatores de pro-dutividade acabaram sendo anulados", explicou em nota o rgo ressaltando que apesar de o reajuste j estar valendo, o mais aconselhvel que o consumidor pesquise antes de comprar, pois na maioria dos casos os preos tendem a ser reajustado conforme as farmcias forem renovando seus estoques.

    Vagas de emprego voltam a cair na Agetrab

    TRABALHO

    De acordo com a prefeitu-ra, a primeira semana de abril comeou com 257 postos de trabalho disponveis na Agn-cia de Trabalho, Educao Pro-fissional e Renda (AgeTrab) de Maca. Em comparao com a semana passada, quando 274 postos foram oferecidos, a re-duo foi de 6%. J em com-parao com a primeira lista de vagas de 2015, a quantidade vagas no municpio j reduziu cerca de 49%, quando em 4 de janeiro o nmero de postos de trabalho disponveis registra-dos no rgo era de 503. Em mais comparaes, o n-

    mero de vagas de emprego aber-tas a segunda menor do ano, apenas atrs das 255 oferecidas

    Em relao semana passada, oportunidades reduziram 6,3%

    no dia 2 de fevereiro. Em 2015, o menor nmero de ofertas regis-tradas aconteceu apenas em ou-tubro, quando 262 vagas foram colocadas disposio. Assim como no ltimo ms,

    entre os destaques seguem as vagas para vigilante (60). Entre os pr-requisitos para se can-didatar aos postos de vigilante esto: possuir o curso profissio-nalizante e ter experincia na rea, alm de residir em Maca. Entre outras oportunidades

    oferecidas tambm seguem as vagas para vendedor externo (30); manicure (10); cozinheiro (6); duteiro oshore (6); auxiliar de servios gerais (5); corretor de imveis e aougueiro (4). Para se candidatar a qual-

    quer uma das vagas oferecidas, o mais indicado que os inte-ressados realizem um agenda-mento online por meio do site www.macae.rj.gov.br/traba-

    KAN MANHES

    Destaque so as sessenta vagas para o cargo de vigilante

    lhoerenda. Em seguida, basta comparecer sede da Agetrab, que fica localizada no Maca Facilita da Barra, em frente ao Moarcyrzo, com documentos originais (carteira de identida-de, CPF e carteira de trabalho,

    alm de currculo atualizado). O servio de cadastro gratuito, tanto para as empresas quanto para os trabalhadores. O hor-rio de atendimento ao pblico de segunda a sexta-feira, das 8 s 16h.

    "DEU QURUM"

    Sindservi tem presidente reeleita por mais quatro anosRose Mary Gomes j planeja fechar ciclo frente organizao sindical

    Guilherme Magalhesguilherme@odebateon.com.br

    Na ltima quinta-feira (31), com algumas con-fuses, o Sindicato dos Servidores Pblicos de Maca (Sindservi) realizou a eleio para definir os administrado-res de seus prximos quatro anos. Concorrendo em chapa nica, a vencedora foi a atual presidente Rose Mary Gomes, aps conseguir atingir o qu-rum necessrio de um quinto dos votos de servidores para se reeleger. Este o quarto man-dato de Rose, que j havia sido eleita outras trs vezes conse-cutivas. A nova posse ser ofi-cializada em maio.Durante o processo eleitoral,

    a polmica ficou por conta da oposio de outras trs chapas que pretendiam se eleger, mas foram impugnadas por uma Junta Eleitoral devido irregu-laridades em suas composies. Como consequncia, para ten-tar cancelar a votao por falta de qurum mnimo, alguns par-ticipantes das chapas impugna-das ficaram na frente da sede do Sindservi na Fronteira, onde o processo eleitoral estava sendo realizado, e tentaram coibir os participantes de votar. Aps a contagem dos votos e

    a legitimao da reeleio, se-gundo Rose, a ideia que o novo mandato feche seu ciclo frente organizao sindical. Nas prximas semanas devo

    me reunir com a diretoria, bus-cando definir os planos para esse novo mandato que, pro-vavelmente, deve ser o ltimo comigo frente do Sindservi, encerrando um ciclo de lutas e conquistas, como foi o caso de defesa da incorporao mais

    recentemente, declarou Rose, ressaltando que ainda falta dis-cutir e melhorar vrios pontos do funcionalismo municipal, como a questo do ponto bio-mtrico, por exemplo.Atualmente, o Sindservi con-

