MOBILIDADE URBANA EM PEQUENAS CIDADES A ?· aquelas com população estimada em até 100 mil habitantes…

Download MOBILIDADE URBANA EM PEQUENAS CIDADES A ?· aquelas com população estimada em até 100 mil habitantes…

Post on 02-Dec-2018

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

<ul><li><p>OBSERVATORIUM: Revista Eletrnica de Geografia, v.2, n.4, p.34-55, jul. 2010. 34 </p><p>MOBILIDADE URBANA EM PEQUENAS CIDADES A </p><p>EXPERINCIA DE SACRAMENTO/MG. </p><p>Camilla Ferreira Gouveia </p><p>Graduada em Geografia Universidade Federal de Uberlndia UFU. </p><p>camillaufugeo@yahoo.com.br </p><p>William Rodrigues Ferreira Professor Doutor da Universidade Federal de Uberlndia UFU. </p><p>wferreira@ufu.br </p><p>Resumo </p><p>O transporte coletivo um importante componente da mobilidade urbana na era atual, pois </p><p>influencia diretamente a qualidade de vida da populao das cidades, fazendo parte do dia a </p><p>dia de grande parte da populao que se desloca para efetuar vrias atividades. Ele tambm </p><p>contribui para o desenvolvimento da cidade e interfere em sua organizao espacial e social. </p><p>Assim, conhecer as caractersticas do perfil do Sistema de Transporte Urbano de </p><p>fundamental importncia. Nessa perspectiva, o presente trabalho tem por objetivo </p><p>diagnosticar e analisar o sistema de transporte urbano da cidade de Sacramento MG, com </p><p>intuito de propor melhorias no que tange o planejamento urbano e a mobilidade urbana dos </p><p>cidados Sacramentanos. </p><p>Palavras-chave: Sacramento MG; Transporte pblico; mobilidade urbana; nibus </p><p>URBAN MOBILITY IN SMALL TOWNS - THE EXPERIENCE OF </p><p>SACRAMENTO/ MG. </p><p>Abstract </p><p>The Public transportation is an important component of urban mobility in the current era, it </p><p>directly influences the quality of life of the cities as part of everyday life for most of the </p><p>population goes to perform various activities. He also contributes to the development of the </p><p>city and interferes with their social and spatial organization. Thus, identifying the </p><p>characteristics of the profile of the urban transport system is of fundamental importance From </p><p>this perspective, this study aims to diagnose and analyze the transportation system of the city </p><p>of Sacramento - MG, with a view to proposing improvements in regard to urban planning and </p><p>urban mobility of citizens Sacramentanos. </p><p>Key-words: Sacramento MG; Public Transportation; urban mobility; bus. </p><p>mailto:camillaufugeo@yahoo.com.brmailto:wferreira@ufu.br</p></li><li><p>Mobilidade urbana em pequenas cidades a experincia de Sacramento/MG. </p><p>Camilla Ferreira Gouvei ;William Rodrigues Ferreira </p><p>35 </p><p>OBSERVATORIUM: Revista Eletrnica de Geografia, v.2, n.4, p.34-55, jul. 2010. </p><p>Introduo </p><p>O transporte coletivo um servio essencial e influencia diretamente a qualidade de </p><p>vida da populao das cidades, fazendo parte do dia a dia de grande parte da populao que se </p><p>desloca para efetuar vrias atividades. Ele tambm contribui para o desenvolvimento da </p><p>cidade e interfere em sua organizao espacial e social. Assim, conhecer as caractersticas do </p><p>perfil do Sistema de Transporte Urbano de fundamental importncia. </p><p>Segundo Nunes (2005), o sistema de transporte urbano tem um papel importante no </p><p>cenrio econmico e social do pas, garantindo a mobilidade da populao nas cidades, sendo </p><p>necessrio, desse modo, um estudo mais aprofundado em relao ao transporte pblico </p><p>oferecido pelo municpio de Sacramento no intuito de assegurar a mobilidade das mercadorias </p><p>e da populao. </p><p>Nessa perspectiva, o presente trabalho tambm vem discutir a questo da mobilidade </p><p>urbana a partir da varivel transporte pblico por nibus em pequenas cidades, dando </p><p>nfase cidade de Sacramento, localizada em Minas Gerais, mais precisamente na </p><p>mesorregio denominada Tringulo Mineiro/Alto Paranaba. </p><p>Assim, esse trabalho teve como objetivo entender como se d o processo de </p><p>mobilidade urbana em cidades pequenas, como possvel obter melhores