minuta 28/2/97 - telebras

Download minuta 28/2/97 - Telebras

Post on 10-Jan-2017

216 views

Category:

Documents

2 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

MINUTA 28/2/97

Tal como arquivado junto Securities and Exchange Commission em 21 de julho de 1999SECURITIES AND EXCHANGE COMMISSION

Washington, D.C. 20549

FORMULRIO 20-F/A

ALTERAO NR. 2

RELATRIO ANUAL DE ACORDO COM A SEO 13

DO SECURITIES EXCHANGE ACT DE 1934

para o exerccio findo em 31 de dezembro de 1997

Nmero de Arquivo na SEC: 1-14032

Telecomunicaes Brasileiras S.A. - Telebrs

(Nome exato do registrante tal como especificado em seu estatuto social)

Brazilian Telecommunications Corporation Telebrs Repblica Federativa do Brasil

(Traduo do nome do registrante para o ingls)(Jurisdio de constituio ou organizao)

SAS- Quadra 6

70.313-900 - Braslia - DF

Repblica Federativa do Brasil

(Endereo da sede)

Ttulos registrados ou a registrar de acordo com a Seo 12(b) da Lei:

Denominao de cada classe:

Nome da bolsa em que est registrado:

Aes Preferenciais, sem valor nominal* Bolsa de Valores de Nova York

American Depositary Shares (eviden-

Bolsa de Valores de Nova York

ciadas por American Depositary Receipts)

representando 1.000 Aes Preferenciais

cada.

___________________

*No para negociao, mas relacionadas apenas ao registro de American Depositary Shares, de acordo com as exigncias da Securities and Exchange Commission.

Ttulos registrados ou a registrar de acordo com a Seo 12(g) da Lei: Nenhum

Ttulos em relao aos quais h obrigatoriedade de apresentao de relatrios peridicos de acordo com a Seo 15(d) da Lei: Nenhum.

Indicar o nmero de aes no mercado de cada uma das classes do capital em aes ou aes ordinrias do emissor no ltimo do ltimo exerccio social completo abrangido por este Relatrio Anual:

Em 31 de dezembro de 1997, existiam em circulao:

124.369.030.532 Aes Ordinrias, sem valor nominal

196.311.647.918 Aes Preferenciais, sem valor nominal

Marque com X se o registrante (1) protocolou todos os relatrios exigidos pela Seo 13 ou 15(d) do Securities Exchange Act de 1934 nos ltimos 12 meses (ou perodo mais curto para o qual se tenha exigido que o registrante protocolasse tais relatrios) e se (2) tem estado submetido a tais requisitos dentro dos ltimos 90 dias:

Sim X No __

Marque com X o item das demonstraes contbeis que o registrante optou por seguir:

Item 17__Item 18 X

NOTA EXPLICATIVA

A Telecomunicaes Brasileiras S.A Telebrs (a Companhia ou Telebrs) preparou este Relatrio Anual Retificado datado de 30 de junho de 1999, com o objetivo de apresentar algumas reclassificaes e efetuar alguns ajustes ao Relatrio Anual Retificado, conforme arquivado em 1 de setembro de 1998. Veja Nota 3 das Demonstraes Contbeis aqui apresentadas.

A Telebrs acredita que essas mudanas no so materiais para a sua situao financeira, operaes ou perspectivas.

Exceto pelas mudanas acima descritas e pelas mudanas consecutivas no corpo do Relatrio Anual e a correo de erros tipogrficos, nenhuma mudana foi efetuada no Relatrio Anual no Form 20-F conforme arquivado em 30 de junho de 1998. O arquivamento deste Relatrio Anual retificado no deve ser entendido como significasse que quaisquer relatos aqui contidos so verdadeiros ou completos a partir de qualquer data subsequente a 30 de junho de 1998.

NDICE

Pgina

PARTE I4

Item 1. Descrio das Atividades5

Item 2. Descrio da Propriedade25

Item 3. Processos Judiciais25

Item 4. Controle do Registrante27

Item 5. Natureza do Mercado de Capitais28

Item 6. Controles Cambiais e Outras Limitaes que Afetam os Portadores de Aes30

Item 7. Tributao 31

Item 8. Dados Financeiros Selecionados36

Item 9. Discusso e Anlise da Situao Financeira e dos Resultados das Operaes pela Administrao41

Item 9 a. Divulgaes Quantitativas e Qualitativas acerca do Risco do Mercado54

Item 10. Conselheiros de Administrao e Diretores da Registrante55

Item 11. Remunerao dos Conselheiros e Diretores56

Item 12. Opes de Compra de Ttulos da Registrante ou das Subsidirias57

Item 13. Participao da Administrao em Algumas Operaes57

PARTE II57

Item 14. Descrio dos Ttulos a Serem Registrados57

PARTE III57

Item 15. Inadimplementos Referentes a Ttulos No Subordinados57

Item 16. Mudanas em Ttulos e Mudanas na Garantia de Ttulos Registrados57

PARTE IV57

Item 17. Demonstraes Contbeis57

Item 18. Demonstraes Contbeis57

Item 19. Demonstraes Contbeis e Anexos57

TELECOMUNICAES BRASILEIRAS S.A. - TELEBRS2

Principal30

199767

199667

199567

Relatrio67

Relatrio67

Relatrio67

Relatrio67

Relatrio67

Relatrio67

A Telebrs uma companhia constituda de acordo com as leis da Repblica Federativa do Brasil (Brasil).

