Modulo 1 - Entendendo o Orçamento Público

Download Modulo 1 - Entendendo o Orçamento Público

Post on 06-Dec-2015

47 views

Category:

Documents

33 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

ENTENDENDO O ORAMENTO PBLICO

TRANSCRIPT

<ul><li><p>CURSO: BSICO EM ORAMENTO PBLICO Mdulo 1: Entendendo o Oramento Pblico | 1 </p><p>MINISTRIO DO PLANEJAMENTO, ORAMENTO E GESTO </p><p>SECRETARIA DE ORAMENTO FEDERAL </p><p>CURSO BSICO EM ORAMENTO PBLICO </p><p>MDULO 1 </p><p>ENTENDENDO O ORAMENTO PBLICO </p><p>(ORG) FERNANDO CSAR ROCHA MACHADO </p><p> BRASLIA </p><p>2015 </p></li><li><p>CURSO: BSICO EM ORAMENTO PBLICO Mdulo 1: Entendendo o Oramento Pblico | 2 </p><p>Ministrio do Planejamento, Oramento e Gesto </p><p>Ministro do Planejamento, Oramento e Gesto </p><p>Nelson Barbosa </p><p>Secretrio-Executivo </p><p>Dyogo Henrique de Oliveira </p><p>Secretria de Oramento Federal </p><p>Esther Dweck </p><p>Secretrios-Adjuntos </p><p>Antnio Carlos Paiva Futuro </p><p>Franselmo Arajo Costa </p><p>George Alberto Aguiar Soares </p><p>Diretores </p><p>Clayton Luiz Montes </p><p>Felipe Daruich Neto </p><p>Marcos de Oliveira Ferreira </p><p>Zarak de Oliveira Ferreira </p><p>Coordenador-Geral de Inovao e Assuntos Oramentrios e Federativos </p><p>Luiz Guilherme Pinto Henriques </p><p>Coordenadora de Educao e Difuso Oramentria </p><p>Rosana Lrdelo de Santana Siqueira </p><p>Organizao do Contedo </p><p>Fernando Csar Rocha Machado </p><p>Reviso do Contedo </p><p>Jos Paulo de Arajo Mascarenhas </p><p>Reviso Pedaggica Janiele Cardoso Godinho </p><p>Reviso Gramatical e Ortogrfica Renata Carlos da Silva </p><p>Projeto Grfico Tiago Ianuck Chaves </p><p>Colaborao Bruno Rodolfo Cupertino </p><p>Karen Evelyn Scaff </p><p>Nayara Gomes Lima </p><p>Informaes: </p><p>www.orcamentofederal.gov.br </p><p>Secretaria de Oramento Federal </p><p>SEPN 516, Bloco D, Lote 8, 70770-524, Braslia DF, Tel.: (61) 2020-2329 escolavirtualsof@planejamento.gov.br </p></li><li><p>CURSO: BSICO EM ORAMENTO PBLICO Mdulo 1: Entendendo o Oramento Pblico | 3 </p><p>OBJETIVO DO MDULO </p><p>Apresentar conceitos bsicos sobre oramento pblico, tendo em vista a importncia em </p><p>conhecer esse tema para atuar como cidado crtico e participativo na sociedade. </p><p>UNIDADES ABORDADAS </p><p> Introduo ao Oramento Pblico </p><p> Funes do Oramento </p><p> Princpios Oramentrios </p><p> Receita e Despesa Pblica </p><p> Transparncia governamental e Controle Social </p></li><li><p>CURSO: BSICO EM ORAMENTO PBLICO Mdulo 1: Entendendo o Oramento Pblico | 4 </p><p>SUMRIO </p><p>APRESENTAO ................................................................................................................. 5 </p><p>UNIDADE 1 INTRODUO AO ORAMENTO PBLICO ................................................ 6 </p><p>UNIDADE 2 - FUNES DO ORAMENTO ......................................................................... 9 </p><p>UNIDADE 3 - PRINCPIOS ORAMENTRIOS ................................................................. 11 </p><p>UNIDADE 4 - RECEITA E DESPESA PBLICA ................................................................. 13 </p><p>UNIDADE 5 - TRANSPARNCIA GOVERNAMENTAL E CONTROLE SOCIAL ................ 18 </p><p>REVISO DO MDULO ...................................................................................................... 