monografia - tcc - gisleine alves

Download Monografia - Tcc - Gisleine Alves

Post on 29-Nov-2015

174 views

Category:

Documents

23 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • UNIVERSIDADE FUMEC ESPECIALIZAO EM ENGENHARIA DE SEGURANA DO

    TRABALHO

    Gisleine de Almeida Alves

    INFLUNCIA DA FREQUNCIA DAS ONDAS SONORAS NA PERDA AUDITIVA INDUZIDA POR RUDO OCUPACIONAL

    Belo Horizonte

    2013

  • Gisleine de Almeida Alves

    INFLUNCIA DA FREQUNCIA DAS ONDAS SONORAS NA PERDA AUDITIVA INDUZIDA POR RUDO OCUPACIONAL

    Monografia que apresentada Universidade FUMEC, como requisito para a obteno do Ttulo de Especialista em Engenharia de Segurana do Trabalho, sob a orientao do Prof. Airton Marinho

    Belo Horizonte 2013

  • Dedico esta monografia aos meus pais Geraldo e Divina, minhas irms Aline e Giane, minha princesa Maria Clara e todos da minha famlia que me deram muito

    apoio nos momentos mais difceis e alegres da minha vida, aos amigos de sala de aula que sempre colaboraram com o meu aprendizado, aos meus professores que me ensinaram que por mais que achamos que o nosso conhecimento j est bem

    profundo, estamos enganado pois o conhecimento algo que est sempre se renovando e aos profissionais do SESMT que buscam sempre a preservao do

    bem maior que a Vida.

  • AGRADECIMENTOS

    Agradeo a Deus pois sem ele eu no teria foras para essa longa jornada, agradeo

    ao meu professor orientador Airton Marinho que teve pacincia e que me ajudou

    bastante a concluir este trabalho, demais professores e aos meus colegas que me

    ajudaram na concluso da monografia.

  • Por vezes sentimos que aquilo que fazemos

    no seno uma gota de gua no mar. Mas o

    mar seria menor se lhe faltasse uma gota.

    Madre Teresa de Calcut

  • RESUMO

    No presente trabalho buscou-se estudar a influncia da frequncia das ondas sonoras sobre as perdas auditivas induzidas pelo rudo ocupacional - PAIRO. Para isso, foi realizado um estudo por meio de reviso bibliogrfica disponvel em meio eletrnico, onde identificou as principais variveis que influenciam o rudo e os efeitos diretos e indiretos gerados pela exposio a altos nveis de presso sonora que causam prejuzo ao homem, destacando a surdez ocupacional. O trabalho conta uma proposta de melhores prticas para realizar o Programa de Conservao Auditiva PCA. Contudo, foi possvel concluir que no existe uma relao direta entre a perda auditiva ocupacional a frequncia da onda sonora de rudo e sim o principal fator causador o nvel de intensidade emitido pelo rudo, mas ainda necessrio realizar mais estudo para determinar os problemas que pode causar ao trabalhador, e que o sucesso da implantao de um programa de conservao auditiva dependem a interao multidisciplinar.

    Palavras Chaves: Rudo, Perda auditiva induzida por rudo, Espectro do rudo.

  • LISTA DE FIGURAS

    Figura 1 - Faixa audvel de frequncia ...................................................................... 13

    Figura 2 - Sons graves e sons agudos ...................................................................... 13

    Figura 3 - Sons puros (1 e 2 caso) e som complexo (3 caso, somatrio dos dois

    sons puros) e os seus respectivos espectros ............................................................ 14

    Figura 4 - Espectro sonoro em dB(A) da CHC .......................................................... 15

    Figura 5 - Espectro sonoro em bandas de oitava da Cisalha Rotativa ...................... 15

    Figura 6 - Esquema da formao da escala em decibel ........................................... 17

    Figura 7 - Comparao da presso sonora absoluta, decibel e atividades humanas 18

    Figura 8 - Tipos de Rudo nos ambientes ocupacionais ............................................ 21

    Figura 9 - Efeitos do rudo excessivo no organismo .................................................. 26

    Figura 10 - rgo de Corti......................................................................................... 28

    Figura 11 - Fluxograma para diagnosticar a PAIR .................................................... 30

    Figura 12 Representao grfica adaptada da porcentagem de Sinais e Sintomas

    da PAIRO .................................................................................................................. 32

    Figura 13 - Protetor auricular tipo concha ................................................................. 41

    Figura 14 - Protetores auriculares tipo insero ........................................................ 42

