módulo iv - dados climáticos

Download Módulo IV - Dados climáticos

Post on 30-Nov-2015

17 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Mdulo IV

    https://woc.uc.pt/dem/

    FACULDADE DE CINCIAS E TECNOLOGIA DA UNIVERSIDADE DE COIMBRADEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECNICA 1

    Zonamento climtico de dados climticos

    Adlio M. Rodrigues Gaspar(adelio.gaspar@dem.uc.pt)

    3 de Inverno(I1 , I2 e I3)6 de Vero

    (V1-N, V1-S, V2-N, V2-S, V3-N e V3-S)N a Norte do TejoS a Sul do Tejo

    Zonas climticasZonas climticas

    FACULDADE DE CINCIAS E TECNOLOGIA DA UNIVERSIDADE DE COIMBRADEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECNICA

    RCCTE, ANEXO III, Alnea 1.1RCCTE, ANEXO III, Alnea 1.1 O Pas dividido em trs zonas climticas de Inverno (I1, I2 e I3) e em trs zonas climticas de Vero (V1, V2 e V3). As zonas de Vero esto divididas em regio Norte e regio Sul. A regio Sul abrange toda a rea a sul do rio Tejo e ainda os seguintes concelhos dos distritos de Lisboa e Santarm: Lisboa, Oeiras, Cascais, Amadora, Loures, Odivelas, Vila Franca de Xira, Azambuja, Cartaxo e Santarm.

    2

  • Estao convencional de aquecimentoEstao convencional de aquecimento o perodo do ano com incio no primeiro decndio posterior a 1 de Outubro

    em que, para cada localidade, a temperatura mdia diria inferior a15oC e com termo no ltimo decndio anterior a 31 de Maio em que areferida temperatura ainda inferior a 15oC.

    Estao convencional de arrefecimentoEstao convencional de arrefecimento

    FACULDADE DE CINCIAS E TECNOLOGIA DA UNIVERSIDADE DE COIMBRADEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECNICA 3

    Estao convencional de arrefecimentoEstao convencional de arrefecimento o conjunto dos 4 meses de Vero (Junho, Julho, Agosto e Setembro) em

    que maior a probabilidade de ocorrncia de temperaturas exterioreselevadas que possam exigir arrefecimento ambiente em edifcios compequenas cargas internas.

    Graus Graus -- dias de aquecimentodias de aquecimento

    RCCTE, Anexo II, RCCTE, Anexo II, hhhh)) - Graus-dias de aquecimento (base 20C) um nmero que caracteriza a severidade de um clima durante a estao de aquecimento e que igual ao somatrio das diferenas positivas registadas entre uma dada temperatura de base (20C) e a temperatura do ar exterior durante a estao de aquecimento. As diferenas so calculadas com base nos valores horrios da temperatura do ar (termmetro seco).

    atmatm GD = GD = ((ii -- atmatm) /) /2424

    FACULDADE DE CINCIAS E TECNOLOGIA DA UNIVERSIDADE DE COIMBRADEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECNICA

    ii

    diasdias

    ii -- temperatura temperatura interior de interior de referncia ou temperatura referncia ou temperatura de base (=20C)de base (=20C)

    ii >> atmatm

    4

    Nota: no RCCTE anterior os GD usados eram os calculados para uma temperatura de base de 15C.

  • Temperatura exterior de projectoTemperatura exterior de projectoTemperatura exterior que no ultrapassada inferiormente, em mdia,

    durante mais do que 2,5% do perodo correspondente estao deaquecimento, ou excedida, em mdia, durante mais do que 2,5% doperodo correspondente estao de arrefecimento, sendo portanto astemperaturas convencionadas para o dimensionamento corrente desistemas de climatizao.

    FACULDADE DE CINCIAS E TECNOLOGIA DA UNIVERSIDADE DE COIMBRADEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECNICA

    sistemas de climatizao.

    5

    Amplitude trmica diria (Vero)Amplitude trmica diria (Vero) o valor mdio das diferenas registadas entre as temperaturas mxima e

    mnima dirias no ms mais quente.

    Dados climticos de refernciaDados climticos de referncia

    FACULDADE DE CINCIAS E TECNOLOGIA DA UNIVERSIDADE DE COIMBRADEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECNICA 6

  • Alteraes dos dadosAlteraes dos dados climticos de referncia (RCCTE, climticos de referncia (RCCTE, Quadro III.1Quadro III.1) em funo da altitude) em funo da altitude

    Quadro III.2 Quadro III.2 -- ZonamentoZonamento climtico de Inverno (Portugal Continental)climtico de Inverno (Portugal Continental)

    FACULDADE DE CINCIAS E TECNOLOGIA DA UNIVERSIDADE DE COIMBRADEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECNICA 7

    Alteraes dos dadosAlteraes dos dados climticos de referncia (RCCTE, climticos de referncia (RCCTE, Quadro III.1) Quadro III.1) em funo da altitudeem funo da altitude

    Quadro III.3 Quadro III.3 -- ZonamentoZonamento climtico de Vero (Portugal Continental)climtico de Vero (Portugal Continental)

    FACULDADE DE CINCIAS E TECNOLOGIA DA UNIVERSIDADE DE COIMBRADEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECNICA 8

  • Alteraes dos dadosAlteraes dos dados climticos de referncia (RCCTE, climticos de referncia (RCCTE, Quadro III.1) Quadro III.1) em funo da distncia costaem funo da distncia costa

    Nos concelhos de Pombal, Leiria e Alcobaa, oslocais situados numa faixa litoral com 10 kmde largura so includos na zona climtica deInverno I1, e adoptam-se os seguintes dados

