movimento moderno e habitação social no brasil.pdf

Download Movimento Moderno e habitação social no Brasil.pdf

Post on 02-Feb-2016

10 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Geografia Ensino & Pesquisa, vol. 17, n. 2, mai./ ago. 2013.

    ISSN 2236-4994 I 57

    Palavras-chave:

    Revoluo Industrial; Movimento Moderno; Urbanizao; Dficit Habitacional.

    Key-Words:

    Industrial Revolution; Modern Movement; Urbanization; Housing Deficit.

    Produo do espao e dinmica regionalDOI: 10.5902/22364994/10772

    Movimento Moderno e habitao social no Brasil

    Resumo: O presente artigo tem por objetivo discutir o processo de urbanizao que ocorreu no Brasil e as consequencias do mesmo no ambiente urbano. Esse processo foi de grande importncia para a conformao

    das cidades e problemas urbanos que temos atualmente, como o caso do dficit habitacional e das

    pssimas condies de moradia das classes menos favorecidas. O Movimento Moderno, surgido como uma

    reao s transformaes ocorridas pela Revoluo Industrial, possui grande significao no processo de

    urbanizao desse perodo. O Movimento, no campo da Arquitetura e Urbanismo, trouxe alternativas para

    tratar dos problemas que as cidades vinham sofrendo com a urbanizao acelerada.

    The Modern Movement and the social housing in Brazil

    Abstract: This article aims to discuss the urbanization process that happened in Brazil and its consequences in urban environment. This process has been very important to cities conformation and to current

    problems like housing deficit and bad housing conditions of lower economic class people. The Modern

    Movement, which has arisen as a reaction to transformations happened because of Industrial Revolution,

    has a big meaning on the urbanization process of this period. The Modern Movement in Architecture and

    Urbanism field has brought alternatives to treat cities problems caused by accelerated urbanization.

    Graziela Rossatto Rubin*

    * Arquiteta e Urbanista, Mestre em Geografia pela Universidade

    Federal de Santa Maria

  • Geografia Ensino & Pesquisa, v. 17,

    n.2 p. 57 - 71, mai./ago. 2013

    Influncia do Modernismo na tentativa de soluo dos problemas gerados pela urbanizao

    58 I ISSN 2236-4994

    Revoluo Industrial

    Antes da Revoluo Industrial a maioria da populao vivia no campo. Os camponeses

    trabalhavam em pequenos grupos e produziam apenas o que precisavam. As cidades grandes

    que existiam tinham funo poltica e comercial, eram os centros de poder poltico dos reinos.

    A Revoluo Industrial teve incio na Inglaterra no incio do sculo XVIII e, a partir

    do sculo XIX se expandiu para outros pases da Europa. Teve incio na Inglaterra porque

    ao longo dos anos a burguesia inglesa acumulou capitais que deram impulso ao processo de

    produo industrial. Segundo Singer (1998),

    Quando se d a Revoluo Industrial, a economia mundial, no sentido de

    uma ampla diviso internacional do trabalho que abrange cidade e campo

    de mltiplos pases, j estava dada. Nessa economia mundial, a posio dos

    vrios pases no era a mesma. O acesso ao mercado externo de cada pas

    dependia do seu poder poltico, sobretudo de sua capacidade de monopolizar

    colonialmente territrios alm-mar e de dominar rotas martimas. Nesse

    sentido, a Gr-Bretanha desponta, no fim do sculo XVIII, como a potncia

    lder da economia mundial. o domnio ingls de uma ampla gama de

    mercados externos, a condio chave da Revoluo Industrial, que se inicia

    naquele pas (SINGER, 1998, p.23).

    A Revoluo Industrial foi marcada por vrias transformaes na Europa Ocidental

    entre os sculos XVIII e XIX. Entre as transformaes est a substituio do trabalho artesanal pelo trabalho assalariado, onde se passou a utilizar a mquina. A mquina substituiu

    vrias ferramentas e eliminou algumas funes que antes eram exercidas pelos operrios.

    As relaes de trabalho tambm se modificaram, muitos camponeses migraram para as

    cidades buscando empregos nas fbricas. Esses operrios recebiam salrios muito baixos e sua

    capacidade de trabalho era explorada ao mximo. Ainda para Singer (1998),

    O resultado deste processo- a moderna unidade de produo, a fbrica

    necessariamente um fenmeno urbano. Ela exige, em sua proximidade, a

    presena de um grande nmero de trabalhadores. O seu grande volume de

    produo requer servios de infra-estrutura (transportes, armazenamento,

    energia, etc.), que constituem o cerne da moderna economia urbana

    (SINGER, 1998, p.23).

    A Revoluo consolidou o capitalismo e a indstria passou a disputar com o comrcio

    o posto de principal setor de acumulao de riquezas. Houve vrias consequncias sociais

    e transformaes devido ao desenvolvimento da indstria. O impulso no processo de

    urbanizao, devido concentrao da indstria e a grande massa de trabalhadores tambm

    foi efeito da Revoluo. Nesse perodo, a populao urbana aumentou significativamente.

