notícia urgente ed. 215

Download Notícia Urgente Ed. 215

Post on 07-Mar-2016

220 views

Category:

Documents

6 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Jornal Notícia Urgente Ed. 215

TRANSCRIPT

  • ASSEMP celebra a virada de ano com nmeros expressivos,

    reafirmando seu compromisso com os associados e demais servidores

    municipais.

    ASSEMP celebra a virada de ano com nmeros expressivos,

    reafirmando seu compromisso com os associados e demais servidores

    municipais.

    Maro de 2012 I Edio 215 I Ano 20

    ACIMA DE TUDO, A FRATERNIDADE

    Notcia Urgente

    Porta-voz do Servidor

    ASSEMP comemora mais um ano de existncia fortalecendo seu propsito de estar sempre ao lado de seus associados Pg. 9

    anos de fraternidade54

    Ateno, servidor!

    No dia 15 de maro ser

    realizada a eleio para escolha

    dos conselheiros do Regime de

    Previdncia Municipal.

    No deixe de votar! Pg. 5

    nu_215.indd 1 28/02/2012 23:47:39

  • Maro de 2012 I Edio 2152

    A fora da unio e da fraternidade

    Expediente

    Associao dos Servidores Municipais da Prefeitura de Belo Horizonte - Fundada em 1/3/58R. da Bahia, 1033 - 3, 4,5, 6, 8, 9, 10 e 13 andares CEP: 30.160-905 - Belo Horizonte - MG(31)3237-5000www.assemp.org.br - assemp@assemp.org.br

    Presidente de Honra - Dr. Celso Mello de Azevedo

    Presidente - Angelo Augusto Flores Carvalho1 Vice-presidente - Anselmo Horta Nassif2 Vice-presidente - Carlos Alberto de Oliveira Diretor financeiro - Horaldo Oliveira SantosPresidente do Conselho Administrativo - Willian NagemPresidente do Conselho Fiscal - Manoel Teixeira Cardoso

    Notcia Urgente - rgo Informativo da ASSEMP(31) 3237-5000 - noticiaurgente@assemp.org.brAssessoria de Comunicao e OuvidoriaJornalista Jos Almir da Rosa Reg. Prof.: MG 07771 JP

    Berlim Comunicao(31) 3054-4376Texto e fotos - Vitor Moreira Reg. Prof.: 14055/MGProjeto grfico edio de arte - Paula FerreiraImagens de banco: stock.xchng

    Assempinho, o boneco mascote da ASSEMP, uma criao de Ricardo SO cartum do presidente Angelo Flores uma criao do ilustrador Venes CaitanoImpresso: CGB Artes Grficas - Tiragem: 18.000 exemplares

    Permitida a reproduo das matrias no todo ou em parte, desde que citada a fonte. As matrias assinadas no refletem necessariamente a posio da ASSEMP e so de inteira responsabilidade do autor.

    Amparadas pelo lema da fraternidade, as diretorias

    sempre se empenharam em oferecer qualidade de

    vida e bem-estar a seus scios

    Existem dois perodos do ano que so de celebrao para a ASSEMP.

    Um deles o ms de outubro, quando comemorado o dia do Servidor

    Pblico. Na Associao, a data sempre marcada por uma semana inteira

    de atividades e eventos.

    O segundo momento, sempre lembrado com muito carinho, o dia 1

    de maro. Foi nesta data, h 54 anos, que nasceu a Associao dos Ser-

    vidores Municipais da Prefeitura de Belo Horizonte. Neste mais de meio

    sculo de histria, a Associao conquistou o respeito e o afeto de boa

    parte dos 40 mil servidores municipais da capital.

    Esse reconhecimento, entretanto, no veio de graa. Amparadas sem-

    pre pelo lema da fraternidade, as vrias diretorias que se sucederam no

    comando da ASSEMP sempre se empenharam em oferecer qualidade de

    vida e bem-estar a seus scios, especialmente queles que gozam do

    merecido descanso da aposentadoria.

    O respeito e a admirao pela fora e importncia da Associao tam-

    bm advm das demais entidades representativas, que enxergam na AS-

    SEMP uma grande parceira de lutas e mobilizaes. A mais recente delas

    a formao dos conselhos Administrativo e Fiscal do Regime Prprio de

    Previdncia dos Servidores (RPPS).

    Na gura de seu presidente, Angelo Flores, a ASSEMP se aliou a ou-

    tras 11 associaes e sindicatos para formar uma chapa de coalizo,

    que disputar a eleio marcada para o dia 15 de maro. Segundo a lei

    que reestruturou o regime de previdncia municipal, os conselhos sero

    paritrios, ou seja, a prefeitura e os servidores indicaro o mesmo n-

    mero de integrantes. Porm, a presidncia do Conselho de Administrao

    rgo deliberativo mais importante do RPPS ser sempre ocupada

    pelo secretrio de Planejamento, Oramento e Informao. Toda vez que

    acontecer um empate em votaes no conselho, a deciso nal caber

    ao presidente.

    Na prtica, isso signi ca dizer que sempre que houver uma contenda

    polmica, que coloque PBH e servidores de lados opostos da mesa, o

    interesse da prefeitura prevalecer. Mas, ento, qual a importncia da

    eleio do dia 15? Primeiramente, garantir que os representantes das

    categorias so pessoas capacitadas e comprometidas com os interesses

    do funcionalismo municipal. Abrir mo desse direito daria chance para

    que a PBH indicasse todos os conselheiros, o que s pioraria a situao.

