monografia - direito tributário - direito tributário penal e direito penal tributário(1)

Download Monografia - Direito Tributário - Direito Tributário Penal E Direito Penal Tributário(1)

Post on 26-Oct-2015

51 views

Category:

Documents

1 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

CAPTULO 1- INFRAES TRIBUTRIAS

PAGE 14

INTRODUO

Tm-se, primeiramente, como objetivo do presente trabalho, a distino entre o Direito Tributrio Penal e o Direito Penal Tributrio, que so estatudos pela legislao de forma a diferenciar as infraes dos crimes tributrios em que incorrem o sujeito passivo, ou seja, o contribuinte ou o responsvel, em decorrncia de violao s leis de carter administrativo, assim como das medidas de carter judicial, as de enfoque penal, para a devida reparao dos danos causados Fazenda Pblica em cada caso.

Buscando abordar o referido tema, que adquire maior importncia na medida em que se pretende verificar isoladamente os limites que diferenciam as infraes dos crimes tributrios, examinaremos os ilcitos tributrios, considerando a distino entre as infraes previstas em leis administrativas, e por isso, sujeitas apreciao de rgos administrativos fiscais e outros ilcitos que alm de configurarem como infraes fiscais ou tributrias, incidem nas normas de natureza penal, provocando, ao mesmo tempo, a atuao do rgo administrativo fiscal e do rgo judicirio, os chamados crimes fiscais.

A atual importncia e utilizao prtica destas questes relativas responsabilidade dos detentores do poder de conduo e administrao das obrigaes e punies relativas ao no pagamento dos tributos na sociedade como um todo, justifica a adoo, escolha e delimitao do referido tema como objeto de um estudo monogrfico.

No contexto social, poltico e econmico em que se encontra nosso pas, no rara a utilizao de meios disformes com o direito, objetivando-se a satisfao de interesses pessoais ou polticos, lesando-se a sociedade e os mercados nacionais e internacionais, inclusive, isoladamente considerados.

Necessria se faz uma maior proteo dos interesses e direitos das partes que no so detentoras dos poderes de elaborao, conduo e gesto do bem comum. A ordem jurdica tem o dever e a obrigao de aperfeioar-se de modo que no se torne distante das questes fticas apresentadas pelas constantes evolues sociais.

Busca-se uma viso sistematizadora e interdisciplinar dos aspectos principais que fazem parte do tema, entretanto passa-se bem longe de uma viso exaustiva e completa sobre o assunto, o qual certamente ser objeto de grandes debates doutrinrios, jurisprudenciais e at legislativos, em um futuro no muito distante, para que a sim tenhamos uma slida e possvel realizao das obrigaes tributrias e das finalidades da tributao, tanto pelos contribuintes como pelo Estado, para que ambos estejam aptos a serem suficientemente ntegros e coerentes promoo e satisfao dos interesses sociais, econmicos e polticos, fortalecendo o mercado, o governo e, consequentemente, ganhando um alto grau de confiabilidade e segurana jurdica em nosso pas.

O presente trabalho pretende, tambm, enumerar os casos de extino de punibilidade, englobando, mesmo que superficialmente, os casos que ocorrem antes e depois da sentena, como a morte do agente, a graa ou indulto, a anistia, a prescrio e a retroatividade da lei mais benigna, pois essas situaes tm inteira aplicao na esfera dos crimes tributrios.

Ficam excludas deste estudo monogrfico as questes pertinentes discusso mais profunda sobre cada infrao e cada crime tributrio, por no inserirem-se dentro da linha buscada por este trabalho, uma vez que abordam aspectos distintos dos aqui apresentados.

CAPTULO 1

DIREITO TRIBUTRIO PENAL E DIREITO PENAL TRIBUTRIO

Existe uma clara distino, na doutrina tributria, para as infraes punidas pelo Direito Tributrio daquelas sancionadas pelo Direito Penal, por isso, costuma-se falar em Direito Tributrio Penal e em Direito Penal Tributrio. O primeiro seriam todas as infraes tributrias derivadas do descumprimento de obrigaes tributrias principais ou acessrias, ou seja, todas as condutas comissivas ou omissivas, que afrontem as normas tributrias de natureza substantiva ou formal, que deparam-se com sanes de natureza administrativa, so as infraes legislao tributria, que compreendem as leis, os tratados e as convenes internacionais, os decretos e as normas complementares, que versem, no todo ou em parte, sobre tributos e relaes jurdicas a eles pertinentes , nos termos do art. 96 do CTN.

As obrigaes acessrias, que so aquelas que tm por objeto prestaes positivas ou negativas, institudas pelo interesse da fiscalizao e arrecadao tributria, so decorrentes do prprio Cdigo Tributrio Nacional, por isso, podem ser institudas por decretos, ou outros atos normativos de menor hierarquia. Essas infraes encontram-se espalhadas nas legislaes fiscais das trs esferas impositivas cominando sanes de natureza administrativa tais como: penas pecunirias, apreenses , perda de mercadorias, sujeio do contribuinte ao sistema especial de fiscalizao e interdies, estas ltimas so privativas do fisco federal, e representam sanes polticas contra devedores negligentes.