condies de vida e </p><p>deslocamento dos cidados sem deixar de lado a qualidade de vida, pretendendo-se, com isso, </p><p>instigar os rgos competentes criao de polticas pblicas que melhorem as condies de </p><p>mobilidade da populao. </p><p>Contudo, os objetivos propostos nesta pesquisa somente foram alcanados devido </p><p>metodologia utilizada. Assim, cabe destacar que o trabalho metodolgico iniciou-se com a </p><p>pesquisa bibliogrfica, onde buscou-se estudar os conceitos de mobilidade urbana, Transporte </p><p>Urbano e Planejamento Urbano. Na seqncia foram realizadas entrevistas junto Secretaria </p><p>de Trnsito e Transporte e Prefeitura Municipal, alm disso, concomitantemente realizou-se </p><p>anlise da legislao municipal condizente questo em foco, que abrangem o planejamento e </p><p>a mobilidade urbana. Por sua vez, as visitas de campo tambm foram procedimentos </p><p>metodolgicos essenciais para o conhecimento da dinmica urbana de Sacramento e a </p><p>concluso do artigo em questo. </p></li><li><p>Mobilidade urbana em pequenas cidades a experincia de Sacramento/MG. </p><p>Camilla Ferreira Gouvei ;William Rodrigues Ferreira </p><p>36 </p><p>OBSERVATORIUM: Revista Eletrnica de Geografia, v.2, n.4, p.34-55, jul. 2010. </p><p>Cidades brasileiras </p><p>Para entender como se d o planejamento urbano e como os meios de transportes se </p><p>desenvolvem na cidade necessrio antes discutir o contexto em que essas cidades crescem. </p><p>A cidade existe desde tempos remotos sempre foi e ainda um lugar de convvio social, de </p><p>circulao e de trocas de experincias e, segundo Resende (1982, p.19) A cidade surge como </p><p>um local de reproduo dos meios de produo, entretanto, foi somente a partir do </p><p>capitalismo, que a cidade passou a desempenhar importante funo, aumentando a circulao </p><p>de pessoas e mercadorias no seu interior. </p><p>De acordo com Bridi e Soares (2003), a cidade se torna o palco das trocas comerciais, </p><p>das reas residenciais, das atividades produtivas e administrativas, criando espaos </p><p>diferenciados, conforme a distribuio dos equipamentos e edificaes, se condicionando, </p><p>inclusive, s relaes de apropriao e ocupao pelos diversos grupos sociais de seus </p><p>territrios. H que se ressaltar, entretanto, que as cidades no so homogneas. Os espaos </p><p>geogrficos vo sendo moldados de forma diferenciada entre si, o que resulta em uma </p><p>heterogeneidade nos modos de vida. </p><p>No caso brasileiro, a extenso do territrio e as diversidades regionais impedem que </p><p>haja uniformidade na rede de cidades, em sua hierarquizao e mesmo em suas </p><p>funcionalidades. Fica evidente que a urbanizao brasileira foi orientada pela modernizao </p><p>do campo - que retirou um grande contingente populacional desse local e colocou-os dentro </p><p>da cidade, ocorrendo, deste modo, uma nova organizao do espao urbano, por meio da </p><p>implantao de sistemas de transportes, de meios de comunicao e da oferta de servios. </p><p>Nesse sentido possvel afirmar que o sistema urbano brasileiro diversificou-se ao </p><p>longo das dcadas, permitindo o surgimento e a refuncionalizao de diversos centros </p><p>urbanos, alm disso, suas funcionalidades deixaram de ser diretamente ligadas </p><p>hierarquizao urbana pr-existente, possibilitando a gerao de novos fluxos e a manuteno </p><p>das relaes espaciais tradicionais, rearranjando, portanto, o padro da rede urbana. (ENGEL, </p><p>2004). </p><p>O que se presencia atualmente a existncia de um meio urbano composto por uma </p><p>arquitetura de contnuas casas, prdios, ruas e avenidas e de diferentes culturas onde co-</p><p>existem diversos tipos de relacionamentos. </p></li><li><p>Mobilidade urbana em pequenas cidades a experincia de Sacramento/MG. </p><p>Camilla Ferreira Gouvei ;William Rodrigues Ferreira </p><p>37 </p><p>OBSERVATORIUM: Revista Eletrnica de Geografia, v.2, n.4, p.34-55, jul. 2010. </p><p>Contudo, assim como as demais cidades dos pases em desenvolvimento, as cidades </p><p>brasileiras apresentam graves problemas de mobilidade e, conseqentemente, de qualidade de </p><p>vida decorrentes