nota de esclarecimento ii

Download Nota de Esclarecimento II

Post on 07-Jan-2017

222 views

Category:

Documents

2 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Ministrio do Planejamento, Oramento e GestoDiretoria de AdministraoCoordenao-Geral de AquisiesCoordenao de Compras

    Concorrncia n 02/2015PROCESSO N 03110.211556/2015-65

    NOTA DE ESCLARECIMENTO N 2

    1.ITEM 50.1 - SISTEMA DE DETECO E ALARME DE INCNDIOA Norma especificada NBR 9441, execuo de sistemas de deteco e alarme de incndio, j se encontra substituda pela ABNTNBR 17240/2010, neste caso, tecnicamente entendemos que poderamos usar um sistema de deteco e alarme de incndio queatende as normas e padres atuais, ou seja, ABNT NBR 17240/2010, onde a mesma segue todas as normas e padres para aaplicao do sistema. Est correto nosso entendimento?

    RESPOSTASim, est correto o entendimento.

    2.ITEM 50.1 - SISTEMA DE DETECO E ALARME DE INCNDIO NORMAS E CDIGOSO conjunto de Normas Tcnicas Brasileiras, tal como a NBR 17240 e NBR ISO 7240 demonstram e norteiam claramente oProjeto, Instalao, Testes, Comissionamento de Sistemas de Deteco de Incndio, assim como tambm norteiam claramente ascaractersticas tcnicas mnimas exigidas em norma para os Produtos de Deteco e Alarme de Incndio. Neste item verificamos,que tambm se fala sobre recomendaes da IEE, CE, FCC, EIA, JPEG, NTC, PAL e UL como referncia de qualidade dosfornecimentos e testes. Temos dois pontos a abordar neste pargrafo:a) As recomendaes para este sistema tambm poderia se aplicar a norma FM? Fire Protection Equipament; EletricalSignaling; European Approval, Sounders, onde suprem todas as exigncias da Norma UL Underwriters Laboratories Inc. e aindaalguns critrios mais rigorosos? Poderamos considerar este entendimento, j que falamos de padres internacionais, e nestesistema se aplica as Normas UL e FM. Esta correto nosso entendimento?b) E considerando que os sistemas fabricados no Brasil, as Normas ABNT ou Inmetro, NBR17240 e NBR ISSO 7240 para estessistemas, poderiam ser suficientes para atender o edital em epgrafe? Esta correto nosso entendimento?

    RESPOSTAConsiderar o que est descrito no Item 50.1 Normas e Cdigos" Devero ser observadas as normas e cdigos aplicveis ao servio em pauta, sendo que as especificaes daABNT (Associao Brasileira de Normas Tcnicas) e normas abaixo relacionadas sero consideradas como elementosbase para quaisquer servios ou fornecimentos de materiais e equipamentos. Onde estas faltarem ou forem omissas, devero serconsideradas as prescries, indicaes, especificaes normas e regulamentos internacionais reconhecidos pelos profissionaisdo setor..."

    3.ITEM 50.2 - Para a execuo do sistema de deteco e combate a incndio no ser aceito sistema hbrido, devendo ser domesmo fabricante, assim o uso de equipamentos de determinado fabricante que no estejam homologados pelo fabricante dospainis no dever ocorrer, evitando-se assim conflitos de operao.Conforme normas aplicadas no Brasil, o Sistema de Deteco e Alarme de Incndio e Combate a Incndio, no so necessriasser do mesmo fabricante, pois a comunicao entre eles simplesmente contato seco e superviso. Neste trecho, entendemosque da forma que foi mencionado, limita-se a participao de diversos outros fabricantes, No entanto, como a norma prevista aquino Brasil diferente, seria possvel ofertar a parte de Combate a Incndio, independente de fabricante, ou seja, atendendo todasas especificaes do edital em epgrafe, porm sendo de fabricantes diferentes, visto que isso no altera o desempenho dasoluo como mencionado acima, e nem mesmo a parte de garantia. Poderamos considerar esta possibilidade? Poderamosconsiderar esse entendimento?

    RESPOSTAConsiderar o que est descrito no item 50.2 - Descrio do Sistema"...Para a execuo do sistema de deteco e combate a incndio no ser aceito sistema hbrido, devendo ser do mesmofabricante, assim o uso de equipamentos de determinado fabricante que no estejam homologados pelo fabricante dos painisno dever ocorrer, evitando-se assim conflitos de operao..."

    4.ITEM 50.2 - Todo e qualquer dispositivo do sistema dever ser alimentado por fonte redundante e ininterrupta tipo no-break. Todadistribuio dever ser de seco mnima de 2,5mm e estar devidamente protegida contra descargas atmosfricas, surtos epicos.

  • Neste trecho, informada a bitola do cabo de incndio que teria de ser 2,5mm2, fato este que entendemos pelas normas tcnicasbrasileiras, que nem todos os sistemas de Deteco de Incndio e Combate a Incndio tem necessidade de trabalharem com essabitola para perfeito funcionamento do sistema, pois os cabos de 1,5mm2, tambm atenderiam a aplicao do mesmo, pois ossistemas fabricados no Brasil trabalham com bitola de 1,5mm2, por que conseguem ter o mesmo desempenho de uma bitolamaior e tambm em razes de custo, o projeto fica totalmente vivel, e atendem tecnicamente todas as exigncias de aplicao deDeteco de Incndio e Combate a Incndio.. Porm se considerarmos sistemas existentes no mercado Brasileiro, os cabos de2,5mm2 atenderiam bem para alimentao de sirenes e fontes. Sendo assim, poderamos considerar a possibilidade de setrabalhar com dois tipos de bitola, 1,5mm2/2,5mm2, visto que as mesmas atenderiam a necessidade do projeto em epgrafe.Poderamos considerar este entendimento?

