ministÉrio do planejamento - mma.gov.br .ministÉrio do planejamento cpsustentÁveis –fundamentos

Download MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO - mma.gov.br .MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO CPSUSTENTÁVEIS –Fundamentos

Post on 22-Nov-2018

214 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • MINISTRIO DO PLANEJAMENTOMINISTRIO DO PLANEJAMENTO

    A3P- BSB

  • MINISTRIO DO PLANEJAMENTOMINISTRIO DO PLANEJAMENTO

    CPSUSTENTVEIS Definio

    Objetivo: Criao de uma poltica de Contrataes Pblicas que leve em considerao critrios de sustentabilidade, ou seja, critrios fundamentados no desenvolvimento econmico e social, bem como na conservao do meio ambiente.

    Meio: Utilizando o poder de compra do Estado como instrumento de implementao de polticas pblicas.

    Uso do Poder de Compra:

    Brasil: - Compras Pblicas = 16%

    Europa: - Governos gastam R$ 4,5 trilhes por ano- = 16% do PIB Europeu

    Fonte: ICLEI

  • MINISTRIO DO PLANEJAMENTOMINISTRIO DO PLANEJAMENTO

    CPSUSTENTVEIS Definio

    Contrataes Pblicas Sustentveis VISO:

    - dar exemplo como consumidor;

    - induzir o comportamento de outros consumidores;

    - reduzir a gerao de resduos;

    - fortalecer o mercado de bens e servios ambientais;

    - aumentar a ecoeficincia no processo produtivo; e

    - apoiar a inovao tecnolgica.

  • MINISTRIO DO PLANEJAMENTOMINISTRIO DO PLANEJAMENTO

    CPSUSTENTVEIS Fundamentos

    NOVO PARADIGMA DAS COMPRAS PBLICAS:

    PARADIGMA ANTERIOR: EFICINCIA - Comprar mais rpido e melhor pelo menor custo possvel

    +

    NOVA POLTICA DE COMPRAS: USO DO PODER DE COMPRA DO ESTADO Comprar de segmentos estratgicos e relevantes para o

    desenvolvimento econmico e social sustentvel

    NOVO PARADIGMA:EFICINCIA + USO DO PODER DE COMPRA DO ESTADO

  • MINISTRIO DO PLANEJAMENTOMINISTRIO DO PLANEJAMENTO

    CPSUSTENTVEIS Alicerce da Sustentabilidade

    OBJETO Reduo de consumo de gua, energia e substncias txicas; Minimizar gerao de resduos; Reciclagem.

    Reduo de custo; Desenvolvimento regional;

    Gerao de emprego Estimulo e benefcios para micro e pequenas empresas Direitos dos trabalhadores

  • MINISTRIO DO PLANEJAMENTOMINISTRIO DO PLANEJAMENTO

    CPSUSTENTVEIS Uso do Poder de Compras 2007Material Qtde Comprada Item Valor Total HomologadoAPARELHO TELEFNICO CELULAR 122 73.705,44SUB TOTAL 122 73.705,44CALCULADORA 334 3816,32CALCULADORA ELETRNICA 10.083 503.472,90SUB TOTAL 10.417 507.289,22IMPRESSORA 12.428 8.285.824,89IMPRESSORA JATO TINTA 5.286 1.003.826,80IMPRESSORA LASER 13.114 9.798.591,90IMPRESSORA MATRICIAL 275 248.671,81IMPRESSORA MULTIFUNCIONAL 4.792 3.460.032,24SUB TOTAL 35.895 22.796.947,64COMPUTADOR 73.486 198.073.549,50COMPUTADOR - ESTAO TRABALHO 5.774 9.168.063,89MICROCOMPUTADOR 7.475 32.252.472,95MICROCOMPUTADOR PESSOAL HANDHELD 358 631.091,72MICROCOMPUTADOR PESSOAL NOTEBOOK 7.780 22.362.766,91MICROCOMPUTADOR PESSOAL TIPO LAPTOP 529 1.084.734,04SUB TOTAL 95.402 263.572.679,01MONITOR CRISTAL LQUIDO 987 447.124,56MONITOR VDEO 43.797 20.485.049,57SUB TOTAL 44.784 20.932.174,13REFRIGERADOR DOMSTICO 2.874 2.786.980,32REFRIGERADOR DUPLEX 590 940.559,96SUB TOTAL 3.464 3.727.540,28TELEVISOR 5.444 5.170.738,87SUB TOTAL 5.444 5.170.738,87TOTAL 195.528 316.781.074,58

