nbr 9442 - indice de propagao de chamas

Download NBR 9442 - Indice de Propagao de Chamas

Post on 30-Dec-2014

12.635 views

Category:

Documents

219 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

Cpia no autorizada

AGO 1986

NBR 9442

ABNT-Associao Brasileira de Normas TcnicasSede: Rio de Janeiro Av. Treze de Maio, 13 - 28 andar CEP 20003-900 - Caixa Postal 1680 Rio de Janeiro - RJ Tel.: PABX (021) 210 -3122 Fax: (021) 240-8249/532-2143 Endereo Telegrfico: NORMATCNICA

Materiais de construo - Determinao do ndice de propagao superficial de chama pelo mtodo do painel radiante

Mtodo de ensaio Origem: Projeto 00:001.03-029/1984 CB-24 - Comit Brasileiro de Segurana contra Incndio GT-1 - Grupo de Trabalho de Portas Corta-Fogo Esta Norma foi baseada na ANSI/ASTM E 162/1979 Incorpora Errata n 1, de NOV 1988 Palavras-chave: Incndio. Material de construo 15 pginas

Copyright 1986, ABNTAssociao Brasileira de Normas Tcnicas Printed in Brazil/ Impresso no Brasil Todos os direitos reservados

SUMRIO1 Objetivo 2 Documento complementar 3 Definies 4 Aparelhagem 5 Corpos-de-prova 6 Execuo dos ensaios 7 Clculos 8 Resultados ANEXO A - Figuras ANEXO B - Calibrao da aparelhagem ANEXO C - Exemplo de clculo do fator de propagao de chama (Pc) ANEXO D - Exemplos de curvas ajustadas ANEXO E - Classificao dos materiais

2 Documento complementarNa aplicao desta Norma necessrio consultar: NBR 8660 - Revestimento de piso - Determinao da densidade crtica de fluxo de energia trmica - Mtodo de ensaio

3 DefiniesPara efeito desta Norma so adotadas as definies constantes em 3.1 a 3.4. 3.1 ndice de propagao de chama Produto do fator de evoluo do calor pelo fator de propagao de chama. 3.2 Fator de evoluo do calor Relao entre a variao da temperatura no ensaio, devida queima do material, e a razo de desenvolvimento do calor. 3.3 Fator de propagao de chama Velocidade com que a chama percorre a superfcie do material nas condies de ensaio.

1 ObjetivoEsta Norma prescreve o mtodo para determinar o ndice de propagao superficial de chama em materiais de construo(1). 1.1 O ndice obtido por este ensaio aplicvel para medir e descrever a propagao superficial de chama nos materiais e no deve ser utilizado para fixar o grau de segurana contra incndio; entretanto, os valores obtidos permitem verificar comparativamente qual o material mais conveniente para a segurana contra incndio, por ocasio do levantamento dos fatores que fixam este grau de segurana para um projeto particular face a incndio real.(1)

Para materiais de revestimento de piso, consultar a NBR 8660.

Cpia no autorizada

2

NBR 9442/1986

3.4 Razo de desenvolvimento do calor Constante de aparelhagem obtida atravs de calibrao.

230 mm de comprimento e 6 mm de dimetro com dois furos de 1,5 mm de dimetro na extremidade, conforme a Figura 3 do Anexo A.4.4.2 O queimador montado na horizontal, de modo a for-

4 AparelhagemPara a realizao deste ensaio necessria a aparelhagem descrita em 4.1 a 4.11 (Figura 1 do Anexo A). 4.1 Painel radiante4.1.1 O painel consiste em placa porosa de cermica refratria com superfcie radiante medindo 300 mm x 460 mm, fixada a uma armao de ferro fundido e alimentada com mistura de carburante propano e ar possibilitando temperatura de operao de at 800C. 4.1.2 A mistura carburante feita em um aspirador tipo Venturi, cuja presso de trabalho prxima da atmosfera, com o ar injetado por exaustor centrfugo ou equivalente que fornea 50 L/s de ar presso de 700 Pa, passando por um filtro para evitar que partculas obstruam os poros do painel. 4.1.3 So utilizadas vlvulas reguladoras de presso e de controle de vazo na alimentao de propano e de ar, alm de vlvula de fechamento rpido para o propano.

mar ngulo de 15 a 20 com a horizontal do plano do corpode-prova. Sua extremidade dista 19 mm da lateral do suporte do corpo-de-prova, conforme indicado na Figura 5 do Anexo A e de tal forma que a chama-piloto seja aplicada em uma regio do corpo-de-prova com 12 mm de largura a partir da borda superior e a 6 mm do lado mais prximo da abertura do corpo-de-prova. 4.5 Chamin4.5.1 Constituda por chapa de ao de 1,0 mm de espessura,

estando sua posio em relao ao corpo-de-prova e ao painel radiante indicado na Figura 1 do Anexo A. 4.6 Termopares4.6.1 So usados oito termopares de cromel-alumel de

0,5 mm de dimetro, montados no interior da chamin com isoladores de porcelana, apoiados em placa de amianto e ligados em paralelo, conforme as Figuras 1 e 4 do Anexo A.4.6.2 Cada junta de termopar fundida aps ter suas pontas

enroladas. 4.7 Registrador de temperatura4.7.1 Para registrar a variao da temperatura na chamin