    RESPOSTAMesmo que a legislao permita 1,5 mm2, ficou a critrio da administrao manter a diretriz de utilizar cabos no mnimo de 2,5mm2 (principalmente para evitar possveis quedas de tenso dos circuitos longos).A norma tcnica apenas uma referncia do mnimo, mas no abrange possibilidade de aumento de carga ou da rede.Concluindo, escolha da administrao que toda distribuio tenha no mnimo 2,5 mm2.

    5.Conforme disposto no item 21 DO FORNECIMENTO DE INFORMAES do Edital em epgrafe, em seu PROJETO BSICO |ANEXO A - ESPECIFICAO TCNICA DOS SERVIOS E MATERIAIS PARA EXECUO DE SERVIOS DE ENGENHARIANECESSRIOS AO RETROFIT DO BLOCO O, Itens 39, apresentamos nosso pedido de esclarecimentos conforme segue abaixo:

    Conforme disposto no item 21 DO FORNECIMENTO DE INFORMAES do Edital em epgrafe, em seu PROJETO BSICO |ANEXO A - ESPECIFICAO TCNICA DOS SERVIOS E MATERIAIS PARA EXECUO DE SERVIOS DE ENGENHARIANECESSRIOS AO RETROFIT DO BLOCO O, Item 39. SISTEMAS DE LGICA E TELEFONIA - REDE LGICA PTICA FTTX TECNOLOGIA GPON (GIGABIT PASSIVE OPTICAL NETWORK), apresentamos nosso pedido de esclarecimentos conformesegue abaixo:

    ITEM 39- REDE LGICA PTICA FTTx TECNOLOGIA GPON (DADOS E VOZ)39.1 NORMAS E CDIGOSDevero ser observadas as normas e cdigos aplicveis ao servio em pauta, sendo que as especificaes da ABNT (AssociaoBrasileira de Normas Tcnicas) e normas abaixo relacionadas sero consideradas como elementos base para quaisquer serviosou fornecimentos de materiais e equipamentos.Onde estas faltarem ou forem omissas, devero ser consideradas as prescries, indicaes, especificaes normas eregulamentos internacionais reconhecidos pelos profissionais do setor como referncia tcnica, bem como condies deinstalao de equipamentos que compem os sistemas.De forma especfica devem ser observados os seguintes normativos: NBR 5410 - Execuo de instalaes eltricas de baixa tenso; NBR 5474 - Eletrotcnica e Eletrnica conectores eltricos; NBR 5471 Condutores eltricos; ISO / IEC 11801 A2-2010: Information Technology Generic Cabling for customer premises; ISO/IEC 24764-2010: International Data Center Telecommunications Cabling Standard; ANSI/EIA/TIA 568-C Commercial Building Telecommunications Cabling Standard; EIA/TIA 568-C.1 Requerimentos Gerais; EIA/TIA 568-C.2 Cabeamento de par tranado balanceado de 100 ohms; EIA/TIA-568-C.3 Padronizao de componentes de Fibra ptica para cabeamento estruturado; EIA/TIA-569: Commercial Building Standard for Telecommunications Pathways and Spaces; EIA/TIA-606: The Administration Standard for the TelecommunicationsInfrastructure of Commercial Buildings; EIA/TIA 607 - Grounding and Bonding Requeriments for Telecommunications in Commercial Building; EIA/TIA TSB-67 Transmission Performance Specification for Field Tests; Prtica Telebrs 235-510-600 Projeto de redes Telefnicas em Edifcios; NBR 14565:2007 Cabeamento de telecomunicaes para edifcios comerciais; ITU-T G.984 - gigabit passive optical networks (GPON) for telecommunications accessnetworks; NB-3 e IEE 802.3.

    Os objetivos dessas normas so:

    Estabelecer um padro de rede genrico para telecomunicaes que suporte ambiente multi-fornecedor; Possibilitar o planejamento e instalao de um sistema de rede lgica para edificaes; Estabelecer critrios tcnicos e de desempenho para vrias configuraes de cabeamento;Especificar: Requisitos mnimos para o cabeamento de telecomunicaes dentro de um ambiente de escritrio; Topologia e distncias recomendadas; Parmetros do meio fsico para estabelecimento do desempenho desejado; Conectores e pinagens para assegurar a interconectividade; Vida til dos sistemas de rede superior a dez anos.

  • Pgina 3 de 41

    Em funo da aceitao da norma junto a fabricantes de equipamentos, usurios e projetistas, os projetos baseados na mesmagarantem compatibilidade, conectividade e vida til aos sistemas assim implantados.

    No entanto, com a legislao ambiental sobre descarte de materiais, em especial a Lei n. 9.605/1998 e a Lei n. 12.305/2010, a lmda NBR 10.004 que fala sobre o descarte de material, no mencionada neste item.Para o nosso entendimento e pela complexidade do projeto, entendemos que as normas que fala de descarte ambiental sejam

    importantes, porm notamos que no foram mencionadas. Nossa pergunta :a- Ser considerada uma pontuao relevante para quem tiver descarte de material?b- Este descarte ser de responsabilidade da Empresa que ganhar?c- Sobre o descarte de material, este item ser revisado, ser revisto a legislao?d- Por no considerarem o descarte de material relevante para o projeto em questo, no ser necessrio o descarte por partedas empresas?e- Este item no projeto ser reconsiderado e haver alguma alterao?

    RESPOSTAO Anexo A do Projeto Bsico item 17. Desmontagens, demolies e remoes responde aos questionamentos

    6.39.9 ESPECIFICAES TCNICAS39.9.4 OL

Recommended

View more >