  • MINISTRIO DO PLANEJAMENTOMINISTRIO DO PLANEJAMENTO

    CPSUSTENTVEIS Uso do Poder de Compras 2008Material Qtde Comprada Item Valor Total HomologadoAPARELHO TELEFNICO CELULAR 365 229.368,11SUB TOTAL 365 229.368,11CALCULADORA 19 152,25CALCULADORA ELETRNICA 15.129 536.882,51SUB TOTAL 15.148 537.034,76IMPRESSORA 44.632 32.364.230,74IMPRESSORA JATO TINTA 2.797 1.226.732,38IMPRESSORA LASER 23.457 24.067.741,61IMPRESSORA MATRICIAL 1.295 732.604,74IMPRESSORA MULTIFUNCIONAL 5.359 5.497.246,38SUB TOTAL 77.540 63.888.555,85COMPUTADOR 37.270 64.760.994,07COMPUTADOR - ESTAO TRABALHO 7.307 15.356.574,30MICROCOMPUTADOR 194.511 240.725.727,62MICROCOMPUTADOR PESSOAL HANDHELD 389 613.136,42MICROCOMPUTADOR PESSOAL NOTEBOOK 27.361 74.601.597,48MICROCOMPUTADOR PESSOAL TIPO LAPTOP 215 557.643,49SUB TOTAL 267.053 396.615.673,38MONITOR CRISTAL LQUIDO 1.791 764.390,32MONITOR VDEO 409.040 96.772.774,39SUB TOTAL 410.831 97.537.164,71REFRIGERADOR DOMSTICO 9.299 3.426.185,95REFRIGERADOR DUPLEX 1.057 1.657.770,91SUB TOTAL 10.356 5.083.956,86TELEVISOR 5.638 8.111.922,22SUB TOTAL 5.638 8.111.922,22TOTAL 786.931 572.003.675,89

  • MINISTRIO DO PLANEJAMENTOMINISTRIO DO PLANEJAMENTO

    CPSUSTENTVEIS Uso do Poder de Compras

    0,00

    100.000.000,00

    200.000.000,00

    300.000.000,00

    400.000.000,00

    500.000.000,00

    600.000.000,00

    700.000.000,00

    1

    Aquisio em 2007

    Aquisio em 2008

    0

    100.000

    200.000

    300.000

    400.000

    500.000

    600.000

    700.000

    800.000

    900.000

    1

    Quantidade de ItensCompradosQuantidade de ItensComprados

    Valores dos bens eletrnicosadquiridos pelo Poder Pblico

    Quantidade dos bens eletrnicosadquiridos pelo Poder Pblico

  • MINISTRIO DO PLANEJAMENTOMINISTRIO DO PLANEJAMENTO

  • MINISTRIO DO PLANEJAMENTOMINISTRIO DO PLANEJAMENTO

    CPSUSTENTVEIS Razes para introduzir critrios ambientais

    FUNDAMENTO CONSTITUCIONAL, LEGAL E OS TRATADOS INTERNACIONAIS

    Lei 12.187/09Art. 5 So diretrizes da Poltica Nacional sobre Mudanas do Clima:XIII o estmulo e o apoio manuteno e promoo:b) de padres sustentveis de produo e consumo.

    Lei 12.305/10Art. 7 So objetivos da Poltica Nacional de Resduos Slidos:XI prioridade, nas aquisies e contrataes governamentais, para:a)Produtos reciclados e reciclveis;b)Bens, servios e obras que considerem critrios compatveis com padres de consumo social e ambientalmente sustentveis.

  • MINISTRIO DO PLANEJAMENTOMINISTRIO DO PLANEJAMENTO

    CPSUSTENTVEIS Indicadores de Sustentabilidade

    INSTRUO NORMATIVA N 1, de 19 de Janeiro de 2010 da SLTI/MP:

    - AbrangnciaArt. 1 Nos termos do art. 3 da Lei n 8.666, de 21 de junho de 1993, as especificaes para a aquisio de bens, contratao de servios e obras por parte dos rgos e entidades da administrao pblica federal direta, autrquica, e fundacional devero conter critrios de sustentabilidade ambiental, considerando os processos de extrao ou fabricao, utilizao e descarte dos produtos e matrias-primas.

