museu da inconfidÊncia e as marcas da educaÇÃo ?Ão... · museu da inconfidÊncia e as marcas da

Download MUSEU DA INCONFIDÊNCIA E AS MARCAS DA EDUCAÇÃO ?ÃO... · MUSEU DA INCONFIDÊNCIA E AS MARCAS DA

Post on 14-Feb-2019

214 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO

Instituto de Cincias Humanas e Sociais Departamento de Educao

Programa de Ps-graduao Mestrado em Educao

Betnia dos Anjos do Carmo

MUSEU DA INCONFIDNCIA E AS MARCAS DA EDUCAO NOS LIVROS DE

VISITANTES (1945-1965)

Mariana

2018

Betnia dos Anjos do Carmo

MUSEU DA INCONFIDNCIA E AS MARCAS DA EDUCAO NOS LIVROS DE

VISITANTES (1945-1965)

Trabalho parcial apresentado banca examinadora

para a obteno do ttulo de Mestre em Educao

pelo Programa de Ps-Graduao Mestrado da

Universidade Federal de Ouro Preto.

Orientadora: Profa. Dra. Juliana Cesrio Hamdan.

rea de Concentrao: Educao.

Linha de Pesquisa: Formao de Professores,

Instituies e Histria da Educao (FPIHE).

Mariana

2018

Aos meus amores de tempo eterno, meus filhos:

Ana Carolina, Marcos Paulo e Pedro.

Vocs so a razo primeira pela qual insisto, resisto e sigo em frente!

AGRADECIMENTOS

Este trabalho no poderia ter-se realizado sem a ajuda e compreenso de todos que

acompanharam a sua elaborao.

Professora e orientadora Juliana Cesrio Hamdan que acreditou na proposta do meu

projeto e me conduziu com pacincia e compreenso pelos caminhos conceituais do campo da

educao, uma rea at ento desconhecida para mim. O seu olhar de educadora possibilitou

ver nas fontes algo para alm das assinaturas e procedncias e fez descortinar uma srie de

possibilidades de interpretaes com novas investigaes que se transformaram nesta

dissertao. Seus conselhos e conduo permitiram o xito deste trabalho e fizeram nascer em

mim uma srie de expectativas de trabalhar a Educao Patrimonial, para alm deste trabalho,

dos espaos no escolares, de forma indissocivel ao campo da educao escolar e assim

proporcionar ao cidado brasileiro o direito educao em sua forma mais plena.

Sou grata a todos os professores do Programa de Ps-Graduao do Mestrado em

Educao do Instituto de Cincias Humanas e Sociais da Universidade Federal de Ouro Preto.

Por todas as discusses, debates, reflexes, ensinamentos, inquietaes que modificaram,

positivamente e de forma crtica a pessoa que sou hoje de uma forma irreversvel.

professora Verona Campos Segantini e a professora e amiga Priscilla Arigoni Coelho, pelo

incentivo e pelas contribuies e sugestes colocadas no momento da qualificao e que

fizeram melhorar consideravelmente a trajetria desta pesquisa.

Aos amigos do Museu da Inconfidncia, instituio to querida e afetivamente ligada a

mim desde a minha adolescncia. Margarete Monteiro, da administrao central, na Praa

Tiradentes, que permitiu a minha presena nos setores da instituio possibilitando o meu

acesso aos arquivos e documentos e livros que serviram de base a esta pesquisa. Tambm s

historiadoras Sueli Maria Perucci e Carmem Lemos, do setor de pesquisa, o amigo Jos

Geraldo Baslio, Wouney da Costa Ferreira, todos lotados na Casa do Pilar, no Anexo do

Museu local da pesquisa de campo. Agradeo a todos por todo carinho e pacincia em me

receber naquele local por quase dois anos de estudos, sempre me ajudando a localizar os

documentos e livros e a controlar meus medos e ansiedade nos momentos mais crticos, como

o perodo em que o prdio foi fechado para reformas no telhado, estendendo-se depois para

pintura geral do prdio. Com toda a certeza, a ajuda de vocs foi necessria e fundamental.

Universidade Federal de Ouro Preto, por tudo o que me permitiu ser.

Aos amigos, professores e colegas de trabalho da Escola de Direito, Turismo e

Museologia, que s viram e ouviram eu dormir, acordar e respirar sobre a minha dissertao

todo esse tempo do mestrado. amiga (e meio filha) Jacqueline Efignia de Paula, Profa. Iara

Antunes de Souza, Prof. Jos Luiz Singi Albuquerque e Prof. Amauri Csar Alves, todos do

Departamento do Direito - DEDIR. Ao colega Wagney Nunes Leal, Prof. Bruno Camilloto e

Prof. Leandro Benedini Brusadim, da EDTM. Ao colega Rafael Brasil Magalhes e Prof.

Roberto Henrique Porto Nogueira, do CODIR. A Anderson Schmidt da Ps-Graduao. A

secretria Maria do Carmo de Oliveira Aniceto e o Prof. Bruno Pereira Bedim do

Departamento do Turismo - DETUR. Do Departamento de Museologia DEMUL (onde tudo

comeou), agradeo aos colegas Marcus Vincius Lamounier Quadros e Edson Fialho e ainda

aos Professores Gilson Antnio Nunes, Yara Mattos e Mrcia Maria Arcuri Suer, sempre

interessados no andamento das minhas pesquisas. Alm do companheiro Jos Arlindo do

Nascimento, que l da portaria, cuida de todos ns.

