Ministrio do Planejamento, Oramento e Gesto Valria Alpino Bigonha Salgado Gerente de Projeto Secretaria de Gesto do Ministrio do Planejamento, Oramento.

Download Ministrio do Planejamento, Oramento e Gesto Valria Alpino Bigonha Salgado Gerente de Projeto Secretaria de Gesto do Ministrio do Planejamento, Oramento.

Post on 22-Apr-2015

109 views

Category:

Documents

0 download

TRANSCRIPT

  • Slide 1
  • Ministrio do Planejamento, Oramento e Gesto Valria Alpino Bigonha Salgado Gerente de Projeto Secretaria de Gesto do Ministrio do Planejamento, Oramento e Gesto Fundao Estatal Fundamentos legais e institucionais
  • Slide 2
  • Ministrio do Planejamento, Oramento e Gesto Secretaria de Gesto do Ministrio do Planejamento, Oramento e Gesto Secretrio: Valter Correia da Silva Secretaria de Gesto do Ministrio do Planejamento, Oramento e Gesto Secretrio: Valter Correia da Silva Responsvel por: Propor polticas e diretrizes para a gesto pblica Promover a cooperao inter-federativa e internacional para a melhoria da gesto pblica Promover, fomentar e orientar a implantao de projetos e atividades de melhoria e inovao da gesto pblica Acompanhar e avaliar os sistemas de gesto pblica dos rgos e entidades do Governo Federal Propor e orientar a organizao da macro-estrutura do Governo Federal e a modelagem das estruturas dos seus rgos e entidades Desenvolve estudos e pesquisas sobre as formas jurdico- institucionais sob as quais o Estado pode se constitui para atuar no desenvolvimento social e na economia
  • Slide 3
  • Ministrio do Planejamento, Oramento e Gesto Ideal de Estado que orienta as polticas de gesto do Governo Federal que orienta as polticas de gesto do Governo Federal Ideal de Estado que orienta as polticas de gesto do Governo Federal que orienta as polticas de gesto do Governo Federal
  • Slide 4
  • Ministrio do Planejamento, Oramento e Gesto Estado Democrtico que promove o reequilbrio do poder em favor da cidadania como importante elemento para contrabalanar o poder da burocracia Cidadania Parcerias com o setor social Novas formas de controle, incluindo a participao cidad nos processos de decises polticas, por meio da representao social
  • Slide 5
  • Ministrio do Planejamento, Oramento e Gesto Conceito de Estado sem cunho intervencionista ou liberal Forte para se defender do controle privado Que assume papel decisivo como agente econmico (por meio da regulao e fiscalizao) Que busca o equilibrio fiscal e a recuperao da capacidade de investimento do Estado Que se orienta na direo de uma burocracia profissional, comprometida com o interesse pblico e com a obteno de resultados Que promove a incluso social e a reduo das desigualdades
  • Slide 6
  • Ministrio do Planejamento, Oramento e Gesto Desenvolvimento econmico do pas no capaz de alavancar sozinho o desenvolvimento social So necessrias polticas integradas e sistemticas de reduo da excluso e da desigualdade social, em conjunto com as polticas de promoo do desenvolvimento econmico Desenvolvimento econmico do pas no capaz de alavancar sozinho o desenvolvimento social So necessrias polticas integradas e sistemticas de reduo da excluso e da desigualdade social, em conjunto com as polticas de promoo do desenvolvimento econmico Orientao Estratgica
  • Slide 7
  • Ministrio do Planejamento, Oramento e Gesto Paradigmas externos - surgidos com base em outras realidades podem ser inspiradores mas nunca determinantes Fundamental referenciar-se na histria e na realidade nacional e, a partir da buscar a superao das limitaes e a promoo do desenvolvimento econmico e social Conceito de Estado: modelo hbrido
  • Slide 8
  • Ministrio do Planejamento, Oramento e Gesto preserva o atributo de ser: promotor do desenvolvimento social e o carter distributivista, destinado a atenuar as distores do mercado e amparar os contingentes que ficam margem do progresso econmico
  • Slide 9
  • Ministrio do Planejamento, Oramento e Gesto Este conceito de Estado orienta o desenho da macro-estrutura do Governo Federal e norteia os estudos sobre a modelagem jurdico-institucional dos setores governamentais Fortalecimento das organizaes e das funes pblicas
  • Slide 10
  • Ministrio do Planejamento, Oramento e Gesto Orientaes: nfase no papel disciplinador do Estado (formulao, coordenao, orientao, regulao e fiscalizao), nas relaes de parceria com agentes privados e sociais e na promoo do desenvolvimento nacional Descentralizao como forma de ampliar o alcance da ao estatal, fazendo-a chegar at os cidados. nfase no princpio da autonomia, como padro de desenho organizacional em contrapartida responsabilidade de alcanar resultados nfase no controle externo (social) Participao social como forma de conceder perenidade e sustentabilidade aos projetos pblicos.