    ta com quatro sedes em Maca: Centro, Fronteira, Glicrio e Lagomar, onde fica instalado o clube do rgo sindical.Polmica das chapas impug-

    nadasDe acordo com representan-

    tes de uma das chapas oposito-ras, que tentaram se candidatar

    direo do Sindservi, a impug-nao teria sido arbitrria.Regras autoritrias, contra-

    ditrias e inconsistentes foram criadas para dificultar ainda mais o acesso dos sindicaliza-dos ao comando do sindicato. A direo atual est h 12 anos frente do sindicato e no quer largar o osso, diz em trecho o informativo que estava sendo entregue no dia da votao.Por outro lado, de acordo com

    a advogada do Sindservi, Maria Auxiliadora de Moura, o que ocorreu teria sido uma falsa

    tentativa dos opositores em se candidatarem.A verdade que o edital do

    processo eleitoral foi publicado no dia 1 de maro, e ficou aber-to at o dia 11 do mesmo ms. Mas, coincidentemente, as trs chapas opositoras deixaram pa-ra se inscrever no ltimo dia, a menos de uma hora para o fim do prazo. Como haviam irregu-laridades em todas as trs com-posies, o resultado foi que a Junta Eleitoral formada para o processo resolveu cancelar to-das as trs, explicou.

    WANDERLEY GIL

    Votao ocorreu na Fronteira durante a ltima quinta-feira

    Bovespa fecha em queda de mais de 3%; aes da Petrobras recuam 9,33%. Papis da petroleira caram diante de possvel corte nos preos da gasolina e do diesel.

    NOTA

  • O DEBATE DIRIO DE MACA6 Maca, tera-feira, 5 de abril de 2016

    Polcia

    LAGOMAR

    Moto roubada recuperada pela polcia

    Atravs do disque-denn-cia, a Polcia Militar (PM) conse-guiu localizar uma motocicleta que havia sido roubada no mesmo dia.Segundo a polcia, a denncia

    informou que, na Rua W26, havia uma moto da marca Honda, mode-lo CG. A guarnio do setor Aprev Lagomar seguiu para o local, quan-do os elementos empreenderam fuga to logo avistaram a viatura. Os suspeitos deixaram para trs a motocicleta e um simulacro de pistola. Aps consulta, os policiais cons-

    tataram que o veculo era produto

    Suspeitos fugiram e deixaram o veculo para trs

    de um roubo no dia 2 de abril, em Maca. Diante dos fatos, a guar-nio seguiu para a 123 DP para registro da ocorrncia.

    DENNCIAS

    Quem puder, e quiser contribuir com o trabalho da polcia, denun-ciando criminosos, deve entrar em contato com o Disque-Denncia da Polcia Militar, atravs do n-mero 2765-7296. O telefone est disposio da populao 24 ho-ras por dia para atender todos os chamados.Alm das ligaes, os cidados

    tambm podem passar informa-es pelo WhatsApp no nmero 98168-2344. Ou por e-mail para: denuncia32bpm@gmail.com.

    CONSELHO

    CCSP realiza reunies com a comunidadeMembros do Conselho de Segurana concedem entrevista ao Jornal O DEBATELudmila Fernandesludmila@odebateon.com.br

    O Conselho Comunitrio de Segurana Pblica de Ma-ca (CCSP) foi reativado no dia 29 de fevereiro. Desde ento, os membros do CCSP vem trabalhan-do junto populao e s institui-es de segurana por melhorias no municpio.A posse do Conselho ocorreu no

    dia 23 de maro, e contou com a participao de diversos represen-tantes das instituies de seguran-a, incluindo o atual secretrio de Segurana Pblica do Estado, Jos Mariano Beltrame. O CCSP um canal de participa-

    o popular nos debates referentes segurana pblica, tendo como objetivo auxiliar as atividades das instituies do ciclo de segurana pblica. De acordo com o Presiden-te do Conselho, Patrick Moraes, a populao pode apresentar as suas demandas relacionadas seguran-a que sero ofi cializadas junto s instituies competentes. Ele res-saltou que o CCSP, alm de buscar solues para a comunidade quanto aos problemas de segurana, tam-bm busca melhorias para as Pol-cias Militar e Civil.Reforamos que durante as nos-

    sas reunies, alm de recebermos as demandas dos cidados, tambm realizamos orientaes aos mora-

    dores quanto forma de se portar na rua para evitar os furtos. Alm disso, tambm buscamos as me-lhorias necessrias para que as po-lcias possam continuar realizando um trabalho de qualidade, ou seja, vamos em busca de respostas quan-to ao nmero de efetivos policiais, tanto Militar quanto Civil, tecnolo-gias, viaturas e outras necessidades das instituies, afi rmou Patrick.O primeiro secretrio, Leandro