19 </p><p>REFERNCIAS BIBLIOGRFICAS .................................................................................... 21 </p></li><li><p>CURSO: BSICO EM ORAMENTO PBLICO Mdulo 1: Entendendo o Oramento Pblico | 5 </p><p>APRESENTAO </p><p> Car@ Participante! </p><p> um enorme prazer t-lo (a) como nosso aluno (a) no Curso Bsico em Oramento Pblico. </p><p>Nas prximas quatro semanas, estudaremos juntos as informaes que permeiam esse tema e voc </p><p>o nosso convidado principal! Neste curso, voc ter a oportunidade de conhecer informaes </p><p>bsicas sobre Oramento Pblico por meio dos seguintes mdulos: </p><p> Mdulo 1: Entendendo o Oramento Pblico </p><p> Mdulo 2: Fundamentos Legais </p><p> Mdulo 3: Leis Oramentrias </p><p> Mdulo 4: Oramento e Cidadania </p><p>No Mdulo 1 Entendendo o Oramento Pblico voc aprender conceitos bsicos sobre </p><p>Oramento e ver a importncia de conhecer esse tema para atuar como cidado crtico e </p><p>participativo na sociedade. Estudaro ainda os conceitos de receita e despesa pblica, as funes do </p><p>oramento, quais so os princpios oramentrios e a sua aplicabilidade para a boa gesto pblica. </p><p>No Mdulo 2 Fundamentos Legais voc conhecer os fundamentos legais que regem o </p><p>oramento pblico, buscando analisar a importncia dessas Leis em todas as esferas de governo. </p><p>No Mdulo 3 Leis Oramentrias analisaremos a composio do processo oramentrio, </p><p>identificando seus instrumentos e etapas que resultam na elaborao dos oramentos. </p><p>No Mdulo 4 Oramento e Cidadania sero abordados os instrumentos que promovem a </p><p>participao popular dos cidados de forma crtica e efetiva. Apresentaremos, por fim, os conceitos </p><p>sobre a participao popular na composio e fiscalizao do oramento, bem como a importncia </p><p>do oramento participativo nas escolhas das prioridades para a utilizao dos recursos pblicos. </p><p>Esperamos que aps a concluso dos estudos em todas essas etapas, voc aprenda </p><p>informaes bsicas, mas essenciais, sobre Oramento Pblico. Desejamos excelente estudo! </p></li><li><p>CURSO: BSICO EM ORAMENTO PBLICO Mdulo 1: Entendendo o Oramento Pblico | 6 </p><p>UNIDADE 1 INTRODUO AO ORAMENTO PBLICO </p><p>Que tal iniciarmos esta unidade </p><p>refletindo sobre oramento familiar? Ao </p><p>planejar uma viagem de frias, voc costuma </p><p>analisar o seu oramento e organizar os seus </p><p>gastos? Voc consegue prever qual o valor </p><p>disponvel para alimentao, hospedagem, </p><p>combustvel e lazer no decorrer da sua viagem? </p><p>Quais so as suas despesas prioritrias? </p><p>Alguns assuntos precisam ser considerados no planejamento da sua viagem: dinheiro, </p><p>despesas, receita, planejamento, responsabilidade, decises. </p><p>Falar sobre Oramento Pblico lidar diretamente com algumas dessas questes. Mas, </p><p>vamos ver como isso acontece na prtica? Caso voc seja uma daquelas pessoas que tm o hbito de </p><p>planejar e analisar o oramento domstico buscando verificar quais so os gastos prioritrios para a </p><p>sua famlia, compreender facilmente que o Estado tambm deve buscar mecanismos para atender </p><p>s diversas demandas da sociedade. </p></li><li><p>CURSO: BSICO EM ORAMENTO PBLICO Mdulo 1: Entendendo o Oramento Pblico | 7 </p><p>Aes nas reas de sade, educao, segurana, habitao, saneamento, justia e </p><p>infraestrutura so exemplos