    O problema habitacional ps- Revoluo Industrial

    As transformaes ocorridas na organizao social europia a partir do sculo XVII

    modificaram a concepo de tempo e espao. Isso se refletiu por todo o mundo e acabou

    desencadeando diversos processos sociais durante o perodo da Revoluo Industrial. Esses

    processos deram origem Modernidade. Esta, aliada grande expanso do capital, ao

    crescimento urbano e ao poder de acumulao capital empresarial, moldou uma sociedade de

    preocupaes, anseios, vises e manifestaes artsticas nunca vistas anteriormente (CRUZ;

    PDUA, 2010). Para Lefebvre (1991),

  • Geografia Ensino & Pesquisa, v. 17,

    n.2 p. 57 - 71, mai./ago. 2013

    Rubin, G.R.

    ISSN 2236-4994 I 59

    A industrializao caracteriza a cidade moderna. [...] ainda que a urbanizao

    e a problemtica do urbano figurem entre os efeitos induzidos e no entre

    as causas ou razes indutoras, as preocupaes que essas palavras indicam

    se acentuam de tal modo que se pode definir como sociedade urbana a

    realidade social que nasce a nossa volta (LEFEBVRE, 1991, p.3).

    de fundamental importncia a experincia urbana para a formao da dinmica cultural

    de diversos movimentos modernistas. A tendncia de prtica e pensamento foi moldada como

    reao profunda crise da organizao, do empobrecimento e da congesto urbana. Segundo

    Benevolo (2005),

    A arquitetura moderna a busca de um novo modelo de cidade, alternativo

    ao tradicional, e comea quando os artistas e os tcnicos chamados a

    colaborar com a gesto da cidade ps-liberal se tornam capazes de propor

    um novo mtodo de trabalho, libertado das anteriores divises institucionais

    (BENEVOLO, 2005, p. 615).

    As aes do Estado diante do problema da moradia, resultante das modificaes da

    sociedade industrial, das migraes e da destruio das habitaes decorrentes da Primeira

    Guerra, podem ser percebidas na ustria, Alemanha e URSS. Esses pases proporcionaram

    grande contribuio aos princpios e proposies elaboradas e expostas nos Congressos

    Internacionais de Arquitetura Moderna (CIAM), principalmente nas primeiras edies.

    Tambm tiveram grande influncia na experincia brasileira no campo da habitao social nas

    dcadas de 1930 a 1960.

    Os programas estatais da ustria, Alemanha e URSS foram consolidados entre os anos

    de 1920 e 1930 e tinham como objetivo solucionar o problema do dficit de moradias para os

    trabalhadores. Esses projetos tiveram grande importncia porque nenhuma administrao de

    pas capitalista tinha tratado da questo habitacional de maneira to ampla. Para Colin (1996),

    O construtivismo sovitico foi tambm de grande importncia. No fez,

    como Corbusier, uma leitura abstrata do Messaggio de SantElia. Ao

    contrrio, dela tirou indicaes concretas, recomendaes para se fazer a

    arquitetura do seu tempo: expor as mquinas, elevadores, antenas de rdio,

    elementos estruturais, e explorar ao mximo as possibilidades dos novos

    materiais e tcnicas, distendendo as estruturas at o seu limite. A sua ousadia,

    e o forte colorido ideolgico, melhor articulado que nos outros movimentos,

    vo ser a sua marca (COLIN, 1996, p.25).

    Movimento Moderno na Arquitetura e Urbanismo

    O Movimento Moderno surgiu a partir de mudanas ocorridas pelo mundo aps as

    diversas revolues e guerras que ocorreram ao longo do sculo XX. O Movimento trouxe

    ideias para amenizar a situao catica que se via por todo o mundo. Para Benevolo (1994),

    O movimento moderno compreende um grande nmero de contribuies

    individuais e coletivas, e no possvel fixar sua origem num s lugar ou

    num nico ambiente cultural. Aquilo que se pode constatar com segurana

    a coerncia dos diversos resultados que se tem a partir aproximadamente de

    1927, quando possvel determinar tambm uma linha comum de trabalho

    entre as pessoas e os grupos de diversas naes (BENEVOLO, 1994, p.

    403).

  • Geografia Ensino & Pesquisa, v. 17,

    n.2 p. 57 - 71, mai./ago. 2013

    Influncia do Modernismo na tentativa de soluo dos problemas gerados pela urbanizao

    60 I ISSN 2236-4994

    O Modernismo na Arquitetura e no Urbanismo surgiu como uma reao s novas

    condies de produo, circulao e consumo impostos pela Revoluo Industrial. No final

    do sculo XIX, o modernismo passa a ser um fenmeno urbano, a partir do crescimento

    explosivo das cidades, da migrao para centros urbanos, da industrializao, da reorganizao

    dos ambientes construdos e de movimentos urbanos de base poltica. As revolues de 1848 e

    1971 de Paris foram um exemplo claro desses movimentos. Houve a necessidade de enfrentar

    os problemas d