motores scania de 11, 12 e 16 litros - descrição de funcionamento

Download Motores Scania de 11, 12 e 16 Litros - Descrição de Funcionamento

Post on 21-Dec-2015

62 views

Category:

Documents

6 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Manual de Instrução de Motores Scania

TRANSCRIPT

  • Scania CV AB 1999, Sweden

    01:03-01Edio 3 pb

    Motores de 11,12 e 16 litros

    Descrio de funcionamento

    1 711 131

    106

    351

    116

    756

  • 2 Scania CV AB 1999, Sweden

    ndiceGeneralidades Gases de combusto e escape............................3

    Bloco de cilindros ...........................................................................8Camisas de cilindro ...........................................9Ventilao do crter ...........................................10

    Mecanismo da vlvula ...........................................................................12

    Mecanismo da rvore de manivelas (cambota)

    ...........................................................................14

    Distribuio ...........................................................................19

    Acionamento do ventilador (ventoinha)

    ...........................................................................23

    Sistema de lubrificao ...........................................................................25

    Turbocompressor ...........................................................................32

    Transmisso por correia ...........................................................................37

    ndice

  • 0100f15q.mkr Scania CV AB 1999, Sweden 3

    Generalidades

    Esta descrio de funcionamento aplica-se ao novo motor DC11 de 11 litros, ou seja, o motor de 11 litros com 4 vlvulas/cilindros.

    Gases de combusto e escapeQuando o diesel faz combusto, so formados os gases de escape do diesel.

    Os constituintes dos gases de escape que so regulados pela lei so:

    xido de nitrognio, que venenoso e contribui para o nevoeiro fotoqumico e para o oznio ao nvel do solo e tambm para a eutrofizao e acidificao.

    Hidrocarbonetos, que fornecem aos gases de escape o seu cheiro caracterstico e contribuem para o nevoeiro fotoqumico e o oznio ao nvel do solo.

    Partculas, que so consideradas nocivas para a sade.

    Monxido de carbono, que um gs venenoso. O contedo do monxido de carbono bem pequeno em gases de escape de diesel, porque h um grande excesso de ar em um motor a diesel.

    Gases de combusto e escape

  • 4 Scania CV AB 1999, Sweden 0100f15q.mkr

    xido de nitrognio, NOxA atmosfera contm:

    80% de nitrognio e 20% de oxignio.

    N = nitrognioO2 = oxignioNO+NO2 = NOx = xidos de nitrognio

    N O2NO+

    + 2 NO

    115

    244

    Quando o ar sujeito a temperaturas altas, o nitrognio e o oxignio no ar reagem e xidos de nitrognio so formados. A fim de reduzir a descarga dos xidos de nitrognio, possvel:

    Abaixar a temperatura de combusto.

    Reduzir a quantidade de oxignio durante a combusto.

    A temperatura de combusto pode ser abaixada por:

    Refrigerao do ar de admisso.

    Injeo de gua. Recirculao de gases de escape.

    Tempo de injeo atrasado.A quantidade de oxignio na cmara de combusto pode ser reduzida por:

    Recirculao de gases de escape.

    Rotao de ar reduzida na cmara de combusto.

    Uma presso alta de injeo produz gotas de combustvel menores, o que fornece uma concentrao de oxignio maior em volta de cada gota, o que por sua vez leva produo elevada de xidos de nitrognio.

    A maioria dos mtodos para reduzir os xidos de nitrognio tambm reduz a eficincia do motor, que leva ao consumo elevado de combustvel, que por sua vez leva produo elevada de dixido de carbono.

    Gases de combusto e escape

  • 0100f15q.mkr Scania CV AB 1999, Sweden 5

    Hidrocarboretos, HCOs hidrocarboretos so detritos de combustvel e so o resultado de uma combusto incompleta. Os hidrocarboretos tambm tm substncias que fornecem aos gases de escape de diesel o seu cheiro caracterstico. A descarga de hidrocarboretos pode ser reduzida por:

    Temperatura elevada na cmara de combusto.

    Rotao de ar elevada na cmara de combusto.

    Maior quantidade de orifcios no bico injetor.

    Volume reduzido da cmara de presso no bico injetor.

    Presso de injeo elevada. Ps-tratamento cataltico.

    1 Agulha do bico injetor2 Orifcio do bico injetor3 Volume da cmara de presso4 Assento da agulha5 Combustvel

    1

    23

    4

    5

    115

    242

    Gases de combusto e escape

  • 6 Scania CV AB 1999, Sweden 0100f15q.mkr

    PartculasAs partculas contm fuligem e hidrocarboretos do combustvel, leo de lubrificao, cido sulfrico e da cinza. As partculas causam fumaa (fumo) e so formadas no caso de combusto incompleta, do leo na cmara de combusto e do enxofre no combustvel. A descarga de partculas pode ser reduzida por:

    Mais ar na cmara de combusto.

    Rotao de ar elevada na cmara de combusto.

    Presso de injeo mais alta, orifcios menores no bico injetor, o que significa temperaturas mais altas na cmara de combusto.

    Volume reduzido da cmara de presso no bico injetor.

    Quantidade menor de leo na cmara de combusto.

