m­dias sociais e jornalismo colaborativo

Click here to load reader

Download M­dias Sociais e Jornalismo Colaborativo

Post on 06-Jun-2015

593 views

Category:

Technology

3 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Aula ministrada no dia 14/07/2012 no curso de pós-graduação da FSBA - Jornalismo e Convergência Midiática . Disciplina: Mídias sociais e Jornalismo Colaborativo.

TRANSCRIPT

  • 1. Yuri AlmeidaJornalismo e Convergncia Miditica FSBA 2012

2. Tipologia do desenvolvimento tecnolgico(Lemos, 2002) Indiferena Conforto Ubiquidade 3. Foco no sujeito e comunidades Creative Commons, escrita coletiva Mdia: convergncia, colaborao Internet = upload e interao 4. Sociedade de massa = mass media erelaes interpessoais Sociedade em rede = mass media, redessociais, agregadores e mecanismos debusca 5. Hiler (2008) 6. Alargamento do campo gerou um novo fenmeno emparalelo ao gatekeeping: o gatewatching Gatewatching contribui para o debate da comunidade.A mensagem publicada, mesmo que citada na grandemdia, recontextualizada e ganha um novo sentidono debate pblico 7. Comunicao em rede no implica o fim dosmediadores Liberao do plo emissor potencializa aplurivocalidade no ciberespao 8. Filtragem colaborativa (Johnson, 2001) Recomendao mudou o consumo de bensdigitais para a Long Tail (Anderson, 2004) 9. 68% dos jornalistas brasileiros utilizaram oTwitter como principal ferramenta digital dedivulgao de notcias (Oriella PR Network -2011) Facebook = 58% Blogs = 57% 10. Quando se trata pesquisar novas matrias,quase a metade (47%) dos entrevistadosdisseram que usam o Twitter e um tero(35%) usa o Facebook Um tero dos jornalistas usam o Twitter parachecagem, enquanto um quarto usaFacebook e blogs 11. No Brasil, a primeira fonte dos jornalistas soos press releases, com 32,14%; Os sites de outras publicaes, com 16,67%aparecem em segundo lugar como primeirafonte. Entrevistas com porta-vozes representam14,29% das respostas. 12. 33,3% dizem produzir mais contedo 25% esto trabalhando mais horas. 13. 46% dizem que as publicaes melhoraramaps as redes sociais; 29,76% consideraram que melhorarammuito; 17,86% consideram que nada mudou 14. 15 mil publicaes por segundo; + de 16 milhes de posts durante a partida Por dia aproximadamente 300 milhes 15. Modelo ertica Virginie Capricetira tira roupa e faz previses para Eurocopa 2012 16. Interao Fontes Colaborao Valores Identidade Necessidades Distribuio de contedo 17. Taxa de engajamentopara marcas maior aossbados e domingo(17%)Porm, apenas 19% dostweets das marcasforam publicados no fimde semanaFonte: Buddy Media. 18. Estratgias precisam serdiferentes para aes noTwitter e FacebookFonte: Buddy Media. 19. Pouco mais de 1% dosfs das maiores marcasno Facebook estorealmente engajadoscom as marcasFonte: Instituto Ehrenberg-Bass 20. Quatro de cada cinco entrevistados nuncacomprou um produto ou contratou umservio baseado em anncios ou comentriosno Facebook; As alegaes mais frequentes dos 34% quedisseram ficar menos tempo no Facebookeram tdio, nada de relevante e nadade til na rede social (Reuters/Ipsos/2012) 21. Crdito: Revista Superinteressante 22. Tuite at 100 caracteres. Tweets curtostem uma taxa de participao 17% superior; Inclua um link. Tweets com links tm umataxa de 86% maior de RT; Tweets com hashtag obtm duas vezes maisengajamento; 23. At duas hashtags um bom nmero, mas sevoc adicionar uma terceira, nota-se umaqueda de 17% no RT Mensagens com imagens tm o dobro doengajamento, mesmo que os usurios nopossam v-las. 24. A base filosfica do jornalismo colaborativo movimento do software livre iniciado em 1984 porRichard Stallman. Metaforicamente, disponibilizar o cdigo-fontesignifica conceder espaos para veiculao docontedo produzido pelo pblico, ampliar osmecanismos de colaborao entre jornais e leitores 25. Na nova era das comunicaes digitais,sinaliza Gillmor (2005), o pblico podetornar-se parte integral do processo ecomea a tornar-se evidente que tem de s-lo. Trs nveis de colaborao no jornalismocolaborativo: parcial, total, rizomtico 26. as possibilidades de colaborao solimitadas e ocorrem na etapa de construode notcia seja sugesto de matrias,fontes, envio de fotos e vdeos e/ou relatostestemunhais de fatos. Neste nvel decolaborao, os cidados-reprteres no tmo controle total de sua produo e aindadependem do crivo do gatekeeping. 27. neste modelo, o cidado-reprter temliberdade/acesso pleno ao cdigofonte. Elepensa a pauta, colhe os dados, embasa suasopinies, escolhe suas fontes, escreve ocontedo e sobe para a home da mdiacolaborativa. 28. o que difere do Jornalismo Colaborativoambientado em rede dos modelos parcial etotal carter coletivo, seja de produo ougerenciamento dos contedos colaborativos 29. espaos colaborativos hospedados emgrandes veculos ou sob a coordenaodestes espaos colaborativos criados por grupos ouempresas de comunicao de pequenoporte, sem associao uma grande marca 30. Nos grandes portais e jornais, a lgica decolaborao segue a agenda miditica. Opblico convidado a participar quasesempre em caso de fait divers, comoterremotos, enchentes, acidentes, festas eoutros fatos onde a onipresena miditicano pode ser realizada 31. J nos novos espaos nota-se a pluralidademaior em termos noticiosos. A agenda escrita pelos colaboradores, a notcia seraquela que voc publicar no site. 32. Conquista Transparncia A notcia no beta (Brambilla,2006) 33. Redes sociais so fundamentais para ojornalismo colaborativo, mas existe poucainterao entre os membros Colaborao ainda focada na vontadeindividual e no nos anseios comunitrios 34. Quem publica o responsvel pelo que opblico postou em sua rea de comentrios; A opinio do pblico integra o contedo; Retorno aos leitores fundamental 35. The HuffingtonPost criou sistemade badges.Colaboradorespodem at deletarcomentrios 36. O Mashable tambm utiliza badges para os usuriosque compartilham contedo e subscrevem tpicosde notcias. 37. Badges um sistema de reputao, que podereforar a estrutura e o comportamento daspessoas; mais fcil identificar o perfil dos leitores; Fidelizao do pblico; 38. Construo da comunidade; Potencializa prticas colaborativas Recompensa o usurio. 39. Filtragem Credibilidade (delegados tcnicos doSlashdot) Qualidade 40. Matrias mais prximas dos grupos a que sedestinam Memria local Cobertura afeta Potencializa-se o dilogo e o carter social Sentimento de pertencimento 41. No faz sentindo contratar uma equipeespecfica para cobrir um determinado local Uma boa cobertura hiperlocal se faz comjornalistas profissionais preciso criar plataformas que facilitem aparticipao de diversas maneiras 42. Distribuir notcias por correio eletrnico temgrande potencial Experincia hiperlocal precisa estar articuladacom a redao dos jornais 43. The Guardian apostou na ideia (2008) 44. Yuri Almeidahttp://herdeirodocaos.com@herdeirodocaoshdocaos@gmail.com