    Art. 10 Os rgos e entidades da Administrao Pblica Federal direta, autrquica e fundacional, quando da formalizao, renovao ou adiantamento de convnios ou instrumentos congneres, ou ainda de contratos de financiamento com recursos da Unio, ou com recursos de terceiros tomados com o aval da Unio, devero inserir clusulas que determine parte ou partcipe a observncia do disposto nos arts. 2 ao 6 desta Instruo Normativa, no que couber

  • MINISTRIO DO PLANEJAMENTOMINISTRIO DO PLANEJAMENTO

    CPSUSTENTVEIS interpretao do art.3 da Lei n.8666/93

    FUNDAMENTO CONSTITUCIONAL, LEGAL E OS TRATADOS INTERNACIONAIS

    Art. 3. A licitao destina-se a garantir a observncia do princpio constitucional da isonomia e a selecionar a proposta mais vantajosa para a Administrao e ser processada e julgada em estrita conformidade com os princpios bsicos da legalidade, da impessoalidade, da moralidade, da igualdade, da publicidade, da probidade administrativa, da vinculao ao instrumento convocatrio, do julgamento objetivo e dos que lhes so correlatos

    Devemos debruar-nos, agora, sobre essa questo crucial: o que se deve entender por proposta mais vantajosa para a Administrao? Certamente ser aquela que melhor atenda ao interesse pblico. Todos os contratos administrativos tm uma finalidade especfica e prpria, que a satisfao do interesse pblico, das necessidades coletivas: este um dos traos que os distinguem dos contratos de direito privado.

  • MINISTRIO DO PLANEJAMENTOMINISTRIO DO PLANEJAMENTO

    CPSUSTENTVEIS Indicadores de Sustentabilidade

    INSTRUO NORMATIVA N 1, de 19 de Janeiro de 2010 da SLTI/MP:

    O ciclo de vida dos produtos

    Consiste no exame do ciclo de vida de um produto, processo, sistema ou funo, procurando identificar o seu impacto ambiental, no transcurso de sua existncia, que inclui desde a extrao do recurso natural, seu processamento para a transformao em produto, transporte, consumo/uso, reutilizao, reciclagem, at a disposio final. comum utilizar a expresso do bero ao tmulo, para exemplificar este conceito.

    1. Extrao de matrias-primas2. Fabricao do produto3. Uso do produto4. Disposio final

  • MINISTRIO DO PLANEJAMENTOMINISTRIO DO PLANEJAMENTO

    CPSUSTENTVEIS Indicadores de Sustentabilidade

    INSTRUO NORMATIVA N 1, de 19 de Janeiro de 2010 da SLTI/MP:

    O ciclo de vida dos produtos1. Entrada de materiais:

    Consumo de matrias-primas Consumo de combustveis Consumo de gua e uso do solo Emisses na atmosfera Emisses na gua Gerao de resduos

    2. Processos de Produo & Condies3. Entrega: Transporte4. Uso5. Descarte Final

    Reciclagem Aterro Incinerao

  • MINISTRIO DO PLANEJAMENTOMINISTRIO DO PLANEJAMENTO

    CPSUSTENTVEIS Indicadores de Sustentabilidade

    INSTRUO NORMATIVA N 1, de 19 de Janeiro de 2010 da SLTI/MP:

    O princpio da competitividade

    Art. 2 Para o cumprimento do disposto nesta Instruo Normativa, o instrumento convocatrio dever formular as exigncias de natureza ambiental de forma a no frustrar a competitividade.

    Conceito: garantir a ampla participao na disputa licitatria, possibilitando o maior nmero possvel de concorrentes, desde que tenham qualificao tcnica e econmica para garantir o cumprimento das obrigaes.

  • MINISTRIO DO PLANEJAMENTOMINISTRIO DO PLANEJAMENTO

    CPSUSTENTVEIS Indicadores de Sustentabilidade

    INSTRUO NORMATIVA N 1, de 19 de Janeiro de 2010 da SLTI/MP:

    O princpio da competitividade

    A proibio de clusulas ou condies que restrinjam o carter competitivo no constitui bice a que a Administrao estabelea os requisitos mnimos para a participao no certame, considerando necessrios garantia da execuo do contrato, segurana e perfeio da obra ou do servio, regularidade do fornecimento ou ao atendimento de

Recommended

View more >