    Silva, enfatizou que o Conselho j est com uma alta demanda da populao e que, desde fevereiro, estiveram em reunies com Insti-tuto Federal Fluminense (IFF), no Residencial Brisa do Vale, Assenta-mento Celso Daniel, representan-tes do Pipeiros Maca (indivduos que fazem e soltam pipas), Imburo e Aterrado do Imburo.No IFF, fomos convidados pelos

    diretores para tratar da violncia que vem ocorrendo h algum tem-po, atingindo alunos, funcionrios, pais de alunos, entre outros. Alm de assumirmos as demandas apre-sentadas, que j foram encami-nhadas aos rgos competentes, tambm orientamos os presentes quanto exposio na rua para evi-tar furtos. J no Residencial Brisa do Vale, os moradores apresenta-ram demandas referentes crimi-nalidade. Tambm falaram sobre reas que esto sem iluminao e terrenos com matagais, tudo que

    MARIANNA FONTES

    Da esquerda para a direita, o primeiro secretrio Leandro da Silva, o presidente Patrick Moraes e o vice-presidente Marcelino Souza, em entrevista ao Jornal O DEBATE

    contribuiu para a insegurana do local. Tambm j levamos tais de-mandas aos rgos competentes, informou Leandro.O primeiro secretrio tambm

    ressaltou que amanh (6) est pre-vista uma reunio com o secret-rio de Ordem Pblica, Andr Luiz Monteiro e o coordenador do Gru-po de Apoio Operacional (GAOP), Joo Henrique Ribeiro, para tratar dos assuntos pertinentes de quatro Associaes: Assentamento Celso Daniel, Pipeiros Maca, Imburo e Aterrado do Imburo.J o vice-presidente do CCSP,

    Marcelino Souza, falou sobre a vi-sita que os membros do Conselho

    fizeram ao Sistema de Monitora-mento da cidade. Ele destacou a importncia do projeto e de inves-timentos futuros para que possa ser expandido este tipo de atividade.Acredito que este projeto de-

    veria ser mais divulgado para a populao, j que o trabalho de monitoramento da cidade de extrema importncia. As cmeras so responsveis por inibir diver-sos crimes. Elas esto localizadas na regio central e esperamos que, fu-turamente, haja mais investimen-tos para a expanso deste projeto, disse o vice-presidente.Marcelino tambm falou sobre

    uma questo que vem preocupan-

    do a populao. O medo de policiais lotados no 32 BPM serem chama-dos Capital para reforo no efetivo durante as Olimpadas, em agosto. De acordo com o vice-presidente, este ponto foi levantado durante a Primeira Reunio Ordinria junto ao secretrio Beltrame. O secretrio informou que no

    h a necessidade de policiais do interior serem chamados para re-foro no Rio, j que a segurana do evento contar com o apoio da For-a Nacional e do Exrcito, disse.Por fi m, os membros do CCSP fi -

    zeram um apelo pedindo para que as instituies tambm procurem por eles, atravs dos canais de co-

    municao. Apesar do pouco tempo em atividade, o Conselho j tem em mos uma grande demanda de of-cios a serem repassados aos rgos competentes. importante dizer que uma entidade sem fi ns lucra-tivos e que no recebem verbas. Por isso, todo o trabalho realizado pelos membros voluntrio. Desde a reativao, estamos no-

    tando boa receptividade por parte da populao. Percebemos que os moradores de Maca comeam a nos identificar como mais uma ferramenta de ligao entre a so-ciedade civil e as instituies. Nossa equipe est empolgada, e estamos obtendo alguns resultados posi-tivos, como no Parque da Cidade, onde fomos atendidos de imediato pela Polcia Militar, que colocou mais patrulhamento no local. As-sim, pedimos para que os cidados e as empresas venham at ns tam-bm, a fi m de conseguirmos melho-res resultados, fi nalizou Patrick.