de que as demandas em nosso pas so crescentes e, no entanto, os </p><p>recursos muitas vezes so limitados. </p><p> importante que a sociedade tenha conhecimento e compreenda o processo oramentrio, </p><p>bem como os aspectos que so considerados na alocao de recursos, isso Transparncia </p><p>Governamental! Estudaremos mais frente na unidade 5 desse mdulo, o que transparncia </p><p>governamental e a importncia do controle social, que , na realidade, a participao e o </p><p>acompanhamento exercido pelos cidados. </p><p>Agora, vamos dar continuidade s informaes sobre oramento pblico analisando a charge </p><p>abaixo e buscando refletir sobre as seguintes questes: Voc se preocupa em saber quais reas o </p><p>Estado tem investido o dinheiro que arrecada? Em sua opinio, qual a importncia do </p><p>oramento pblico para o crescimento do pas e qualidade de vida da populao? </p><p>Pois bem, o oramento pblico de fundamental importncia para o desenvolvimento do </p><p>pas. uma lei de iniciativa exclusiva do Chefe do Poder Executivo (Presidente da Repblica, </p><p>Governadores, Prefeitos) que estima, ou seja, prev as receitas e fixa as despesas necessrias para </p><p>viabilizar as aes do governo. </p></li><li><p>CURSO: BSICO EM ORAMENTO PBLICO Mdulo 1: Entendendo o Oramento Pblico | 8 </p><p>Esta lei tem como objetivo atender s necessidades da </p><p>populao, procurando reduzir as desigualdades sociais e </p><p>priorizando recursos em setores fundamentais, tais como: sade, </p><p>educao e infraestrutura. </p></li><li><p>CURSO: BSICO EM ORAMENTO PBLICO Mdulo 1: Entendendo o Oramento Pblico | 9 </p><p>UNIDADE 2 FUNES DO ORAMENTO </p><p>Por meio do oramento pblico, </p><p>os governos desenvolvem funes que </p><p>so fundamentais para direcionar o </p><p>desenvolvimento econmico e social do </p><p>pas. So trs as funes do oramento </p><p>pblico: alocativa, distributiva e </p><p>estabilizadora. </p><p>A Funo Alocativa direciona os recursos da economia em setores prioritrios, tendo em </p><p>vista oferecer bens e servios que o mercado no seja capaz de ofertar sociedade. </p><p>A Funo Distributiva combate os desequilbrios e as desigualdades sociais e busca o </p><p>desenvolvimento de regies e classes menos favorecidas. </p><p>A Funo Estabilizadora busca, na elaborao do oramento, tomar decises que tm </p><p>impacto na economia, visando manuteno de elevado nvel de emprego, o desenvolvimento do </p><p>setor produtivo (empresas, indstrias, etc.) e o equilbrio e estabilidade de preos (controle da </p><p>inflao) para o crescimento sustentvel. Vamos conhecer exemplos prticos de como o governo </p><p>desenvolve essas funes? </p></li><li><p>CURSO: BSICO EM ORAMENTO PBLICO Mdulo 1: Entendendo o Oramento Pblico | 10 </p><p>Funo alocativa: a demanda social pela reduo dos nveis de </p><p>violncia tender a eleger candidatos comprometidos com o </p><p>aumento da segurana pblica, os quais devero alocar maiores </p><p>volumes de recursos oramentrios em despesas relacionadas </p><p>com esta poltica pblica. </p><p>Funo distributiva: a concesso de bolsas assistenciais para as </p><p>pessoas de baixa renda, que so custeadas por meio dos tributos </p><p>pagos pela sociedade, inclusive por cidados que no recebem </p><p>esse benefcio. </p><p>Funo estabilizadora: a deciso do governo em reduzir o </p><p>Imposto sobre