    Teor de enxofre inferior no combustvel.

    Com um filtro de partculas.

    1 Agulha do bico injetor2 Orifcio do bico injetor3 Volume da cmara de presso4 Assento da agulha5 Combustvel

    1

    23

    4

    5

    115

    242

    Gases de combusto e escape

  • 0100f15q.mkr Scania CV AB 1999, Sweden 7

    ConclusoAs medidas que podem ser tomadas para reduzir a produo de um constituinte nos gases de escape podem levar simultaneamente a um aumento em um outro constituinte.

    A tendncia hoje : Atrasar o sincronismo da injeo a fim de

    abaixar a temperatura de combusto, o que reduz a produo de xidos de nitrognio.

    A desvantagem que a eficincia do motor reduzida, o que leva ao consumo elevado de combustvel.

    A relao entre os xidos de nitrognio, NOx e hidrocarboretos, HC

    A = Sincronismo da injeo cedoB = Sincronismo da injeo tarde

    A B

    NOx

    HC

    115

    241

    E (g/kWh)

    NO HCx

    A relao entre os xidos de nitrognio, NOx e o consumo de combustvel

    1 = Sincronismo da injeo cedo2 = Sincronismo da injeo tardeA = Motor com um turbocompressorB = Motor com um turbocompressor e um

    radiador de ar de admisso

    NOx (g/Kwh)

    Fuelcomsumption

    A

    B

    1

    2

    115

    243

    Reduzir a quantidade de oxignio na combusto, o que reduz a produo de xidos de nitrognio.

    Aumentar presso de injeo, o que reduz a produo de partculas.

    Gases de combusto e escape

  • 8 Scania CV AB 1999, Sweden 0105f16q.mkr

    Bloco de cilindros

    FuncionamentoO bloco de cilindros fundido em um pedao e os cabeotes (cabeas) do cilindro so separados para cada cilindro. Os pistes funcionam em camisas de cilindro midas.

    Motores de 11 e 12 litros

    01_1

    403

    Motor de 16 litros

    115

    262

    Bloco de cilindros

  • 0105f16q.mkr Scania CV AB 1999, Sweden 9

    Camisas de cilindro

    FuncionamentoAs camisas do cilindro so substituveis. Uma junta de ao com vedaes vulcanizadas de borracha veda o espao entre a camisa e o cabeote (cabea) do cilindro. Uma junta separada para cada cilindro.

    A camisa de cilindro est posicionada um pouco acima do nvel do bloco de cilindros e empurra a junta em direo ao cabeote (cabea) do cilindro a fim de fornecer uma vedao.

    As vedaes vulcanizadas de borracha vedam os canais do lquido e do leo de lubrificao.

    100

    161

    A temperatura na e em volta da cmara de combusto extremamente alta. As camisas tm uma fixao baixa que possibilita a refrigerao at o cabeote (cabea) do cilindro. Isso reduz a temperatura dos anis de pisto, o que aumenta a vida til dos anis de pisto e da camisa do cilindro. A fixao baixa da camisa reduz o risco da camisa descer medida que a temperatura inferior reduz a tenso no material.

    0114

    10

    Camisa de cilindro

  • 10 Scania CV AB 1999, Sweden 0105f16q.mkr

    Ventilao do crter

    Motores de 11 e 12 litrosO crter ventilado atravs da tampa dianteira das vlvulas, que encaminha os gases do crter para baixo para um sistema de canais na tampa dianteira.

    Os gases do crter contm leo. O leo de lubrificao depositado contra as paredes dos canais, escorre para o fundo da carcaa (alojamento) dianteira e volta para o crter atravs de um orifcio na placa da tampa dianteira.

    importante que haja uma passagem livre pela ventilao do crter e que a entrada e a sada estejam livres de modo que o gs e o leo possam fluir livremente pela ventilao do crter. De outra forma, h um risco de o crter perder o leo de lubrificao atravs do turbocompressor.

    O crter tem um pequeno vcuo. O vcuo criado conectando-se a sada no crter ao lado de suco do turbocompressor.

    Para regular o vcuo no crter, h um diafragma que fecha a sada do crter ao turbocompressor se o turbocompressor criar um vcuo excessivo no seu lado de suco. Isso pode acontecer com uma atuao grande do acelerador.

    Apesar do separador de gua, normal para uma determinada quantidade de leo entrar no sistema de entrada do motor junto com os gases do crter. O leo nos gases do crter pode ser conservado como um filme fino de leo no sistema de ar de admisso.

    Ventilao do crter

    108

    912

    5 4 13

    2

    1 Entrada da tampa dianteira das vlvulas

    2 Abertura de sada para leo de lubrificao depositado

    3 Orifcio que fechado por um diafragma no caso de um vcuo excessivo no lado de suco do turbocompressor.

    4 Diafragma5 Sada para o lado de suco do

    turbocompressor

  • 0105f16q.mkr Scania CV AB 1999, Sweden 11

    Motor de 16 litrosO crter tem um pequeno vcuo. O vcuo criado conectando-se a sada na ventilao do crter ao lado de suco do turbocompressor.Os gases do crter so ventilados atravs da cmara da rvore de comando (veio de excntricos).Os gases do crter proven