    CONTATOA populao pode entrar em con-

    tato com o Conselho de Segurana Pblica de Maca, para apresentar demandas, solicitar visitas e saber mais informaes, atravs do per-fil no facebook CCS Maca, pelo e-mail: contato@ccspmacae.com.br ou atravs dos telefones (22) 9 9813 -7789 | (22) 9 8843 -5735 | (22) 9 9231 - 7694 (Whatsapp).

    PM sufoca o tr co na rea do 32 BPMTRFICO DE DROGAS

    Durante o ltimo fi nal de se-mana, a Polcia Militar (PM) reali-zou diversas operaes contra o tr-fi co de drogas na rea do 32 BPM. Em Maca, no bairro Lagomar,

    guarnio do setor APREV Lago-mar, em patrulhamento, avistou um elemento saindo de um terreno baldio com uma sacola plstica. Foi feita a abordagem e revista pesso-al, sendo encontrados 16 pinos de cocana e R$ 30,00 em espcie, na sacola. O suspeito, de 18 anos, apon-tado como vapor (responsvel pe-la venda no varejo diretamente aos consumidores) da faco criminosa Comando Vermelho (CV), foi enca-minhado a DP.No caminho para a delegacia, na

    Avenida Atlntica, os policiais avis-taram mais um elemento em ati-tude suspeita. Aps abordagem foi localizado em posse do elemento, trs pinos de cocana, duas buchas de maconha e R$ 15,00 em espcie. O suspeito, tambm de 18 anos e apontado como vapor da mesma faco, foi conduzido junto ao ou-tro elemento para a 123 DP, onde permaneceram presos e o material apreendido.

    RIO DAS OSTRASNo bairro ncora, uma denn-

    cia annima levou priso de um jovem, de 21 anos, que estaria ven-dendo entorpecentes, na Rua das Violetas.Segundo a polcia, no local in-

    formado na denncia, guarnies do Grupo de Aes Tticas (GAT) I e II, perceberam seis pessoas em volta de um elemento, com o obje-tivo de comprar drogas. Ao perce-berem a presena das guarnies, o suspeito Jean Nascimento Lima, de 21 anos, tentou fugir, mas foi cap-turado pelos policiais. Aps revista pessoal foram encontradas com o elemento 188 cpsulas de cocana e seis buchas de maconha. Em seguida, todos os envolvidos

    foram encaminhados 123 DP

    Operaes aconteceram em Maca, Rio das Ostras e Casimiro de Abreu

    (Delegacia de Planto), onde Jean Lima fi cou preso e outro elemento, Bruno Albino Gomes, de 29 anos, tambm foi preso, por constar contra ele um mandado de priso. Os outros cinco envolvidos foram ouvidos e liberados com o compro-misso de comparecerem em juzo para prestar esclarecimentos. Em outra operao, tambm no

    ncora, um menor de idade, de 16 anos, apontado como gerente do CV e um homem, de 45 anos fo-ram encaminhados a DP. Segundo a polcia, mais uma vez, o disque-denncia colaborou para que a PM obtivesse resultados positivos.A denncia informou que na Rua

    das Camlias, em frente a um bar, seria entregue uma carga de dro-gas. Equipes do GAT I e II foram at o local e abordaram o menor de idade, mas nada de ilcito foi encontrado em sua posse. Porm, durante a abordagem, o suspeito recebeu uma ligao onde os po-liciais puderam ouvir que algum o aguardava na Rua Beira Rio. Ato contnuo, as guarnies seguiram para o local junto com o menor de idade, onde foi realizada a aborda-gem do segundo suspeito, Marcelo Dias dos Santos, de 45 anos. Aps indagado sobre a ligao, o homem teria dito aos policiais que no sa-bia o que estava fazendo no referi-do local e que teria sido obrigado a tomar conta de um saco de lixo. Aps revista no saco de lixo foram encontrados 630 pinos de cocana e 590 buchas de maconha.Diante dos fatos, guarnies con-

    duziram os suspeitos para a 123 DP, onde o menor de idade foi ou-vido e liberado, sendo Marcelo dos Santos autuado e preso.

