ministério do planejamento, orçamento e gestão ?· a ministra de estado do planejamento,...

Download Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão ?· A MINISTRA DE ESTADO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO…

Post on 15-Dec-2018

213 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

N 96, sexta-feira, 18 de maio de 2012 99ISSN 1677-7042

Este documento pode ser verificado no endereo eletrnico http://www.in.gov.br/autenticidade.html ,pelo cdigo 00012012051800099

Documento assinado digitalmente conforme MP no- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui aInfraestrutura de Chaves Pblicas Brasileira - ICP-Brasil.

1

G.3.1 - Carcino - genecidademdio prazo

T CR/T PT PT

G.3.2 - Carcinogenicidade (2anos)

B CR/T PT PT

* Para Produtos Tcnicos ou Formulados** Somente para Produtos TcnicosAbreviaturas: PT = produto tcnico; PF = produto for-

mulado; I.A. = ingrediente ativo; T = teste completo;B = teste ou publicao cientfica completa; I = informao referenciada; TA = temperatura

ambiente(20 - 25C); UV = ultra violeta; IV = infra-vermelho; CR = Condicionalmente Requerido.

ANEXO V

Redao dada pela Portaria n 06, de 17 de maio de 2012Testes e Informaes Necessrias Avaliao Ecotoxicolgica de Produtos Atpicos

Te s t e Espalhantes Ade-sivos

Cobre Inorgnico Enxofre Inorgnico leo Mine-ral

leo Vegetal

CARACTERSTICAS FSICO-QUMICASC.1 - Estado fsico, aspecto, cor eodor

Sim Sim Sim Sim Sim

C.2 - Identificao Molecular Sim Sim Sim Sim SimC.3 - Grau de Pureza Sim Sim Sim Sim SimC.4 - Impurezas Metlicas No Sim Sim Sim NoC.5 - Ponto - Faixa de Fuso No Sim/I Sim/I No NoC.6 - Ponto - Faixa de Ebulio Sim/I No No No NoC.7 - Presso de Vapor Sim No No Sim NoC.8 - Solubilidade / Miscibiliade Sim Sim Sim No NoC.9 - pH Sim/I Sim/I Sim/I No NoC.10 - Constante de dissociao emmeio aquoso

Sim/I Sim/I No No No

C.11 - Constante de formao decomplexos em meio aquoso

Sim/I No No No No

C.12 - Hidrlise Sim No No No NoC.13 - Fotlise Sim No No No NoC.14 - Coeficiente de Partio n-oc-tanol/gua

No No No No No

C.15 - Densidade Sim/I Sim/I Sim/I Sim/I Sim/IC.16 - Tenso Superficial de solu-es aquosas

Sim/I No No Sim/I Sim/I

C.17 - Viscosidade Sim/I No No Sim/I Sim/IC.18 - Distribuio de Partculas porTa m a n h o

No Sim Sim No No

C.19 - Corrosividade Sim No No No NoC.20 - Estabilidade Trmica e ao Ar Sim No No Sim Sim

TOXICIDAE PARA ORGANISMOS NO-ALVOD.1 - Microorganismos Sim No No Sim NoD.2 - Algas Sim Sim/B Sim/B Sim NoD.3 - Organismos do Solo Sim Sim/B Sim/B Sim NoD.4 - Abelhas No Sim/B Sim/B No NoD.5.1 - Microcrustceos Agudo Sim Sim/B Sim/B Sim NoD.5.2 - Microcrustceos Crnico No Sim/B Sim/B No NoD.6.1 - Peixes Agudo Sim Sim/B Sim/B Sim NoD.6.2 - Peixes Crnico No Sim/B Sim/B No NoD.7 - Bioconcentrao em Peixes No Sim/B Sim/B No NoD.8.1 - Aves, Dose nica No Sim/B Sim/B No NoD.8.2 - Aves, Dieta No Sim/B Sim/B No No

COMPORTAMENTO NO SOLOE.1.1 - Biodegradabilidade imediata Sim O produto ser considerado pouco transportvel (Classe

IV) e altamente persistente (Classe I)O produto ser

considerado per-sistente e pouco

transportvel(Classe IV)