  • Slide 11
  • Ministrio do Planejamento, Oramento e Gesto Gradiente de formas institucionais sob as quais o Estado atua na economia e no desenvolvimento social Administrao Pblica Estado Sociedade Regime Jurdico de Direito Pblico Administrao Direta Administrao Direta Autarquia Consrcio Plbico Consrcio Plbico Outras entidades do 3 Setor Sociedade civil Regime Jurdico de Direito Privado Sociedade Annimia Sociedade Annimia Organizao Social Organizao Social Servio Social Autnomo Servio Social Autnomo OSCIP Fundao de Apoio Fundao de Apoio Empresa Pblica Empresa Pblica Empresaa Depenedente Empresaa Depenedente Fundao Direito Pblico Fundao Direito Pblico
  • Slide 12
  • Ministrio do Planejamento, Oramento e Gesto Estado Sociedade Regime Jurdico de Direito Pblico Forma jurdica prpria para as funes de disciplina: Forma jurdica prpria para as funes de disciplina: formulao, regulamentao, regulao, coordenao e fiscalizao Pouco apropriado para a execuo de servios pblicos Administrao Direta Administrao Direta Autarquia Consrcio Plbico Consrcio Plbico Outras entidades do 3 Setor Sociedade Annimia Sociedade Annimia Organizao Social Organizao Social Servio Social Autnomo Servio Social Autnomo OSCIP Fundao de Apoio Fundao de Apoio Empresa Pblica Empresa Pblica Empresa a Depenedente Empresa a Depenedente Fundao Direito Pblico Fundao Direito Pblico Administrao direta
  • Slide 13
  • Ministrio do Planejamento, Oramento e Gesto Estado Sociedade Regime Jurdico de Direito Pblico Forma jurdica prpria para a execuo de atividades tpicas de Estado: normatizao, fomento, fiscalizao, exerccio do poder de polcia etc. Administrao Direta Administrao Direta Autarquia Consrcio Plbico Consrcio Plbico Outras entidades do 3 Setor Sociedade Annimia Sociedade Annimia Organizao Social Organizao Social Servio Social Autnomo Servio Social Autnomo OSCIP Fundao de Apoio Fundao de Apoio Empresa Pblica Empresa Pblica Empresa a Depenedente Empresa a Depenedente Fundao Direito Pblico Fundao Direito PblicoAutarquia
  • Slide 14
  • Ministrio do Planejamento, Oramento e Gesto Administrao Direta Administrao Direta Autarquia Outras entidades do 3 Setor Sociedade Annimia Sociedade Annimia Organizao Social Organizao Social Servio Social Autnomo Servio Social Autnomo OSCIP Fundao de Apoio Fundao de Apoio Empresa Pblica Empresa Pblica Empresa a Depenedente Empresa a Depenedente Autarquia Especial Autarquia Especial Agncia Executiva Agncia Executiva Agncia Reguladora Agncia Reguladora Consrcio Plbico Consrcio Plbico Fundao Direito Pblico Fundao Direito PblicoAutarquia
  • Slide 15
  • Ministrio do Planejamento, Oramento e Gesto Estado Sociedade Regime Jurdico de Direito Pblico criadas por lei para desempenhar atividades pblicas no exclusivas de Estado em reas que no exijam o uso do poder de autoridade Administrao Direta Administrao Direta Autarquia Consrcio Plbico Consrcio Plbico Outras entidades do 3 Setor Sociedade Annimia Sociedade Annimia Organizao Social Organizao Social Servio Social Autnomo Servio Social Autnomo OSCIP Fundao de Apoio Fundao de Apoio Empresa Pblica Empresa Pblica Empresa a Depenedente Empresa a Depenedente Fundao Direito Pblico Fundao Direito Pblico Consagradas na CF 1988 Regime administrativo similar ao das autarquias fundaes autrquicas Fundao pblica de direito pblico
  • Slide 16
  • Ministrio do Planejamento, Oramento e Gesto Estado Sociedade Administrao Direta Administrao Direta Autarquia Consrcio Plbico Consrcio Plbico Outras entidades do 3 Setor Sociedade Annimia Sociedade Annimia Organizao Social Organizao Social Servio Social Autnomo Servio Social Autnomo OSCIP Fundao de Apoio Fundao de Apoio Empresa Pblica Empresa Pblica Empresa a Depenedente Empresa a Depenedente Fundao Direito Pblico Fundao Direito Pblico Regime Jurdico de Direito Pblico Regime Jurdico de Direito Privado De Diireito Privado De Diireito Privado Associao pblica com personalidade de direito pblico e natureza autrquica Associao Civil sem Fins Lucrativos, com personalidade de direito privado que observa normas de direito pblico no que concerne licitao e contratos, admisso de pessoal e prestao de contas Autarquia Interfederativa De Direito Pblico De Direito Pblico Lei 11.107/2005 e Decreto 6.017, 17.01.2007 Consrcio pblico
  • Slide 17
