normas regulamentadoras. nrs as normas regulamentadoras, também chamadas de nr, foram publicadas...

Download Normas Regulamentadoras. NRs As Normas Regulamentadoras, também chamadas de NR, foram publicadas pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), Portaria

Post on 16-Apr-2015

111 views

Category:

Documents

1 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Slide 1
  • Normas Regulamentadoras
  • Slide 2
  • NRs As Normas Regulamentadoras, tambm chamadas de NR, foram publicadas pelo Ministrio do Trabalho e Emprego (MTE), Portaria no 3.214/78, para estabelecer os requisitos tcnicos e legais sobre os aspectos mnimos de Segurana e Sade Ocupacional (SSO). Atualmente, existem 33 Normas Regulamentadoras. Vale lembrar que a elaborao e modificao das NRs um processo dinmico que necessita de um acompanhamento via Internet pelo endereo eletrnico. (http://www.mte.gov.br)
  • Slide 3
  • Elaborao As NR so elaboradas e modificadas por uma comisso tripartite composta por representantes do governo, empregadores e empregados. As NRs so elaboradas e modificadas por meio de portarias expedidas pelo MTE. Nada nas NRs cai em desuso sem que exista uma portaria identificando a modificao pretendida.
  • Slide 4
  • Aplicao As NRs, relativas segurana e sade ocupacional, so de observncia obrigatria para qualquer empresa ou instituio que tenha empregados regidos pela Consolidao das Leis do Trabalho (CLT), incluindo empresas privadas e pblicas, rgos pblicos da administrao direta e indireta, bem como dos rgos dos poderes Legislativo e Judicirio.
  • Slide 5
  • Competncia das DRTs As DRTs, nos limites de sua jurisdio, so os rgos regionais competentes para executar as atividades relacionadas com a segurana e sade ocupacional. Impor as penalidades cabveis por descumprimento dos preceitos legais e regulamentares sobre segurana e sade ocupacional; Embargar obra, interditar estabelecimento, setor de servio, canteiro de obra, frente de trabalho, locais de trabalho, mquinas e equipamentos; Notificar as empresas, estipulando prazos para eliminao e/ou neutralizao de insalubridade;
  • Slide 6
  • Definio de Empregador e Empregado Empregador a empresa individual ou coletiva, que, assumindo os riscos da atividade econmica, admite, assalaria e dirige a prestao de servios do empregado. Empregado a pessoa fsica que presta servios de natureza no-eventual ao empregador, sob a dependncia deste e mediante pagamento de salrio.
  • Slide 7
  • Outras Definies Empresa o estabelecimento ou o conjunto de estabelecimentos, canteiros de obra, frente de trabalho, locais de trabalho e outras, constituindo a organizao, que utilizado pelo empregador para atingir seus objetivos. Estabelecimento cada uma das unidades da empresa, podendo funcionar em lugares diferentes, tais como: fbrica, refinaria, usina, escritrio, loja, oficina, depsito, laboratrio. Setor de Servio a menor unidade administrativa ou operacional compreendida no mesmo estabelecimento.
  • Slide 8
  • Outras Definies Canteiro de obra a rea do trabalho fixa e temporria, onde se desenvolvem operaes de apoio e execuo construo, demolio ou reparo de uma obra. Frente de trabalho a rea de trabalho mvel e temporria, onde se desenvolvem operaes de apoio e execuo construo, demolio ou reparo de uma obra. Local de trabalho a rea onde so executados os trabalhos.
  • Slide 9
  • Atribuies Adotar medidas para eliminar ou neutralizar atividades ou operaes insalubres bem como as condies inseguras de trabalho; Estabelecer requisitos internos de segurana e sade ocupacional de forma a minimizar a ocorrncia de atos inseguros e melhorar o desempenho do trabalho; Cumprir as disposies legais e regulamentares sobre segurana e sade ocupacional, inclusive as ordens de servio expedidas pelo empregador; Usar o Equipamento de Proteo Individual (EPI), o Equipamento de Proteo Coletiva (EPC) e mtodos de trabalho fornecidos e estabelecidos pelo empregador;
  • Slide 10
  • Penalidades O no-cumprimento das disposies legais e regulamentares sobre segurana e sade ocupacional acarretar ao empregador a aplicao das penalidades previstas na legislao pertinente, incluindo multas, embargos e interdio conforme previsto na NR 3 - Embargo ou Interdio e NR 28 - Fiscalizao e Penalidades. Para fins de fiscalizao, percias e auditorias, o empregador deve evidenciar o atendimento aos requisitos tcnicos e legais por meio de documentos, registros de treinamentos e outras formas rastreveis, inclusive eletrnicas.
