modulo articulações integrais

Download Modulo Articulações Integrais

Post on 03-Oct-2015

8 views

Category:

Documents

2 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

articulaes integrais asjkdahsbdajsbdhagsvdjasbdjadvhajs djkasdnaksjd

TRANSCRIPT

  • A ti l Articulaes IntegraisIntegrais

    Antonio J. PontesDept. Eng. Polmeros

    UMinho

  • ObjectivosI t d IntroduoPropriedades FsicasProjecto de Articulaes Integrais em PP e PEProjecto de Articulaes Integrais em PP e PE Projecto de Articulaes Integrais noutras ResinasMoldao das Articulaes Integrais g

    Aspectos de Concepo e DimensionamentoRecomendaes a seguir no Projecto do Molde

    Ataques MltiplosAtaques MltiplosAtaques em LminaAtaque Lateral InclinadoArticulaes MltiplasArticulaes Mltiplas

    Consideraes do ProcessoErros do Processo

    Antonio J. Pontes

  • Objectivos

    No final deste mdulo dever ser capaz de responder a l t t ialgumas questes, tais como:

    Propriedades fsicas Projecto de Articulaes Integrais em PP e PE Projecto de Articulaes Integrais noutras Resinas Aspectos de Concepo e Dimensionamento Consideraes do processo

    Antonio J. Pontes

  • Introduo

    Uma articulao integral uma pelcula fina e flexvel de material que une dois segmentos de uma pea e permite a sua abertura eque une dois segmentos de uma pea e permite a sua abertura e fecho.

    Antonio J. Pontes

  • Os materiais utilizados na produo de articulaes integrais so, geralmente, plsticos muito flexveis, como o polipropileno e o polietilenopolipropileno e o polietileno.

    Quando moldada no material apropriado, este tipo de Qua do o dada o ate a ap op ado, este t po dedobradia nunca falha, podendo ser flectida mais de um milho de ciclos sem fracasso. Mas, se no forem

    j t d l t d id i dprojectadas para um longo tempo de vida, as resinas de engenharia como nylon e o acetal tambm podero ser utilizadas para desempenhar esta funoutilizadas para desempenhar esta funo.

    Antonio J. Pontes

  • Propriedades Fsicas

    Antes de projectar uma dobradia integral, importante perceber como as propriedades fsicas se relacionam comperceber como as propriedades fsicas se relacionam com o dimensionamento destas.

    Existem trs tipos de dobradias: 9 dobradia completamente elstica, capaz de flectir

    ilh dmilhares de vezes; 9 dobradia completamente plstica, capaz de flectir

    apenas algumas vezes;apenas algumas vezes; 9 combinao de plstica e elstica, capaz de flectir

    centenas de vezescentenas de vezes.

    Antonio J. Pontes

  • Quando uma dobradia integral flectida, as fibras de plstico so estiradas uma certa quantidade, dependendo do seu desenho. A quantidade de estiramento um factor crucial na determinao do tempo de vida da dobradia.

    Antonio J. Pontes

  • No projecto de uma articulao integral, a deformao mxima deve estar na regio elstica da curva; o material recuperar totalmente a sua forma aps a flexo e durante muitas flexes.

    Na regio plstica, a articulao deformar permanentemente e durar apenas algumas flexes findaspermanentemente e durar apenas algumas flexes, findas as quais parte.

    Antonio J. Pontes

  • Projecto de Articulaes Integrais em PP e PE O projecto de articulaes integrais em polipropileno e polietileno deve seguir determinadas regras de dimensionamento por forma a

    i ti l d d O d t t i i criar uma articulao duradoura. O uso destes materiais apenas restringido pelas suas limitaes fsicas.

    A figura ao lado mostra as dimenses tpicas de umatpicas de uma articulao integral.

    Antonio J. Pontes

  • A d t ti i i i d d b di i t l As duas caractersticas principais de uma dobradia integral so o recesso no topo e um raio generoso no fundo.

    A figura anterior demonstra o propsito deste recesso. Este aspecto voltar a ser referido com mais detalhe no ponto Aspectos de concepo e dimensionamento mas pode-se adiantar que quando a articulao completamente flectida forma-se um anel que reduz as tenses na parte exterior do ligamento.

    Antonio J. Pontes

  • Projecto de Articulaes Integrais noutras Resinas

    As dimenses de uma dobradia integral em polietileno e polipropileno baseiam se nas propriedades dos materiaispolipropileno baseiam-se nas propriedades dos materiais, incluindo mdulo, tenso de cedncia, deformao de cedncia tenso de ruptura e esforo mximocedncia, tenso de ruptura e esforo mximo.

    Como as propriedades de outras resinas variamComo as propriedades de outras resinas variam extensamente, as dimenses das dobradias devem ser calculadas para cada resina em particular.p p

    Antonio J. Pontes

  • Na figura seguinte pode-se observar as dimenses que sero

    B i t l l b i

    Na figura seguinte pode-se observar as dimenses que sero usadas nos clculos.

    Basicamente, os clculos baseiam-se em determinar a deformao mxima da dobradia e em compar-lo com as propriedades dos materiais. Se a deformao for inferior ao limite elstico ainferior ao limite elstico, a dobradia sobreviver. Se a deformao estiver na regio

    l ti d b di d plstica, a dobradia durar apenas alguns ciclos. Se a deformao ultrapassar o ponto de ruptura, a dobradia quebrar-se-.