J o Direito Penal Tributrio, mais rigoroso e exige a expedio de uma lei configurando o crime e cominando a pena. Inicialmente, esses crimes tributrios eram apenas os definidos no Cdigo Penal como, por exemplo, a falsificao de papis pblicos (art. 293), o contrabando ou descaminho e o excesso de exao (arts. 334 e 316, 1, respectivamente) etc. Posteriormente, surgiram outras figuras criminais que foram transplantadas para o Direito Penal Tributrio.

A lei n 4.357/64, em seu art. 11, incluiu a apropriao indbita entre os fatos constitutivos do crime, definido no art. 168 do CP, o no recolhimento, no prazo de 90 dias a contar do trmino dos prazos legais e, entre outras, o imposto sobre a renda retidas na fonte e do imposto de consumo indevidamente creditado nos livros de registro de matrias primas. O primeiro diploma legal estatuindo especificamente o crime tributrio surgiu com o advento da Lei n 4.729/65, que definiu o crime de sonegao fiscal. Hoje, existe a Lei n 8.137/90, que define os crimes contra a ordem tributria, da qual falaremos mais adiante.

Existe, ainda um outro critrio para classificar-se as infraes tributrias, consoante participao subjetiva do agente na descrio hipottica da norma. Assim, teremos as infraes subjetivas e objetivas. As primeiras so aquelas que, para configurarem o delito descrito pela lei, o autor do ilcito teria que operar com dolo ou culpa.

o caso, por exemplo, do contribuinte do imposto sobre a renda que, ao prestar sua declarao de rendimentos, omite, propositadamente algumas receitas, com o objetivo de recolher quantia menor do que a devida.

As infraes objetivas, por sua vez, so aquelas em que o resultado independe da vontade do infrator, as conseqncias do ilcito previsto na norma, ocorrem mesmo sem a inteno do agente. Sendo irrelevante o nimo do devedor, no realizando o recolhimento at o limite final do prazo, incorrer ele em juros de mora e multa de mora.

Situao tpica a do no- pagamento de determinada quantia, a ttulo de imposto predial e territorial urbano, nos prazos fixados na notificao de lanamento.

Diante do exposto, podemos concluir, ento, que as infraes subjetivas, ou seja, aquelas em que h dolo ou culpa so consideradas como crimes tributrios e as infraes objetivas, aquelas que no dependem da inteno do agente, so consideradas infraes tributrias, delimitadas pelas normas administrativas.

1.1. ILCITOS TRIBUTRIOS

Ilcito tributrio no somente as infraes formais como tambm os crimes contra o tesouro pblico. Certos ilcitos tributrios acham-se previstos em leis administrativas fiscais e se submetem apreciao dos rgos administrativos fiscais de julgamento, ainda que possam ser levados esfera judiciria, conforme previsto no art. 5 XXXV, da Constituio Federal de 1988.

Outros ilcitos, configuram-se como infraes fiscais, e esto sujeitos portanto a julgamento pelos rgos administrativos, mas inserem-se tambm no campo do Direito Penal e, por isso se submetem apreciao do Poder judicirio. So os crimes tributrios, que sero julgados e apreciados exclusivamente pelos rgos judicirios.

As denominadas infraes fiscais surgem em face do descumprimento do objeto das obrigaes tributrias principais ou acessrias, e a cominao de penalidades para essas aes ou omisses devem estar previstas na prpria lei tributria ( CTN, art. 97,V).

Em suma, so claramente identificveis dois sistemas legais sancionatrios em que o Estado atua: um criminal, implementado segundo o direito penal, mediante o processo penal, no juzo criminal; e outro administrativo, aplicado segundo regras do direito administrativo, no procedimento administrativo, pelas autoridades administrativas. Havendo interesse determinadamente jurdico, pode, eventualmente, estar tutelado por ambos. As sanes administrativas, porm, esto sujeitas ao controle de legalidade a que esto submetidos os atos administrativos em geral, de modo que o administrado, pode no concordar com o castigo que lhe foi imposto, levando-o contrasteao judicial, no no processo penal, mas no processo civil.

1.2. AS INFRAES FISCAIS NO CDIGO TRIBUTRIO NACIONAL

Infrao fiscal sinnimo de ilcito tributrio, que significa ato contrrio lei relacionado com a obrigao tributria principal ou acessria. espcie do gnero infrao, que a violao de uma norma jurdica, o descumprimento de uma norma de conduta imposta.

Existem infraes que so de natureza exclusivamente administrativa fiscal, sujeitas apreciao dos rgos administrativos fiscais.

Por exemplo, um contribuinte do ISS classifica determinado servio prestado em certo item de servio, de forma errnea, aplicando uma alquota menor. Constatando o fato pelo agente fiscal, lavrado o auto de infrao em que exigido o pagamento da diferena do imposto com a imposio de multa, que representa mera sano de natureza administrativa fiscal.

As obrigaes tributrias supem a possibilidade de descumprimento. Como qualquer outra norma de conduta

Recommended

View more >