ministÉrio adventista para deficientes visuais madv ?· departamento de ministério pessoal e...

Download MINISTÉRIO ADVENTISTA PARA DEFICIENTES VISUAIS MADV ?· departamento de Ministério Pessoal e Escola…

Post on 08-Nov-2018

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • MINISTRIO ADVENTISTA PARA DEFICIENTES VISUAIS MADV

    MANUAL

    Como iniciar e desenvolver o MADV na Igreja local

    DIVISO SUL-AMERICANA

    2016

  • Ministrio Adventista para Deficientes Visuais

    Manual

    Como iniciar e desenvolver o MADV na Igreja local

    2016

    Diviso Sul-Americana

    Ministrio Adventista para Deficientes Visuais

    Cons. Prof. Juliana Santos

    Organizadores

  • Diviso Sul-Americana da Igreja Adventista do Stimo Dia Ministrio Adventista para Deficientes Visuais Av. L3 Sul, SGAS, Quadra 611 Conjunto D, Parte C, Asa Sul Braslia DF CEP 70200-710 Telefones: +55 (61) 3701-1823 Ramal 1023 Prof. Juliana Santos Conselheira da DSA para o Ministrio Adventista para Deficientes Visuais.. +55 (62) 98284-7041 E-mail: madv.brasil@gmail.com www.facebook.com/madv.br

  • ndice

    MINISTRIO DAS NECESSIDADES ESPECIAIS NA CONFERNCIA GERAL --------------------------------------------------------------- 5 MINISTRIO ADVENTISTA PARA DEFICIENTES VISUAIS NA DIVISO SUL-AMERICANA ---------------------------------------------------------- 7 ESTRUTURANDO O MADV NA IGREJA LOCAL ----------------------------------- 9

    OBJETIVOS DO MADV NA IGREJA LOCAL ----------------------------------------- 14

    O TRABALHO COM AS PESSOAS CEGAS E DE BAIXA VISO ------------- 15 CONSIDERAES FINAIS ---------------------------------------------------------------- 18 Anexos -------------------------------------------------------------------------------------------- 19

  • MINISTRIO DAS NECESSIDADES ESPECIAIS NA CONFERNCIA GERAL

    Por dcadas aqueles que no podiam ver, ouvir, caminhar, ou pensar como

    as pessoas ditas normais, eram frequentemente agrupados em uma categoria

    chamada de as pessoas com deficincias.

    Desta forma, aqueles que recebiam essa identidade eram lembrados pelo

    que eles no poderiam fazer. O tipo de suporte dado era quase sempre limitado

    para o que era percebido como uma necessidade fsica. Poucos esforos eram

    feitos para incorporar as contribuies positivas que essas pessoas tinham a

    oferecer na linha dos principais ministrios e atividades da Igreja Adventista do

    Stimo Dia.

    Em 2011, a Conferncia Geral formou um comit direcionado a atender de

    forma mais especfica a esse segmento na igreja. O grupo foi chamado Comit de

    Necessidades Especiais e foi colocado dentro do departamento de Ministrios

    Pessoais e Ministrio de Escola Sabatina.

    Esse novo comit tinha um ministrio de alcance mais inclusivo. Isto foi um

    importante primeiro passo.

    No entanto, como a igreja tornou-se mais consciente das necessidades,

    tornou-se bvio que mais ateno precisava ser dada para todos aqueles com

    necessidades especiais involuntariamente marginalizados. O trabalho do

    departamento de Ministrio Pessoal e Escola Sabatina era j grande e, como tal,

    pouca ateno era capaz de colocar nas necessidades especiais daquelas

    pessoas.

    Os insights fornecidos por Ellen White fundamentaram o foco neste

    ministrio quando ela escreveu:

  • Vi que pela providncia de Deus que vivas e rfos, cegos, surdos,

    coxos e pessoas atribuladas por diversos modos, foram postas em ntima

    relao crist com Sua igreja; para provar Seu povo e desenvolver seu

    carter. Os anjos de Deus esto observando para ver a maneira por que

    tratamos essas pessoas necessitadas de nossa simpatia, amor e

    desinteressada generosidade. Esta a maneira de Deus provar nosso

    carter. (Servio Cristo, p. 146)

    Reconhecendo a necessidade de elevar este ministrio, o Comit

    Administrativo da Conferncia Geral votou em setembro de 2015 mover a

    coordenao do Ministrio das Necessidades Especiais para a superviso

    presidencial e incentivo para uma maior nfase global. O Pastor Larry R. Evans foi

    apontado como assistente para o presidente para o Ministrio das Necessidades

    Especiais, (Special Needs Ministry).

    Esta nova funo est dirigida a ministrar s necessidades dos surdos,

    cegos, rfos e daqueles com limitaes fsicas, emocionais e intelectuais. A

    ateno primria ser largamente direcionada a prover oportunidades para

    aqueles com necessidades especiais tornarem-se mais envolvidos com a misso

    total da igreja. Em alguns casos, a estrutura fsica da igreja ou edifcio precisaro

    tornar-se acessveis. A nfase primria, no entanto, fazer de tudo para que

    essas pessoas possam experimentar incluso e no excluso no cumprimento da

    misso da igreja. Fonte: http://www.adventistreview.org/church-news/story3520-why-adventist-church-is-

    placing-new-emphasis-on-special-needs.