    CASIMIRO DE ABREUPor conta dos recentes con-

    frontos armados entre meliantes do trfi co de drogas com a Polcia Militar, em Casimiro de Abreu, o 6 CPA mandou guarnies da PM realizarem operaes de represso ao trfi co no municpio, principal-mente, nos bairros Mataruna, Par-que Vale do Indaiau e Perimetral Leste, onde houve os confrontos. O objetivo das operaes no lo-

    DIVULGAO PM

    Polcia Militar realiza operaes de represso ao trfi co de drogas na rea do 32 BPM

    cal a busca pelos autores dos ti-roteios. Aps informe, guarnies seguiram para o bairro Maratuna, em uma casa localizada na Rua Luiza Starnek, onde encontraram o suspeito Rony da Costa Oliveira, conhecido como LO, de 25 anos. Ele apontado pela polcia como gerente do Comando Vermelho (CV) no municpio. De acordo com a PM, ao perce-

    ber a movimentao dos policiais em frente sua residncia, o sus-peito tentou se esconder em um mato no quintal da casa. Porm, os militares conseguiram localizar o elemento, que permitiu a entrada das guarnies. Ali foi encontrado um caderno com anotaes do tr-fi co de drogas e farto material para endolao de entorpecentes.Os policiais indagaram, ainda,

    sobre a venda de drogas e o suspei-to teria informado que participava do trfico, mostrando onde havia drogas escondidas, em um matagal

    prximo sua casa. No local foram desenterrados 23 pinos de cocana que, de acordo com a polcia, no caderno encontrado na residncia do suspeito indicava que a droga pertencia a um elemento conheci-do como Rajada, que seria irmo de outro elemento conhecido como Chupa Manga, que foi preso no dia 30 de maro. Pelo que se sabe, ambos estariam envolvidos no tr-fi co de drogas.No caderno tambm teriam sido

    encontradas informaes sobre um elemento conhecido como Se-mente, preso no dia 31 de maro e um elemento conhecido como Esquilo - este seria chefe de uma favela do Rio de Janeiro e que, ha-bitualmente, designa uma mulher no identificada para abastecer o local e arrecadar o dinheiro da venda de entorpecentes.O material foi apreendido e o ele-

    mento foi preso na 123 DP (Dele-gacia de Planto).

    Vigilncia Sanitria registra 40 mil atendimentos

    NOTA

  • O DEBATE DIRIO DE MACA Maca, tera-feira, 5 de abril de 2016 7

    GeralWANDERLEY GIL

    Atualmente o municpio de Maca oferece acesso graduao superior pblica por meio de diversas instituies instaladas na Cidade Universitria

    EDUCAO SUPERIOR

    Programa Bolsa Universitria segue suspenso em MacaDe acordo com o rgo municipal, no momento no h previso para retorno do Programa

    Juliane ReisJuliane@odebateon.com.br

    Um programa denomina-do Estuda Maca e que em 2008 atendia mais de 700 bolsistas. Assim era o pro-grama Bolsa Universitria/Tcnico Profissionalizante da Prefeitura de Maca e que garantia acesso capacitao de pessoas que no possuem renda familiar suficiente para o custeio educacional. Mas desde 2013 j no existe

    mais. De acordo com a Prefeitu-ra, para atender os muncipes que visam ingressar na educa-o superior, o governo munici-pal tem mantido investimentos na modalidade de ensino, com a manuteno da Cidade Uni-versitria, Faculdade Professor Miguel ngelo da Silva Santos (FeMASS) e do Transporte So-cial Universitrio. As opes de cursos no Com-

    plexo Universitrio so: licen-ciatura em Cincias Biolgicas e Qumica e os cursos de bacha-relado em Cincias Biolgicas, Enfermagem e Obstetrcia, Engenharia Civil, Engenharia

    Mecnica, Engenharia de Pro-duo, Farmcia, Medicina, Nutrio e Qumica, pela Uni-versidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) Campus Ma-ca Professor Alosio Teixeira; Administrao, Cincias Cont-beis e Direito, pela Universida-de Federal Fluminense (UFF); e Administrao, Engenharia de Produo, Licenciatura em Matemtica e Sistemas de In-formao pela Faculdade Mu-nicipal Professor Miguel ngelo da Silva Santos (Femass). O rgo esclarece que sobre

    o Programa Bolsa Universi-tria, no incio da gesto, em 2013, foram expedidos ofcios para as entidades educacionais solicitando se havia interesse delas na formulao de novo instrumento de convnio, com as exigncias legais, documen-tao, exigidas pela Procurado-ria de Contratos e Convnios, e a grande maioria no demons-trou interesse. No momento no h pre-

    viso de retorno do programa cujos pagamentos eram efetu-ados semestralmente, com uma projeo de despesa anual de R$