  • Ministrio do Planejamento, Oramento e Gesto Estado Sociedade Modelo prprio para exerccio de atividade lucrativa, voltada para o mercado: regime administrativo mnimo (CLT), regulamento prprio de compras e autonomia oramentria Administrao Direta Administrao Direta Autarquia Consrcio Plbico Consrcio Plbico Outras entidades do 3 Setor Sociedade Annimia Sociedade Annimia Organizao Social Organizao Social Servio Social Autnomo Servio Social Autnomo OSCIP Fundao de Apoio Fundao de Apoio Empresa Pblica Empresa Pblica Empresa a Depenedente Empresa a Depenedente Fundao Direito Pblico Fundao Direito Pblico Regime Jurdico de Direito Privado Empresas estatais No tem autonomia oramentria
  • Slide 18
  • Ministrio do Planejamento, Oramento e Gesto Gradiente de formas institucionais sob as quais o Estado atua na economia e no desenvolvimento social Estado Sociedade Administrao Direta Administrao Direta Autarquia Outras entidades do 3 Setor Sociedade Annimia Sociedade Annimia Organizao Social Organizao Social Servio Social Autnomo Servio Social Autnomo OSCIP Fundao de Apoio Fundao de Apoio Empresa Pblica Empresa Pblica Empresa a Depenedente Empresa a Depenedente Consrcio Plbico Consrcio Plbico Fundao Direito Pblico Fundao Direito Pblico Regime Jurdico de Direito Privado Pessoas jurdicas criadas pelo Poder Pblico por lei ou mediante autorizao legal Institudas por particulares particulares
  • Slide 19
  • Ministrio do Planejamento, Oramento e Gesto Gradiente de formas institucionais sob as quais o Estado atua na economia e no desenvolvimento social Administrao Pblica Administrao Direta Administrao Direta Autarquia Outras entidades do 3 Setor Sociedade civil Sociedade Annimia Sociedade Annimia Organizao Social Organizao Social Servio Social Autnomo Servio Social Autnomo OSCIP Fundao de Apoio Fundao de Apoio Empresa Pblica Empresa Pblica Empresa a Depenedente Empresa a Depenedente atividade pblica Descentralizada Parceria em atividade de interesse pblico Consrcio Plbico Consrcio Plbico Fundao Direito Pblico Fundao Direito Pblico
  • Slide 20
  • Ministrio do Planejamento, Oramento e Gesto No so modelos jurdico-institucionais e sim formas de fomento e parceria entre o Estado e o Terceiro Setor: Entidade civil sem fins lucrativos, instituda por iniciativa de particulares Autorizao legislativa estabelece o processo de qualificao Lei Federal 9.637/1998 Administrao Direta Administrao Direta Autarquia Outras entidades do 3 Setor Sociedade Annimia Sociedade Annimia Organizao Social Organizao Social Servio Social Autnomo Servio Social Autnomo OSCIP Fundao de Apoio Fundao de Apoio Empresa Pblica Empresa Pblica Empresa a Depenedente Empresa a Depenedente Consrcio Plbico Consrcio Plbico Fundao Direito Pblico Fundao Direito Pblico Administrao Pblica Sociedade civil Lei Federal 9.790/99 Lei do Terceiro Setor Lei do Terceiro Setor
  • Slide 21
  • Ministrio do Planejamento, Oramento e Gesto Administrao Pblica Administrao Direta Administrao Direta Autarquia Outras entidades do 3 Setor Sociedade civil Sociedade Annimia Sociedade Annimia Organizao Social Organizao Social Servio Social Autnomo Servio Social Autnomo OSCIP Fundao de Apoio Fundao de Apoio Empresa Pblica Empresa Pblica Empresa a Depenedente Empresa a Depenedente Consrcio Plbico Consrcio Plbico Fundao Direito Pblico Fundao Direito Pblico Organizao Social A qualificao decorre da necessidade do Estado de descentralizar um servio pblico. H processo de preparao da entidade para ser qualificada como OS Poder Pblico participa do sistema de governana da OS ADIN - Modelo polmico quanto: (1) ao mtodo de qualificao da OS; (2) cesso de servidores pblicos, com nus para a origem (3) Programa de Publicizao Deciso recente do STF (Ministro Eros Grau) contra o modelo
  • Slide 22
  • Ministrio do Planejamento, Oramento e Gesto Administrao Pblica Administrao Direta Administrao Direta Autarquia Outras entidades do 3 Setor Sociedade civil Sociedade Annimia Sociedade Annimia Organizao Social Organizao Social Servio Social Autnomo Servio Social Autnomo OSCIP Fundao de Apoio Fundao de Apoio Empresa Pblica Empresa Pblica Empresa a Depenedente Empresa a Depenedente Consrcio Plbico Consrcio Plbico Fundao Direito Pblico Fundao Direito Pblico Organizao da Sociedade Civil de Interesse Pblico - OSCIP Qualificao pelo Ministrio da Justia Com base no cumprimento de requisitos formais Objetivos: (1) ampliar o universo de entidades com relao institucionalizada com o Poder Pblico (no contempladas como de utilidade publica) (2) fortalecer o Terceiro Setor, e possibilitar o fomento a projetos considerados relevantes (3) estabelecer outro instrumento jurdico de fomento ao Terceiro Setor: Termo de Parceria, que pudesse substituir os contratos regidos pela Lei 8.666/93 e os convnios No foi concebida como modalidade de descentralizao do servio pblico