  • MINISTRIO ADVENTISTA PARA DEFICIENTES VISUAIS NA DIVISO SUL-AMERICANA

    A comisso diretiva plenria da Diviso Sul-Americana da Igreja Adventista

    do Stimo Dia, se reuniu nos dias 15 a 19 de maio de 2015 e na ocasio, atravs

    do voto de nmero 130, estabeleceu oficialmente o Ministrio Adventista para os

    Deficientes Visuais (MADV). (Ver Anexo)

    Justificativa

    Considerando o desafio de alcanar a todas as pessoas com a

    mensagem de salvao (Apocalipse 14:6-12);

    Considerando a declarao inspirada: Se um esprito egosta e contrrio simpatia se permite existir em qualquer de seus membros para com os desafortunados, as vivas, os rfos, os cegos, os coxos ou os que so enfermos no corpo e na mente, Ele esconder Sua face de Seu povo at que cumpram o seu dever e removam o erro de seu meio. (Testemunhos para a igreja vol. 3. Pg 517)

    Considerando a relevante porcentagem de pessoas com deficincia

    visual, que no territrio da DSA de 1 deficiente visual para cada 31

    pessoas, ou seja, 3% do total da populao;

    Objetivos

    1. Identificar as pessoas com deficincia visual adventistas no territrio

    da DSA.

    2. Apoiar a organizao e iniciativas do Ministrio Adventista para os

    Deficientes Visuais nos diferentes nveis da igreja.

    3. Conscientizar e treinar a igreja quanto sua responsabilidade de

    alcanar com o Evangelho as pessoas com deficincia visual.

    4. Preparar materiais adequados para que a pessoa com deficincia

    visual tenha a oportunidade de se integrar ao Discipulado atravs da

    Comunho, do Relacionamento e do cumprimento da Misso.

  • 5. Organizar estratgias e projetos evangelisticos adequados para

    alcanar este grupo especfico.

    6. Adaptar a estrutura dos edifcios para satisfazer as necessidades das

    pessoas com deficincia visual.

    Declarao de Misso

    Misso: Ser e fazer discpulos atravs da comunho, relacionamento e misso.

    Viso: Ser um ministrio discipulador relevante para alcanar primeiramente as pessoas com deficincia visual na Amrica do Sul.

    Estratgias:

    1. Comunho - Bblia e Lio da Escola Sabatina em formato acessvel

    para todos os membros com deficincia visual da igreja.

    2. Relacionamento - Pequeno Grupo Viso Real (PGVR).

    3. Misso Os dons espirituais a servio de Deus.

    Metas:

    1. Comunho - Todos os membros com deficincia visual da igreja

    estudando diariamente a Bblia e a Lio da Escola Sabatina.

    2. Relacionamento - Todos os membros com deficincia visual da igreja

    participando de um PGVR.

    3. Misso - Todos os membros com deficincia visual da igreja usando

    os dons espirituais para trabalhar na causa de Deus.

  • ESTRUTURANDO O MADV NA IGREJA LOCAL

    Pr-requisitos:

    Que seja realizada uma prvia pesquisa simples, na Igreja e na

    comunidade que a rodeia, com o fim de descobrir a existncia de

    pessoas com deficincia visual membros da Igreja, familiares de

    membros e amigos da comunidade, cuja presena naquela mostra

    social justifique a implantao do MADV na Igreja em questo. Essa

    pesquisa pode ser realizada pelo departamento de ASA da Igreja, o

    qual, pode e deve participar de maneira ativa no desenvolvimento do

    MADV.

    Que seja aplicada na Igreja uma enquete simples para identificar

    pessoas com perfil adequado para o servio abnegado ao prximo.

    Neste caso, especificamente para trabalhar com pessoas com

    deficincia visual. A sugesto capacitar, motivar e mobilizar o

    grupo j existente de diconos/diaconisas e recepcionistas da Igreja,

    uma vez que, as pessoas escolhidas para exercer tais funes,

    costumam apresentar o perfil necessrio para trabalhar com as

    pessoas que sero atendidas atravs do MADV. E essa seria uma

    forma de aproveitar um recurso humano j existente, aprovado pela

    Comisso da Igreja. Algumas pessoas com deficincia visual tem

    mais dificuldades para sua locomoo que outras. Dependendo do

    grau de perda visual e experincias pessoais. Principalmente em se

    tratando de ambientes e locais desconhecidos. Portanto, para o bom

    funcionamento do MADV, de primeira necessidade uma boa equipe

    de apoio, disposta a servir com meios de transporte e como guia.

  • No necessrio que a igreja tenha por obrigao um membro com

    deficincia visual para poder estruturar um MADV. No entanto, para

    que o MADV funcione, imprescindvel a existncia de pblico alvo

    especfico, neste caso, pessoas com deficincia visual. Portanto, se

    a igreja ainda no tem esse pblico, dever fortalecer a rea

    evangelstica do MADV na comunidade que a rodeia.

    Organizando o MADV Modelo 1

    1. Em reunio da Comisso da Igreja, em presena do pastor distrital,

    instituir, por voto, o MADV na Igreja.

    2. Uma vez institudo o MADV, a sugesto envolver o Departamento

    de