mÓdulo i curso de cálculos trabalhistas ?· trabalhistas, porém, sempre há que se manter o...

Download MÓDULO I Curso de Cálculos Trabalhistas ?· trabalhistas, porém, sempre há que se manter o foco…

Post on 03-Dec-2018

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • MDULO I

    Curso de Clculos Trabalhistas

    AULA 08

    Rua Baro do Serro Azul, 199 Centro Curitiba-Paran Fone: 41 3323-1717

    www.portalciveltrabalhista.com.br

    http://www.portalciveltrabalhista.com.br/

  • 2

    Sumrio

    1. ANUNIO .................................................................................................................... 3

    1.1. Classificao da Verba .............................................................................................. 3

    1.2. Base de Clculo ......................................................................................................... 3

    1.3. Caso Prtico Exemplo de Condenao ................................................................... 4

    2. COMISSES ................................................................................................................ 6

    2.1. Comissionista Puro .................................................................................................... 6

    2.2. Comissionista Misto .................................................................................................. 6

    2.3. Base de Clculo ......................................................................................................... 7

    2.4. Classificao da Verba .............................................................................................. 7

    2.5. Caso Prtico Exemplo de Condenao ................................................................... 7

    3. COMISSO DE CARGO OU GRATIFICAO DE FUNO ............................... 9

    3.1. Classificao da Verba .............................................................................................. 9

    3.2. Base de Clculo ......................................................................................................... 9

    3.3. Caso Prtico Exemplo de Condenao ................................................................. 10

    4. DIFERENAS SALARIAIS ...................................................................................... 11

    4.1. Diferenas Salariais Piso da Categoria ................................................................. 11

    4.2. Diferenas Salariais Equiparao Salarial ............................................................ 13

    4.3. Diferenas Salariais - Reajuste Convencional ......................................................... 14

    4.4. Diferenas Salariais Enquadramento Funcional ................................................... 17

    5. DEVOLUO DE DESCONTOS ............................................................................ 19

    5.1. Caso Prtico Exemplo de Condenao ................................................................. 19

  • 3

    1. ANUNIO

    O Anunio uma verba de carter salarial e exclusiva de algumas categorias

    profissionais, ou seja, ela tem previso convencional.

    O Anunio se confunde com o Adicional Por Tempo de Servio (ATS), mas na sua

    formulao em algumas CCTs, so distintas uma da outra.

    Enquanto o anunio definido por um plus salarial a cada ano de servio prestado, o

    adicional por tempo de servio pode no estar relacionado ao perodo fixo de um ano, e

    sim a um perodo determinado de trabalho (um, dois ou trs anos).

    uma verba definida em uma conveno coletiva ou acordo coletivo do trabalho (CCT

    ou ACT).

    Seu pagamento est condicionado ao perodo temporal de trabalho na empresa.

    adicional pelo tempo de servio prestado.

    Pode estar fixado com base em percentual ou valor fixo, definido nas CCTs anuais

    firmadas entre os sindicados patronais e dos trabalhadores.

    Geralmente a condenao pela falta de pagamento da verba ou em razo da no

    observao da clausula convencional que define a verba.

    1.1. Classificao da Verba

    O Anunio pode ser classificado da seguinte maneira:

    uma verba de carter salarial. Seguindo uma sequncia lgica de clculo das verbas, o

    Anunio vem aps o salrio mensal ou aps o clculo das diferenas salariais.

    O Anunio pode integrar a base de clculo de outras parcelas, como por exemplo: horas

    extras, adicional noturno, violaes intervalares, domingos e feriados laborados, etc.

    Por ser uma parcela de carter salarial, sofre as incidncias do INSS e do Imposto de

    Renda.

    1.2. Base de Clculo

    O valor do Anunio geralmente fixado pela conveno coletiva da categoria. Pode

    ainda estar fixado com base em percentual a ser calculado sobre o salrio base.

  • 4

    Para os bancrios o Anunio est fixado nas CCTs com base em valor fixo por ano de

    trabalho, ou seja, para calcular o valor devido, basta multiplicar o valor indicado na

    CCT pelo nmero de anos trabalhados pelo funcionrio.