A menos que se especifique em contrrio, neste Relatrio Anual todas as referncias a (i) reais, o real ou R$ so a reais (plural) brasileiros ou a real (singular) brasileiro, a moeda legal do Brasil, e (ii) a dlares norte-americanos ou US$ so a dlares dos Estados Unidos da Amrica. Todos os valores em moedas brasileiras existentes antes da adoo do real como moeda nacional brasileira em 1o. de julho de 1994 foram convertidos para reais neste Relatrio Anual.

As Demonstraes Contbeis Consolidadas auditadas da Companhia de 31 de dezembro de 1995 e 1996 e para os anos terminados em 31 de dezembro de 1995, 1996 e 1997 (as Demonstraes Contbeis Consolidadas) contidas neste Relatrio Anual esto expressas em reais. De acordo com os princpios contbeis geralmente aceitos no Brasil (Brasil-GAAP), as Demonstraes Contbeis Consolidadas e os demais dados financeiros aqui apresentados reconhecem certos efeitos de alteraes no poder aquisitivo da moeda brasileira devido inflao e, a menos que se especifique em contrrio, foram corrigidos e expressos em reais de poder aquisitivo constante de 31 de dezembro de 1997, usando-se as alteraes dirias ou os valores mdios mensais da Unidade Fiscal de Referncia (a UFIR), no caso de perodos anteriores a 31 de dezembro de 1995 e o ndice Geral de Preos-Mercado (IGP-M), no caso de perodos subseqentes.

Para exclusiva convenincia do leitor, este Relatrio Anual contm converses em dlares norte-americanos de certas quantias dadas em reais. A menos que se indique em contrrio, a informao equivalente em dlares norte-americanos para quantias em reais foi convertida pela taxa de compra do dlar comercial americano (Taxa de Mercado) publicada pelo Banco Central do Brasil para 31 de dezembro de 1997, que foi de R$1,1164 para US$1,00. A taxa de compra do meio-dia na cidade de Nova York para transferncias eletrnicas em reais certificadas pelo Banco Central (Federal Reserve Bank) de Nova York no foi registrada sistematicamente para a moeda brasileira durante os perodos cobertos pelos dados apresentados neste Relatrio Anual. Nenhuma declarao feita no sentido de que as quantias em reais ou em dlares norte-americanos apresentadas neste Relatrio Anual foram ou poderiam ser convertidas em dlares norte-americanos ou reais, conforme o caso, por alguma ou qualquer determinada taxa. Ver Dados Financeiros Selecionados.

PARTE I

NOTA INTRODUTRIA

Com incio em 1995, o Governo Federal Brasileiro (o Governo Federal) elaborou uma ampla reforma do sistema de regulamentao das telecomunicaes do pas. Em agosto de 1995, a Constituio brasileira foi alterada a fim de permitir que o Governo Federal outorgasse as concesses s empresas do setor privado para que fornecessem servios de telecomunicaes. Em julho de 1997, o Congresso Nacional aprovou a Lei Geral de Telecomunicaes (a Lei Geral de Telecomunicaes), a qual estabelece uma nova estrutura regulamentadora, a introduo de competio e a privatizao do Sistema Telebrs (conforme aqui definido). A Lei Geral de Telecomunicaes estabeleceu uma agncia reguladora independente chamada de Agncia Nacional de Telecomunicaes-ANATEL, a qual comeou a implementar as disposies da Lei Geral de Telecomunicaes (juntamente com os regulamentos, decretos, ordens e planos sobre telecomunicaes elaborados pelo Poder Executivo, as Regulamentaes das Telecomunicaes).

Em 22 de janeiro de 1998, em funo da preparao para a restruturao do Sistema Telebrs, as operaes do servio celular das 27 subsidirias da Telebrs foram cindidas das suas respectivas empresas operadoras da telefonia fixa e tornaram-se empresas separadas, criando-se desta forma 53 operadoras regionais alm da Empresa Brasileira de Telecomunicaes S.A - Embratel (Embratel), a empresa prestadora de servios telefnico interestadual e internacional. Em 22 de maio de 1998, os acionistas da Telebrs aprovaram a restruturao do Sistema Telebrs para formar, alm da Telebrs, doze novas empresas controladoras (as Novas Empresas Controladoras) para o setor de telecomunicaes, atravs de um procedimento contido na Lei das Sociedades Annimas, conhecido como ciso. s novas empresas controladoras foram alocados virtualmente todos os ativos e passivos da Telebrs, incluindo as aes possudas pela Telebrs nas empresas operadoras do Sistema Telebrs. Conforme os termos da ciso, a obrigao por quaisquer reclamaes surgidas em funo dos atos efetuados pela Telebrs anterior data efetiva da ciso continua com a Telebrs, exceto as reclamaes trabalhistas e tributrias (pelas quais a Telebrs e as novas empresas controladoras so conjunta e individualmente responsveis ), e qualquer responsabilidade pela qual tenham sido efetuadas provises especficas, foram transferidas para as novas empresas controladoras. As novas empresas controladoras, juntamente com as suas respectivas subsidirias, compreendem (a) trs operadoras regionais de telefonia fixa, (b) oito operado