mongrafia de gestã escolar - ?· régias do marquês de pombal ... a ldb de 1961; a das reformas...

Download Mongrafia de Gestã Escolar - ?· Régias do Marquês de Pombal ... a LDB de 1961; a das Reformas do…

Post on 10-Dec-2018

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

ASSOCIAO JUINENSE DE ENSINO SUPERIOR DO VALE DO JURUENA

INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAO DO VALE DO JURUENA ISE

CURSO: ESPECIALIZAO EM GESTO, SUPERVISO E ORIENTAO

ESCOLAR

9.5

GESTO DEMCRTICA E SEU PAPEL DE DEMOCRACIA NA VISO DA

COMUNIDADE ESCOLAR DA ESCOLA ESTADUAL OSCAR SOARES

EINI FERREIRA DA SILVA

aspedag.juara@bol.com.br

Orientador: PROF. ILSO FERNANDES DO CARMO

JUARA/2007

mailto:aspedag.juara@bol.com.br

ASSOCIAO JUINENSE DE ENSINO SUPERIOR DO VALE DO JURUENA

INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAO DO VALE DO JURUENA ISE

CURSO: ESPECIALIZAO EM GESTO, SUPERVISO E ORIENTAO

ESCOLAR

GESTO DEMCRTICA E SEU PAPEL DE DEMOCRACIA NA VISO DA

COMUNIDADE ESCOLAR DA ESCOLA ESTADUAL OSCAR SOARES

EINI FERREIRA DA SILVA

Orientador: PROF. ILSO FERNANDES DO CARMO

Trabalho apresentado como exigncia parcial para a obteno do ttulo de Especializao em Gesto Escolar

JUARA/2007

- Agradeo a Deus Supremo

- A minha Me que me deu foras e esteve a meu lado

- Aos mestres pelo conhecimento transmitido

Dedico este trabalho aos meus pais que me deram foras para chegar at o fim do

curso

O papel de Joo est vivo em minhas mos! Prometo Joo que tua vida no est vazia. Prometo Maria, que ser feliz um dia. E com o maior cuidado e com a maior ateno, carimbo o papel de Joo, e assino o papel de Maria, eles nunca sabero que seu destino esteve em minhas mos. (Mrcia Holzmann)

ASSOCIAO JUINENSE DE ENSINO SUPERIOR DO VALE DO JURUENA

AJES

INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAO DO VALE DO JURUENA - ISE

CURSO: ESPECIALIZAO EM GESTO ESCOLAR

BANCA EXAMINADORA

_______________________________________________

___________________________________________________

________________________________________________

ORIENTADOR: ILSO FERNANDES DO CARMO.

RESUMO

Este trabalho baseado em estudos feitos de fontes bibliogrficas e

questionrio baseado no conceito das leis que determinam a maneira como se deve

aplicar a educao neste pas.

O eixo da pesquisa partiu das bases tericas conceituais das

legislaes educacionais desde os primrdios do descobrimento do Brasil, uma vez

que nossos governantes nunca deram nfase a Educao Brasileira.

Neste parmetro, buscou-se compreender o desenvolvimento

educacional a cada poca mediante a Lei promulgada em cada constituio e o

engajamento traado pelos intelectuais voluntrios que com afinco lutaram para

defender uma boa educao para o povo brasileiro.

Mediante os estudos das Leis percebe-se que ao longo dos

quinhentos anos de educao brasileira os avanos tambm duraram quinhentos

anos, tendo em vista as lutas dos intelectuais para escolarizar o povo brasileiro e o

descaso da populao abastada em contribuir para que tal educao acontea

alegando o motivo da necessidade de mo de obra analfabeta sem cultura,

conhecimento e de certa forma muito barata.

Com o passar dos tempos com a chegada da modernizao,

acompanhada da globalizao, percebe-se que a necessidade de se descentralizar

a educao a maneira bsica para fazer com que o novo modelo de

gerenciamento se introduza nas escolas dando autonomia a elas atravs da Lei de

gesto democrtica, apenas h dezenove anos atravs na promulgao da

constituio Federal de um mil novecentos e oitenta e oito, havendo um perodo de

tempo para os estados se organizarem diante da Lei Federal traando o perfil de

autonomia a nvel estadual a fim de coordenar as questes democrtica nas

escolas pblicas, visto que pelo fato das questes educacionais andarem

lentamente a comunidade escolar pouco entende sobre a democracia na escola

pblica uma vs que so repassados os parmetros da lei nos perodos de eleio

para diretor , perodo esse que compadece na escola menos de cinqenta por cento

dos pais causando desse modo o motivo pelo qual a comunidade no compreende

a democracia na escola.

Pretendo com este trabalho contribuir para uma reflexo crtica sobre o

conceito de democracia e autonomia da escola, bem como a facilidade e

dificuldades que o gestor encontra mediante o novo sistema de gerenciamento

educacional concedido a escola pblica.

