milho - importancia economica

Download MILHO - Importancia Economica

Post on 20-Jul-2015

1.921 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

Prof Luiz Duarte Silva Jnior

Tipos de Milho milho gro milho silagem milho verde milho pipoca minimilho

1. Importncia Econmica

Pilares da Poltica Agropecuria do Brasil

Crdito de Custeio

Crdito de Investimento

Poltica de Garantia de Preos Mnimos

Apoio Comercializao

Importncia Econmica do Milho

A importncia econmica do milho caracterizada pelas diversas formas de sua utilizao, que vai desde a alimentao animal at a indstria de alta tecnologia. O uso do milho em gro como alimentao animal representa a maior parte do consumo, cerca de 70% no mundo. Nos Estados Unidos, cerca de 50%, enquanto que no Brasil varia de 60 a 80%, dependendo da fonte da estimativa e de ano para ano.

Com a crise energtica mundial, a importncia do milho cresceumuito em razo de programas como os do biodiesel e do etanol.

Surge,

assim, uma grande oportunidade para que o Brasil

definitivamente ingresse como um grande pas exportador desse cereal, considerando que os Estados Unidos, o maior exportador para o mercado internacional, iro consumir parte significativa de sua produo para a indstria do lcool.

Os

EUA dedicaram em 2006 cerca de 54,6 milhes de

toneladas de milho para a indstria do lcool, de um total de 272,8 milhes de toneladas.

Principais pases produtores de milho 2008/2009 Produo (1.000 t) Pases/Anos Estados Unidos China Brasil Mxico Argentina ndia Frana Indonsia frica do Sul Itlia. 2001 241.485 114.254 41.955 20.134 15.365 13.160 16.408 9.347 7.772 10.554 2002 228.805 121.497 35.933 19.299 15.000 10.300 16.440 9.654 10.076 10.554 2003 256.905 115.998 48.327 19.652 15.040 14.720 11.991 10.886 9.705 8.702 2004 299.917 130.434 41.806 22.000 15.000 14.000 16.391 11.225 9.965 11.375 2005 280.228 131.145 34.860 20.500 19.500 14.500 13.226 12.014 11.996 10.622

Fonte FAO - Agridata

Principais pases produtores de carne suna Produo (1.000 t) Pases/Anos China Estados Unidos Alemanha Espanha Brasil Frana Vietn Canad Polona Dinamarca Total Mundial 2001 42.982 8.691 4.074 2.989 2.637 2.315 1.515 1.731 1.849 1.716 92.082 2002 44.358 8.929 4.110 3.070 2.798 2.346 1.654 1.858 2.023 1.759 95.249 2003 46.233 9.056 4.239 3.190 3.059 2.339 1.795 1.882 2.209 1.762 98.473 2004 48.118 9.312 4.323 3.176 3.110 2.293 2.012 1.936 1.956 1.810 100.484 2005 50.095 9.402 4.505 3.310 3.110 2.257 2.100 1.960 1.923 1.800 102.523

Fonte FAO - Agridata

Principais pases produtores de carne de aves Produo (1.000 t) Pases /Anos 2001 Estados Unidos China Brasil Mxico ndia Espanha Reino Unido Indonsia Japo Federao Russa Total MundialFonte FAO - Agridata

2002 14.701 9.275 7.050 2.076 1.400 1.191 1.272 1.083 1.229 938 64.262

2003 14.924 9.660 7.760 2.116 1.600 1.185 1.295 1.118 1.239 1.030 65.874

2004 15.514 9.895 8.668 2.225 1.650 1.268 1.288 1.191 1.242 1.152 68.322

2005 16.026 10.149 8.668 2.225 1.900 1.320 1.309 1.245 1.240 1.130 69.892

14.267 9.070 6.208 1.928 1.250 1.009 1.263 900 1.216 862 61.523

Consumo de milho por setor - 2007

OUTROS ANIMAIS 7% SUINOCULTURA 25%

INDUSTRIAL e HUMANO 11% RESERVA PLANTIO 1%

RESERVA PROPRIEDADE 6%

AVICULTURA 50%

Produo A produo de milho no Brasil, juntamente com a soja, contribui com cerca de 80% da produo de gros no Brasil. A diferena entre as duas culturas estava no fato que soja tem liquidez imediata, dada as suas caracterstica de "commodity" no mercado internacional, enquanto que milho tinha sua produo voltada para abastecimento interno, concretizando, hoje, como "commodity" na utilizao do etanol.