    1.000.000,00. No ltimo ano, cerca de 150 estudantes eram atendidos, disse. Segundo dados na pgina

    institucional de 2008 da Pre-feitura, a bolsa de estudo era no valor de um salrio mnimo, sendo transferido diretamente para a instituio de ensino do aluno beneficiado. Na poca, cerca de 770 bolsistas desfru-tavam do programa, entre eles alunos matriculados em ins-tituies de ensino superior como Universidade Estcio de S; Faculdade Salesiana Maria Auxiliadora; Faculdade de Filo-sofia, Cincias e Letras de Ma-ca (Fafima); Educon; Univer-sidade Cndido Mendes. E nas instituies habilitadas com cursos tcnicos: SENAC; Ins-tituto Nossa Senhora da Glria; Colgio Bruno Ostmann; Esco-la Tcnica Jos Rodrigues da Silva; Centro Educacional Es-pecializado em Sade e Centro Educacional de Formao em Sade. O ltimo recadastra-mento do Programa ocorreu no incio de 2013. O prazo para renovao encerrou em 5 de maro do mesmo ano.

    PRXIMO SEMESTRE

    Cederj oferece mais de seis mil vagas para vestibular

    Os interessados em ingressar na educao superior devem ficar atentos s oportunidades. A Funda-o Centro de Cincias e Educao Superior a Distncia do Estado do Rio de Janeiro - Fundao Cecierj/Consrcio Cederj est com inscri-o aberta para o processo seletivo referente ao segundo semestre de 2016. No total esto sendo ofere-cidas 6.839 vagas em 15 cursos de graduao a distncia nas universi-dades pblicas do Rio de Janeiro. A taxa de inscrio de R$ 73,00. O prazo vai encerrar no dia 5 de

    maio pelo www.cederj.edu.br e o processo seletivo ser realizado no dia 4 de junho. As oportunidades so para os

    cursos de Administrao, Admi-nistrao Pblica, Engenharia de Produo, Tecnlogo em Gesto de Turismo, Tecnlogo em Segurana

    As inscries j esto abertas e os interessados podem se inscrever at o dia 5 de maio

    Pblica, Tecnlogo em Sistemas de Computao, alm das Licen-ciaturas em Cincias Biolgicas, Fsica, Geografia, Histria, Letras, Matemtica, Pedagogia, Qumica e Turismo.De acordo com o edital, das vagas

    oferecidas 950 so para Tecnologia em Segurana Pblica e destinadas somente a profissionais da ativa da Segurana Pblica. Ainda segundo o documento, 80% dessas para Po-liciais Civis e Militares do Estado do Rio de Janeiro e as demais 20% para profissionais da ativa das seguintes categorias: Guardas Municipais, Agentes Penitencirios, Bombeiros, Policiais Rodovirios Federais, Po-liciais Federais, membros das For-as Armadas, Agentes Porturios e Policiais Civis e Militares de outros estados da federao. Os cursos so oferecidos pelo

    CEFET, UENF, UERJ, UFF, UFRJ, UFRRJ e UNIRIO. Ao ingressar em um dos cursos, os estudantes rece-bem, gratuitamente, todo material didtico na forma on-line e impres-so, sendo avaliado em atividades

    WANDERLEY GIL

    Em Maca, as aulas presenciais so realizadas no IFF

    presenciais (provas) e a distncia, em datas e horrios pr-determi-nados.Atualmente, os estudantes po-

    dem contar com 32 opes em polos regionais de ensino: Angra dos Reis, Barra do Pira, Belford Roxo, Bom Jesus do Itabapoana, Campo Gran-de, Cantagalo, Duque de Caxias, Ita-gua, Itaocara, Itaperuna, Maca, Mag e Miguel Pereira. Alm de Natividade, Niteri, Nova Friburgo, Nova Iguau, Paracambi, Petrpolis, Pira, Resende, Rio Bonito, Rio das Flores, Rocinha, Santa Maria Mada-lena, So Fidlis, So Francisco de Itabapoana, So Gonalo, So Pedro da Aldeia, Saquarema, Trs Rios e Volta Redonda.O Consrcio Cederj pertence

    Fundao Centro de Cincias e Educao Superior a Distncia do Estado do Rio de Janeiro (Ce-cierj), rgo vinculado Secreta-ria Estadual de Cincia, Tecnolo-gia e Inovao que, atualmente, conta com mais de 40 mil alunos matriculados nos cursos de gra-duao a distncia.