  • Slide 23
  • Ministrio do Planejamento, Oramento e Gesto Administrao Pblica Administrao Direta Administrao Direta Autarquia Outras entidades do 3 Setor Sociedade civil Sociedade Annimia Sociedade Annimia Organizao Social Organizao Social Servio Social Autnomo Servio Social Autnomo OSCIP Fundao de Apoio Fundao de Apoio Empresa Pblica Empresa Pblica Empresa a Depenedente Empresa a Depenedente Consrcio Plbico Consrcio Plbico Fundao Direito Pblico Fundao Direito Pblico forma institucional de parceria entre o Estado e as corporaes forma institucional de parceria entre o Estado e as corporaes. Normalmente, so criadas pelas Confederaes Nacionais, na qualidade colaboradoras do Estado Mantidos por dotaes oramentrias e contribuies parafiscais - tributos que incidem sobre a folha de salrios das empresas pertencentes categoria correspondente e se destinam a financiar atividades que visem ao aperfeioamento profissional e melhoria do bem estar social dos trabalhadores. Tributam o setor privado (as empresas). Servio Social Autnomo Conceito doutrinrio: pessoa jurdica de direito privado, sem fins lucrativos, instituda por lei para ministrar assistncia ou ensino a certas categorias sociais ou grupos profissionais
  • Slide 24
  • Ministrio do Planejamento, Oramento e Gesto Administrao Pblica Administrao Direta Administrao Direta Autarquia Outras entidades do 3 Setor Sociedade civil Sociedade Annimia Sociedade Annimia Organizao Social Organizao Social Servio Social Autnomo Servio Social Autnomo OSCIP Fundao de Apoio Fundao de Apoio Empresa Pblica Empresa Pblica Empresa a Depenedente Empresa a Depenedente Consrcio Plbico Consrcio Plbico Fundao Direito Pblico Fundao Direito Pblico Fundao de apoio Apoiam a gesto dos rgos nos seguintes aspectos: Receitas Complementares Remunerao complementar Regime de contratao celetista e outros regimes de contratao Incentivos produo e formas alternativas de remunerao Investimento em infra-estrutura Promoo de pesquisas atividade aberta inicativa privada Constituda por particulares, muitas vezes por servidores pblicos do rgo ou entidade que apoia
  • Slide 25
  • Ministrio do Planejamento, Oramento e Gesto Contratao de fora de trabalho sem concurso pblico (CF Art. 37 II) Terceirizao de servios no terceirizaveis (Ex.: Dec. 2.271/97) Infringncia contratao de fora de trabalho sem prvia dotao oramentria (CF Art 48-X, Art 61-1-II-a, Art 169-1) Complementao salarial de servidores com recursos pblicos afronta a CF art. 37-X Desrespeito coordenao ministerial prevista no DL 200/67 Art.19 desrepeito a Lei 8666/93, art. 9: alguns empregados e instituidores da fundao so do quadro da fundao Uso das instalaes e equipamentos pblicos pela fundao de apoio para prestar servios a terceiros Triangulao de recursos pblicos Fundaes de apoio aos hospitais federais so pagas pelo SUS, emobra no sejam autnticas entidades de sade Aquisio de patrimnio com recursos pblicos/ Incorporao de bens doados ao Poder Pblico Alguns pontos da relao entre a Administrao Pblica e as fundaes de apoio questionados pelo TCU e MP Fundao de Apoio
  • Slide 26
  • Ministrio do Planejamento, Oramento e Gesto Instrumentos de Fomento e Parceria do Poder Pblico e Entidades da Sociedade Civil sem Fins Lucrativos Outras entidades do 3 Setor Sociedade civil Organizao Social Organizao Social Servio Social Autnomo Servio Social Autnomo OSCIP Fundao de Apoio Fundao de Apoio Contrato de Gesto Contrato de Gesto (?) Termo de Parceria Convnio Convnio
  • Slide 27
  • Ministrio do Planejamento, Oramento e Gesto Gradiente de formas institucionais sob as quais o Estado atua na economia e no desenvolvimento social Administrao Pblica Administrao Direta Administrao Direta Autarquia Outras entidades do 3 Setor Sociedade civil Sociedade Annimia Sociedade Annimia Organizao Social Organizao Social Servio Social Autnomo Servio Social Autnomo OSCIP Fundao de Apoio Fundao de Apoio Empresa Pblica Empresa Pblica Empresa a Depenedente Empresa a DepenedenteEstado Sociedade Regime Jurdico de Direito Pblico Regime Jurdico de Direito Privado FUNDAO ESTATAL Proposta Consrcio Plbico Consrcio Plbico Fundao Direito Pblico Fundao Direito Pblico