Aos amigos e colegas ufopianos Adilson Pereira dos Santos e Marcilene Magalhes da

Silva que com as prprias experincias e relatos de trajetria de vida acadmica no me

deixaram fraquejar. afilhada Conceio Silva pelas conversas, cafs e sucos, em Mariana,

depois das aulas e orientaes do Mestrado.

Dbora Walter Reis, amiga de f e de fato, linda, alta, olhos verdes e servidora

pblica e ... modesta por estar a meu lado toda vez que precisei e por me ajudar nesta

empreitada acadmica.

Cynthia Maria Alves de Brito Andrade e Barros, que o Universo se encarregou de

colocar em meu caminho desde 2008, quando entrei na UFOP, porque sabia que eu iria

precisar de um anjo extra para suportar as adversidades e desafios que viriam pela frente e

nesta dissertao que se tornou uma das coisas mais difceis de se conquistar. Minha amiga de

vida e de caminhada, irm e confidente, agradeo por tudo e, como se no bastasse, tambm

pela leitura e reviso do trabalho.

Aos meus irmos, Marcelo, Mnica, Maurlio, Cyntia e caula Danielly que tanto me

apoiou e ajudou neste trabalho e a toda a famlia Anjos, tios, tias, primos e primas. Ao filho

que a vida trouxe at a mim, Edgar Alfredo de S. Todos torceram por mim e me ajudaram

em diferentes momentos e com diferentes formas de carinho, incentivo, preocupao e

oraes.

Aos meus dois colaboradores principais na busca pelas fontes: minha me, a pedagoga

Neuza dos Anjos do Carmo e o engenheiro e genro Athos Ciudin. Profissionais, parceiros e

amigos, que ajudaram incansavelmente neste trabalho de formiguinha que foi ajudar a

localizar e lanar os dados primrios das tabelas. Sem vocs, seria impossvel compilar as

mais de 300 mil linhas das pginas das fontes em busca dos grupos escolares. Tambm

Thalita Arajo pela formatao do trabalho.

Ao meu pai, Jos Efignio do Carmo, que me ensinou a amar o Museu da

Inconfidncia desde a minha juventude. Meu pai, que levo sempre comigo e que vive em

mim, mais presente do que nunca e sempre me d a certeza de que a morte no o fim. Pai,

eu venci!

A meus filhos, Ana, Marcos e Pedro, amigos e companheiros de vida, de luta e de

resistncia, que sempre estiveram a meu lado, me apoiando a cada novo desafio.

Por fim, agradeo a Deus por tudo que tenho e que sou. Que a fora do Universo guie

a todos ns e nos d foras para prosseguir.

A todos e a cada um, a minha eterna gratido!

O educando se torna realmente educando quando e na medida em que conhece, ou vai

conhecendo [...], e no na medida em que o educador vai depositando nele a descrio dos

objetos, ou dos contedos. (FREIRE, 1992, p. 47).

RESUMO

O objetivo deste trabalho foi o de identificar e qualificar, no Museu da Inconfidncia,

localizado na cidade de Ouro Preto, Minas Gerais, a sua relao com o pblico vindo de

instituies educacionais que o visitaram e assim compreender as estratgias e movimentos

feitos por grupos de interesse pblico, particular e pessoal que procuravam reconstruir o

discurso da histria dos Inconfidentes, a partir das escolhas das memrias que deveriam ser

preservadas como instrumentos ideolgicos. Foram utilizadas como fontes cartas e ofcios

encaminhados por professores e diretores de escolas, direcionados aos diretores do Museu e

utilizou-se tambm os cadernos com as assinaturas dos visitantes, objeto privilegiado nesta

pesquisa, com foco na visitao de sujeitos que puderam ser identificados como ligados a

instituies educacionais. Para a referida pesquisa optou-se pelo perodo compreendido entre

os anos de 1945 a 1965, uma vez que estes espaos institucionalizados muitas vezes serviram

como referncia para discursos republicanos e nacionalistas, amparados por vrios tipos de

suportes de divulgao. O tipo de anlise da pesquisa iniciou-se a partir dos textos

constitucionais elaborados nas primeiras dcadas do sculo XX, a fim de compreender os

desdobramentos das constituies promulgadas entre as dcadas de 1930 e 1960, com a

finalidade de localizar nos textos as referncias entre as legislaes voltadas educao e

preservao do patrimnio histrico nacional e os sujeitos envolvidos nesses processos. Em

seguida, foram verificados os visitantes auto declarados estudantes, instituies de ensino e

professores, para uma anlise do pblico alvo. Como referencial terico a pesquisa

fundamentou-se nos estudos voltados s anlises quantitativas em educao para o tratamento

das fontes estudadas. Assim concluindo, verificou-se quais foram as instituies escolares que

buscaram esse espao de memria, de parte dessa histria do pas e qual foi a relao entre as