de fatores sociais, polticos e econmicos. A prpria paisagem reflete a </p><p>desigualdade existente entre classes e cidades e no que tange malha urbana, em muitos </p><p>casos, as vias so antigas e mal planejadas, com dimenses restritas que no tm capacidade </p><p>para atender a demanda atual, que a busca por uma mobilidade gil e eficiente. </p><p>De acordo com Soares (1997), essas diferenciaes entre os centros urbanos so </p><p>gerados pelos efeitos acumulados das prticas de vrios agentes sociais que produzem </p><p>atividades diversificadas, que se transformam constantemente e de forma desigual. </p><p>A palavra cidade, no Brasil, adquire um sentido poltico-administrativo definida pelo </p><p>IBGE como a localidade onde est sediada a prefeitura municipal, sendo constituda pela rea </p><p>urbana do distrito-sede estabelecido pela lei municipal. Desse modo, os centros urbanos </p><p>podem ser identificados a partir de um recorte populacional, onde as pequenas cidades so </p><p>aquelas com populao estimada em at 100 mil habitantes (IBGE 2007). </p><p>De acordo com Bridi e Soares (2003), as pequenas cidades tm uma trajetria pouco </p><p>vasta na literatura geogrfica, a qual vem privilegiando estudos sobre mdios e grandes </p><p>centros urbanos, o que se deve ao fato de que as grandes aglomeraes sempre despertaram </p><p>mais ateno pela concentrao de pessoas, contradies sociais, atividades modernas e meios </p><p>difusores de idias e ideologias, elementos esses que se reproduzem em diferentes escalas </p><p>pelo restante do territrio brasileiro. </p><p>Nota-se que s recentemente as pequenas cidades tm sido pauta em eventos </p><p>cientficos, trabalhos de dissertao e teses de Geografia. As dificuldades apresentadas </p><p>anlise dessa temtica so muitas, haja vista que a diversidade da realidade socioespacial do </p><p>pas e das prprias pequenas cidades, bem como a carncia de parmetros para a definio e </p><p>caracterizao desses espaos e de estudos de cunho terico-metodolgico, so claramente </p><p>perceptveis. Diante dessa diversidade apresentada, faz-se necessrio analisar cada municpio </p><p>individualmente. </p><p> importante ponderar que embora os ncleos de pequeno porte demogrfico tenham </p><p>uma participao inferior em relao aos demais no total da populao brasileira, eles </p><p>compem o maior nmero de cidades no pas, representando 72,6% dos municpios </p></li><li><p>Mobilidade urbana em pequenas cidades a experincia de Sacramento/MG. </p><p>Camilla Ferreira Gouvei ;William Rodrigues Ferreira </p><p>38 </p><p>OBSERVATORIUM: Revista Eletrnica de Geografia, v.2, n.4, p.34-55, jul. 2010. </p><p>brasileiros, o que merece, desse modo, estudos mais aprofundados quanto configurao e </p><p>urbanizao desses lugares (BRIDI; SOARES, 2003). </p><p>O conceito de cidade local foi utilizado por Milton Santos na dcada de 1970 e vem </p><p>sendo discutido e repensado desde ento, por outros autores. Esse mesmo autor cria uma </p><p>hierarquia urbana, propondo a seguinte classificao: cidades locais, cidades regionais, </p><p>metrpoles incompletas e metrpoles completas, sendo que, para ele, as cidades de um </p><p>mesmo nvel recorreriam s cidades de nvel superiores, em busca de bens e servios que no </p><p>tivessem condies de produzir (SANTOS, 1979b). </p><p>Santos (1979b) afirmou ainda que as pequenas cidades, ou cidades locais, como ele </p><p>denomina, exercem influncias estritamente locais e possuem nveis urbanos elementares, </p><p>mas que so fundamentais para os seus entornos prximos, visto que as mesmas tm um </p><p>conjunto de equipamentos voltados para o mundo rural ao mesmo tempo que esto integradas </p><p>s mdias e grandes cidades. </p><p>O autor alega ainda que a pequena cidade apresenta possibilidades limitadas de criar </p><p>atividades modernas devido ao tamanho reduzido de seu mercado e tambm por causa do </p><p>carter monopolizador das atividades regionais das mdias e grandes cidades. Cabe ressaltar, </p><p>entretanto, que, atualmente, as trocas ocorrem sem necessariamente seguir um nvel </p><p>hierrquico, como o caso de relaes cidades locais e metrpoles, ou