  • Slide 28
  • Ministrio do Planejamento, Oramento e Gesto
  • Slide 29
  • Antecedentes Reflexo no mbito do M.Planejamento a respeito do gradiente de formas jurdico-institucionais do Estado: Setor de atividades no exclusivas, onde no h uso do poder de autoridade do Estado: 1. Esgotamento dos modelos de autarquia e fundao pblica: rigidez no regime admin., especialmente em relao a gesto oramentria, gesto de pessoas e compras 2. Inadequao da categoria jurdica de empresas, para atividades no lucrativas (especialmente as sociais) empresas dependentes (LRF) 3. Necessidade de reviso do modelo de Organizaes Sociais: (a) questionamentos quanto constitucionalidade e (b) no aderncia do modelo para alguns setores 4. Doutrina jurdica e a jurisprudncia do STF apoiam o entendimento de que a personalidade jurdica de direito privado prpria do modelo fundacional A partir de 2004
  • Slide 30
  • Ministrio do Planejamento, Oramento e Gesto Histrico do Projeto Oficinas de trabalho com o MP, MS e dirigentes dos hospitais: A partir de 09/ 2005, para delinear soluo estrutural para os hospitais, luz da Constituio Segurana jurdica da proposta: Cooperao de juristas: Dr. Carlos Ari Sundfeld, Procurador-Chefe Regional da Repblica 1 Regio, Dr. Antonio Carlos Bigonha, Promotor de Justia, Dr. Eduardo Sabo Paes, Dra. Lenir Santos, Dr. Jos dos Santos Carvalho Filho, Dr. Gustavo Tepedino e outros. Interesse de outros setores no modelo: educao e turismo: Universidades e hospitais de ensino: Portaria Interministerial MEC/MCT/MS/MP 1643, de 03.10.06: Grupo de Trabalho para propor alternativas para o modelo de gesto dos hospitais de ensino. Embratur e Escolas Tcnicas do SUS Fato motivador : Crise dos hospitais federais do Rio de Janeiro: Ministrio Pblico e TCU: questionamento da legalidade e constitucionalidade das relaes entre os hospitais e as fundaes de apoio: determinao de suspenso dos convnios
  • Slide 31
  • Ministrio do Planejamento, Oramento e Gesto Conceito e histrico de Fundao Modalidade jurdico-institucional oriunda do direito privado prevista nos arts. 62 a 69 do Cdigo Civil: Fundao privada: quando instituda por pessoa da iniciativa privada Fundao pblica: quando o Estado tiver sido o instituidor Configurou as fundaes pblicas na administrao pblica indireta como pessoa jurdica regida pelo direito privado Decreto-Lei 200/67: Decreto-Lei 200/67: Retirou as fundaes publicas de direito privado de dentro da administrao pblica indireta, sujeitando-as apenas as regras do Cdigo Civil Decreto-Lei 900/69: Decreto-Lei 900/69: Revogou o DL 900/67 e reintegrou as fundaes pblicas de direito privado na administrao pblica indireta Decreto-Lei 2.299/86 e Lei 7.596/87: Consagrou a fundao pblica de direito pblico dotada do mesmo regime administrativo das autarquias - restries administrativas, oramentrias e financeiras Const. Federal 1988: Const. Federal 1988: no eliminou do ordenamento jurdico brasileiro A previso constitucional da fundao pblica de direito pblico no eliminou a fundao de direito privado, instituda pelo Estado do ordenamento jurdico brasileiro
  • Slide 32
  • Ministrio do Planejamento, Oramento e Gesto Fundao Estatal Amparo Constitucional: somente por lei especfica poder ser criada autarquia e autorizada a instituio de empresa pblica, de sociedade de economia mista e de fundao, cabendo lei complementar, neste ltimo caso, definir as reas de sua atuao. (Redao dada pela EC n 19, de 1998) (Redao dada pela EC n 19, de 1998) (Redao dada pela EC n 19, de 1998) Retira a qualificao pblica do texto original da CF/1988 Prev que lei complementar definir reas de atuao da fundao. Reconhece as fundaes e as empresas e S.A. como categorias similares, que adquirem personalidade jurdica segundo normas do direito privado d tratamento diferenciado s autarquias, institudas diretamente pela lei CF - Art. 37, Inciso XIX : Com base neste dispositivo da CF: O Poder Pblico poder instituir Fundao mediante: Lei Complementar Que defina as reas em que podem ser institudas, para a Unio, os Estados e os Municpios Para cada fundao a ser instituda, que estabelea o regime administrativo mnimo que a fundao dever observar Lei Autorizativa
  • Slide 33
