MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO Secretaria de ?· MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO…

Download MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO Secretaria de ?· MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO…

Post on 12-Feb-2019

213 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

<p>C:\DOCUME~1\ALTAIR~1.ALM\CONFIG~1\Temp\NT -252-2012-DIPV- MEC - contrato temporrio rbc.doc..doc </p> <p>MINISTRIO DO PLANEJAMENTO, ORAMENTO E GESTO Secretaria de Gesto Pblica </p> <p>Departamento de Normas e Procedimentos Judiciais de Pessoal Coordenao-Geral de Elaborao, Orientao e Consolidao das Normas </p> <p> NOTA TCNICA N 252 /2012/CGNOR/DENOP/SEGEP/MP ASSUNTO: Contrato Temporrio </p> <p>SUMRIO EXECUTIVO </p> <p>1. Proveniente da Subsecretaria de Assuntos Administrativos do Ministrio da Educao, vieram os autos a ento Secretaria de Recursos Humanos deste Ministrio, que tratam de solicitao de orientaes a respeito da contratao de professores substitutos no perodo eleitoral. </p> <p>ANLISE </p> <p>2. Em sntese, o rgo consulente busca a adoo de procedimento de admisso de professor substituto, por necessidade temporria de excepcional interesse pblico, frente s excees trazidas pela Advocacia-Geral da Unio Revista Eleies 2010 Orientaes aos Agentes Pblicos. </p> <p>3. o breve relato. </p> <p>4. Inicialmente, cabe trazer colao o disposto no art. 2, inciso IV, e inciso X, 1 e 2, da Lei n. 8.745, de 9.12.1993: </p> <p> Art. 2 Considera-se necessidade temporria de excepcional interesse pblico: (...) IV admisso de professor substituto e professor visitante; (...) </p> <p> X admisso de professor para suprir demandas decorrentes da expanso das instituies federais de ensino, respeitados os limites e condies fixados em ato conjunto dos Ministrios do Planejamento, Oramento e Gesto e da Educao. (Includo pela Lei n. 12.425, de 2011) 1 A contratao de professor substituto de que trata o inciso IV do caput poder ocorrer para suprir a falta de professor efetivo em razo de: (Includo pela Lei n. 12.425, de 2011) </p> <p> I vacncia do cargo; (Includo pela Lei n. 12.425, de 2011) II afastamento ou licena, na forma do regulamento; ou (Includo pela Lei n. 12.425, de 2011) III nomeao para ocupar cargo de direo de reitor, vicereitor, pr-reitor e diretor de campus. Includo pela Lei n. 12.425, de 2011) 2 O nmero total de professores de que trata o inciso IV do caput no poder ultrapassar 20% (vinte por cento) do total de docentes efetivos em exerccio na instituio federal de ensino. (Includo pela Lei n. 12.425, de 2011) </p> <p>C:\DOCUME~1\ALTAIR~1.ALM\CONFIG~1\Temp\NT -252-2012-DIPV- MEC - contrato temporrio rbc.doc..doc 2</p> <p>5. Sucede, porm, que o art. 73, inciso V, da Lei n. 9.504, de 1997 estabelece: </p> <p> Art. 73. So proibidas aos agentes pblicos, servidores ou no, as seguintes condutas tendentes a afetar a igualdade de oportunidades entre candidatos nos pleitos eleitorais: </p> <p> (...) V nomear, contratar ou de qualquer forma admitir, demitir sem justa causa, suprimir ou readaptar vantagens ou por outros meios dificultar ou impedir o exerccio funcional e, ainda, ex offcio, remover, transferir ou exonerar servidor pblico, na circunscrio do pleito, nos trs meses que antecedem e at a posse dos eleitos, sob pena de nulidade de pleno direito, ressalvados: </p> <p>a) a nomeao ou exonerao de cargos em comisso e designao ou dispensa de funes de confiana; b) a nomeao para cargos do Poder Judicirio, do Ministrio Pblico, dos Tribunais ou Conselhos de Contas e dos rgos da Presidncia da Repblica; c) a nomeao dos aprovados em concursos pblicos homologados at o incio daquele prazo; d) a nomeao ou contratao necessria instalao ou ao funcionamento inadivel de servios pblicos essenciais, com prvia e expressa autorizao do Chefe do Poder Executivo; e) a transferncia ou remoo ex officio de militares, policiais civis e de agentes penitencirios; </p> <p>6. Sobre a matria, informe-se que a Consultoria Jurdica deste Ministrio, por meio do PARECER/MP/CONJUR/CCV/N. 0606 3.2/2010, atendendo questionamento oriundo da ento Secretaria de Gesto deste Ministrio SEGES/MP, concluiu nos seguintes termos: </p> <p> [...] 