Movimento Juvenil (Abril 2012)

Download Movimento Juvenil (Abril 2012)

Post on 30-Mar-2016

213 views

Category:

Documents

1 download

DESCRIPTION

O Movimento Juvenil de Massam (MJM) formado por jovens crismados, cheios de alegria e vontade de crescer na f, no seio da nossa comunidade da Parquia de So Bento de Massam.

TRANSCRIPT

  • Smbolos da Pscoa

    Ressuscitou: No est aqui!

    (Mc 18,6)

    Vivemos neste Tempo

    Pascal o prolongamento

    da Ressurreio eterna

    de Cristo, pois sendo

    Ele perene, imortalizou

    o mistrio da Salvao,

    que se estende a todos

    ns, em todo o momen-

    to. Aquele que deu a

    maior prova de amor,

    uma entrega sem limi-

    tes, merece uma retri-

    buio maior da nossa

    parte. Partilhemos a

    alegria que este acto de

    amor nos d. Possamos

    ns jovens levar energi-

    camente por esse mun-

    do fora, a razo da nos-

    sa f, pois" se Cristo

    no tivesse ressuscita-

    do, ento a nossa pre-

    gao seria v, v tam-

    bm a nossa f..."

    (1 Co 15, 14-15).

    A missa um memorial,

    uma actualizao cons-

    tante da razo do ser

    Cristo, algo que nos d

    fora. Se por um lado

    durante quarenta dias

    procurmos preparar-

    nos para encontrar as

    razes da nossa alegria,

    por outro lado devemos

    espalhar a Boa Nova

    agora que vimos a luz

    vitoriosa de Cristo Res-

    suscitado.

    Andr Graa

    A Alegria de Cristo Ressuscitado!

    O Tempo da Pscoa est repleto de

    simbologia pois um perodo in-

    tenso e importante.

    Embora todos deva-

    mos conhecer o signi-

    ficado dos principais

    marcos do trduo pas-

    cal, talvez alguns este-

    jam um pouco esbati-

    dos na nossa memria.

    Po e Vinho em tempos eram ali-mentos habituais entre os povos. Ao

    instituir a Eucaristia (na ltima

    Ceia), Jesus Cristo faz uso destes

    dois alimentos, de forma a simboli-

    zar a sua presena entre aqueles

    que o celebram. O po e o vinho

    so a aliana eterna do Filho no

    meio daqueles que O amam.

    Cordeiro Jesus. O Cordeiro de Deus, que crucificado pelos nos-

    sos pecados, salvou todo o seu

    Povo e restituiu a vida a cada um

    de ns. Antigamente a celebrao

    era feita com pes sem fermento

    (zimos).

    leos Santos simbolizam a fora e energia que o Esprito Santo nos

    fornece na ultrapassagem do mo-

    mento do evangelho de Jesus Cris-

    to. Segue a analogia dos guerrei-

    ros da Antiguidade pois estes un-

    tavam-se com essncias que lhe

    conferiam foras para a luta.

    Crio Pascal uma grande vela que se acende na Viglia

    Pascal e significa que Cristo

    ressurgiu das trevas e ilumina

    o nosso caminho. No crio esto

    gravadas a primeira e ultima

    letras do alfabeto grego: alfa e

    mega, porque Deus princ-

    pio e fim. So tambm grava-

    dos os algarismos do ano em

    questo.

    Sinos representam a pscoa, pois no domingo pascal tocam

    festivamente para anunciar a

    celebrao da ressurreio de

    Jesus Cristo.

    Catarina Mendes

    Catarina Marques

    A 2 de Abril, a Igreja re-

    corda 7 anos do falecimen-

    to do Beato Joo Paulo II,

    iniciador e co-patrono das

    Jornadas Mundiais da Ju-

    ventude, o Papa que tocou

    o corao dos jovens!

    "Queridos jovens, s Jesus

    conhece vosso corao,

    vossos desejos mais profun-

    dos. S Ele, quem os amou

    at a morte, capaz de

    saciar vossas aspiraes.

    Suas palavras de vida eter-

    na, palavras que do senti-

    do vida. Ningum fora de

    Cristo poder dar-vos a

    verdadeira felicidade."

    Movimento Juvenil Volume 2

    Abril 2012

    P A R Q U I A S O B E N T O M A S S A M

  • Jornadas Diocesanas da Juventude

    www.facebook.com/movjm

    Parquia So Bento de Massam

    O Movimento Juvenil de

    Massam (MJM) formado

    por jovens crismados,

    cheios de alegria e vontade

    de crescer na f, no seio da

    nossa comunidade da Par-

    quia de So Bento de Mas-

    sam.

    Cristo razo da nossa Alegria!

    [A S cheia de jovens] um sinal bonito de esperana (D. Jos Policarpo) Tudo comeou bastante cedo, mas nem mesmo o cedo despertar nos inibiu de irmos com

    uma mente alegre e motivada, prontos para reviver um pouco do esprito das JMJ. Assistimos

    Missa de Ramos da nossa Parquia e rummos at Lisboa, encontrando-nos com os restan-

    tes jovens na Igreja do Sagrado Corao de Jesus. Enquanto espervamos pelo incio da pa-

    lestra sobre A f da Cincia e as Razes da F, foi nos proporcionada uma pequena animao

    musical pela Parquia da Agualva. Depois da palestra e de escutarmos alguns testemunhos

    cristos sobre a importncia da Alegria no Sofrimento, reunimo-nos com o Cardeal Patriarca

    na S de Lisboa, onde este finalizou o seu discurso afirmando que os jovens so capazes de

    tudo, at de ser santos. Saindo da S, enquanto nos dirigamos para o concerto de encerro

    no Largo de So Domingos, confrontmo-nos com uma nuvem negra que nos encharcou mas

    foi mais como uma bno!