SUMRIO

INTRODUO 10

CAPTULO I

1 . PROCESSO HISTRICO DA ESCOLA AO LONGO DO TEMPO QUANTO AS

LEIS E O SISTEMA QUE A NORTEARAM. 12

1 . 2 O SISTEMA EDUCACIONAL BRASILEIRO NO PERDO REPUBLICANO 15

1 . 3 AS LEIS QUE REGERAM A EDUCAO APS 1964 19

CAPTULO II

2 GESTO DEMOCRTICA NA ESCOLA PBLICA INCIO DOS DEBATES 21

2. 1 GESTO DEMOCRTICA EM MATO GROSSO 23

2 . 2 AUTONOMIA DE GESTO PARA A ESCLA PBLICA 24

2.3 CONTRIBUIO PEDAGGICA ATRAVS DA GESTO DEMOCRTICA__ 25

2 . 4 O PROJETO POLTICO PEDAGGICO 28

CAPTULO III

3 IDENTIFICAO DA UNIDADE ESCOLAR 32

3. 1 IDENTIFICAO DA CLIENTELA 34

3 . 3 O PAPEL DE DEMOCRACIA DA ESCOLA ESTADUAL OSCAR SOARES _35

CONSIDERAES FINAIS 40

REFERNCIAS BIBLIOGRFICAS 42

ANEXOS 44

09

INTRODUO

Quando se fala em gesto democrtica, o tema no especifica o

trabalho individual, e sim o conjunto de vrias aes que a escola vai

desenvolvendo, procurando proporcionar comunidade, maiores benefcios scio-

culturais com cada profissional da rea, atuando de forma especfica, democrtica,

modernizando a sua ao pedaggica.

Compreendo que gesto democrtica um longo processo construdo

que se pratica a cada dia sendo uma conquista de todos onde todos participam no

intuito de que seus direitos sejam respeitados e com o firme propsito de respeitar

os direitos dos outros.

No primeiro captulo apresento as leis que regeram a educao pblica

ao longo do tempo diante do exposto das mesmas percebi que nossos governantes

sempre reprimiram o modo educacional brasileiro, sem dar nfase deixada a

populao analfabeta e sem o devido conhecimento, dessa forma a educao

brasileira ficou estagnada e nos primrdios do desenvolvimento econmico brasileiro

apenas os ricos tinham acesso a ela, ficando a populao semi-analfabeta para

servir como mo de obra barata nos campos cafeeiros e no progresso industrial que

logo aps se despontou nas grande metrpoles.

Percebe-se que sempre a educao sempre foi pautada de uma lei,

porm o interesse de educar os nossos governantes nunca tiveram, ficando a

prioridade educacional a alguns poucos intelectuais que lutavam em prol do

estabelecimento de um sistema educacional que viesse abranger as massas a fim

de escolarizar o povo brasileiro que frente a luta sempre achavam a resistncia por

parte do governo que reprimia os ideais e acatava apenas o que fosse do interesse

governamental deixando os avanos sempre estagnado sem o devido

desenvolvimento que era necessrio para estabelecer uma educao de qualidade e

para todos.

No segundo captulo trabalho sobre o incio dos debates sobre gesto

democrtica no Brasil e Mato Grosso.

No terceiro captulo apresento a sistematizao dos dados coletados,

perfil da escola pesquisada sendo feita na comunidade escolar da Escola estadual

Oscar Soares que mostra o entendimento que a comunidade, todos os segmentos

tem sobre o papel de democracia na escola da qual faz parte, bem como as

facilidades e dificuldades que o Gestor encontra para gerenciar a escola mediante

ao novo modelo de outonomia concedido a escola.

11

1 . PROCESSO HISTRICO DA ESCOLA AO LONGO DO TEMPO QUANTO AS

LEIS E O SISTEMA QUE A NORTEARAM.

Poltica Educacional o conjunto de intenes e aes com os quais os Poderes Pblicos respondem s necessidades de escolarizao dos diversos grupos da sociedade.

O Brasil j teve em 500 anos diversas polticas educacionais: a de concesso da educao oficial aos jesutas (1549-1758); a das Aulas Rgias do Marqus de Pombal (1772-1822); a poltica imperial de Pedro I (Lei da Educao de 15-10-1827) e a do Ato Adicional a Constituio do Imprio, em 1834, que descentralizou os encargos das escolas pblicas primrias e secundrias para as provncias; a poltica da escola pblica universal e laica da Repblica ( 1891); as polticas do Estado Novo (1937-45); a LDB de 1961; a das Reformas do Ensino da Ditadura Militar (1968 e 1971); a da Constituio de 1988 e LDB de 1996, complementada pelo Fundef. Mato Grosso se enquadrou nessas polticas a partir das Aulas Rgias, pouco acrescentando em termos de intenes, exceo dos dispositivos da Constituio Estadual de 1989, e estando sempre a reboque das aes nacionais. ( MONLEVADE, 2002 : 42)

No perodo dos Jesutas chamado perodo colonial a base prtica da

educao era a repetio ou Pedagogia do ratio (studiorum), que focava a matria

da matria ao mtodo e do mtodo ao professor sign

Recommended

View more >