Movimento Juvenil (Novembro 2012)

Download Movimento Juvenil (Novembro 2012)

Post on 31-Mar-2016

214 views

Category:

Documents

1 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

O Movimento Juvenil de Massam (MJM) formado por jovens crismados, cheios de alegria e vontade de crescer na f, no seio da nossa comunidade da Parquia de So Bento de Massam.

TRANSCRIPT

<ul><li><p> Inicia-se brevemente o Advento, o </p><p>perodo em que os cristos aguar-</p><p>dam o Natal, vivendo-o com sobrie-</p><p>dade e alegria. Aguarda-se o nasci-</p><p>mento de Jesus, reflecte-se interior-</p><p>mente e vive-se um arrependimento. </p><p> Os Domingos sero marcados pela </p><p>recordao, pela moderao e pelo </p><p>reconhecimento da presena de </p><p>Deus na nossa vida. Nestas quatro </p><p>semanas devemos nos esforar por </p><p>viver, de forma mais empenhada, </p><p>os valores e mensagens do Evan-</p><p>gelho, devemos testemunhar a </p><p>nossa f e a vida crist. </p><p> O Advento tempo de esperana, </p><p>espera-se a libertao dos pecados, da </p><p>misria e das fraquezas. Tentamos liber-</p><p>tar-nos do pecado para que possamos </p><p>entregarmo-nos converso total e </p><p>orao. </p><p> Durante a celebrao do advento os </p><p>paramentos litrgicos so de cor roxa, </p><p>bem como o vu que recobre o ambo, </p><p>a bolsa do corporal e o vu do clice, </p><p>como sinal de recolhimento e converso </p><p>em preparao para a festa do Natal. </p><p> A coroa do advento o smbolo mais </p><p>caracterstico, formada por quatro velas </p><p>roxas, uma fita vermelha e as bolas. As </p><p>Vamos nos preparar, Ele est a chegar! </p><p>Movimento Juvenil </p><p>Volume 6 </p><p>Novembro 2012 </p><p> P A R Q U I A S O B E N T O M A S S A M </p><p> A celebrao do So Martinho, </p><p>uma festa bem conhecida nos pases </p><p>da Europa. Faz parte desta altura do </p><p>ano, caracterstica pelos comes e </p><p>bebes das castanhas assadas e da </p><p>gua p, enquanto se v as rvores </p><p>cobrir o cho com um manto de fo-</p><p>lhas castanhas escurecidas pelo </p><p>tempo. Mas porque se celebra o So </p><p>Martinho? Muita gente nem sabe </p><p>porqu. </p><p> So Martinho de Tours (316-397) </p><p>nasceu na Pannia, actual Hungria, e </p><p> conhecido pelo famoso episdio </p><p>do manto. Muita gente desconhece </p><p>o final da lenda, quando Jesus lhe </p><p>apareceu em sonhos com o manto </p><p>que dera ao mendigo, agradecen-</p><p>do o gesto. Isto lembra-nos, quando </p><p>Jesus nos ensinava no meio das crian-</p><p>as: O que fizerdes a elas, estais a fa-</p><p>zer a mim mesmo. </p><p> Ao contrrio do que muitas pesso-</p><p>as pensam, este santo converteu-se </p><p>desde muito cedo, e exerceu apenas </p><p>a funo de soldado durante 3 anos, </p><p>porque se alistou no exrcito romano </p><p>contra a sua prpria vontade. Tornou-</p><p>se monge e no ano 360 edificou o pri-</p><p>meiro mosteiro da Europa ocidental. </p><p> Pelas suas aces de caridade e pelo </p><p>seu amor a Jesus, este santo humilde, </p><p>entregou-se completamente Igreja </p><p>e no ano 371 foi aclamado Bispo de </p><p>Tours. Hoje em dia um enorme sm-</p><p>bolo de fraternidade, s em Frana </p><p>So Martinho - A verdadeira Lenda </p><p>A primeira realidade chama-se Deus, a segunda, o homem. O cristianismo nasce de uma rela-o particular entre Deus e o homem. por isso que o cristianismo no s uma </p><p>religio de advento, mas o prprio Advento. Joo Paulo II </p><p>velas representam a luz como smbo-</p><p>lo da proximidade do Natal e repre-</p><p>sentam a nossa f e alegria; as velas </p><p>roxas so um convite purificao </p><p>para acolher Cristo. </p><p>Ana Gomes </p><p>existem mais de quatro mil igrejas </p><p>dedicadas a ele e o seu nome foi dado </p><p>a milhares de povoaes por toda a </p><p>Europa. </p><p> So Martinho tornou-se o primeiro </p><p>santo no mrtir a receber o culto </p><p>oficial da Igreja, sendo que a sua festa </p><p>litrgica se comemora no dia 11 de </p><p>Novembro. </p><p>Andr Graa </p></li><li><p>Tudo isto por vossa causa, </p><p>para que uma graa mais </p><p>abundante multiplique as aces </p><p>de graas de um maior nmero </p><p>de cristos para glria de Deus. </p><p>Por isso, no desanimamos. </p><p>Ainda que em ns o homem </p><p>exterior se v arruinando, </p><p>o homem interior vai-se </p><p>renovando de dia para dia. </p><p>Porque a ligeira aflio dum </p><p>momento prepara-nos, para alm </p><p>de toda e qualquer