Movimento Juvenil (Novembro 2012)

Download Movimento Juvenil (Novembro 2012)

Post on 31-Mar-2016

214 views

Category:

Documents

1 download

DESCRIPTION

O Movimento Juvenil de Massam (MJM) formado por jovens crismados, cheios de alegria e vontade de crescer na f, no seio da nossa comunidade da Parquia de So Bento de Massam.

TRANSCRIPT

  • Inicia-se brevemente o Advento, o

    perodo em que os cristos aguar-

    dam o Natal, vivendo-o com sobrie-

    dade e alegria. Aguarda-se o nasci-

    mento de Jesus, reflecte-se interior-

    mente e vive-se um arrependimento.

    Os Domingos sero marcados pela

    recordao, pela moderao e pelo

    reconhecimento da presena de

    Deus na nossa vida. Nestas quatro

    semanas devemos nos esforar por

    viver, de forma mais empenhada,

    os valores e mensagens do Evan-

    gelho, devemos testemunhar a

    nossa f e a vida crist.

    O Advento tempo de esperana,

    espera-se a libertao dos pecados, da

    misria e das fraquezas. Tentamos liber-

    tar-nos do pecado para que possamos

    entregarmo-nos converso total e

    orao.

    Durante a celebrao do advento os

    paramentos litrgicos so de cor roxa,

    bem como o vu que recobre o ambo,

    a bolsa do corporal e o vu do clice,

    como sinal de recolhimento e converso

    em preparao para a festa do Natal.

    A coroa do advento o smbolo mais

    caracterstico, formada por quatro velas

    roxas, uma fita vermelha e as bolas. As

    Vamos nos preparar, Ele est a chegar!

    Movimento Juvenil

    Volume 6

    Novembro 2012

    P A R Q U I A S O B E N T O M A S S A M

    A celebrao do So Martinho,

    uma festa bem conhecida nos pases

    da Europa. Faz parte desta altura do

    ano, caracterstica pelos comes e

    bebes das castanhas assadas e da

    gua p, enquanto se v as rvores

    cobrir o cho com um manto de fo-

    lhas castanhas escurecidas pelo

    tempo. Mas porque se celebra o So

    Martinho? Muita gente nem sabe

    porqu.

    So Martinho de Tours (316-397)

    nasceu na Pannia, actual Hungria, e

    conhecido pelo famoso episdio

    do manto. Muita gente desconhece

    o final da lenda, quando Jesus lhe

    apareceu em sonhos com o manto

    que dera ao mendigo, agradecen-

    do o gesto. Isto lembra-nos, quando

    Jesus nos ensinava no meio das crian-

    as: O que fizerdes a elas, estais a fa-

    zer a mim mesmo.

    Ao contrrio do que muitas pesso-

    as pensam, este santo converteu-se

    desde muito cedo, e exerceu apenas

    a funo de soldado durante 3 anos,

    porque se alistou no exrcito romano

    contra a sua prpria vontade. Tornou-

    se monge e no ano 360 edificou o pri-

    meiro mosteiro da Europa ocidental.

    Pelas suas aces de caridade e pelo

    seu amor a Jesus, este santo humilde,

    entregou-se completamente Igreja

    e no ano 371 foi aclamado Bispo de

    Tours. Hoje em dia um enorme sm-

    bolo de fraternidade, s em Frana

    So Martinho - A verdadeira Lenda

    A primeira realidade chama-se Deus, a segunda, o homem. O cristianismo nasce de uma rela-o particular entre Deus e o homem. por isso que o cristianismo no s uma

    religio de advento, mas o prprio Advento. Joo Paulo II

    velas representam a luz como smbo-

    lo da proximidade do Natal e repre-

    sentam a nossa f e alegria; as velas

    roxas so um convite purificao

    para acolher Cristo.

    Ana Gomes

    existem mais de quatro mil igrejas

    dedicadas a ele e o seu nome foi dado

    a milhares de povoaes por toda a

    Europa.

    So Martinho tornou-se o primeiro

    santo no mrtir a receber o culto

    oficial da Igreja, sendo que a sua festa

    litrgica se comemora no dia 11 de

    Novembro.

    Andr Graa

  • Tudo isto por vossa causa,

    para que uma graa mais

    abundante multiplique as aces

    de graas de um maior nmero

    de cristos para glria de Deus.

    Por isso, no desanimamos.

    Ainda que em ns o homem

    exterior se v arruinando,

    o homem interior vai-se

    renovando de dia para dia.

