mensagens ms de setembro 2016 - ahp.liahp.li/d/   ouse, ouse ser voc mesmo, desprovido de...

Download MENSAGENS MS DE SETEMBRO 2016 - ahp.liahp.li/d/   Ouse, ouse ser voc mesmo, desprovido de qualquer

If you can't read please download the document

Post on 20-Jan-2019

220 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

1

MENSAGENS MS DE SETEMBRO 2016

http://natransparenciadoser.blogspot.com.br/2016/11/mensagens-mes-de-outubro-2016.html

2

MENSAGENS MS DE SETEMBRO 2016

O IMPESSOAL

O Impessoal - Parte 1

O Impessoal - Parte 2

O Impessoal - Parte 3

O Impessoal - Parte 4

O Impessoal - Parte 5

O Impessoal - Parte 6 Q/R

***

OMA:

OMA - Parte 1 Q/R

OMA - Parte 2 Q/R

OMA - Parte 3 Q/R

OMA - Parte 4 Q/R

*** ERELIN - DRAGO

*** ARCANJO MIGUEL

***

http://natransparenciadoser.blogspot.com.br/2016/11/mensagens-mes-de-outubro-2016.html

3

O IMPESSOAL

O IMPESSOAL Parte 1 Setembro de 2016

Meu amigo, meu irmo e meu amado, onde quer que voc esteja eu o encontro, onde quer que voc esteja, eu estou com voc. Nesses tempos da Terra que voc vive, nesses tempos de sua conscincia, a hora para os reencontros, mais do que nunca, de modo indito e intenso. Atuam em voc a Liberao, a Liberdade e a Paz. No veja em minhas palavras outra coisa que no o Silncio que ritma sua Presena e sua Ausncia.

Eu venho reencontr-lo, voltar a dar-lhe o impulso e a sede da Liberdade que, a cada minuto, saciada, na qual nada h a prever, nesse espao em que nada h a esperar, apenas ser, em presena, com voc. Voc se reencontra como eu o encontro; a, onde voc est eu estou, com voc e em voc.

4

V para onde no h mais espao para a menor distncia, nem para a menor separao. Oua isso, no silncio de seu corao, em minhas palavras que fazem apenas passar, mas que depositam, em voc, a densidade de sua Presena e de sua Ausncia. Em cada um de voc a Liberdade vivida; mesmo se voc no a veja, mesmo se voc no a viva, ela est a, em abundncia, profuso. Ento, eu o convido a depositar no, unicamente, os fardos de seu efmero, mas a colocar-se a, onde nenhum problema pode vir agitar qualquer elemento de sua conscincia.

Eu o convido a colocar-se na Graa; eu o convido a no mais parecer, a no mais jogar; eu o convido ao Silncio e ao contentamento do que voc . Eu me exprimo em voc, como voc se exprime em mim, no mesmo ritmo e no mesmo Silncio.

Eu venho recobri-lo, se j no foi feito, com seu Manto de Eternidade, a, onde a compaixo, a, onde a cura alquimiza-se em voc, a cada sopro. Para isso, a Luz mostra-lhe, ainda e sempre, o que lhe resta a soltar e a depositar, para demonstrar-lhe que as resistncias Eternidade, doravante, so vs e fteis, elas fazem apenas tentar afast-lo do que voc . A cada dia, a cada noite, a cada olhar colocado em voc como colocado em seu exterior, tudo oportunidade, tudo oportunidade, tudo ocasio para reencontrar-se, inteiramente, em sua inteireza.

Coloque-se a, onde nada h a espalhar, nada a defender, nada a discutir, nada a sopesar. A, na borda de sua eternidade, voc provar a si mesmo que nada h a provar, que nada h a pedir, que nada h a esperar. No Fogo de seu corao, na clareza de sua conscincia como de sua a-conscincia, voc est presente e eu estou a. Entre ns no h nem barreira nem identidade, nem diferena, h apenas a Evidncia. Essa Evidncia voc a conhece, mesmo se ainda no a tenha reconhecido. Ela est a, em abundncia; ela est a. Ento, minhas palavras so apenas o retransmissor desse espao do Silncio presente em seu corao, a, onde nada vem desvi-lo do que a Vida, no aquela da conscincia, mas a vida na

5

Eternidade, na qual mesmo a conscincia representa uma particularidade. A, onde os horrores do neant tornam-se a plenitude evidente do que voc .

Sente-se, sente-se em voc, repouse em voc.

Escute. Escute e oua o que se desenrola. Nesse momento mesmo, no qual voc est a. Nesse momento mesmo, em que voc me ouve, nesse momento mesmo em que voc me l, no h mais tempo, no h mais data e o espao parece to infinito que ele permanece Infinito, que ele permanece, unicamente, a ausncia de forma, a ausncia de tempo, a ausncia de identidade. Justamente, nessas ausncias, nada pode faltar, nada pode desaparecer. A, no Templo de sua eternidade, eu o envolvo com a Verdade Una dos filhos da lei de Um. No contentamento e na Graa, encontrados nesse lugar que no um, nesse corpo que faz apenas passar, em sua conscincia limitada que faz apenas aparecer e desaparecer, voc se tem a, onde nada h a segurar e nada a preservar. Sente-se, comigo e com voc mesmo.

Nesse lugar que no tem qualquer localizao e qualquer espao tem-se o Tudo, que apenas neant para o efmero de seu corpo.

A Graa nutre voc, a partir do instante em que voc no se segura mais nem a voc nem a compreender, nem a preservar o que quer que seja. Nesse espao sem tempo e nesse tempo sem espao, h apenas a abundncia, a abundncia da Alegria, a abundncia do Amor, que nenhuma medida pode conter, que nenhuma conscincia pode medir, nem mesmo apreciar. A, voc se restitui a si mesmo, alm de toda aparncia, alm de toda matria e alm, mesmo, de toda conscincia.