Etanol a grande novidade

O mundo precisa de milho

Brasil aproveita a onda

A produo brasileira de milho de 50,488 milhes de toneladas. Do total produzido no Brasil, 71,3% refere-se ao milho 1 safra e 28,7%, ao milho 2 safra. No Mato Grosso, 86,9% da produo refere-se ao milho 2 safra e 13,1% na 1 safra.

MILHO 1 SAFRA

MILHO 2 SAFRA

Evoluo Produo Brasileira de MilhoSafra Total 1 Safra 2 Safra Total 1 Safra 2 Safra Total 1 Safra 2 Safra 2001 42.290 35.833 6.457 12.973 10.546 2.426 3.260 3.398 2.661 2002 35.267 29.086 6.181 12.298 9.413 2.885 2.868 3.090 2.142 2003 47.411 34.614 12.797 13.226 9.664 3.563 3.585 3.582 3.592 2006 51.389 36.596 14.773 14.054 9.494 4.561 3.655 3.855 3.239 2007 52.320 37.320 14.999 14.269 9.671 4.599 3.667 3.859 3.262 Produo (1.000 t)

rea plantada (1.000 ha)

Rendimento (kg.ha-1)

Fonte: CONAB (2007)

Produo Total de milho Brasil. Em 1.000 t. REGIO/UF NORTE NORDESTE CENTRO-OESTE SUDESTE SUL BRASILCONAB Safra 2009/2010

2009/10 1.210,9 4.666,8 14.329,1 10.305,0 19.976,6 50.488,4

Produtividade de milho Brasil. Em kg/ha. REGIO/UF NORTE NORDESTE CENTRO-OESTE SUDESTE SUL BRASILCONAB - Safra 2009/2010

2009/10 2.310 1.544 4.335 4.845 4.752 3.830

ETANOL - Brasil

Frota de flex fuel: 849,5 mil Consumo interno: 14 bilhes de litros

Frota flex fuel em 2013: 8 milhes Demanda em 2013: 25 bilhes de litros

Produo precisa crescer 11 bilhes de litros em 8 anos Isto significa: 127 milhes de toneladas de cana a mais 1,8 milho de hectares a mais

Oferta e Demanda Brasil(Mil toneladas) (Mil toneladas)

Produo e consumo por UF (mil t) ProduoRegies Estados PR SC RS Sul MT GO/DF MS Centro Oeste MG SP ES/RJ Sudeste N/NE TOTAL Produo 14.268 3.899 5.751 23.918 4.950 4.329 2.648 11.927 6.318 4.050 111 10.479 4.741 51.065 Consumo 6.650 6.200 6.300 19.150 850 2.600 900 4.350 3.700 7.500 800 12.000 4.000 39.500 Saldo 7.618 (2.301) (549) 4.768 4.100 1.729 1.748 7.577 2.618 (3.450) (689) (1.521) 741 11.565

Fonte: Safras e Mercados/Agentes do Mercado

Mercado do Milho

O milho se caracteriza por se destinar tanto para o consumo humano como por ser empregado para alimentao de animais.

Em ambos os casos, algum tipo de transformao industrial ou na prpria fazenda pode ser necessria.

Consumo Humano

Para o consumo humano, o milho necessita de alguma transformao. exceo do consumo quando os gros esto em estado leitoso, ou "verde", os gros secos no podem ser consumidos diretamente pelos seres humanos.