    Em segundo lugar, uma eleio com participao expressiva dar mos-

    tra ao prefeito e a seus secretrios da unio e mobilizao dos servidores

    municipais. Ainda que as decises possam ser tomadas de forma autno-

    ma dentro dos conselhos, o grupo governista atuar atento e temeroso

    quanto repercusso de suas escolhas dentro das escolas, dos postos de

    sade, nas ruas etc. Em ano eleitoral, esse um grande trunfo do qual

    os servidores podem e devem fazer uso.

    Prova cabal de que a presso popular tem poder de gerar resultados

    efetivos se deu recentemente, com o veto ao projeto de reajuste dos sa-

    lrios dos vereadores da Cmara Municipal de BH. Por isso, mais do que

    nunca, o momento de somar foras. No dia 15, participe da eleio dos

    conselheiros do RPPS. Faa sua parte!

    Boa leitura!O redator

    Notcia Urgente

    nu_215.indd 2 28/02/2012 23:47:40

  • 3Maro de 2012 I Edio 215

    BH nasceu em 1897. A capital foi batizada de Cidade de Minas e assim cou at 1901, quando teve seu nome alterado para Belo Hori-zonte. Conta a histria popular que tal nome se deu porque algum, ao ver o pr do sol, exclamou: que belo horizonte!.

    Ouvi muitas histrias de Beag, sobretudo dos meus pais, Dagmar e Lorival, e das minhas professoras l do grupo Escolar Baro do Rio Bran-co, secular educandrio. Lembro, ainda hoje, da dra. Ondina de Amaral Brando, diretora da escola, mulher inteligente e que marcou presena num cargo que, naquela poca, era indicado pelo governador.

    Outro fato que me recordo nitida-mente, creio que seja at uma pecu-liaridade histrica da educao, que quando estava no 3 ano deste col-gio, surgiu pela primeira vez a funo de superviso pedaggica. Lembro bem da titular do cargo, a professora Imene Guimares, uma servidora r-me e cumpridora dos seus deveres. Esta, se vivo estiver, j est na casa dos cem anos. Independentemente de onde esteja, aproveito tais lem-branas para homenage-la pelos bons trabalhos desempenhados em nome da minha turma de 1948.

    Mas, voltando a rememorar sobre a histria de nossa capital, minha saudosa me contava que o primei-ro registro de criana nascida em BH, segundo o livro prprio da igreja da Boa Viagem, era de uma menina chamada Horizontina. Creio que deve ser em homenagem capital. Minha me tambm gura entre as pri-meiras cidads de Beag. No deve haver nem dez pessoas entre minha me e a primeira belo-horizontina.

    Ao lembrar-me desses fatos re-gistro com alegria que meus avs, o professor Benjamin de Oliveira Flores e sua respectiva amada, a sra. Tere-za de Carvalho Flores, foram pionei-ros nesta cidade. Tiveram dez lhos que ajudaram a povoar e urbanizar nossa metrpole. Meu av, na po-ca professor catedrtico no famoso Colgio Mineiro, veio de Ouro Preto para BH transferido por decreto do Ex.mo. doutor Bias Fortes. Ele lecio-nava francs e portugus. Uma das coisas que meu av gostava muito e que me lembro bem da quantidade de rvores que aqui em Beag exis-tia. Por causa disso, era conhecida aqui e no exterior como cidade ver-de. Tambm se destacava pelo clima que atraa muitos doentes de outros estados para fazer aqui tratamento de tuberculose.

    Uma gura histrica que veio para Belo Horizonte e que deixou seu legado para todos ns foi o doutor Hugo Werneck, amigo pessoal de meu av. Nossa! Tenho muitas his-trias em minha memria. Tenho tambm saudade da Belo Horizonte de antigamente. Isso volto a relatar num outro momento.

    Como de praxe, aproveito a opor-tunidade para enviar um recado ao meu caro prefeito Marcio Lacerda. Mande o seu querido secretrio ad-junto providenciar o pagamento que de direito aos 37 aposentados da tributao. No um pedido de favor, cumprir o que diz a Lei.

    Que Deus nos ajude!

    Angelo Flores auditor aposentado e

    presidente da ASSEMP

    Fragmentos de minha histria e de Belo Horizonte

    Contato: angelo ores@assemp.org.br

    Uma das coisas que meu av gostava muito

    e que me lembro bem da quantidade de

    rvores que aqui em Beag existia.

    Crnicas do Angelo

    Obra sem DONO?

    Notcia Urgente esclarece mudanas nas empreiteiras responsveis pelo Hospital do Barreiro

    Sonho antigo da populao da regio do Barreiro, a cons-truo do Hospital Metropolita-no vem se mantendo envolta em polmicas desde seu incio, em 2010. A empresa Santa Brbara, vencedora da licitao da primeira etapa das obras, abandonou o servio pela me-tade, em julho de 2011. Se-gundo a Secretaria Municipal de Sade, a empreiteira foi multada em R$ 509.982,27 por quebra de contrato.

    As obras, ento, caram pa-ralisadas por quatro meses, at a realizao de nova licitao. Em novembro de 2011, a Tra-tenge empresa que venceu a segunda licitao retomou os trabalhos que, de acordo com a secretaria, seguem em ritmo normal.

    A prpria Tratenge, em par-

    ceria com a Planova, seria res-ponsvel pelas obras da segun-da etapa. Porm, antes mesmo do trmino da primeira fase, as empresas j apresentaram sua renncia PBH. Dessa forma, as obras da segunda etapa -caro sob a responsabilidade do Consrcio No