msc elizabeth cox - unilins identificaÇÃo do problema tÉrmico por calor

Download MSc Elizabeth Cox - UNILINS IDENTIFICAÇÃO DO PROBLEMA TÉRMICO POR CALOR

If you can't read please download the document

Post on 07-Apr-2016

213 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • IDENTIFICAO DO

    PROBLEMA TRMICO

    POR CALOR

    MSc Elizabeth Cox - UNILINS

  • MSc Elizabeth Cox - UNILINS

  • CALOR E ERGONOMIA

    A exposio ao calor em conjunto com a umidade e a velocidade do ar (ventilao) possui uma abordagem especfica na NR-17 (Ergonomia) que trata de conforto trmico no ambiente de trabalho.

    MSc Elizabeth Cox - UNILINS

  • 17.5 Condies ambientais de trabalho.17.5.2 Nos locais de trabalho onde so executadas atividades que exijam solicitao intelectual e ateno constantes, tais como: salas de controle, laboratrios, escritrios, salas de desenvolvimento ou anlise de projetos, dentre outros, so recomendadas as seguintes condies de conforto:

    MSc Elizabeth Cox - UNILINS

  • b) ndice de temperatura efetiva entre 20C (vinte) e 23C (vinte e trs graus centgrados):c) velocidade do ar no superior a 0,75 m/s.d) umidade relativa do ar no inferior a 40C (quarenta) por cento.

    MSc Elizabeth Cox - UNILINS

  • CALOR

    Forma de energia que se transfere de um sistema para outro em virtude de uma diferena de temperatura entre os mesmos.

    um agente fsico presente em uma srie de atividades como:Siderurgia;Fundio;Indstria de Vidro;Indstria Txtil ...

    MSc Elizabeth Cox - UNILINS

  • O homem exposto a altas temperaturas tem o rendimento fsico e mental diminudo.

    sabido que a exposio, no controlada, ao calor induz a erros de percepo e raciocnio, o que pode desencadear acidentes

    MSc Elizabeth Cox - UNILINS

  • CALOR Reaes do Organismo ao CalorEquilbrio TrmicoO organismo humano no sentido de promover um aumento da perda de calor, processa uma srie de reaes fisiolgicas buscando o equilbrio trmico.O organismo s estar em equilbrio trmico quando S for igual a zero.

    S = M C R - E

    MSc Elizabeth Cox - UNILINS

  • Calor Mecanismos de Troca Trmica(perda e ganho de calor)

    S = M R E

    Calor ganho ou perdido por conduo-conveco.C

    MSc Elizabeth Cox - UNILINS

  • CONDUO quando existe um fluxo de calor de um corpo de temperatura maior para outro de temperatura menor.CONVECCO Trata-se do mesmo processo anterior s que pelo menos um dosCorpos um fludo, o que provoca um movimentoAscendente em funo do resfriamento ou Aquecimento do referido fludo

    MSc Elizabeth Cox - UNILINS

  • Reaes do Organismo ao Calor Mecanismo de defesa do organismo humano quando submetido a calor intensoVASODILATAO PERIFRICA a primeira ao processada pelo organismo.Implica num maior fluxo de sangue na superfcie do corpo, com conseqente aumento de temperatura na pele.O fluxo de sangue transporta o calor do ncleo do corpo para a superfcie, onde ocorrem as trocas trmicas

    MSc Elizabeth Cox - UNILINS

  • SUDORESE

    a atividade das glndulas sudorparas. Proporcionalmente ao desequilbrio trmico.A quantidade de suor em curtos perodos pode atingir at 2 litros por hora.Em perodos de vrias horas no excede a 1 litro por hora, o que representa uma transferncia de 600 Kcal/h para o meio ambiente.

    MSc Elizabeth Cox - UNILINS

  • MECANISMO DE TROCA TRMICA(PERDA E GANHO DE CALOR)

    S = M C - ECalor ganho ou perdido por radiao. RADIAO Quando um corpo de temperatura mais elevada transfere calor, por emisso de radiao infravermelha, para um corpo de temperatura menor. Este mecanismo denominado CALOR RADIANTE.R

    MSc Elizabeth Cox - UNILINS

  • S = M C R - Calor perdido por evaporaoEVAPORAO Quando um Lquido que envolve um slido transforma-se em vapor.Influncia neste fenmeno a quantidade de vapor existente no meio, velocidade do ar na superfcie do slido e a quantidade de calor absorvida pelo lquido.E

    MSc Elizabeth Cox - UNILINS

  • MECANISMO DE TROCA TRMICA(PERDA E GANHO DE CALOR)