4.2 Suporte do corpo-de-prova4.2.1 O suporte construdo de ao inoxidvel com as di-

menses e a forma indicada na Figura 2 do Anexo A.4.2.2 O suporte dispe de marcas na face frontal ao painel radiante, paralela superfcie do corpo-de-prova, a intervalos de 76 mm a contar da borda superior. 4.2.2.1 A marca distante 76 mm da borda superior do suporte

continuamente durante o ensaio utilizado um potencimetro registrador, calibrado para operar na faixa de 0C a 600C. 4.8 Exausto4.8.1 Para retirar a fumaa colocado acima da chamin

um tubo de exausto com aspirador. denominada primeira marca; a marca distante 152 mm da borda superior denominada segunda marca e assim por diante at a quinta marca. 4.3 Apoio do suporte do corpo-de-prova4.3.1 O apoio constitudo por duas barras de ao inoxidvel 4.8.2 A superfcie do tubo de exausto separada do topo e

das laterais da chamin por vos mnimos de 250 mm e 190 mm, respectivamente.4.8.3 A exausto do ar efetuada com velocidade de

de 13 mm de dimetro, horizontais e paralelas entre si e ao plano do painel radiante. A distncia entre as barras 492 mm, com a barra superior a 121 mm do plano do painel radiante e 44 mm abaixo da extremidade superior do mesmo painel. O ngulo entre os planos definidos pelas barras e pelo painel radiante de 30. A tolerncia mxima em relao a estas dimenses de 3,2 mm (Figura 1 do Anexo A).4.3.2 A barra superior dispe de limitador para garantir o po-

0,5 m/s no topo da chamin com o painel radiante desligado e aproximadamente 1,3 m/s com o painel radiante na temperatura de operao(2). 4.9 Pirmetro tico4.9.1 A radiao trmica do painel medida com pirmetro

tico colocado a 1,2 m de distncia e de modo a visualizar rea circular de 250 mm de dimetro na superfcie do painel radiante.4.9.2 O pirmetro tico deve ser calibrado em relao

sicionamento do corpo-de-prova no centro do painel radiante. 4.4 Chama-piloto4.4.1 O queimador da chama-piloto deve utilizar acetileno, sendo do tipo de pr-mistura por suco do ar pelo acetileno. constitudo de tubo de porcelana ou de ao inoxidvel de(2)

temperatura de um corpo negro. 4.10 Potencimetro4.10.1 Para medir a corrente eltrica gerada pelo pirmetro

tico, utiliza-se potencimetro com faixa de operao adequada s caractersticas do pirmetro.

A variao da velocidade do ar atravs da chamin no fator crtico do ensaio.

Cpia no autorizada

NBR 9442/1986

3

4.11 Cronmetro4.11.1 Utiliza-se cronmetro com resoluo de pelo menos

0,5 s. 4.12 Corpo-de-prova padro4.12.1 Deve ser utilizado como corpo-de-prova padro uma placa de silicato de clcio com massa especfica nominal de 740 kg/m3, com 150 mm de largura, 460 mm de comprimento e 19 mm de espessura (ver Figura 7 do Anexo B). 4.12.2 A placa deve ter orifcios de 27 mm de dimetro ao

5.2.4 Materiais laminados transparentes ou translcidos de qualquer espessura no devem ser aplicados a um substrato, mas devem ser apoiados contra uma lmina de alumnio polido. 5.2.5 Materiais, incluindo tecidos, que ao invs de se des-

longo do eixo longitudinal, localizados nas direes das marcas do suporte definidas em 4.2.2. 4.13 Radimetro4.13.1 O radimetro para medir a intensidade da radiao

tinarem aplicao sobre substrato sejam utilizados presos ou suspensos por uma ou mais bordas, devem ser montados sobre base constituda por chapa de amianto de 13 mm de espessura, revestida em uma face por lmina de alumnio polido, sobre a qual colocada moldura de amianto de seo 13 mm x 13 mm. O material deve ser colocado sobre a moldura. No caso de tecidos ou outros materiais flexveis, o material deve ser cortado nas dimenses de 255 mm por 560 mm, dobrado em volta da moldura e preso na face posterior da chapa de amianto, com tenso suficiente apenas para evitar rugas.5.2.6 No caso de materiais celulares flexveis, o corpo-de-

trmica nos vrios pontos do corpo-de-prova padro deve ser do tipo Schmidt-Boelter, refrigerado a gua temperatura entre 15C e 25C(3).4.13.2 O radimetro deve operar na faixa de 0 W/cm2 a 3,5 W/cm2 e ser calibrado para a faixa de 0,1 W/cm2 a 3,5 W/cm2.

prova deve ser protegido lateralmente e na parte traseira com folha de alumnio polido de 0,05 mm de espessura a serem apoiados em uma placa de cimento-amianto de 3 mm de espessura. O corpo-de-prova deve ser apoiado com auxlio de tela de arame com bitola de 0,52 mm2 a 0,32 mm2 20 AWG a 22 AWG, de malha hexagonal de 25 mm, colocada na face exposta radiao.5.2.7 Materiais de acabamentos, incluindo laminados, la-

5 Corpos-de-prova5.1 Dimenses e nmero de corpos-de-prova Da amostra representativa do material a ser ensaiado, devem ser preparados pelo menos quatro corpos-de-prova idnticos, que devem ter dimenses de 150 mm por 460 mm. 5.2 Preparao dos corpos-de-prova Os corpos-de-prova devem ser preparados de modo a reproduzir o mais fielmente possvel as condies de uso do material. Em ensaios comparativos ou quando as condies de uso no so especificadas, os corpos-de-prova devem ser preparados como descrito em 5.2.1 a 5.2.9.5.2.1 Materiais laminados opacos radiao infravermelha

drilhos, tecidos e outros, a serem aplicados base com adesivos, bem como materiais laminados utilizados sem base, devem ser ensaiados levando-se em considerao possvel aumento na propagao de chamas ou riscos associados, devido a trincas, descama