    EDUCAO

    UFRJ inicia hoje a recepo de calouros

    A Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) Campus Maca Professor Alo-sio Teixeira vai realizar esta se-mana uma srie de atividades para dar as boas-vindas aos novos estudantes do Campus. O evento ser realizado entre esta tera-feira (5) e quinta-feira (7), a partir das 13h30, no Auditrio Cludio Ulpia-no na Cidade Universitria. A programao inclui palestras e apresentaes sobre a estru-

    A programao inclui palestras e apresentaes sobre a estrutura e organizao do Campus

    tura e organizao do Campus, alm de temas importantes na vida acadmica. Nesta tera, a recepo con-

    tar com a presena da Direto-ra do Campus UFRJ-Maca, Prof. Arlene Gaspar que dar as boas-vindas aos novos alu-nos. Em seguida ser a vez da atividade Extracurricular: Palestra: tica na Internet. s 15h30: Atividade Cultural: Apresentao dos Veteranos: Apresentao do Grupo de Orao Universitrio RU-AH. Apresentao do Grupo Brinca que Melhora e Ao Solidria: Incio da Arreca-dao de alimentos e itens de higiene para Casa do Idoso; Incio da Campanha de Doao de Sangue.

    KAN MANHES

    As atividades sero realizadas entre os dias 5 a 7 de abril, na Cidade Universitria

    J amanh, a partir das 13h30 haver orientao Aca-dmica: Apresentao dos Se-tores: Secretaria Acadmica; Biblioteca; Ensino e Integra-o Acadmica; Estgio, Moni-toria e Convnio; Assistncia Estudantil. s 14h30: Orienta-o Acadmica: Palestra SIGA e s 15h, Orientao Acadmi-ca: Palestra AVA (Ambiente de Aprendizagem Virtual).E para encerrar a progra-

    mao, na quinta-feira (7), a partir das 9h, haver a Ao Solidria: Doao de Sangue - Presena da Unidade Mvel do Hemocentro. A atividade aberta populao interessada em participar. s 15h ter Ati-vidade de Integrao: Plantio de uma rvore por curso.

    Maca se destacou na Super Taa Rio de Corfebol, realizada no fim de semana. O torneio escolar, que tambm foi treino para a competio estadual, agitou jogadores e torcidas no Colgio Municipal Maria Letcia Santos Carvalho (Novo Cavaleiros).

    NOTA

  • O DEBATE DIRIO DE MACA8 Maca, tera-feira, 5 de abril de 2016

    DIVULGAO

    Clarissa Grij e Nilmara Valadares comemoram resultado de implantao de prtica social

    RECONHECIMENTO

    Prtica social criada em Maca resgata vidas e ganha refernciaIniciativa criada com base em programa nacional finalista em prmio do governo federal

    Um projeto desenvolvido em Maca com objetivo de garantir oportunida-de, atravs da qualificao pro-fissional, direcionada a pessoas em situao de vulnerabilidade social e de extrema pobreza foi selecionado como um dos nove finalistas ao prmio concedido na semana passada pelo governo do Estado a iniciativas capazes de resgatar vidas e oferecer dig-nidade e cidadania a famlias carentes.Criada com base no Progra-

    ma Nacional de Promoo de Acesso ao Mundo do Trabalho, denominado pelo governo fede-ral como ACESSUAS, a prtica foi implementada por equipe da secretaria municipal de Desen-volvimento Social e Direitos Hu-manos e, em menos de um ano, foi capaz de promover a qualifi-cao de 200 profissionais aptos a disputar vaga no mercado de trabalho do municpio.Os novos trabalhadores repre-

    sentam o pblico que passa a ser referncia das aes estratgicas de polticas pblicas criadas pela nova gesto da secretaria de De-senvolvimento Social, assumida h pouco mais de um ms pela

    assistente social Nilmara Vala-dares: moradores em situao de rua, adolescentes que cum-prem medidas socioeducativas e famlias que participam de programas de transferncia de renda.A prtica consiste em reuni-