    Antonio J. Pontes

  • Dimensionamento de Articulaes integrais

    Tm sido feitas vrias suposies simplificadas e os testesTm sido feitas vrias suposies simplificadas, e os testes tm demonstrado a solidez destas suposies. 1. A dobradia flecte num crculo, coincidindo o eixo neutro ,

    com o eixo longitudinal da dobradia. 2. A fibra exterior est sob tenso mxima; a fibra interna

    est sob compresso mximaest sob compresso mxima. 3. Quando a tenso alcana o ponto de cedncia, a

    dobradia no cumprir as funes para as quais foi p p qprojectada.

    Antonio J. Pontes

  • De acordo com a figura anterior:De acordo com a figura anterior:

    ) ( )osemicrculdopermetroRL =11

    A deformao nas fibras externas pode ser calculada atravs da

    ) ( )tRL += 02A deformao nas fibras externas pode ser calculada atravs da diferena entre L1 e L0.

    ) tdi lifiLLdS b tit iLL 3 10)RtR

    quesetemndosimplificaeLeLdoSubstituinLaencurvadur

    +=

    =

    :,3 101

    10

    Rt

    R

    aencurvadur

    aencurvadur

    =

    =

    RtR

    aencurvadur =

    Antonio J. Pontes

  • ) 1 :,4 quesetemanteriorequaonadoSubstituinLR =

    1Lt

    aencurvadur =

    ) tL =5Resolvendo em ordem a L1

    )aencurvadur

    L =15

    ) ) cednciaanteEtLLogodefinioPor

    ,sec7:6:

    ==) )aencurvadur

    LLogoE 17:6 ==

    Antonio J. Pontes

  • Dobradia Elstica

    No projecto de uma dobradia completamente elstica aNo projecto de uma dobradia completamente elstica, a encurvadura deve ser menor do que a cedncia, assim como a encurvadura tambm deve ser menor do que a cedncia. A ruptura acontece quando encurvadura = cedncia e quando encurvadura = cedncia.Tanto a equao 5 como a 7 podem ser usadas, dependendo se conhecida a tenso de cedncia (cedncia) ou a deformao de cedncia (cedncia). Para usar estas equaes, necessrio conhecer cedncia ou cedncia e o mdulo secante cedncia; a substituio destes valoresmdulo secante cedncia; a substituio destes valores nas equaes permite calcular o mais baixo valor de L1.

    Antonio J. Pontes

  • Tanto a espessura da dobradia como o seu comprimento devem ser conhecidos. Geralmente, seleccionada uma espessura mnima que varia entre 2 0mm a 3 8mm; s entoespessura mnima que varia entre 2.0mm a 3.8mm; s ento, calculado um comprimento.

    cedncia

    tL =1

    cednciaanteEt seccedncia

    cednciaantetL ,sec

    1 =

    Antonio J. Pontes

  • Dobradia Plstica

    Uma dobradia plstica durar apenas alguns ciclos As rachasUma dobradia plstica durar apenas alguns ciclos. As rachas provavelmente comearo a surgir aps a primeira flexo. Os clculos para uma dobradia plstica so iguais aos usadosOs clculos para uma dobradia plstica so iguais aos usados para uma dobradia elstica, excepo do facto de serem utilizados ruptura e mximo.

    tL =1mx

    ftEt secruptura

    mxforaanteEtL ,sec

    1 =

    Antonio J. Pontes

  • Moldao das Articulaes integrais

    Como j foi referido, as articulaes integrais so geralmente moldadas mas tambm podem ser prensadas maquinadasmoldadas mas, tambm podem ser prensadas, maquinadas e at mesmo extrudidas.

    Aspectos de Concepo e Dimensionamento

    Uma articulao dever ser sempre rectilnea pois qualquer curvatura mesmo que ligeira provocar a suaqualquer curvatura, mesmo que ligeira, provocar a sua encurvadura. Se, por razes de projecto, a pea tiver uma curvatura dever ser considerada uma zona de adaptaocurvatura, dever ser considerada uma zona de adaptaopor forma a que a articulao seja rectilnea.

    Antonio J. Pontes

  • O raio de curvatura recomendado para a zona de ligamento importante por duas razes:

    Minimiza a restrio do fluxo do fundido; Localiza a parte operativa da articulao ao longo de

    uma linha centrada entre as duas partes da pea.

    Antonio J. Pontes

  • A espessura da articulao depende da:

    Resistncia flexo e ao rasgamento pretendido; Resistncia flexo e ao rasgamento pretendido; Espessura mnima necessria para garantir o bom

    escoamento do fundido atravs delaescoamento do fundido atravs dela.

    A espessura obtida inicialmente reduz-se ligeiramente devido aos ciclos de flexo ps-moldao. Normalmente, a espessura dos ligamentos varia entre 0.25 e 0.6 mm; em aplicaes com pequena amplitude de oscilao, podem usar-se espessuras maiores, at 1.3 mm.

    Antonio J. Pontes

  • Nas articulaes destinadas a peas que devem fechar completamente, dever ser considerado um pequeno rebaixo do lado oposto ao da depresso principal da articulao.

    Antonio J. Pontes

  • Como j foi referido no ponto Projecto de articulaes integrais em PP e PE, quando a articulao completamente flectida forma-se um anel Este anel reduz as tenses na parte exteriorforma-se um anel. E