  • Slide 11
  • Penalidades Embora a ao prevencionista deva valorizar a conscientizao, vale frisar que a legislao garante ao empregador ao disciplinar em quatro etapas, caso os procedimentos de segurana sejam ignorados pelo empregado: 1. advertncia oral; 2. advertncia escrita; 3. suspenso sem pagamento; 4. dispensa por justa causa.
  • Slide 12
  • NR-4 Estabelece a obrigatoriedade de empresas pblicas e privadas, que possuam funcionrios registrados pela CLT (Art. 162), de organizarem e manterem em funcionamento o SESMT.
  • Slide 13
  • O que o SESMT faz? Aplica as melhores Prticas Prevencionistas Responde as Entidades de Fiscalizao Atua para que as medidas sejam respeitadas Apura os acontecimentos
  • Slide 14
  • Principais Benefcios Desenvolvimento da Cultura Prevencionista Orientaes Ampliao Condies Ambientais Clima Organizacional Motivao Otimizao Contribui para melhor qualidade de vida
  • Slide 15
  • Quem Compe o SESMT? Tcnico de Segurana do Trabalho Engenheiros de Segurana do trabalho Enfermeiros do Trabalho e auxiliar de enfermagem do trabalho Mdicos do trabalho
  • Slide 16
  • Principais Aes Programa de Preveno de Riscos Ambientais (PPRA) Programa de Controle Mdico e Sade Ocupvel (PCMSO) Anlises Ergonmicas do Trabalho (AET) Laudos de Periculosidade e Insalubridade Planos de Preveno e de Emergncia Palestras
  • Slide 17
  • Programa de Preveno de Riscos Ambientais -Estabelecido pela NR-9 -Objetivo de definir uma metodologia de ao, afim de preservar a sade e integridade dos trabalhadores
  • Slide 18
  • Programa de Controle Mdico e Sade Ocupvel (PCMSO) -Orientar a realizao de exames mdicos -Orientao educacional sobre saude
  • Slide 19
  • Anlise Ergonmica do Trabalho -Entrevista com os trabalhadores; -Identificao sistemtica de aes tcnicas no trabalho; -Definio do risco ergonmico; -Definio das melhorias necessrias;
  • Slide 20
  • Plano de preveno e de Emergncia Um plano de preveno e emergncia pode ser definido como a sistematizao de um conjunto de normas e regras de procedimento, destinadas a evitar ou minimizar os efeitos das catstrofes que se prev, possam vir a ocorrer em determinadas reas, gerindo, de uma forma otimizada, os recursos disponveis.
  • Slide 21
  • Razes para elaborao de um plano de emergncia Identifica os riscos e procura minimizar os seus efeitos; Estabelece cenrios de acidentes para os riscos identificados; Define princpios, normas e regras de atuao face aos cenrios possveis; Organiza os meios e prev misses para cada um dos intervenientes; Permite desencadear aes oportunas, destinadas a limitar as conseqncias do sinistro;
  • Slide 22
  • SESMT Como Dimensionar 1 - Identificar o grau de risco 2 - Relacionar o grau de risco com o numero de empregados.
  • Slide 23
  • Relao da Classificao Nacional de Atividades Econmicas - CNAE (Verso 2.0)*, com correspondente Grau de Risco - GR para fins de dimensionamento do SESMT Cdigos Denominao GR A AGRICULTURA, PECURIA, PRODUO FLORESTAL, PESCA E AQICULTURA 01 AGRICULTURA, PECURIA E SERVIOS RELACIONADOS 01.1 Produo de lavouras temporrias 01.11-3 Cultivo de cereais 3 01.12-1 Cultivo de algodo herbceo e de outras fibras de lavoura temporria 3 01.13-0 Cultivo de cana-de-acar 3 01.14-8 Cultivo de fumo 3 01.15-6 Cultivo de soja 3 01.16-4 Cultivo de oleaginosas de lavoura temporria, exceto soja 3... 97 SERVIOS DOMSTICOS 97.0 Servios domsticos 97.00-5 Servios domsticos 2... Quadro 1
  • Slide 24
  • Quadro 2
  • Slide 25
  • Motivos de Fracasso do SESMT 1 Selecionar mal a equipe; 2 Remunerar mal a equipe do SESMT; 3 Isolar o SESMT; 4 - Promover o desvio de funo; 5 No existir investimento na atualizao do profissional;
  • Slide 26
  • (*) Tempo parcial (mnimo de trs horas); (**) O dimensionamento total dever ser feito levando-se em considerao o dimensionamento de faixas de 350.1 a 5000 mais o dimensionamento do(s) grupo(s) de 4000 ou frao acima de 2000. Obs.: Hospitais, ambulatrios, maternidades, casas de sade e repouso, clnicas e estabelecimentos similares com mais de 500 (quinhentos) empregados devero contratar um enfermeiro de trabalho em tempo integral. Legenda
  • Slide 27
  • Dificuldades para o exerccio do SESMT -Financeiras, por parte das empresas; -Desconhecimento das caractersticas da Empresa (poltica, conveno coletiva do trabalho, metas empresariais, etc) ; -Despreparo Tcnico Cientifico;
  • Slide 28
  • Nenhum trabalho ou tarefa to importante que no possa ser feito com segurana