Movimento Juvenil (Novembro 2014)

Download Movimento Juvenil (Novembro 2014)

Post on 06-Apr-2016

214 views

Category:

Documents

2 download

DESCRIPTION

O Movimento Juvenil de Massam (MJM) formado por jovens crismados, cheios de alegria e vontade de crescer na f, no seio da nossa comunidade da Parquia de So Bento de Massam.

TRANSCRIPT

  • Nos passados dias 24 e 25 do ms de outubro, o MJM teve

    mais um fantsco rero, num lugar muito especial: a nossa

    Parquia! Durante dois dias pusemos de parte o conforto

    das nossas casas para estarmos em Comunho com Deus e

    com os outros, tendo sido este o tema do rero. Durante

    esse perodo, vemos o privilgio de contar com a presena

    do Padre Carlos, do seminrio dos Olivais, para nos ajudar a

    reer.

    O rero comeou com a formao de grupos, que

    veram de reer e parlhar tendo como ponto de parda

    as perguntas: Onde podemos encontrar a Comunho na

    nossa vida e no Mundo?, E a Descomunho? e Como

    podemos passar da segunda primeira?, propostas pelo

    sacerdote. Durante a parlha, o Padre Carlos ia-nos colocan-

    do questes e lendo passagens bblicas quando necessrio,

    de modo a interrogarmo-nos sobre a nossa relao com

    Deus. Assim, foi-nos possvel descobrirmos as arestas a

    limar nessa relao e o que podemos fazer para estarmos

    cada vez mais em comunho com Ele e com os outros.

    De seguida, realizmos uma avidade mais dinmi-

    ca, que ocupou o incio da madrugada de sbado, que envol-

    via muita cooperao e entreajuda, pelas ruas de Massam.

    Posteriormente, recolhemos ao local de repouso na par-

    quia para recarregar as energias e prepararmo-nos para o

    longo dia que nos esperava.

    Na manh seguinte, cada um dedicou-se s suas

    tarefas, entre elas dar catequese, parcipar na feira do livro,

    estando os restantes responsveis por animar as catequeses

    e criar um ambiente de comunho com a comunidade. Esta

    foi uma avidade bastante gracante, na medida em que

    pudemos dar um bocadinho de ns e senr que de uma for-

    ma ou de outra deixamos uma semente em cada uma da-

    quelas crianas, nomeadamente atravs da msica.

    Terminada esta avidade, dirigimo-nos a Lisboa de

    comboio, com almoo no Rossio e l se iniciou a nossa avi-

    dade da tarde, um peddy-paper paroquial, que nos levou a

    diversas igrejas de Lisboa, tais como a Igreja de S. Roque, de

    S. Domingos, de S. Nicolau. Em cada uma havia uma misso,

    Parquia So Bento Massam

    Novembro 2014 Bolem n 24

    O Movimento Juvenil de Massam

    formado por jovens crismados,

    cheios de alegria e vontade de cres-

    cer na f, no seio da nossa comuni-

    dade da Parquia de So Bento de

    Massam.

    www.facebook.com/movjm

    que nos levou a todos a reer sobre a Comunho, acabando

    esta nossa avidade na Baslica dos Mrres, onde fomos

    prendados com o momento alto da tarde, de Comunho com

    Cristo, a exposio do SanBssimo, na Capela, nesta mesma

    Baslica.

    Regressados nossa Parquia, demos por termina-

    do o rero com a Missa, outro momento de Comunho, em

    que todos juntos e mais unidos a Cristo, oramos com a co-

    munidade, pois todos l estvamos pelo mesmo movo, o

    nosso amor a Deus, a nossa f, que nos preenche e comple-

    ta, que fortalece a nossa relao com Ele e com os outros, f

    essa que demonstrada nas nossas aes, e que alcana o

    auge no momento em que dizemos Amm ao receber o

    Dom da Comunho na Eucarisa, aceitando, assim, o Desao

    que Ele nos prope.

    Diana Ribeiro e Tiago Carvalho

  • A tentao apresenta-se,

    frequentemente, sob forma

    de desculpas e queixas, co-

    mo se tivesse de haver in-

    meras condies para ser

    possvel a alegria. Habitual-

    mente isto acontece, porque

    a sociedade tcnica teve a

    possibilidade de multiplicar

    as ocasies de prazer; no en-

    tanto ela encontra dificulda-

    des grandes no engendrar

    tambm a alegria. Posso di-

    zer que as alegrias mais be-

    las e espontneas, que vi ao

    longo da minha vida, so as

    alegrias de pessoas muito

    pobres que tm pouco a que

    se agarrar. Recordo tambm

    a alegria genuna daqueles

    que, mesmo no meio de

    grandes compromissos pro-

    fissionais, souberam conser-

    var um corao crente, ge-

    neroso e simples. De vrias

    maneiras, estas alegrias be-

    bem na fonte do amor maior,

    que o de Deus, a ns mani-

    festado em Jesus Cristo. No

    me cansarei de repetir estas

    palavras de Bento XVI que

    nos levam ao centro do

    Evangelho: Ao incio do ser

    cristo, no h uma deciso

    tica ou uma grande ideia,

    mas o encontro com um

    acontecimento, com uma

    Pessoa que d vida um no-

    vo horizonte e, desta forma,

    o rumo decisivo.

    EXORTAO APOSTLICA EVANGELII GAUDIUM

    Papa Francisco, 2014

    Ora et Labora

    Noite de orao dos jovens para

    toda a comunidade:

    4 quarta-feira de cada ms.

    26 Novembro | 21h30 s 22h

    9 Novembro (domingo) - Encontro de todos os jovens com o Sr. Patri-

    arca D. Manuel Clemente (16h no salo paroquial da Amadora)

    Visita Pastoral com D. Nuno Brs: 18 a 23 Novembro

    20 Novembro (quinta-feira) - Reunio com o Bispo D. Nuno Brs:

    19h Guias e Escuteiros da Europa

    21h30 Jovens da parquia de Massam

    21 Novembro (sexta-feira) - 21h30 Reunio de pais (todos os anos da

    catequese) com D. Nuno Brs

    23 Novembro - Domingo da Solenidade do Cristo Rei

    Eucarisa 10h - Entrega dos diplomas da Primeira comunho

    Eucarisa 12h - Celebrao do Sacramento do Crisma

    Noite de Fados

    Venha ter uma noite picamente por-

    tuguesa com pescos e algumas vozes

    bonitas de Lisboa.

    Reservas no Cartrio.

    15 Novembro | 20h | 10 com jantar

    Sem deverias nem ses

    Os verdadeiros inimigos da nossa vida so os deverias e ses. So eles

    que nos puxam para um passado que no se pode modicar e para um futu-

    ro imprevisvel. Mas a vida real tem lugar aqui e agora. Deus um Deus do

    presente. Deus est presente neste momento, quer seja di:cil ou fcil, quer

    alegre ou triste.

    Quando Jesus falou de Deus, falou sempre de Deus presente onde ns esta-

    mos e quando l estamos. Quem Me v a Mim, v a Deus. Quem Me ouve

    a Mim, ouve a Deus. Deus no algum que foi ou que ser, mas Aquele-

    que-; e que para mim no momento presente. Eis por que Jesus veio para

    rar de ns o peso do passado. Ele quer que ns descubramos a Deus preci-

    samente onde estamos, aqui e agora.

    (Henry Nouwen, Aqui e Agora, Vida no Esprito, 1996)