  • Ministrio do Planejamento, Oramento e Gesto Entidade sem fins lucrativos, com personalidade jurdica de direito privado, instituda pelo Poder Pblico, com autonomia gerencial, oramentria e financeira, patrimnio prprio e receitas prprias, submetida gesto dos rgos de direo ou gerncia, conforme dispuser o seu estatuto Fundao Estatal
  • Slide 34
  • Ministrio do Planejamento, Oramento e Gesto Fundao Estatal Suas reas de atuao so estabelecidas pela Lei Complementar: reas no exclusivas de Estado e que no exijam o exerccio do poder de autoridade: sade, educao, cincia e tecnologia, cultura, meio-ambiente, desporto, previdncia complementar, assistncia social, dentre outras
  • Slide 35
  • Ministrio do Planejamento, Oramento e Gesto Fundao Estatal A fundao estatal ser criada para exerccio de atividade social, sem fins lucrativos Portanto, no poder ser criada fundao estatal para realizar a gesto de outros rgos e entidades pblicos ou seja, como entidade de apoio
  • Slide 36
  • Ministrio do Planejamento, Oramento e Gesto Administrao Pblica Administrao Direta Administrao Direta Autarquia Fundao Direito Pblico Fundao Direito Pblico Sociedade Annimia Sociedade Annimia Empresa Pblica Empresa Pblica FUNDAO ESTATAL Empresa a Depenedente Empresa a Depenedente integra a administrao pblica indireta integra a administrao pblica indireta integra a administrao pblica indireta integra a administrao pblica indireta Fiscalizada pelos rgos de controle interno e externo Vincula-se ao rgo ou entidade em cuja rea de competncia estiver inserida a sua atividade Observa das disposies do art. 37 da Constituio Federal - Sua posio perante o Poder Pblico a mesma das sociedades de economia mista e empresas pblicas Fundao Estatal
  • Slide 37
  • Ministrio do Planejamento, Oramento e Gesto Prprio das entidades de personalidade jurdica de direito privado Prprio das entidades de personalidade jurdica de direito privado Observncia de concurso pblico Observncia de concurso pblico Plano de Carreira, Emprego e Salrios Prprio Plano de Carreira, Emprego e Salrios Prprio Atrativo e fator de reteno de profissionais de qualidade e alta especializao: remunerao compatvel com mercado e possibilidade de aplicao de mecanismos de remunerao varivel, vinculados produtividade, assim como incentivos pesquisa e inovao (prmios) Atrativo e fator de reteno de profissionais de qualidade e alta especializao: remunerao compatvel com mercado e possibilidade de aplicao de mecanismos de remunerao varivel, vinculados produtividade, assim como incentivos pesquisa e inovao (prmios) Acordo Coletivo de Trabalho: Acordo Coletivo de Trabalho: Remunerao, hora-extra, regimes de horrios flexveis, planos de sade diferenciados, plano de previdncia complementar, dentre outros benefcios Remunerao, hora-extra, regimes de horrios flexveis, planos de sade diferenciados, plano de previdncia complementar, dentre outros benefcios Prprio das entidades de personalidade jurdica de direito privado Prprio das entidades de personalidade jurdica de direito privado Observncia de concurso pblico Observncia de concurso pblico Plano de Carreira, Emprego e Salrios Prprio Plano de Carreira, Emprego e Salrios Prprio Atrativo e fator de reteno de profissionais de qualidade e alta especializao: remunerao compatvel com mercado e possibilidade de aplicao de mecanismos de remunerao varivel, vinculados produtividade, assim como incentivos pesquisa e inovao (prmios) Atrativo e fator de reteno de profissionais de qualidade e alta especializao: remunerao compatvel com mercado e possibilidade de aplicao de mecanismos de remunerao varivel, vinculados produtividade, assim como incentivos pesquisa e inovao (prmios) Acordo Coletivo de Trabalho: Acordo Coletivo de Trabalho: Remunerao, hora-extra, regimes de horrios flexveis, planos de sade diferenciados, plano de previdncia complementar, dentre outros benefcios Remunerao, hora-extra, regimes de horrios flexveis, planos de sade diferenciados, plano de previdncia complementar, dentre outros benefcios Regime de pessoal: CLT Fundao Estatal
  • Slide 38
  • Ministrio do Planejamento, Oramento e Gesto Regra de transio : Fundao Estatal servidores estatutrios em exerccio em rgos ou entidades transformadas podero ser cedidos, em carter excepcional, para a fundao - (com nus para a Fundao). Os servidores cedidos para a fundao estatal permanecero regidos pelo regime estatutrio, com TODAS AS VANTAGENS PESSOAIS ASSEGURADAS: tero sua estabilidade assegurada e no sofrero perdas salariais.
