n 4 - 4 trimestre 2012

Download N 4 - 4 Trimestre 2012

Post on 07-Mar-2016

217 views

Category:

Documents

4 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Revista de Cães e Lobos de propriedade do Centro Canino de Vale de Lobos

TRANSCRIPT

  • Revista Digital de Ces e Lobos

    N 4 - 4 Trimestre de 2012

    Uma Edio do Departamento de Divulgao do:

    Centro Canino de Vale de Lobos

    Etologia Comportamento Educao Adestramento Convivncia Psicologia Veterinria Esttica

    Artigos - Notcias - Reportagens - Curiosidades

  • Formamos:

    Profissionais competentes...

    e donos responsveis!

    Departamento de Formao do:

    CENTRO CANINO DE VALE DE LOBOS

    Caractersticas do Curso

    Objectivos do Curso: Formar tcnica e cientificamente atravs da aquisio de conhecimentos sobre Criao Canina, todos os criadores, ou que pretendam vir a s-lo, na medida em que, este Curso abarca toda esta temtica, desde os conceitos de Gentica Canina at entrega do cachorro ao futuro dono.

    Incio do Curso: Imediato Mtodo de Ensino: Cientfico Documento fim de Curso: Diploma final de Curso com a qualificao obtida. Tempo mdio despendido com o curso: +/- 6 meses ou 500 horas (varia em funo da disponibilidade e da aplicao do formando). A quem dirigido este Curso: Este Curso dirigido a todos os Criadores Caninos que sintam algumas lacunas no seu conhecimento acerca dos Temas propostos no mesmo. igualmente dirigido a todos aqueles que pretendam iniciar esta apaixonante e nobre atividade que a Cria-o Canina. Perspectivas de conhecimentos adquiridos no final do Curso: Excelente bagagem tcnico/cientfica e conhecimento profundo de todos os mecanismos ligados ao processo de Criao Canina. No final do mesmo, o formando fica em condies de, conscientemente, Criar ces, uma vez que est na posse de formao tcnica e cientfica especfica necessria para o fazer.

    Estrutura Programtica (Resumida) Tema 1 - A Gentica Canina Tema 2 - O Perodo Reprodutivo Tema 3 - A Reproduo Tema 4 - A Gestao Tema 5 - A Patologia da Reproduo Tema 6 - A Alimentao da Cadela gestante Tema 7 - O Parto Tema 8 - A Amamentao Tema 9 - O Desmame Tema 10 - Primeiras etapas do desenvolvimento do Cachorro Tema 11 - Enfermidades do Perodo neonatal Tema 12 - O Crescimento do cachorro Tema 13 - Desparasitao e Vacinao dos Cachorros Tema 14 - A entrega dos Cachorros Tema 15 - Identificao e Registo dos Cachorros

    Curso destinado a todos os criadores, ou potenciais criadores caninos.

    http://formacaoccvl.weebly.com/curso-de-psicologia-canina.html

  • Editorial

    Ces & Lobos Edio N 1

    Pgina 1

    A edio deste trimestre est centrada numa extensa entrevista,

    de 10 pginas, que o Prof. Francisco Petrucci-Fonseca, Pres. do

    Grupo Lobo, deu nossa revista. Nesta entrevista nada ficou por

    dizer no que ao lobo diz respeito. Convido todos os leitores a

    lerem-na com a mxima ateno.

    Mais uma vez, a colaborao dos formados e formandos do

    Departamento de Formao do CCVL foi de um inestimvel valor

    ao apresentarem artigos de fundo sobre temas bastantes inte-

    ressantes para o grande pblico.

    A Suzette Veiga presenteou-nos com as ltimas investigaes acerca da ori-

    gem e domesticao do co que podero abalar os conceitos at agora conhe-

    cidos sobre este tema.

    H mais uma estrela na publicidade em Portugal e ela chamasse Blanca que com a ajuda do seu dono, Andr Moreiras e do treinador Fernando Silva, parti-

    cipou num anncio de uma empresa de mobilirio para o mercado francs.

    Tambm de sua autoria, falou sobre o Seminrio dado pelo Dr. Ian Dunbar,

    especialista em comportamento canino, no ms de Setembro e organizado

    pela escola de treino canino Its all about dogs. Alm destas duas colabora-es, o Andr tambm nos ajudou a compreender porque no devemos utilizar

    a palavra No em adestramento canino. A Paula Leal concluiu a sua pesquisa, iniciado na revista anterior, sobre o tra-

    balho e desportos caninos, desta vez dedicado ao segundo tema.

    O Tiago Barreto, pela primeira vez a dar a sua colaborao, deixou-nos alguns

    trabalhos dos quais queria realar a ajuda que nos d para tentarmos com-

    preender as capacidades olfativas dos ces e tambm a histria de um co,

    leal ao seu dono e que nem na hora da sua morte o abandonou.

    A Anabela Guerreiro lembrou-nos que todos os anos o dia 4 de Outubro o dia

    de homenagearmos os nossos animais e relatou como ela o comemorou este

    ano.

    A personalidade deste trimestre o Dr. Konrad Lorenz, prmio Nobel da medi-

    cina de 1973, considerado o pai da Etologia moderna e criador do conceito de

    imprinting. Boas Leituras.