Produtos Industrializados IPI, que incide </p><p>diretamente na produo de veculos e em seu preo final. uma </p><p>forma de estimular o consumo, estabilizando os nveis de </p><p>emprego e promovendo o crescimento econmico do pas. </p></li><li><p>CURSO: BSICO EM ORAMENTO PBLICO Mdulo 1: Entendendo o Oramento Pblico | 11 </p><p>UNIDADE 3 PRINCPIOS ORAMENTRIOS </p><p>Voc sabia que o oramento pblico tambm segue regras fundamentais para direcionar a </p><p>prtica oramentria? Estas regras so um conjunto de orientaes que devem ser observadas </p><p>durante cada etapa da elaborao dos oramentos. o que chamamos de Princpios Oramentrios. </p><p>Agora, vamos estudar os mais importantes princpios oramentrios. Acompanhe! </p><p>Princpio da Anualidade: O oramento pblico (estimativas da receita e fixao da </p><p>despesa) deve ser elaborado por um perodo determinado de tempo. O princpio da Anualidade, </p><p>como o prprio nome indica, supe o perodo de tempo de um ano. No Brasil, o exerccio financeiro </p><p>coincide com o ano civil (1 de janeiro a 31 de dezembro). </p><p>Princpio da Legalidade: Segundo esse princpio oramentrio, as receitas arrecadadas e as </p><p>despesas executadas devem estar previstas em lei. </p><p>Princpio da Uniformidade: Este princpio estabelece que os mtodos e os dados devam </p><p>ser homogneos no decorrer dos anos, mostrando semelhana na metodologia de elaborao do </p><p>oramento, o que permite comparaes ao longo do tempo. </p></li><li><p>CURSO: BSICO EM ORAMENTO PBLICO Mdulo 1: Entendendo o Oramento Pblico | 12 </p><p>Princpio da Clareza: Como o prprio nome diz, por este principio o oramento deve ser </p><p>claro e de fcil compreenso a qualquer cidado. </p><p>Princpio da No afetao da receita: Segundo a Constituio Federal, proibida a </p><p>vinculao de parcela de receita de impostos para atender a certos e determinados gastos, tendo em </p><p>vista no comprometer a arrecadao da receita para atender apenas a algumas despesas especficas, </p><p>em detrimento de outras tambm necessrias. </p><p>Princpio da Universalidade: Todas as receitas e todas as despesas devem constar da lei </p><p>oramentria. </p><p>Princpio do Equilbrio: Os valores autorizados para realizao das despesas em </p><p>determinado ano devem ser compatveis com a arrecadao das receitas. </p><p>Princpio da Publicidade: A garantia de que os contribuintes possam ter acesso s </p><p>informaes oramentrias para o pleno exerccio da fiscalizao sobre a utilizao dos recursos </p><p>arrecadados e aplicados. </p><p>Princpio do Oramento Bruto: Todas as receitas e despesas devem constar no oramento </p><p>anual com seus valores brutos (integrais) e no lquidos, sendo proibidas dedues. A adoo deste </p><p>princpio refora a transparncia no oramento pblico. </p><p>Princpio da Exclusividade: A lei oramentria dever conter apenas dispositivos </p><p>relacionados fixao das despesas e previso das receitas pblicas. </p><p>Princpio da Unidade Oramentria: O oramento, com todas as suas receitas e despesas, </p><p>deve constar de uma nica lei oramentria, ou seja, o oramento uno. </p><p>Fique atento! O entendimento dos princpios oramentrios muito importante para uma </p><p>melhor compreenso das questes relacionadas aos processos oramentrios, assunto que ser </p><p>abordado no prximo mdulo. </p></li><li><p>CURSO: BSICO EM ORAMENTO