cidades mdias e </p><p>campo. </p><p>No contexto de uma cidade, o transporte um fator essencial, tanto para o </p><p>deslocamento de seus cidados e mercadorias, quanto para a evoluo e estruturao urbana. </p><p>Ele desempenha papel fundamental para que as relaes sociais e econmicas possam se </p><p>desenvolver com maior ou menor intensidade e por meio dele que o homem se apropria do </p><p>meio. O transporte faz parte da dinmica da cidade e, portanto, deve ser planejado </p><p>adequadamente, a fim de evitar transtornos futuros na vida dos cidados. </p><p>O planejamento de transportes define tambm como se dar a mobilidade urbana. A </p><p>mobilidade urbana entendida aqui como o deslocamento de pessoas e bens no espao </p><p>urbano, utilizando veculos, vias, a infra-estrutura de trnsito e transportes, servios de </p><p>transportes e o sistema de circulao de trnsito. Assim, a infra-estrutura adequada aos meios </p><p>de circulao permite o deslocamento de pessoas e mercadorias, bem como os veculos e os </p><p>servios que sero ofertados. </p></li><li><p>Mobilidade urbana em pequenas cidades a experincia de Sacramento/MG. </p><p>Camilla Ferreira Gouvei ;William Rodrigues Ferreira </p><p>39 </p><p>OBSERVATORIUM: Revista Eletrnica de Geografia, v.2, n.4, p.34-55, jul. 2010. </p><p>Desse modo, no que tange mobilidade de mercadorias e pessoas, torna-se necessrio </p><p>a existncia de um planejamento do transporte eficiente, visando o deslocamento de </p><p>mercadorias e, principalmente, da populao, com uma melhor distribuio e locomoo </p><p>dentro da malha urbana. </p><p>Torna-se necessrio que haja um planejamento urbano conciliado com o planejamento </p><p>de transporte para que a circulao se torne acessvel a todos, haja vista que a inexistncia de </p><p>planejamento de transporte compromete a eficincia e a qualidade do transporte como um </p><p>todo, prejudica a qualidade de vida da comunidade e ainda provoca a desordem econmica do </p><p>sistema. Assim, as atividades de planejamento so essenciais para garantir a qualidade e a </p><p>eficincia do servio de transporte. (FERRAZ e TORRES, 2001). </p><p>Entretanto, o que se percebe ao longo dos anos que o automvel tem sido </p><p>privilegiado no sistema virio brasileiro e nos planejamentos urbano e de transporte. O </p><p>automvel se transformou no meio prioritrio de deslocamento, contribuindo, assim, para que </p><p>as pessoas pudessem adquiri-lo em maior quantidade. Assim, as atuais polticas pblicas </p><p>urbanas buscam atender circulao dos carros, em detrimento do transporte coletivo, </p><p>resultando em situaes preocupantes na circulao geral haja vista que sem um eficiente </p><p>planejamento de trnsito e transporte no h condies das pessoas circularem. </p><p> papel do planejamento organizar o espao urbano, desenvolvendo-o e reproduzindo-</p><p>o, e cabe ao poder pblico municipal a elaborao e execuo do Planejamento Urbano, </p><p>visando, sobretudo, a melhoria da qualidade de vida da populao. Porm, na maioria das </p><p>vezes, o mesmo representa os interesses discordantes do que beneficiaria a sociedade como </p><p>um todo. </p><p>No Brasil, o Planejamento Urbano apresenta em seu contexto falhas quanto atuao </p><p>do Estado sobre as cidades, principalmente nos campos de saneamento, transportes e </p><p>habitao. E no existe apenas um modelo de planejamento urbano: este se apresenta na </p><p>forma de Zoneamento, Planos Setoriais, Planos Diretores e outros. Na histria dos </p><p>planejamentos, cabe ressaltar que os planos sempre foram elaborados ao longo das dcadas, </p><p>mas, em sua maioria, privilegiava e ainda privilegia as reas centrais ou locais onde habitam </p><p>uma populao de mdia e alta renda, o que acaba causando mais desigualdades sociais. </p><p>Para que o planejamento urbano se torne eficaz preciso que cada cidade construa </p><p>seus planos de acordo com as suas caractersticas prprias. Cada cidade possui sua </p></li><li><p>Mobilidade urbana em pequenas cidades a experincia de Sacramento/MG. </p><p>Camilla Ferreira Gouvei ;William Rodrigues Ferreira </p><p>40 </p><p>OBSERVATORIUM: Revista E...</p></li></ul>