    Slvio Pereira

    Navegue connosco nas ondas da web

    Centro Canino de Vale de Lobos

    www.ccvlonline.com

    Departamento de Formao do CCVL

    http://formacaoccvl.weebly.com

    Departamento de Divulgao do CCVL

    Blogue: http://comportamento-canino.blospot.com

    Frum: http://comportamento-canino.forumotion.net

    www.facebook.com/ccvlobos

    2

    Trabalho e desporto canino (Paula Leal)

    6

    Compreender o olfato do co (Tiago Barreto)

    7

    Carter, Temperamento e quali-

    dades intrnsecas do co (Slvio Pereira)

    9

    Konrad Lorenz (Slvio Pereira)

    10

    Blanca, a minha estrela canina (Andr Moreiras)

    11

    Dia mundial do Animal (Anabela Guerreiro)

    13

    Entrevista Prof Francisco

    Petrucci-Fonseca - Grupo Lobo (Slvio Pereira)

    22

    Novos conhecimentos sobre a

    domesticao do co (Suzette Veiga)

    24

    O Significado da palavra NO em termos caninos (Andr Moreiras))

    26

    Lealdade Canina (Tiago Barreto)

    28

    Seminrio do Dr. Ian Dunbar (Andr Moreiras)

    21 - 1 Hosp. Pblico do Brasil 23 - O seu co agressivo?

    25 - Mximas

    27 - 3 Congresso Ibrico do Lobo

    29 - Livro recomendado

    30 - Notcias

    31 - Sabia que...

    Revista Ces & Lobos

    http://revistacaeselobos.weebly.com

  • Ces & Lobos Edio N 4

    Pgina 2

    Caa A caa continua a ser um desporto, uma paixo, ou mesmo uma forma de arte para muitos e que envolve mais de um milho de ces. Trata-se de um desporto quer para o co quer para o dono porque requer uma excelente condio fsica para poder ser praticada durante muito tempo e sob quaisquer condies atmosfricas, mas tambm fora de carcter, tenacidade e esprito de observao, independentemente das qualidades olfativas indispensveis a um bom co e caa. Provas de Field-trial

    So provas desportivas muito populares, destinadas a ces de caa do tipo ces de parar. Neste tipo de prova, o co tem quinze minutos para demons-trar a excelncia das suas qualidades de caador. Deve explorar o territrio que lhe atribudo, de cabea erguida, a boa velocidade, a correr em ziguezague frente do seu con-dutor. Cada uma das passagens diante do dono deve ser feita a uma distncia equivalente ao que os juzes qualificam como alcance da espingarda. A extenso da busca de cada lado do condutor varia com a raa do co e com a amplitude da busca especfica da raa.

    Desporto

    2 Parte

    Desportos Caninos

  • Ces & Lobos Edio N 4

    Pgina 3

    Outros concursos para ces de caa

    Como o co de parar no , de longe, o nico co de caa, so organizados vrios concursos ou competies para ava-liar a qualidade de outras raas. Assim, as provas de trabalho para Retrievers permitem com-parar as qualidades de recolha da caa dos ces apresenta-dos. Por ordem do juiz, o co enviado para recolher e tra-zer de volta a caa e recebe uma pontuao pela forma como efetua essa tarefa. Os ces Sabujos de pequena montaria, por sua vez, dis-pem de 2 tipos de provas para serem avaliados: caa ao cabrito-monts e caa lebre. Nestes concursos, competem matilhas de 3 a 9 ces dependendo da situao.

    Finalmente, Terriers e Teckels tambm podem participar em provas com tocas artificiais, com raposa ou texugo, e, de maneira mais espordica no caso dos Teckels, at mesmo provas de busca de lebre ou busca com pista de sangue, na tica da procura da caa ferida.

    Provas de trabalho Concursos de ces de pastoreio

    O co pode trabalhar com um grupo de 5 ovelhas. Num tem-po determinado, deve faz-las passar entre barreiras num cercado e a seguir isolar dois dos animais. Este um dos exerccios mais difceis, visto que o co trabalha com um pequeno rebanho. Pode ainda trabalhar com 2 grupos de 10 ovelhas cada, devendo cada grupo ser trazido de volta individualmente. A seguir, com a totalidade do rebanho, ele faz o mesmo per-curso anteriormente realizado por um nico grupo de cinco ovelhas. Para um trabalho com 2 ces so utilizadas 6 ove-lhas. Os dois ces, que no esto autorizados a cruzar-se, conduzem o rebanho at ao pastor, separam-no em dois grupos iguais e, a seguir, cada um conduz o seu grupo at um cercado diferente.

    Corridas de galgos O princpio simples: seis ces numa starting-box so sol-tos numa pista em forma de anel, feita de areia ou relva, per-seguindo um falso coelho puxado por um cabo ou por um motor na parte interna do anel.

    Desporto

  • Ces & Lobos Edio N 4

    Pgina 4

    Concursos de escavao para ces farejadores de trufas

    Desde 1969 que so organizados concursos de busca de trufas para comparar ahabilidade dos ces. O co deve buscar e indicar com a pata a localizao de seis trufas, enterradasnuma rea com 25 m de largura, o mais rapidamente possvel, sem marcar duasvezes o mesmo lugar (penalizao), nem desenterrar e comer a trufa (eliminado).

    Competio de ring, pistagem e campo Os concursos em ring e a sua aplicao prtica, o concurso de campo, consistem numa srie de provas de adestramento em que o co revela as suas aptides naturais nas reas do salto de obstculos, da obedincia, da combatividade e de pistagem. Estas provas so reconhecidas como sendo mel