  • Slide 39
  • Ministrio do Planejamento, Oramento e Gesto Submisso s disposies constitucionais sobre licitaes e contratos (art. 37) De acordo com a Lei 8.666/93, art. 1 e 119: poder editar regulamento prprio, devidamente publicado, ficando sujeita s disposies da lei, semelhana do que ocorre com as sociedades de economia mista e empresas: Fundao Estatal
  • Slide 40
  • Ministrio do Planejamento, Oramento e Gesto Fundao Estatal As fundaes estatais podero estabelecer, por meio dos regulamentos, procedimentos diferenciados para licitaes e contratos, podendo regular, em especial, o seguinte: cadastramento de empresas, bens e servios; forma dos atos, com uso da tecnologia da informao, inclusive de certificados digitais; prazos de publicidade e forma de publicao; pr-qualificao de empresa, bens e servios; consultas pblicas; regras acerca do local de audincias e da comunicao dos atos aos interessados; inverso de fases; disputa de lances, aberta ou fechada; utilizao, substituio, complementao e reajuste da garantia; concentrao de fases recursais e os procedimentos relativos tramitao dos recursos; liquidao da despesa e da comunicao aos rgos incumbidos da arrecadao e fiscalizao de tributos; e procedimentos relativos ao aceite de bens e fiscalizao dos contratos, inclusive o Acordo de Nvel de Servios. procedimentos relativos ao aceite de bens e fiscalizao dos contratos, inclusive o Acordo de Nvel de Servios.
  • Slide 41
  • Ministrio do Planejamento, Oramento e Gesto No mantida pelo Poder Pblico: no integra o Oramento Geral da Unio Receitas constitudas pelas rendas da prestao de servios ao Poder Pblico, do desenvolvimento de suas atividades e de doaes. No tem folha de pagamento paga pelo OGU. Receitas constitudas pelas rendas da prestao de servios ao Poder Pblico, do desenvolvimento de suas atividades e de doaes. No tem folha de pagamento paga pelo OGU. O relacionamento entre a fundao estatal e o Poder Pblico, no tocante lei oramentria anual, dar-se- exclusivamente sob a forma de prestao de servios, com base em contratos, inclusive o contrato de gesto Na ausncia de lei complementar de que trata o art. 165 9 da CF, a lei de diretrizes oramentrias dispor sobre a forma de apresentao dos contratos de gesto na lei oramentria anual e a organizao das informaes relativas a esses contratos assinados com o Poder Publico, que devero compor as informaes complementares ao projeto de lei oramentria anual Fundao Estatal Firma contrato de gesto com o Poder Pblico Firmado entre a Fundao e o rgo supervisor - intervenincia do Ministrio do Planejamento, Oramento e Gesto Atividade da fundao inicia-se com a assinatura do CG
  • Slide 42
  • Ministrio do Planejamento, Oramento e Gesto Autonomia oramentria Fundao Estatal Estabelece com o Poder Pblico uma relao diferente da que estabelecida com os entes de direito pblico ou mesmo com as empresas estatais dependentes dos recursos do Tesouro. Recebe do ente supervisor pagamento pelos servios prestados, previamente negociados, precificados e contratados. O contrato de gesto prev o acompanhamento do desempenho e a avaliao dos resultados obtidos pela fundao estatal. Esse instituto, ao tempo em que permite autonomia oramentria e financeira entidade, institui a gesto por resultados, que o modelo de gesto almejado para toda a administrao pblica, em proveito do interesse pblico. Estabelece com o Poder Pblico uma relao diferente da que estabelecida com os entes de direito pblico ou mesmo com as empresas estatais dependentes dos recursos do Tesouro. Recebe do ente supervisor pagamento pelos servios prestados, previamente negociados, precificados e contratados. O contrato de gesto prev o acompanhamento do desempenho e a avaliao dos resultados obtidos pela fundao estatal. Esse instituto, ao tempo em que permite autonomia oramentria e financeira entidade, institui a gesto por resultados, que o modelo de gesto almejado para toda a administrao pblica, em proveito do interesse pblico.
