Ministério da Fazenda Secretaria de Política Econômica Maio 2007 Ministério da Fazenda.

Download Ministério da Fazenda Secretaria de Política Econômica Maio 2007 Ministério da Fazenda.

Post on 17-Apr-2015

107 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Slide 1
  • Ministrio da Fazenda Secretaria de Poltica Econmica Maio 2007 Ministrio da Fazenda
  • Slide 2
  • Secretaria de Poltica Econmica Spread Bancrio e Spread nas Operaes de Crdito
  • Slide 3
  • Ministrio da Fazenda Secretaria de Poltica Econmica Spread Bancrio: Diferena entre a taxa de concesso do crdito/financiamento e a taxa de captao dos recursos. Spread nas Operaes de Crdito: Conceito mais amplo que incorpora ao spread bancrio os demais custos incidentes em operaes de crdito, como IOF, tarifas bancrias e CPMF. Spread bancrio - Definies
  • Slide 4
  • Ministrio da Fazenda Secretaria de Poltica Econmica Evoluo do Spread Bancrio
  • Slide 5
  • Ministrio da Fazenda Secretaria de Poltica Econmica Ampliao do Crdito vs. Spread Bancrio Novo Competidor Com o desenvolvimento do mercado de capitais, as grandes empresas passaram a ter acesso efetivo a uma nova fonte financiamento, permitindo a comparao entre os custos de captao no mercado bancrio e no de capitais. Novos Consumidores de Crdito Por outro lado, face o aumento no volume de crdito (5,7 p.p. do PIB nos ltimos 4 anos) e a maior competitividade do mercado de capitais, h um crescente movimento de insero de novos clientes, com baixo ou nenhum histrico de crdito, s carteiras dos bancos: Consumidores das classes mdia e mdia/baixa; Micro, pequenas e mdias empresas (aumento da participao nas carteiras de 4 grandes bancos privados de 40,8% em 2004, para 50,5% em 2006).
  • Slide 6
  • Ministrio da Fazenda Secretaria de Poltica Econmica Principais componentes do spread bancrio Custos Administrativos; Cunha Tributria; Inadimplncia; Depsitos Compulsrios e Direcionamento de Crdito; Contribuies para o Fundo Garantidor de Crditos FGC; Lucro das Instituies Financeiras.
  • Slide 7
  • Ministrio da Fazenda Secretaria de Poltica Econmica Instrumentos para reduo do spread bancrio Incentivar a Concorrncia Bancria: Fortalecer o Mercado de Capitais; Facilitar a mobilidade dos clientes; Aumentar o acesso s informaes de custo do crdito. Racionalizar os Custos Administrativos; Reduzir a assimetria de Informaes; Ampliar o volume das operaes e o acessos aos bancos; Fortalecer a Segurana Jurdica das Operaes; Reduzir a Cunha Fiscal e os Compulsrios.
  • Slide 8
  • Ministrio da Fazenda Secretaria de Poltica Econmica Reduo do Spread Bancrio Principais medidas implementadas
  • Slide 9
  • Ministrio da Fazenda Secretaria de Poltica Econmica Consignao em folha de pagamento Lei n 10.820/03; Cdula de Crdito Bancrio Lei n 10.931/04; Letra e Cdula de Crdito Imobilirio Lei n 10.931/04; Patrimnio de Afetao Lei 10.931/04; Novos Ttulos Agrcolas Lei n 11.076/04; Lei de Falncias Lei n 11.101/05 e LC n 118/05; Reformulao do Cdigo de Processo Civil Vrios projetos. Medidas antigas mais relevantes
  • Slide 10
  • Ministrio da Fazenda Secretaria de Poltica Econmica Objetivo: permitir que o assalariado possa portar seu salrio, sem custo, para a instituio financeira de sua preferncia. Medidas Implementadas: Resolues CMN 3.402/06 e 3.424/06; Circulares 3.326/06, 3.336/06 e 3.338/06. Medidas Recentes - Conta Salrio
  • Slide 11