E.1.2 - Biodegradabilidade em Solos NoE.2 - Teste para Avaliao da Mo-bilidade

No

E.3 - Teste para Avaliao da Ad-soro / Desoro

No

TOXICIDADE PARA ANIMAIS SUPERIORESF.1.1 - Toxicidade Oral Aguda paraRatos

Sim Sim/B Sim/B No No

F.2 - Toxicidade Inalatria CurtoPrazo para Ratos

CR/B p/ produtosvolteis e P.V. >10-6 mmHg (25

C)

CR/B Condicional para slidos com tama-nho de partculas menores que 5m

No No

F.3.1 - Toxicidade Cutnea Agudapara Ratos

No CR/B Sim/B CR/B Sim/B No No

F.3.3 - Irritao Cutnea Primria CR/B Sim CR/B Sim/B CR/B Sim/B No NoF.3.4 - Irritao Ocular Primria CR/B Sim CR/B Sim/B CR/B Sim/B No No

POTENCIAL GENOTXICO, EMBRIOFETOTXICO E CARCINOGNICOG.1.1 - Potencial Genotxico - Pro-cariontes

CR/B Sim CR/B Sim/B CR/B Sim/B CR/B Sim No

G.1.2 - Potencial Genotxico - Eu-cariontes

CR/B Sim CR/B Sim/B CR/B Sim/B CR/B Sim No

G.2 - Potencial Embriofetotxico CR/B CR/B CR/B No NoG.3 - Potencial Carcinognico CR/B CR/B CR/B No No

INFORMAES ADICIONAISResduos no sulfonados (RNS) No No No Sim NoHidrocarbonetos Aromticos Polinu-cleados (HAP)

No No No Sim No

Ponto de inflamabilidade Sim No No Sim Simndices de Iodo e Saponificao No No No Sim Sim

Nota: CR = Condicionalmente RequeridoB = Teste ou bibliografia completaI = Informao referenciada1. Em relao ao teste microorganismo (D.1) para Cobre e Enxofre inorgnico, o teste ser

eximido e os produtos sero considerados altamente txicos (Classe I) para este parmetro.2. Onde l-se Sim/B, sero aceitas referencias bibliogrficas completas que contemplem a

composio quali-quantitativa do produto em anlise. Caso a referncia no se adeque ao produto, serexigido teste;

3. Onde foram isentados os testes mediante pr-classificao e o requerente julgar-se pre-judicado, devem ser apresentados testes que comprovem o contrrio.

4. Para produtos fumigantes, aplicam-se as exigncias previstas nesta Portaria Normativa. Adispensa se dar caso a caso, mediante justificativa tcnica da Empresa.

GABINETE DA MINISTRAPORTARIA No- 211, DE 17 DE MAIO DE 2012

A MINISTRA DE ESTADO DO PLANEJAMENTO, ORAMENTO E GESTO, no uso dacompetncia que lhe foi delegada pelo art. 1, inciso I, do Decreto n 3.125, de 29 de julho de 1999,tendo em vista o disposto no art. 18, inciso I, e art. 19, inciso III, da Lei n 9.636, de 15 de maio de1998, art. 4, inciso I, da Lei n 8.630, de 25 de fevereiro de 1993, e os elementos que integram oProcesso n 04902.000232/2006-59, resolve:

Art. 1 Alterar o art. 1 da Portaria n 406, de 15 de setembro de 2010, publicada no DirioOficial da Unio de 16 de setembro de 2010, Seo 1, pgina 112, que passa a vigorar com a seguinteredao:

"Art. 1 Autorizar a cesso de uso sob condies especiais ao Estado do Rio Grande do Sul, naqualidade de Autoridade Porturia, do imvel com rea de 26,3766 ha e benfeitorias, situado no Distritode Ferreira, no Alto do Amorim, no lugar denominado Charqueada do Paredo, Municpio de Cachoeirado Sul, naquele Estado, parte de um todo maior registrado sob a Matrcula n 12.748, Livro n 2, fl. 1,do Cartrio do Ofcio de Registro de Imveis daquela Comarca, com os seguintes limites e con-frontaes: Norte: com Unio Federal e Sucesso de Miguel Scheidt; Leste: com Unio Federal eSucesso de Miguel Scheidt; Sul: com Sucesso de Miguel Scheidt, Rio Jacu e Granol IndstriaComrcio e Exportao S.A.; e Oeste: com Rio Jacu e Granol Indstria Comrcio e Exportao S.A..Partindo do marco G21, situado no limite com Unio Federal, definido pela coordenada geogrfica deLatitude 3002'50"Sul e Longitude 5251'18" Oeste, Datum SAD-69 e pela coordenada plana UTM6.674.533,762m Norte e 321.151,877m Leste, referida ao meridiano central 51 WGr; deste, con-frontando neste trecho com Unio Federal, no quadrante Nordeste, seguindo com distncia de 202,63me rumo de 10741'35" chega-se ao marco G20, deste, confrontando neste trecho com Unio Federal, noquadrante Nordeste, seguindo com distncia de 701,53m e rumo de 10741'35" chega-se ao marco P06,deste, confrontando neste trecho com Sucesso de Miguel Scheidt, no quadrante Nordeste, seguindo comdistncia de 166,67m e rumo de 16948'42" chega-se ao marco 3B2, deste, confrontando neste trechocom Sucesso de Miguel Scheidt, no quadrante Sudeste, seguindo com distncia de 174,45m e rumo de19435'17" chega-se ao marco F, deste confrontando neste trecho com Rio Jacu, no quadrante Sudoeste,seguindo com distncia de 274,20m e rumo de 28623'10" chega-se ao marco E, deste, confrontandoneste trecho com Rio Jacu, no quadrante Sudoeste, seguindo com distncia de 89,01m e rumo de30121'20" chega-se ao marco D, deste, confrontando neste trecho com Rio Jacu, no quadrante Su-doeste, seguindo com distncia de 61,65m e rumo de 28827'58" chega-se ao marco C, deste, con-frontando neste trecho com Rio Jacu, no quadrante Sudoeste, seguindo com distncia de

75,24m e rumo de 30519'48" chega-se ao marco B, deste, confrontando neste trecho com RioJacu, no quadrante Sudoeste, seguindo com distncia de 441,59m e rumo de 30305'58" chega-se aomarco A, deste confrontando neste trecho com Granol Indstria Comrcio e Exportao S.A., noquadrante Sudoeste, seguindo com distncia de 180,71m e rumo de 35415'47" chega-se ao marco G21,ponto inicial da descrio deste permetro." (NR)

Art. 2 Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicao.

MIRIAM BELCHIOR

PORTARIA No- 214, DE 17 DE MAIO DE 2012

A MINISTRA DE ESTADO DO PLANEJAMENTO, ORAMENTO E GESTO, no uso desuas atribuies e tendo em vista a delegao de competncia prevista no art. 10 do Decreto n 6.944,de 21 de agosto de 2009, resolve:

Art.1 Autorizar os rgos e as entidades mencionados no Anexo desta Portaria a nomearcandidatos aprovados em concursos pblicos, observada a ordem de classificao, com a finalidade desuprir vacncias e desistncias originadas dos prprios concursos vigentes, de acordo com os quan-titativos estabelecidos no Anexo.

Art. 2 Autorizar o Instituto Nacional do Seguro Social a nomear um candidato aprovado parao cargo de Analista do Seguro Social, com formao em servio social, no concurso pblico autorizadopela Portaria n 108, de 14 de maio de 2008.

Art. 3 O provimento dos cargos referidos nos arts. 1 e 2 est condicionado:I - existncia de vagas na data da nomeao; eII - declarao do respectivo ordenador de despesa sobre a adequao oramentria e fi-

nanceira das novas despesas com a Lei Oramentria Anual e sua compatibilidade com a Lei deDiretrizes Oramentrias, demonstrando a origem dos recursos a serem utilizados.

Art. 4 Os rgos e entidades relacionados no Anexo devero publicar no Dirio Oficial daUnio demonstrativo com a relao nominal e respectivos cdigos das vagas dos candidatos que deramorigem s vacncias e desistncias.

Art. 5 Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicao.

MIRIAM BELCHIOR

A

Recommended

View more >