Morfologia vegetal. Morfologia da raiz Raiz suporte ou escora: Aumentam a base de fixação da planta ao solo. Também comum nos mangues. Raízes respiratórias:

Download Morfologia vegetal. Morfologia da raiz Raiz suporte ou escora: Aumentam a base de fixação da planta ao solo. Também comum nos mangues. Raízes respiratórias:

Post on 07-Apr-2016

242 views

Category:

Documents

25 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

<ul><li><p>Morfologia vegetal</p></li><li><p>Morfologiada raiz</p></li><li><p>Morfologia da raizRaiz suporte ou escora: Aumentam a base de fixao da planta ao solo. Tambm comum nos mangues.Razes respiratrias: Adaptadas realizao de trocas gasosas com o ambiente. Encontradas em plantas que vivem em solo encharcado e pobre em oxignio (mangues).</p></li><li><p>Morfologia da raizRaiz adventcia: Tipo de raiz que emerge do caule e dos ramos acima do nvel do solo, servindo de suporte para a sustentao da planta. Observada em vegetais de mdio porte que se desenvolvem nos alagadios ou beira dos rios.Raiz Tabular: Razes secundrias que crescem muito em espessura, junto principal, atingindo a superfcie e ficando expostas ao ar. Encontradas principalmente em plantas de grande porte, funcionando como importantes auxiliares na fixao ao solo e atuando tambm como razes respiratrias </p></li><li><p>Morfologia da raizRazes sugadoras ou haustrios: desenvolvem-se em plantas parasitas. So muito finas e penetram o caule da hospedeira, atingindo os vasos liberianos dos quais retiram a seiva elaborada.Epfitas: plantas que vivem sobre hospedeiras mas no retiram seu alimento destas e, portanto, no so parasitas. Ex.: Filodendros, Orqudeas (possuem razes areas dotadas de uma camada esponjosa - velame - capaz de absorver umidade).</p></li><li><p>Morfologia da raiz"Mata-paus" ou razes estrangulantes: Muitas razes de epfitas pendem em direo ao solo, constituindo o que se costuma chamar de cip. Alguns cips enrolam-se no tronco da hospedeira que, ao crescer, fica fortemente comprimida, interrompendo a circulao da seiva.Razes de planta aqutica: Nessa planta no existem plos absorventes, apenas coifa e razes secundrias. Nas salvnias, pteridfitas aquticas, a funo das razes exercida por fololos modificados (ausncia de raiz).</p></li><li><p>Morfologia da raizRazes tuberosas: atuam como rgos especiais de reserva. Ex: cenoura e beterraba (raiz principal com funo de reserva), nabo, dlia, batata-doce (raiz secundria com funo de reserva).</p></li><li><p>Morfologia do cauleTronco: Caule espesso, aclorofilado, com ramificaes, tpico de vegetais de crescimento secundrio.Os estipes so geralmente cilndricos, sem ramificaes, com folhas apenas na ponta, como se observa nas palmeiras e coqueiros </p></li><li><p>Morfologia do cauleO colmo um caule cilndrico em que se observam nitidamente os ns e entrens formando gomos. o tipo de caule da cana-de-acar (gomos ou entrens cheios) e do bambu (gomos ocos).Haste: Caule areo delgado, verde e flexvel, como ocorre no feijoeiro </p></li><li><p>Morfologia do cauleCaule trepador: Volvel: O caule eleva-se do solo enrolando-se em qualquer suporte ereto.Sarmentoso: Apresenta as gavinhas para auxiliar na fixao. Gavinhas: So ramos modificados do caule que servem para a fixao de plantas trepadeiras. Ao encontrar um substrato adequado, as gavinhas crescem enrolando-se sobre ele.</p></li><li><p>Morfologia do cauleEstolho ou estolo: um tipo de caule que cresce paralelamente ao cho, produzindo gemas de espao em espao. Essas gemas podem formar razes e originar novas plantas. Ex.: Morangueiro </p></li><li><p>Morfologia do cauleCladdio: Nos cactos verificam-se modificaes relacionadas economia de gua. O caule torna-se achatado e verde, passando a ser o responsvel pela fotossntese. Caules assim modificados e com crescimento indefinido recebem o nome de claddios. Se o caule tem crescimento definido recebe o nome de filocldio.Barriguda: rvore de grande porte que apresenta um tronco volumoso em decorrncia do acmulo de gua.</p></li><li><p>Morfologia do cauleRizoma: Caule subterrneo que se desenvolve paralelamente, junto superfcie. Dele podem emergir folhas areas, como nas samambaias e bananeiras. Tubrculo: Caule subterrneo arredondado, rico em material nutritivo. Ex.: gengibre (A) e batatinha comum (batata-inglesa) (B). possvel observar a presena de gemas, popularmente conhecidas como "olhos", por meio das quais faz-se a distino entre raiz tuberosa e tubrculos, pois as razes so desprovidas de gemas.</p></li><li><p>Morfologia do cauleBulbo: O bulbo , a um s tempo, exemplo de caule e de folhas subterrneas. o caso da cebola, cujo bulbo possui uma parte central, o prato, que corresponde ao caule. No alho cada dente um pequeno bulbo. Da parte superior do prato partem folhas modificadas, muito ricas em substncias nutritivas: catfilos Xilopdios: Algumas plantas do cerrado apresentam rgos subterrneos chamados xilopdios, nos quais indistinta a transio entre caule e raiz. Nota-se nesses rgos a presena de gemas, a partir das quais as plantas podem "brotar" do solo, mesmo aps a passagem do fogo</p></li></ul>