  • Ministrio da Fazenda Secretaria de Poltica Econmica Objetivo: permitir que o consumidor possa portar seu crdito para outra instituio financeira, que lhe oferea condies de juros e prazo melhores. Medidas Implementadas: Resoluo CMN 3.401/06; Circular BCB 3.335/06; Portaria MF 301/06 - Iseno de IOF no Crdito Portado; Medida Provisria 340/07 - Iseno de CPMF no Crdito Portado. Medidas Recentes - Portabilidade do Crdito
  • Slide 12
  • Ministrio da Fazenda Secretaria de Poltica Econmica Reduo da contribuio ao Fundo Garantidor de Crdito - Resoluo CMN 3.400/06; Ampliao da abrangncia da Central de Risco do BCB no precisou de instrumento legal; Reduo das taxas dos Fundos Constitucionais Decreto 5.951/06; Portabilidade das Informaes Cadastrais - Resoluo CMN n 3.401/06. Outras Medidas Recentes
  • Slide 13
  • Ministrio da Fazenda Secretaria de Poltica Econmica Valor Incontroverso Lei n 10.931/04; Aperfeioamento da alienao fiduciria de automveis (ajustes legais) Lei n 10.931/04; Alienao fiduciria para coisas fungveis Lei n 10.931/04; Iseno de IR para ttulos representativos de crdito imobilirios Lei 11.033/04; Uso de recursos previdencirios como colateral de financiamento imobilirio Lei n 11.196/05; Iseno de IR sobre rendimentos de investidores estrangeiros em ttulos pblicos Lei n 11.312/06. Outras Medidas:
  • Slide 14
  • Ministrio da Fazenda Secretaria de Poltica Econmica Reduo do Spread Bancrio Principais Projetos em Tramitao no Congresso Nacional
  • Slide 15
  • Ministrio da Fazenda Secretaria de Poltica Econmica Objetivos Definir regras para a atuao dos bancos de dados de proteo ao crdito. Autorizar os bancos de dados a trabalharem com informaes de adimplncia. Autorizar os bancos de dados a analisarem as informaes de adimplncia/inadimplncia. Uma vez implementado, o cadastro positivo auxiliar na reduo da assimetria de informaes entre emprestadores e tomadores de crdito, permitindo a ampliao do crdito e a reduo do spread bancrio. Cadastro Positivo (PL 5.870/05)
  • Slide 16
  • Ministrio da Fazenda Secretaria de Poltica Econmica Objetivos Racionalizar a anlise das fuses e incorporaes dentro do sistema financeiro, privilegiando a anlise pelo prisma da concorrncia bancria. Resguardar a anlise dos casos em que possa haver riscos higidez do sistema financeiro ao Banco Central do Brasil. Dirimir eventuais conflitos de competncia entre o CADE e o Banco Central do Brasil, fortalecendo os mecanismo de combate a atos contrrios livre concorrncia. Concorrncia Bancria (PLP 344/02)
  • Slide 17
  • Ministrio da Fazenda Secretaria de Poltica Econmica Objetivos Ampliar a transparncia das informaes contbeis. Facilitar a comparabilidade entre as demonstraes apresentadas pelas empresas. Permitir que os agentes econmicos possam ter uma viso mais objetiva da situao econmico-financeira de cada empresa, facilitando o acesso desta a linhas de crdito e ao mercado de capitais. Normas Contbeis (PL 3.741/00)
  • Slide 18
  • Ministrio da Fazenda Secretaria de Poltica Econmica Rentabilidade dos Depsitos de Poupana
  • Slide 19
  • Ministrio da Fazenda Secretaria de Poltica Econmica Rentabilidade da Poupana frente Selic Se olharmos os ltimos oito anos, projetando os dados de 2007, verificaremos que o rendimento da poupana nunca esteve to alto frente Selic.
  • Slide 20
  • Ministrio da Fazenda Secretaria de Poltica Econmica Saldo dos Depsito de Poupana Os ltimos meses demonstram forte evoluo no saldo dos depsitos de poupana, demonstrando sua competitividade frente s demais aplicaes financeiras disponveis.
  • Slide 21
  • Ministrio da Fazenda Secretaria de Poltica Econmica Maio 2007 Ministrio da Fazenda

Recommended

View more >