    InvernoInverno

    FACULDADE DE CINCIAS E TECNOLOGIA DA UNIVERSIDADE DE COIMBRADEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECNICA 9

    Inverno I1, e adoptam-se os seguintes dadosclimticos de referncia:

    nmero de graus-dias (base de 20 C): 1500 C.diasdurao da estao de aquecimento: 6 meses

    Alteraes dos dadosAlteraes dos dados climticos de referncia (RCCTE, climticos de referncia (RCCTE, Quadro III.1) Quadro III.1) em funo da distncia costaem funo da distncia costa

    Nos concelhos de Pombal e Santiago do Cacm, oslocais situados numa faixa litoral com 15 km delargura so includos na zona climtica de Vero V1, eadoptam-se os seguintes dados climticos dereferncia:

    temperatura exterior de projecto de Vero: 31 C

    VeroVero

    FACULDADE DE CINCIAS E TECNOLOGIA DA UNIVERSIDADE DE COIMBRADEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECNICA 10

    amplitude trmica mdia diria do ms mais quente: 10 C

    No concelho de Alccer do Sal os locais situadosnuma faixa litoral com 10 km de largura soincludos na zona climtica de Inverno V2, eadoptam-se os seguintes dados climticos dereferncia:

    temperatura exterior de projecto de Vero: 31 Camplitude trmica mdia diria do ms mais quente: 10 C

  • Energia solar mdia incidente numa superfcie vertical Energia solar mdia incidente numa superfcie vertical orientada a Sul (orientada a Sul (GsulGsul))

    Para clculo dos Para clculo dos Ganhos solares Ganhos solares

    de Invernode Inverno

    FACULDADE DE CINCIAS E TECNOLOGIA DA UNIVERSIDADE DE COIMBRADEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECNICA

    Valores mdios da temperatura do ar exterior (Valores mdios da temperatura do ar exterior (atmatm) e da ) e da intensidade mdia da radiao solar (intensidade mdia da radiao solar (IIrr))

    atmatm (C) (C) -- Para clculo das perdas pela envolvente na estao de arrefecimento.

    IIr r (kWh/m(kWh/m22) ) -- Para clculo dos ganhos solares pela envolvente opaca e transparente na estao de arrefecimento.

    FACULDADE DE CINCIAS E TECNOLOGIA DA UNIVERSIDADE DE COIMBRADEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECNICA

  • Dados Climticos para Dados Climticos para simulao dinmicasimulao dinmica

    FACULDADE DE CINCIAS E TECNOLOGIA DA UNIVERSIDADE DE COIMBRADEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECNICA

    13

    Anos Climticos de Referncia; Gerada a partir de informao caracterstica do local valores

    extremos, valores mdios mensais,...; Extrapolada a partir de informao disponvel em locais vizinhos. Valores Climticos Reais;

    Ano Climtico de Referncia (TMY, TMY2, TRY, WYEC)

    Informao MeteorolgicaInformao Meteorolgica

    FACULDADE DE CINCIAS E TECNOLOGIA DA UNIVERSIDADE DE COIMBRADEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECNICA 14

    Ano Climtico de Referncia (TMY, TMY2, TRY, WYEC) Conjunto de parmetros climatolgicos, agrupados em sequncia

    horria para o perodo de 1 ano civil comum, o que corresponde 8760 registos.

    A informao a figurar dever representar o ano tpico, pelo que deve: Ser seleccionado com o recurso a mtodos estatsticos adequados; Ser baseado nos parmetros mais importantes; Utilizar um perodo de tempo significativo (mnimo de 10 anos).

  • O IEE de referncia foi determinado utilizando a base de dados climtica do programa SolTerm (verso 5),

    Assim, estes dados constituem-se como referncia e devem ser usados nos programas de simulao dinmica detalhada como forma de garantir que so utilizados os mesmos pressupostos em todos os edifcios neste mbito, tanto para efeitos de verificao regulamentar, como de certificao.

    Dados climticos de referncia no mbito do RSECEDados climticos de referncia no mbito do RSECE

    FACULDADE DE CINCIAS E TECNOLOGIA DA UNIVERSIDADE DE COIMBRADEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECNICA 15

    tanto para efeitos de verificao regulamentar, como de certificao.

    Os dados climticos de referncia esto disponveis para todos os concelhos do pas nas bases de dados do programa SolTerm, a qual est aberta para os utilizadores que adquiram uma licena de utilizao daquele software.

    Contedo dos ficheiros com os dados climticos de Contedo dos ficheiros com os dados climticos de referncia no mbito do RSECEreferncia no mbito do RSECE

    FACULDADE DE CINCIAS E TECNOLOGIA DA UNIVERSIDADE DE COIMBRADEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECNICA 16

  • Caso nos dados de referncia no exista algum parmetro necessrio na base de dados do programa de simulao dinmica detalhada, poder utilizar valores disponibilizados por entidades credveis como:

    o Instituto de Meteorologia (http://www.meteo.pt/pt/) e;

    Parmetros em falta nos dados climticos de referncia no Parmetros em falta nos dados climticos de referncia no mbito do RSECEmbito do RSECE

    FACULDADE DE CINCIAS E TECNOLOGIA DA UNIVERSIDADE DE COIMBRADEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECNICA 17

    a base de dados da METEONORM (http://www.meteonorm.com) ou;

    em alternativa, usar dados disponibilizados pelo fornecedor do software para o local do pas mais prximo do da localizao do edifcio em estudo (tudo isto apenas para os parmetros em falta).

    Estaes Meteorolgicas Estaes Meteorolgicas includas no METEONORMincludas no METE