    es realizadas nas unidades que pertencem a rede de cobertura social do prprio municpio, como a Pousada da Cidadania, os Centros de Referncia de Assistncia Social (CRAS) e o Centro de Recursos Integrados de Atendimento ao Adolescen-te (Criaad). Nesses encontros a equipe de assistncia social leva informaes que ajudam aos as-sistidos a buscar a qualificao como forma de garantir a trans-formao de suas vidas.Acreditamos que a qualifi-

    cao profissional o caminho capaz de resgatar e melhorar a qualidade de vida dessas pes-soas. Portanto, ns estamos buscando parcerias para que essa prtica possa ser amplia-da, atravs da oferta de cursos profissionalizantes, explicou a assistente social Clarissa Grij, responsvel pela criao da pr-tica e coordenadora das ativida-

    des de orientao e acolhimen-to aos assistidos pelo programa ACESSUAS em Maca.Com a prtica, a equipe da

    secretaria conseguiu integrar o pblico assistido aos cursos oferecidos pelo governo federal atravs do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Tcnico e ao Emprego (Pronatec).Ns buscamos parceiros que

    nos auxiliaram na abertura de vagas para esses cursos, expli-cou Clarissa. Hoje, com a inter-veno da prtica do ACESSU-AS, Maca passou a contar com novos soldadores, pintores in-dustriais, almoxarifes, auxiliares de recursos humanos e eletricis-tas que venceram as situaes de vulnerabilidade social e de extrema pobreza atravs da atu-ao da equipe cujo o trabalho reconhecido pela atual gesto da secretaria de Desenvolvimento Social.O trabalho dessa prtica do

    ACESSUAS consolida e con-cretiza o principal objetivo da poltica social: o de transformar vidas. Tenho uma histria muito forte voltada ao trabalho de aco-lhimento a pessoas em situao de vulnerabilidade. E ver que

    ns somos capazes de auxiliar na transformao de suas vidas mais que gratificante. S re-presenta que estamos no cami-nho certo, destacou Nilmara.Hoje baseada na grade e nas

    vagas de cursos que integram o sistema federal de profissiona-

    lizao, a prtica desenvolvida pela equipe macaense busca agora firmar parcerias com as unidades de qualificao pro-fissional do municpio para que novas pessoas possam ter acesso aos benefcios do ACESSUAS.Esperamos neste ano

    criar um banco de dados pa-ra cursos profissionalizan-tes voltado s pessoas com deficincia, ampliando a capacidade de atendimento de nossa prtica, ajudando a transformar ainda mais vi-das, disse Clarissa.

    ESPORTE

    Maca Basquete faz peneira para montar equipes

    Logo aps o fim da partici-pao no Novo Basquete Brasil (NBB), o Maca Basquete j iniciou o planejamento para a prxima temporada. E a primei-ra ao do clube foi comear a montagem dos elencos das cate-gorias sub-14 e sub-17. A comis-so tcnica realizou a primeira peneira na manh do ltimo s-bado (2) e j selecionou alguns

    Associao seleciona elenco para os times sub-14 e sub-17

    atletas para as equipes.Pablo Costa, tcnico e coorde-

    nador das categorias de base da associao, explicou o objetivo do processo e destacou que jo-vens da cidade e da regio tero oportunidades na base macaen-se. Cerca de 100 jovens partici-param da seletiva."Houve a participao de

    muitos atletas da cidade de Maca e regio na peneira, e importante para fortalecer o vnculo com os atletas da ci-dade. Vamos continuar com o desenvolvimento desses joga-dores, buscando revelar atletas

    daqui e desenvolver o esporte. A ideia disputar competies regionais e seguir com o projeto de base, que tem dado certo nos ltimos anos", destacou Pablo.Quem marcou presena na

    peneira foi o atleta Pedrinho Rava, que atuou nas categorias de base do Maca Basquete e hoje est integrado ao elenco principal. Contratado h dois anos para integrar a equipe sub-19, o jovem armador se destacou e logo foi utilizado pelo tcnico Lo Costa, que tambm esteve no evento para acompanhar o processo, entre os profissionais.

    RAPHAEL BZEO/ASSESSORIA

    Peneiras foram realizadas para montar equipes da prxima temporada

    Jornal 05-04-2016 (01)Jornal 05-04-2016 (02)Jornal 05-04-2016 (03)Jornal 05-04-2016 (04)Jornal 05-04-2016 (05)Jornal 05-04-2016 (06)Jornal 05-04-2016 (07)Jornal 05-04-2016 (08)