    Foi um dia cheio de animao, convvio e muita alegria, e ainda deu para uma ou outra parti-

    da aos monitores. Ins e Patrcia Casimiro

    O Ftima Jovem trata-se de uma peregrinao nacional dos jovens a Ftima, esta anual, e como tal, 2012 no

    ser excepo. Este ano, o Ftima Jovem ir realizar-se nos dias 5 e 6 de Maio e tem como tema:

    Alegrai-vos sempre no Senhor Como j costume, este fim-de-semana, vai ser composto por vrios momentos de orao, concertos e muita

    diverso. Contudo ir haver uma novidade, este ano vai se realizar um peddy-paper que nos permitir conhecer

    ainda melhor o Santurio de Ftima.

    Em suma, espero que tenhas ficado curioso e que te venhas divertir connosco.

    Ftima espera-te! Sofia Monteiro

    A experincia de peregrinar

    uma forma diferente de parti-

    lhar e testemunhar a f, na

    qual samos da nossa zona de

    conforto e nos sujeitamos a

    sacrifcios e adversidades com

    os quais no estamos habitua-

    dos a lidar. Seja por devoo,

    promessa ou inteno, cami-

    nhamos todos juntos com o

    mesmo objectivo. Assim fica

    mais fcil a cada um carregar a

    sua Cruz.

    Foram 5 dias intensos nos

    quais senti, vivi e partilhei as

    alegrias e tristezas de cada

    peregrino. A fora e alento de

    Nossa Senhora de Ftima re-

    conforta-nos nas poucas horas

    de descanso que tnhamos

    entre etapas. No importa se

    chove, se faz frio, se temos

    sono ou fome. A f move-nos e

    vamos buscar foras onde

    julgamos no existirem. O

    sentimento de chegada ao

    Santurio de Ftima, alm de

    ser arrepiante de conforto e

    humildade perante a presena

    Peregrinao a p a Ftima 2012 - Testemunhos

    de Nossa Senhora.

    Esta peregrinao veio fincar a

    ideia de que cada vez mais te-

    mos que ser uma Igreja aberta.

    No sentido de que no nos deve-

    mos cingir apenas s nossas

    comunidades paroquiais. Somos

    todos Irmos e Filhos de Deus.

    Devemos dar testemunho desta

    alegria e apoiarmo-nos uns nos

    outros independentemente da

    distribuio geogrfica.

    Nesta vivncia como peregrino

    saboreei a alegria exaltante

    da existncia e da vida; a alegria

    do amor honesto e santificado;

    alegria pacificadora da natureza e

    do silncio; alegria, por vezes

    austera, do trabalho feito com

    diligncia; alegria e satisfao do

    dever cumprido; alegria transpa-

    rente da pureza, do servio e da

    compartilha; alegria exigente do

    sacrifcio , Gaudete in Domino,

    2011.

    Ricardo Silva

    O que aqui partilho um

    pouco da minha experincia

    enquanto peregrina ao San-

    turio de Ftima, sabendo no

    entanto, que impossvel

    expressar totalmente o que

    vivi e senti, por se tratar de

    momentos, partilhas e emo-

    es muito profundos.

    Nesta peregrinao foi-nos

    lanado como desafio o tema

    alegrai-vos sempre no Se-

    nhor e fomos chamados a

    trilhar a estrada da alegria

    literalmente. Pouco sabia

    sobre peregrinaes, con-

    cretamente s conhecia o

    meu destino: Ftima. Mas

    cedo percebi a diferena

    entre o peregrinar e uma

    simples caminhada, entre o

    viver cada passo em frente

    oferecendo-o a Cristo, muito

    mais do que percorrer um

    somatrio de quilmetros.

    Foram 5 dias vividos intensa-

    mente entre as oraes di-

    rias e viglias, os momentos

    de reflexo pessoal e de

    partilha, o rezar o Tero e cele-

    brar a Santa Eucaristia. E assim

    no meio de tantos encontros

    privilegiados com Nosso Se-

    nhor, percorri quase sem dar

    conta 150km.

    O meu corpo fervilha quando

    trago a mim o que senti ao

    chegar a Ftima, aquela adre-

    nalina esmagadora, que rapi-

    damente se converteu numa

    paz imensa que inundou o

    corao de todos os peregri-

    nos. No rosto marejado de

    lgrimas de cada um revi o

    mesmo que eu prpria sentia,

    o conforto de ter chegado

    casa da Me, a certeza do mes-

    mo sim que Maria deu multi-

    plicado por 104 peregrinos.

    Retornei a casa de esprito

    renovado, e com o corao

    repleto de uma alegria profun-

    da, pronto para acolher e viver

    plenamente este Trduo Pascal.

    Uma Santa Pscoa!

    Joana Figueiredo