  • LISTA DE SIGLAS

    dB Decibel

    CIPA Comisso Interna de Preveno de Acidentes

    EPI Equipamento de Proteo Individual

    FUNDACENTRO

    Fundao Jorge Duprat Figueiredo de Segurana e Medicina do Trabalho

    Hz Hertz

    Leq Nvel Equivalente

    LT Limite de Tolerncia

    MPL Mudana Permanente do Limiar

    MTE Ministrio do Trabalho e Emprego

    MTL Mudana Temporria do Limiar

    NHO Norma de Higiene Ocupacional (emitida pela Fundacentro)

    NR Norma Regulamentadora

    NPS Nvel de Presso Sonora

    OIT Organizao Internacional do Trabalho

    PAIR Perda Auditiva Induzida por Rudo

    PAIRO Perda Auditiva Induzida por Rudo Ocupacional

    PCA Programa de Conservao Auditiva

    PCMSO Programa de Controle Mdico de Sade Ocupacional

    PPRA Programa de Preveno a Riscos Ambientais

    RBF Rudo de baixa Frequncia

    SESMT Servios Especializados em Engenharia de Segurana e em Medicina do Trabalho

    SIL Sound Intesity Level

  • SUMRIO

    1 INTRODUO ................................................................................................... 10

    2 RUDO ................................................................................................................ 12

    2.1 Frequncia ...................................................................................................... 12 2.2 Intensidade ..................................................................................................... 15 2.3 Timbre ............................................................................................................ 18 2.4 Nvel Sonoro Equivalente do Rudo ................................................................ 19 2.5 Tipos de Rudos ............................................................................................. 20 2.6 Rudo Industrial .............................................................................................. 23

    3 EFEITOS NOCIVOS DO RUDO ....................................................................... 25

    4 PERDA AUDITIVA INDUZIDA POR RUDO OCUPACIONAL - PAIRO ........... 27

    5 OS EFEITOS PREJUDICIAIS AO HOMEM DA FREQUNCIA DAS ONDAS SONORAS DE RUDO .............................................................................................. 34

    5.1 Influncia da Frequncia das Ondas Sonoras na PAIRO ............................... 35

    6 PROGRAMA DE CONSERVAO AUDITIVA - PCA ...................................... 38

    6.1 Avaliao do ambiente ................................................................................... 38 6.2 Implantao de medidas de Controle ............................................................. 39 6.3 Benefcios da implantao do PCA ................................................................ 42

    7 CONCLUSES E RECOMENDAES ............................................................ 43

    REFERNCIAS ......................................................................................................... 44

  • 10

    1 INTRODUO

    O Rudo extremamente prejudicial sade, sendo acentuado em grande parte dos

    ambientes de trabalho. Dentre os trabalhadores expostos ao rudo estima-se que 25%

    da populao tem algum grau de perda auditiva induzida pelo rudo, segundo

    Bergstrm; Nystrm, (1986), Carnicelli (1988), Morata (1990), Prspero (1999) citados

    pelo Ministrio da Sade (BRASIL, 2006, p. 15)1.

    A perda auditiva induzida por rudo ocupacional (PAIRO) tem quatro fatores que a

    influenciam, nvel de presso sonora (NPS), tempo de exposio, frequncia do rudo

    e susceptividade individual, conforme Arajo (2008, p. 24).

    Neste trabalho busca-se estudar a influncia da frequncia das ondas sonoras sobre

    as perdas auditivas induzidas pelo rudo ocupacional nos trabalhadores. Atravs dos

    seguintes objetivos especficos:

    Descrever a perda auditiva ocupacional e os fatores que a determinam.

    Discutir as evidncias encontradas sobre a influncia do espectro do rudo

    sobre as caractersticas das perdas auditivas ocupacionais.

    Identificar processos industriais em que o rudo seja composto por frequncias

    especialmente nocivas aos trabalhadores.

    Propor medidas de controle para o Programa de Conservao Auditiva (PCA).

    Na Indstria temos uma variedade de fontes de rudos gerado por diversas mquinas

    e equipamentos. Cada equipamento gera rudos em faixas diferentes de frequncias,

    1 BERGSTRM, B.; NYSTRM, B. Development of hearing loss during long-term exposure to occupational noise. Scand. Audiol., [S.I], v. 15, p.227-234, 1986. CARNICELLI, M. V. F. Audiologia preventiva voltada sade do trabalhador: organizao e desenvolvimento de um programa audiolgico numa indstria txtil da cidade So Paulo. 1988. Dissertao (Mestrado) Pontifcia Universidade Catlica, So Paulo, 1988. MORATA, T. C. An epidemiological study of the effects of exposure to noise and organic solvents on workers hearing and balance. 1990. Dissertao (Doutorado) University of Cincinnati, Cincinnati, 1990. PRSPERO, A. C. Estudo dos efeitos do rudo em servidores do Centro Tcnico Aeroespacial. 1999. Dissertao (Mestrado) - Pontifcia Universidade Catli