medida, </p><p>um peso eterno de glria. </p><p>No olhamos para as coisas </p><p>visveis, olhamos para as </p><p>invisveis: as coisas visveis so </p><p>passageiras, ao passo que as </p><p>invisveis so eternas. </p><p>2 Cor 4, 14 5, 1 </p><p>A procura da vocao </p><p> O Grupo de Jovens tem sido o </p><p>nosso destino de todas as sextas </p><p>noite neste ultimo ms e tem sido um </p><p>grande refgio ao stress da semana </p><p>e dos estudos. </p><p> Podemos confessar que ficamos </p><p>fascinados e com grandes esperan-</p><p>as desde o primeiro dia, com uma </p><p>ptima recepo por parte dos nos-</p><p>sos coordenadores, muito animada e </p><p>Enraizados no amor </p><p>de Cristo, cada vez </p><p>mais se torna urgente </p><p>e necessrio, ns os </p><p>jovens cristos sermos </p><p>um sinal de esperana </p><p>e de um amor num </p><p>mundo marcado pela </p><p>ausncia de valores e </p><p>ideais onde a impor-</p><p>tncia da f tende a </p><p>perder-se. </p><p>Muitos so os obstcu-</p><p>los e as barreiras que </p><p>necessitamos de ultra-</p><p>passar, por conseguin-</p><p>te a procura pela voca-</p><p>o no excepo, </p><p>deve ser vista como </p><p>uma caminhada na </p><p>f, na procura daquilo </p><p>que Deus reserva para </p><p>ns, pois sendo teste-</p><p>munhas do seu amor, </p><p>ao segui-lo devemos </p><p>deixar que Cristo seja </p><p>a luz em todos os nos-</p><p>sos projectos. </p><p>A vocao, seja ela </p><p>consagrada ou matri-</p><p>monial um dom que </p><p>s ser verdadeiro se </p><p>As coisas invisveis </p><p>A Igreja comea em ns - Testemunho do novo grupo de jovens </p><p>estivermos aliados a </p><p>Cristo, no entanto, </p><p>necessrio um cora-</p><p>o livre, desprendido </p><p>e entusiasmado para </p><p>irmos ao encontro da-</p><p>quele que morreu e </p><p>ressuscitou por ns </p><p>As incertezas e os me-</p><p>dos no devero ser </p><p>correntes que nos </p><p>prendam, mas que </p><p>sejam antes a coragem </p><p>que falta para nos dei-</p><p>xarmos aventurar </p><p>neste amor to nico, </p><p>divertida e sentimo-nos logo von-</p><p>tade com eles. Sem falar do reen-</p><p>contro que ns tivemos com os </p><p>nossos amigos depois de 3 meses </p><p>de grandes frias. </p><p> A partir dai tem estado cada vez </p><p>melhor a cada semana que passa, </p><p>ficamos com mais vontade de par-</p><p>ticipar na comunidade da igreja e </p><p>com cada actividade feita, </p><p>aumentamos a nossa f em Deus. </p><p> Em suma, pode se afirmar que </p><p>estamos satisfeitos com a forma co-</p><p>mo o grupo est unido e com a ma-</p><p>neira como as sesses esto a ser </p><p>feitas, esperando que continue assim </p><p>e mal podemos esperar para a pr-</p><p>xima Sexta! </p><p>Nelson Paulo, Nuno Pinto, </p><p>Tchipato Karimo </p><p>S em Jesus se encontra aquela unio de verdade e amor na qual se encontra o pleno </p><p>sentido da vida Papa Bento XVI </p><p>Passaram-se 20 anos </p><p>desde a abertura do </p><p>primeiro banco em </p><p>Lisboa, em 1992. Actu-</p><p>almente, so 19 os </p><p>bancos alimentares </p><p>em funcionamen-</p><p>to. Este trata-se de re-</p><p>colher e ter depsitos </p><p>de alimentos conse-</p><p>guidos por doao de </p><p>empresas e pessoas </p><p>individuais, para as </p><p>pessoas que mais pre-</p><p>cisam. Ns, jovens de </p><p>Massam, tentamos ao </p><p>mximo participar nes-</p><p>tas recolhas de alimen-</p><p>tos para o banco ali-</p><p>mentar. Posso desde j </p><p>dizer que uma expe-</p><p>rincia incrvel, por-</p><p>que o prazer de ajudar </p><p> to grande, que </p><p>simplesmente fantsti-</p><p>co. Todas as pessoas </p><p>que tiverem vontade </p><p>de ajudar nestas cam-</p><p>panhas, ajudem, do-</p><p>ando alimentos ou </p><p>participando como </p><p>voluntrios. Infeliz-</p><p>mente h cada vez </p><p>mais gente a precisar. </p><p>Sejam felizes ao aju-</p><p>dar o prximo! </p><p>Prxima campanha: </p><p>1 e 2 de Dezembro. </p><p>Beatriz Draque </p><p>Banco alimentar www.facebook.com/movjm </p><p>Parquia So Bento de Massam </p><p>O Movimento Juvenil de Massam (MJM) forma-</p><p>do por jovens crismados, cheios de alegria e von-</p><p>tade de crescer na f, no seio da nossa comunida-</p><p>de da Parquia de So Bento de Massam. </p><p>to verdadeiro, to significati-</p><p>vo e to certo! </p><p>A verdadeira riqueza, o verda-</p><p>deiro lucro e o verdadeiro pa-</p><p>raso esta no encontro do Dom </p><p>que Deus nos doou! </p><p> Natlia Sarmento </p></li></ul>