PBLICO Mdulo 1: Entendendo o Oramento Pblico | 13 </p><p>UNIDADE 4 RECEITA E DESPESA PBLICA </p><p>Aprendemos que o oramento pblico tem como objetivo precpuo atender s necessidades </p><p>da populao, procurando reduzir as desigualdades sociais e priorizando recursos em setores </p><p>fundamentais como sade, educao e infraestrutura. </p><p>O oramento tambm o planejamento de </p><p>qualquer entidade, seja pblica ou privada, e </p><p>representa o fluxo previsto de ingressos (receitas) e </p><p>aplicaes de recursos (despesas) em determinado </p><p>perodo. Assim, o oramento composto de receitas e </p><p>despesas. Vamos entender melhor esses conceitos? </p><p>A receita pblica o montante total em dinheiro recolhido pelo Tesouro Nacional, </p><p>incorporado ao patrimnio do Estado, que serve para custear as despesas pblicas e as necessidades </p><p>de investimentos pblicos. Em outras palavras, podemos afirmar que a receita constituda pelos </p><p>recursos obtidos pelo Estado, atravs da arrecadao dos tributos e de outras fontes (aluguis de </p><p>imveis, multas, etc.), durante um determinado perodo financeiro (no caso do Brasil coincide com </p><p>o ano civil). </p><p>Esses recursos sero utilizados no planejamento e execuo das despesas pblicas que esto </p><p>sob a responsabilidade do Estado, com o objetivo de oferecer bens e servios sociedade. </p></li><li><p>CURSO: BSICO EM ORAMENTO PBLICO Mdulo 1: Entendendo o Oramento Pblico | 14 </p><p>Um exemplo de Receita Pblica arrecadao anual do imposto de renda. Para saber mais </p><p>sobre esse recurso obtido pelo governo acesse o site http://www.brasil.gov.br/economia-e-</p><p>emprego/2011/04/imposto-de-renda-ajuda-a-bancar-saude-educacao-e-programas-sociais </p><p>Os tributos so a principal fonte de arrecadao de receitas pelo </p><p>Estado, sendo fundamentais para os governos financiarem suas </p><p>polticas pblicas. </p><p>O Estado, em virtude de seu poder soberano, pode retirar de seus </p><p>cidados parcelas de suas riquezas para a consecuo de seus fins, </p><p>visando ao bem-estar geral. </p><p>Em outras palavras, os tributos so os impostos, taxas e </p><p>contribuies includas nos produtos e servios que consumimos e </p><p>utilizamos. No preo dos produtos que compramos como comida e </p><p>roupa esto includos tributos. </p><p>As receitas pblicas podem ser agregadas em vrias classificaes. Neste curso, estudaremos </p><p>trs dessas classificaes. Sob os pontos de vista Coercitivo (Receita originria e Derivada); </p><p>Econmico (Receita Corrente e De Capital); e de Competncia (Federal, Estadual, Distrital e </p><p>Municipal). Vamos conhecer agora as classificaes sob as ticas coercitiva e econmica. </p><p>Acompanhe! </p><p>Receita Derivada: So aquelas obtidas pelo Estado por meio do seu poder soberano, sendo </p><p>captadas de forma obrigatria. Exemplos: pagamento de tributos, tais como o Imposto de Renda - </p><p>IR, Imposto de Importao - II, etc. </p><p>Receita Corrente: So as receitas tributrias, de contribuies, patrimoniais, de origem </p><p>agropecuria e industrial, de servios, entre outras. Exemplos: impostos, taxas, contribuies de </p><p>melhoria, aluguis, etc. </p><p>Receita de Capital: So as provenientes da realizao de recursos financeiros oriundos de </p><p>constituio de dvidas, da converso, em espcie, de bens e...</p></li></ul>