Nesses tempos especficos da Terra, nos quais a liberao coletiva conclui-se, de maneira efetiva, em cada canto e recanto de toda conscincia presente na superfcie dessa Terra, voc est pronto para dar-se? Voc est pronto para ser o Caminho, a Verdade e a Vida, no por instantes nem por momentos, mas de maneira definitiva? Cabe a voc ver, cabe a voc perceber.

6

Eu lhe dou a Paz, na condio de que voc se d sua Paz, a si mesmo, mas a cada um tambm, da mesma igual intensidade, sem restries, sem reserva e sem condies.

No Templo de seu corao, o sagrado permanente. A, onde voc degusta os frutos de sua eternidade, no h espao nem para o sofrimento nem para qualquer hesitao.

Onde quer que voc esteja, eu me tenho. Acolha no, unicamente, a doao da Graa, no, unicamente, o contentamento, no, unicamente, a Paz, a Alegria e o Amor, no, unicamente, a Luz, mas torne-se tudo isso ao mesmo tempo. Nada mais h que no voc e, para cada um de ns, nada mais h do que ns.

Silncio

Nesse espao voc se nutre, nesse espao nenhuma falta pode, mesmo, ser suposta, nem mesmo pensada.

Silncio

O Coro dos Anjos canta em seu corao e em seus ouvidos, o Esprito do Sol vivifica voc, a Fonte o que voc . No mais por momentos, no mais por instantes, mas de maneira definitiva.

E, ento, nesses instantes, voc, que est a, voc, que l, voc, que ouve, desvenda-se a ltima Verdade, aquela que no pode ser negada nem, mesmo, questionada, nem, mesmo, interrogada. A est a Evidncia, no h outra, em definitivo. Que seu caminho at hoje tenha sido longo, rduo, ou curto e rpido, isso no far mais qualquer diferena. Qualquer que seja o estado de seu corpo, qualquer que seja o estado de seus pensamentos, qualquer que seja o peso das resistncias ou dos apegos que possam, ainda, afet-lo no efmero, voc tem, nesse espao, tudo o que necessrio para desabrochar o que voc . A, onde no h mais nem interior nem exterior, nem dentro nem fora, nem esquerda nem direita, nem alto nem baixo, nem passado nem futuro, nem forma, a voc se tem.

A ao de Graa e o estado de Graa so-lhe abertos e propostos pela doao da Graa da Luz, pela Verdade do Amor que voc , que no depende de pessoa alguma, porque esse Amor que voc basta a ele mesmo.

7

No h necessidade de apegos nem, mesmo, de chamas gmeas, nem, mesmo, de relaes e, ainda menos, de interaes, afetivas ou sociais.

Ainda uma vez, hoje, eu o convido, como eu o convido a cada respirar, a vir colocar-se a, onde est sua essncia. Ento, claro, talvez, ainda, voc tenha necessidade de muletas, de exerccios, de prticas, de certezas, antes de ousar tudo soltar.

Silncio

Ouse, ouse ser voc mesmo, desprovido de qualquer ornamento e de qualquer farol. Ouse a simplicidade ltima, aquela de nada ser, nem pessoa, nem histria, nem passado, nem futuro, nem, mesmo, uma conscincia que habita um corpo, nem, mesmo, uma supraconscincia. Alm da vibrao e alm, portanto, da conscincia, mantm-se o que voc .

Minhas palavras, ainda uma vez, so apenas o apoio desse Silncio to perfeito, to correto, to extraordinrio.

Eu venho, tambm, hoje, reforar nossa comunho da Liberdade na Eternidade. Eu nada venho ensinar-lhe que voc j no saiba, mesmo se isso lhe seja, ainda, escondido, pelos medos e pelas dvidas. Venha colocar-se a, onde nada h a compreender, nada a explicar nem nada a superar. Repouse, peregrino da Eternidade. Voc que, alm de toda histria, torna-se o Caminho, a Verdade e a Vida, para que, como Aquele que veio, voc possa dizer, por sua vez: Eu e meu Pai somos Um. A est o nico milagre, a est o nico objetivo, e esse objetivo est, j, cumprido. No h mais caminho, no h mais rota a traar, exceto para aquele que duvida, ainda, e que vaga, ainda, nos meandros da histria dessa Terra ou da histria da prpria conscincia. H apenas que reconhecer-se, como perfeio, como Verdade e como beleza, a, onde voc no depende nem de uma histria nem de uma forma, nem de qualquer expresso de sua conscincia, em qualquer dimenso que seja.

Silncio

8

Coloque-se a, onde no h, mesmo, mais percepes, vibraes ou energia, a, onde no h mais emoes, nem pensamentos, nem a menor causalidade. A, onde h apenas o que foi nomeado Shantinilaya, a Morada de Paz Suprema, na qual mesmo as palavras, as mais corretas que sejam, so apenas uma deturpao da Verdade, na qual mesmo a palavra a mais presumida e a mais amorosa , ainda, demais. Venha nessa vacuidade, repouse e permanea assim. Aporte-se, a si mesmo, a prova irrefutvel do Amor que voc . Um Amor que no mais colorido por qualquer apego ou qualquer paixo que seja, nem, mesmo, por uma histria a manter, a, onde no h mais apoio nem emanao, nem projeo, onde apenas resta a evidncia da Paz, a evidncia do Amor que no depende, de modo algum, de sua histria, de sua vida, de seu corpo ou de suas relaes.