    Porque a ligeira aflio dum

    momento prepara-nos, para alm

    de toda e qualquer medida,

    um peso eterno de glria.

    No olhamos para as coisas

    visveis, olhamos para as

    invisveis: as coisas visveis so

    passageiras, ao passo que as

    invisveis so eternas.

    2 Cor 4, 14 5, 1

    A procura da vocao

    O Grupo de Jovens tem sido o

    nosso destino de todas as sextas

    noite neste ultimo ms e tem sido um

    grande refgio ao stress da semana

    e dos estudos.

    Podemos confessar que ficamos

    fascinados e com grandes esperan-

    as desde o primeiro dia, com uma

    ptima recepo por parte dos nos-

    sos coordenadores, muito animada e

    Enraizados no amor

    de Cristo, cada vez

    mais se torna urgente

    e necessrio, ns os

    jovens cristos sermos

    um sinal de esperana

    e de um amor num

    mundo marcado pela

    ausncia de valores e

    ideais onde a impor-

    tncia da f tende a

    perder-se.

    Muitos so os obstcu-

    los e as barreiras que

    necessitamos de ultra-

    passar, por conseguin-

    te a procura pela voca-

    o no excepo,

    deve ser vista como

    uma caminhada na

    f, na procura daquilo

    que Deus reserva para

    ns, pois sendo teste-

    munhas do seu amor,

    ao segui-lo devemos

    deixar que Cristo seja

    a luz em todos os nos-

    sos projectos.

    A vocao, seja ela

    consagrada ou matri-

    monial um dom que

    s ser verdadeiro se

    As coisas invisveis

    A Igreja comea em ns - Testemunho do novo grupo de jovens

    estivermos aliados a

    Cristo, no entanto,

    necessrio um cora-

    o livre, desprendido

    e entusiasmado para

    irmos ao encontro da-

    quele que morreu e

    ressuscitou por ns

    As incertezas e os me-

    dos no devero ser

    correntes que nos

    prendam, mas que

    sejam antes a coragem

    que falta para nos dei-

    xarmos aventurar

    neste amor to nico,

    divertida e sentimo-nos logo von-

    tade com eles. Sem falar do reen-

    contro que ns tivemos com os

    nossos amigos depois de 3 meses

    de grandes frias.

    A partir dai tem estado cada vez

    melhor a cada semana que passa,

    ficamos com mais vontade de par-

    ticipar na comunidade da igreja e

    com cada actividade feita,

    aumentamos a nossa f em Deus.

    Em suma, pode se afirmar que

    estamos satisfeitos com a forma co-

    mo o grupo est unido e com a ma-

    neira como as sesses esto a ser

    feitas, esperando que continue assim

    e mal podemos esperar para a pr-

    xima Sexta!

    Nelson Paulo, Nuno Pinto,

    Tchipato Karimo

    S em Jesus se encontra aquela unio de verdade e amor na qual se encontra o pleno

    sentido da vida Papa Bento XVI

    Passaram-se 20 anos

    desde a abertura do

    primeiro banco em

    Lisboa, em 1992. Actu-

    almente, so 19 os

    bancos alimentares

    em funcionamen-

    to. Este trata-se de re-

    colher e ter depsitos

    de alimentos conse-

    guidos por doao de

    empresas e pessoas

    individuais, para as

    pessoas que mais pre-

    cisam. Ns, jovens de

    Massam, tentamos ao

    mximo participar nes-

    tas recolhas de alimen-

    tos para o banco ali-

    mentar. Posso desde j

    dizer que uma expe-

    rincia incrvel, por-

    que o prazer de ajudar

    to grande, que

    simplesmente fantsti-

    co. Todas as pessoas

    que tiverem vontade

    de ajudar nestas cam-

    panhas, ajudem, do-

    ando alimentos ou

    participando como

    voluntrios. Infeliz-

    mente h cada vez

    mais gente a precisar.

    Sejam felizes ao aju-

    dar o prximo!

    Prxima campanha:

    1 e 2 de Dezembro.

    Beatriz Draque

    Banco alimentar www.facebook.com/movjm

    Parquia So Bento de Massam

    O Movimento Juvenil de Massam (MJM) forma-

    do por jovens crismados, cheios de alegria e von-

    tade de crescer na f, no seio da nossa comunida-

    de da Parquia de So Bento de Massam.

    to verdadeiro, to significati-

    vo e to certo!

    A verdadeira riqueza, o verda-

    deiro lucro e o verdadeiro pa-

    raso esta no encontro do Dom

    que Deus nos doou!

    Natlia Sarmento