    EQUAO DO EQUILBRIO HOMEOTRMICO

    = MCR-E

    CALOR ACUMULADO NO ORGANISMO

    S

    MSc Elizabeth Cox - UNILINS

  • S = C R E

    CALOR PRODUZIDO PELO METABOLISMOProporcional ao esforo fsico despreendido pelo trabalhador.Existem tabelas com estimativa de taxa de metabolismo, em funo das atividades desenvolvidas pelo trabalhador.M

    MSc Elizabeth Cox - UNILINS

  • FLUXOGRAMA 1Avaliao da exposio ao calorMEDIR AS TEMPERATURASDEFINIR TIPO DEEXPOSIOSEM CARGA SOLARIBUTG = 0,7 tbn + 0,3 tgCOM CARGA SOLAR IBUTG = 0,7 tbn + 0,2 tg + 0,1 tbsDEFINIR REGIME DE TRABALHO (VIDE QUADRO N 1)NOTA: Se os valores excederem aos estabelecidos no quadro n 1 seguir fluxo-2.

    MSc Elizabeth Cox - UNILINS

  • FLUXOGRAMA 2

    MSc Elizabeth Cox - UNILINS

  • CALOREFEITOS ADVERSOS SADEINTERMAO DESIDRATAOCIBRAPERDA ELETROLTICATONTURA E DESFALECIMENTO

    MSc Elizabeth Cox - UNILINS

  • DOENAS DO CALORSo distrbios fisiolgicos que ocorrem quando os mecanismos de troca trmica no so suficientes para remover a troca adequada de calor.

    - EXAUSTO DO CALOR Decorre de uma insuficincia do suprimento de sangue do crtex cerebral, resultante da dilatao dos vasos sanguneos. Uma baixa presso sangunea o evento crtico resultante.

    MSc Elizabeth Cox - UNILINS

  • - CIBRAS DE CALOR So os espasmos musculares, seguindo-se uma reduo do cloreto de sdio no sangue.

    - CHOQUE TRMICO Quando a temperatura do ncleo do corpo pe em risco algum tecido vital.

    MSc Elizabeth Cox - UNILINS

  • Mecanismos de Regulao Quanto a Exposio ao CALOR

    MSc Elizabeth Cox - UNILINS

  • LIMITAO DO TEMPO DE EXPOSIO Regime de trabalho/descanso; Revezamento de pessoal; Reestudo de procedimentos.

    EQUIPAMENTO DE PROTEO INDIVIDUAL culos de segurana com lentes especiais; Luvas, mangas, aventais, capuzes; Tecido leve; Tecido aluminizado; Cor clara.

    MSc Elizabeth Cox - UNILINS

  • ACLIMATIZAOAdaptao fisiolgica do organismo a um ambiente quente;Aclimatizao parcial de 4 a 6 dias;Aclimatizao total de 14 dias.

    MSc Elizabeth Cox - UNILINS

  • CALORMEDIDAS DE CONTROLE Barreiras Ventilao/Refrigerao Pausas Aclimatao Reposio Hdrica Controle MdicoTreinamento

    MSc Elizabeth Cox - UNILINS

  • MEDIDAS DE CONTROLERELATIVAS AO MEIO AMBIENTE

    MSc Elizabeth Cox - UNILINS

  • MEDIDAS DE CONTROLE RELATIVAS AO PESSOALMDICASExames mdicos pr-admissionais;Exames mdicos peridicos.

    REPOSIO HIDROELETROLTICAReposio de gua e de sal;Sob controle mdico.

    MSc Elizabeth Cox - UNILINS

  • PARA ELIMINAR O STRESS TRMICO CALOR LABORAL, DEVE-SE:

    ELIMINAR OS MATERIAIS E PROCESSOS QUE GERAM CALOR OU ENCLAUSUR-LOS E ASSIM CONTROLAR A EXPOSIO DO TRABALHADOR AO CALOR.

    MSc Elizabeth Cox - UNILINS

  • Identificao do Problema Trmico - Calor

    Elizabeth Spenpler Cox de Moura LeiteEngenheira de Segurana do TrabalhoDiretora Tcnica da ASMESTVice-Presidente da ANESTPerita Judicial Docentebethcox@terra.com.br

    OBRIGADA!

    MSc Elizabeth Cox - UNILINS

  • NR-15 Atividades e operaes insalubresAnexo-3 Limite de tolerncia para exposio ao calorRegime de trabalho intermitente com descanso no prprio local de trabalho

    Para cada hora de trabalhoTipo de Atividade Temperatura (C )LEVEMODERADAPESADATRABALHO CONTNUOAt 30,0At 26,7At 25,045 min TRABALHO15 min DESCANSO30,1 30,626,8 28,025,1 25,930 min TRABALHO30 min DESCANSO31,5 32,229,5 31,128,0 30,0NO PERMITIDO TRABALHO SEM MED. DE CONTROLEACIMA 32,2ACIMA 31,1ACIMA 30,0

    MSc Elizabeth Cox - UNILINS

Recommended

View more >