    Exemplo I - Valor Fixo na CCT:

    Valor do Anunio = R$ 24,50

    Perodo Trabalhado = 07 (sete) anos

    Anunio = R$ 24,50 x 07 anos = R$ 171,50

    Exemplo II - Percentual Fixado na CCT:

    Percentual fixado = 1% ao ano

    Salrio Base = R$ 2.450,00

    Anunio por ano = R$ 2.450,00 x 1% = R$ 24,50

    Perodo Trabalhado = 07 (sete) anos

    Anunio = R$ 24,50 x 07 anos = R$ 171,50

    1.3. Caso Prtico Exemplo de Condenao

    Sentena: "As Convenes Coletivas trazidas aos autos pelas partes comprovam que a

    cada ano de trabalho prestado, o funcionrio tem direito de receber 1% a mais em sua

    remunerao. Defere-se ao autor o adicional definido nas CCTs, a contar do primeiro

    ano de trabalho cumprido. Reflexos sobre aviso prvio, 13o salrios, frias, tero

    constitucional e FGTS 11,2%."

    Admisso: 01/02/2011 Demisso: 31/08/2012 Salrio Base: R$ 1.000,00

    Clculo

  • 5

  • 6

    2. COMISSES

    A Comisso uma verba de carter salarial varivel, paga ao trabalhador em funo de

    um determinado percentual previamente ajustado, aplicado sobre a venda de

    determinado produto.

    Os percentuais de comisso so variveis, ou seja, dependem do produto, da margem do

    valor de venda, do mercado, ou seja, so ajustados entre as partes com base em

    percentual sobre o valor das vendas. Podem, portanto, ser ajustados percentuais

    distintos para produtos distintos.

    O percentual de comisso no definido em uma conveno coletiva ou acordo coletivo

    do trabalho (CCT ou ACT), mas ajustado entre as partes atravs de contrato formal ou

    informal.

    O pagamento da comisso pode ser realizado pelo empregador de forma diria, semanal,

    quinzenal, mensal ou quando o comprador fizer a quitao da compra realizada junto

    empresa.

    A comisso uma verba de natureza salarial varivel, ou seja, ela paga ao

    funcionrio de acordo com o montante das vendas realizadas em um determinado

    perodo.

    O regime de comisso pode ser dividido em Puro e Misto.

    2.1. Comissionista Puro

    No regime de comissionista puro o funcionrio recebe sua remunerao somente por

    comisses, ou seja, no h qualquer outro tipo de recebimento junto ao empregador.

    Neste caso, o trabalhador receber somente o que produzir em face de suas vendas.

    2.2. Comissionista Misto

    No regime de comissionista misto o funcionrio recebe parte de sua remunerao de

    forma fixa e parte de forma varivel. Atualmente o regime mais utilizado pelas

    empresas, que pagam parte da remunerao a ttulo de salrio mensal fixo e a outra

    parte a ttulo de comisses. Em alguns casos o empregado recebe, ainda, outras

    vantagens contratuais ou convencionais.

  • 7

    2.3. Base de Clculo

    A base de clculo das comisses ser sempre o valor envolvendo o volume de negcios

    realizados pelo empregado, aplicando-se o percentual ajustado sobre o resultado,

    lembrando que cada produto poder ter percentual diferenciado e, portanto, os clculos

    devem levar em considerao os parmetros ajustados.

    2.4. Classificao da Verba

    A comisso uma verba de carter salarial, classificada como primria ou principal, que

    gera reflexos sobre diversas parcelas salariais, como por exemplo: repousos semanais

    remunerados (RSR), aviso prvio, 13 salrio, frias, tero de frias, FGTS e multa

    fundiria.

    As comisses integram a base de clculo de vrias parcelas salariais, como por

    exemplo: adicional noturno, violaes intervalares, horas extras, adicional de

    periculosidade, adicional de transferncia, verbas rescisrias, gratificao semestral,

    adicional de risco, entre outras.

    Por ser uma parcela de carter salarial, sofre as incidncias do INSS e do Imposto de

    Renda.

    2.5. Caso Prtico Exemplo de Condenao

    Sentena: "O autor comprovou nos autos, que no perodo de maro a novembro de

    2011, o percentual sobre as vendas realizadas foi reduzido unilateralmente pelo

    empregador, ou seja, de 10% para 5%. Deste modo, resta devida em favor do autor a

    diferena na ordem de 5% para o referido perodo."

    Admisso: 01/02/2010 Demisso: 31/01/2012

    Clculo

  • 8

  • 9

    3. COMISSO DE CARGO OU GRATIFICAO DE FUNO

    A Comisso de Cargo, tambm denominada de Gratificao de Funo, uma verba

    de carter salarial, paga de forma exclusiva para algumas categorias profissionais,

    somente com previso convencional, ou seja, ela paga ao funcionrio somente quando

    h previso consignada na conveno coletiva da categoria.

    Sendo uma verba definida atravs de conveno coletiva ou acordo coletivo do trabalho

    (CCT ou ACT), o valor da gratificao poder estar expresso em valor fixo ou em

    percentual a ser aplicado sobre o salrio do funcionrio, com d

Recommended

View more >