26. Ante o exposto, esta Consultoria Jurdica conclui pela impossibilidade, a priori, de contratao temporria em perodo eleitoral, ressalvando que pode haver nomeao de candidatos aprovados em processo seletivo simplificado homologado at 3 (trs) meses antes do pleito eleitoral, e que a antecedncia entre o lanamento do edital e a realizao da primeira prova, em caso de processo seletivo simplificado, deve atender ao prazo mnimo de 10 (dez) dias teis para inscrio. (grifo nosso) </p> <p>7. Nesse mesmo sentido, o Departamento de Orientao e Coordenao de rgos Extintos da Consultoria-Geral da Unio da Advocacia-Geral da Unio, ao examinar os autos do processo n. 59400.002760/2010-71, versando sobre o assunto em apreo, objeto do PARECER N. 71/2010/DECOR/CGU/AGU, de 31.8.2010, concluiu-se pela impossibilidade da contratao de professores substitutos nos trs meses que antecedem o pleito at a posse dos eleitos, nos termos do precedente do TSE a respeito (Recurso Especial Eleitoral n. 27563). </p> <p>8. Seguindo tal entendimento, recentemente o Tribunal Superior Eleitoral1 manifestou-se no sentido da impossibilidade de contratao nos trs meses que antecedem o pleito at a posse dos eleitos, em razo do disposto na Lei n. 8.745, de 1993. </p> <p>9. Nessa mesma linha de raciocnio, importante ressaltar que de acordo com as orientaes da AGU2 vedado aos Agentes Pblicos Federais nomear, contratar ou de qualquer forma admitir, demitir sem justa causa, suprimir ou readaptar vantagens ou por outros meios dificultar ou impedir o exerccio funcional e, ainda, ex offcio, remover, transferir ou exonerar servidor pblico, na circunscrio do pleito, nos trs meses que o antecedem e at a posse dos eleitos, sob pena de nulidade de pleno direito. </p> <p> 1 Resoluo n. 23.370, de 13.12.2011 Relator: Ministro Arnaldo Versiani Instruo n. 1162-41.2011.6.00.0000 Classe 19 Braslia/DF. 2 Cartilha Condutas Vedadas aos Agentes Pblicos Federais -Eleies 2012 Orientaes aos Agentes Pblicos 3 edio, revista, ampliada e atualizada Editada pela Advocacia-Geral da Unio, Presidncia da Repblica e Ministrio do Planejamento, Oramento e Gesto. </p> <p>C:\DOCUME~1\ALTAIR~1.ALM\CONFIG~1\Temp\NT -252-2012-DIPV- MEC - contrato temporrio rbc.doc..doc 3</p> <p>CONCLUSO </p> <p>10. Diante do exposto, o entendimento desta Diviso no sentido de impossibilidade da contratao temporria prevista na Lei n. 8.745, de 1993, nos trs meses que antecedem o pleito e at a posse dos eleitos, sob pena de nulidade de pleno direito, nos termos do inciso V do art. 73 da Lei n. 9.504, de 1997. </p> <p>11. Com este entendimento, opina-se que os autos sejam encaminhados Subsecretaria de Assuntos Administrativos do Ministrio da Educao, para que d conhecimento aos rgos seccionais do SIPEC que lhes so vinculados. </p> <p> considerao superior. </p> <p>Braslia, 24 de JULHO de 2012. </p> <p>RAIMUNDO BELARMINO COSTA TEOMAIR CORREIA DE OLIVEIR A Matrcula SIAPE n. 1052423 Chefe da DIPVS </p> <p> considerao superior. </p> <p>Braslia, 24 de JULHO de 2012. </p> <p>ANA CRISTINA S TELES DVILA Coordenadora-Geral de Elaborao, Orientao e Consolidao das Normas </p> <p> considerao da Senhora Secretria de Gesto Pblica Substituta. </p> <p>Braslia, 25 de JULHO de 2012. </p> <p>ROGRIO XAVIER ROCHA Diretor do Departamento de Normas e Procedimentos Judiciais de Pessoal - Substituto </p> <p>Aprovo. Encaminhe-se Subsecretaria de Assuntos Administrativos do Ministrio da Educao, na forma proposta. </p> <p> Braslia, 25 de JULHO de 2012. </p> <p>MARILENE FERRARI LUCAS ALVES FILHA Secretria de Gesto Pblica - Substituta </p>

Recommended

View more >