Consumo animal

Neste ponto, a cadeia produtiva do milho passa a se inserir na cadeia produtiva do leite, de ovos e da carne bovina, suna e de aves sendo este canal por onde os estmulos do mercado so transmitidos aos agricultores.

Mudanas nestas cadeias passam a ser de vital importncia como incentivadoras do processo produtivo do milho.

Trs grandes derivaes ocorrem:

a) a produo de silagem, para alimentao de vacas em produo de leite e mais recentemente de gado confinado para engorda no perodo de inverno;

b) a industrializao do gro de milho em rao;

c) o emprego do gro em mistura com concentrados proticos para a alimentao de sunos e de aves.

Processamento na Fazenda

Uma parcela importante do milho produzido destina-se ao consumo ou transformaes em produtos destinados ao consumo na prpria fazenda.

O milho destinado ao consumo humano - principalmente na forma de fub, farinha ou canjica - tem menor quantitativo, frente ao destinado alimentao de pequenos animais, geralmente aves e sunos.

Um fator que tem impulsionado o crescimento de milho na regio Centro-Oeste a ampliao do parque industrial, em direo regio de cerrado, que utiliza milho como insumo e a criao de aves e sunos. O uso da cultura de milho no sistema de cultivo de PLANTIO DIRETO tambm tem favorecido os nveis de produo e produtividade nesta regio.

A segunda safra de milho foi introduzida pelos agricultores com o objetivo de se ter mais uma opo de cultivo para o perodo de inverno. Dois fatores foram importantes para que isto acontecesse. necessidades tcnicas de rotao de cultura com soja. crescente presso de demanda por milho, principalmente no perodo de "entressafra.

Os Mltiplos Uso do Milho (Planta, Espiga e Gro) no Brasil Destinao Uso Animal Direto Forma/Produto Final Silagem; Rolo; Gros (inteiro/desintegrado) para aves, sunos e bovinos. Espiga assada ou cozida; Pamonha; Curau; Pipoca; Pes; Bolos; Broas; Cuscuz; Polenta; Angus; Sopas; Farofa. Raes para aves (corte e postura); outras aves; Sunos; Bovinos (corte e leite); Outros mamferos. Amidos; Fubs; Farinhas comuns; Farinha pr-cozidas; Flocadas; Canjicas; leo; Creme; Pipocas; Glicose; Dextrose. Canjicas; Smola; Semolina; Modo; Granulado; Farelo de germe.

Uso Humano Direto de Preparo Caseiro

Indstria de Raes

Indstria de Alimentos Produtos Finais

Intermedirios

Destinao Xarope de Glucose

Forma/Produto Final Balas duras; Balas mastigveis; Goma de mascar; Doces em pasta; salsichas; salames; Mortadelas; Hambrgueres; Outras carnes processadas; Frutas cristalizadas; Compotas; Biscoitos; Xaropes; Sorvetes; Para polimento de arroz. Cervejas Refrigerantes; Cervejas; Bebidas alcolicas; Molhos. Aromas e essncias; Sopas desidratadas; Ps para sorvetes; Complexos vitamnicos; Produtos achocolatados. Biscoitos; Melhoradores de farinhas; Pes; Ps para pudins; Fermento em p; Macarro; Produtos farmacuticos; Balas de goma.

Xarope de Glucose com alto teor de maltose Corantes Caramelo Maltodextrinas

Amidos Alimentcios

Destinao Amidos Industriais

Forma/Produto Final Para papel; Papelo ondulado; Adesivos; Fitas Gomadas; Briquetes de carvo; Engomagens de tecidos; Beneficiamento de minrios. Adesivos; Tubos e tubetes; Barricas de fibra; lixas; Abrasivos; Sacos de papel; multifolhados; Estampagem de tecidos; Cartonagem; Beneficiamento de minrios. Fundio de peas de metal. Rotulagem de garrafas e de latas; Sacos; Tubos e tubetes; Fechamento de caixas de papelo; Colagem de papel; madeira e tecidos. Raes para bovinos; sunos; aves e ces.

Dextrinas