  • Slide 43
  • Ministrio do Planejamento, Oramento e Gesto Fundao Estatal No se aplica fundao estatal o teto constitucional de remunerao dos servidores (art. 37 XI) Observa sistema de contabilidade privado At dispor de regulamento prprio, observa as disposies da Lei 6.404/76 No est sujeita s disposies da Lei de Responsabilidade Fiscal Especialmente no que tange a limites de despesas com Pessoal. A LRF adota o critrio de dependncia financeira como trao distintivo para a sua aplicabilidade s entidades da administrao indireta
  • Slide 44
  • Ministrio do Planejamento, Oramento e Gesto Como todas as entidades pblicas, ela depende da lei para ser instituda e para ser extinta. Como todas as entidades pblicas, ela depende da lei para ser instituda e para ser extinta. Como todas as entidades pblicas, ela depende da lei para ser instituda e para ser extinta. Como todas as entidades pblicas, ela depende da lei para ser instituda e para ser extinta. A fundao estatal no est sujeita falncia Fundao Estatal Seus bens so penhorveis. Seus bens so penhorveis. Seus bens so penhorveis. Seus bens so penhorveis. A fundao estatal no pode emitir precatrios para pagamento de suas dvidas Rege-se pelas disposies do art. 678 do Cdigo de Processo Civil, no que se refere a penhora de seus bens e rendas Rege-se pelas disposies do art. 678 do Cdigo de Processo Civil, no que se refere a penhora de seus bens e rendas Observa sistema especial de penhora
  • Slide 45
  • Ministrio do Planejamento, Oramento e Gesto Imunidade tributria nas reas de assistncia e educao, nos termos do art. 150,IV,c Dotada de sistema de governana colegiada Representao majoritria do Governo, representantes da sociedade civil, dos empregados e dos beneficirios/usurios Representao majoritria do Governo, representantes da sociedade civil, dos empregados e dos beneficirios/usurios Representao majoritria do Governo, representantes da sociedade civil, dos empregados e dos beneficirios/usurios Representao majoritria do Governo, representantes da sociedade civil, dos empregados e dos beneficirios/usurios Fundao Estatal Imunidade de contribuio social nas reas de sade, educao ou assistncia social, nos termos dos art. 195, 7
  • Slide 46
  • Ministrio do Planejamento, Oramento e Gesto Comparao da Fundao Estatal com outras categorias jurdico-institucionais
  • Slide 47
  • Ministrio do Planejamento, Oramento e Gesto rgo Ad.Direta Autarquia Fund Pb. Fundao Estatal Empresa S/A OS OSCIP SSA Fund. Apoio e outros Relao com a Adm. Pblica Administr.Direta Administ. Indireta Administr. Indireta No administr. Pblica Personal. Jurdica Direito Pblico Direito Privado Normas de Direito Pblico Regime Administ. mnimo Regime Administ. mnimo No observa Financiam./ fomento OGUOGUContrato de Gesto Oramento Investiment PDG C. Gesto Termo de Parceria Subveno Contribui. ParafiscaisConvnio Autonomia oram. e financeira nenhumafinanceiraOrament. e financeia Orament. e inanceiaOrament. e inanceia Orament. e inanceia Superviso Ministerial DiretaDiretaDiretaDireta do CG ou TP Superviso finalstica Do convnio Controle Interno e externo CGU e TCU TCU TCU CGU e TCU Dos recursos do CG Aplicao dos recursos parafiscais Dos recursos do Convnio Quadro comparativo das formas jurdico-institucionais
  • Slide 48
  • Ministrio do Planejamento, Oramento e Gesto rgo Ad.Direta Autarquia Fund Pb. Fundao Estatal Empresa S/A OS OSCIP SSA Fund. Apoio e outros Regime de Emprego EstatutrioEstatutrioCLTCLTCLTCLTCLT Licitaes e Contratos Lei 8.666 Lei 8666 Regulam. prprio Lei 8666 Regulam. prprio Regulamen to prprio livre Imunidade Tributria Tem imunidade Em alguns casos No tem Tem imunidade Em alguns casos Penhorabi- lidade Impenhora- bilidade Sistema especial de penhora Penhorabili- dade Impenhora- bilidade dos bens pblicos Penhorabili dade Sistema de Governana SimplesSimplesColegiado Part. socialColegiadoColegiadoColegiadoColegiado Quadro comparativo das formas jurdico-institucionais Quanto ao Regime Administrativo
  • Slide 49
  • Ministrio do Planejamento, Oramento e Gesto Ad.Direta Autarquia Fund. Pbl. Fundao Estatal EmpresaS/AOSOSCIPPropriedade Finalidade Governana(controle) Governana (participao pblico/privado) Regime administrativo Quadro comparativo das formas jurdico-institucionais Pblico Privado Social Social
  • Slide 50
  • Ministrio do Planejamento, Oramento e Gesto Fundao Estatal uma uma estrutura de suporte s polticas sociais do Governo Federal Amplia a capacidade do Estado, de prestar servios pblicos populao Por meio de uma estrutura pblica (a deciso fica dentro do Estado) dotada de autonomia gerencial, financeira e oramentria e mecanismos de gesto por resultados Sob maior controle social: participao de representantes da sociedade no Conselho Curador Amplia a capacidade do Estado, de prestar servios pblicos populao Por meio de uma estrutura pblica (a deciso fica dentro do Estado) dotada de autonomia gerencial, financeira e oramentria e mecanismos de gesto por resultados Sob maior controle social: participao de representantes da sociedade no Conselho Curador de combate excluso social e reduo da desigualdade nova tecnologia social:
  • Slide 51
  • Ministrio do Planejamento, Oramento e Gesto Obrigada! projeto.fundacaoestatal@planejamento.gov.br valeria.salgado@planejamento.gov.br

Recommended

View more >