memorial descritivo projeto eletrico acabado

Download Memorial Descritivo Projeto Eletrico Acabado

Post on 31-Jul-2015

102 views

Category:

Documents

5 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

THIAGO MACEDO FREITAS

PROJETO ELTRICO DE UMA PLANTA BAIXA DE TRS QUARTOS.

Projeto solicitado pela disciplina Projeto de Instalaes Eltricas ministrada pelo professor SILVA ROBERTO critrio avaliativo de 2012.1.

Salvador Bahia Junho 2012

Projeto de Instalaes Eltricas

Pgina 1

NDICE Objetivo ........................................................................................................................ 02 Critrios de Projeto .................................................................................................... 03 Introduo do Projeto ................................................................................................. 03 1. Clculo da Corrente Corrigida (Ic) ............................................................... 04 2. Dimensionamento da Seo dos Condutores.................................................. 07 3. Dimensionamento dos Eletrodutos ................................................................. 09

4. Dimensionamento dos Disjuntores ................................................................. 13

OBJETIVO O objetivo deste memorial e especificao tcnica definir os critrios bsicos requeridos para a execuo das Instalaes Eltricas do empreendimento. Atendendo desta forma aos sistemas de iluminao, tomadas e equipamentos. Foi elaborado obedecendo s prescries da ABNT e atendendo a todas as indicaes do projeto arquitetnico e s disposies de atos legais da Unio, Estado e Municpio, aos regulamentos das empresas concessionrias de servios pblicos e s especificaes do fabricante, levando em conta a finalidade a que se destina cada especificao. CRITRIOS DE PROJETO O projeto aqui descrito tem como objetivo principal suprir as necessidades de eletricidade do Empreendimento em epgrafe, alimentado diretamente da rede existente e tem como premissas bsicas os seguintes itens: Confiabilidade de fornecimento, reduzindo o nvel de falhas do sistema. Simplicidade no sistema de controle, comando e operao, evitando procedimentos complicados e aplicao de mo-de-obra rara e de custo elevado. Simplicidade de manuteno, objetivando trabalhar com materiais de fcil aquisio no mercado interno, evitando, sempre que possvel, a necessidade de materiais com fabricao sob encomenda. Projeto de Instalaes Eltricas Pgina 2

Baixo custo de implantao com materiais com a melhor relao custo/benefcio. Baixo custo de operao / manuteno, o que se traduz na baixa aplicao de mo-de-obra, assim como do material aplicado.

INTRODUO DO PROJETO O projeto em questo trata-se de uma residncia de 89,65 m contendo uma sala estar/jantar, um quarto, duas sutes, trs sanitrios, uma cozinha, uma rea de circulao, uma rea de servio e uma varanda. Inicialmento foram colocados os mveis na planta baixa (ver Anexo 1) para que nenhuma tomada ou interruptor ficasse atrs de guarda-roupas, camas e armrios. Seguindo a Norma NBR 5410:2004 foram locados os pontos de tomadas de uso geral (TUGs) seguindo os seguintes critrios: Para os sanitrios uma tomada de 600VA junto ao lavatrio e com uma distncia mnima de 60cm do limite do boxe. Na sala estar/jantar, quarto, sutes e rea de circulao uma tomada de 100VA a cada 5m (de permetro) OBS.: Na sala estar/jantar foram locadas mais tomadas do que a norma estabelece, prevalecendo a questo do bom senso e da quantidade de eletrodomsticos utilizados. Na varanda foi colocada uma tomada de 100VA. Na cozinha e rea de servio foram colocadas tomadas de 600VA para as trs primeiras e de 100VA para as demais, obedecendo a norma que estabelece uma tomada a cada 3,5m (de permetro). As tomadas de uso especfico (TUEs) foram locadas de acordo com cada equipamento instalado em determinado cmodo e esto indicados os equipamentos, potncia dos mesmos e altura das tomadas (ver Anexo 2). Com a mesma norma NBR 5410:2004 foram fixados os pontos de iluminao em cada cmodo baseando-se na rea que segundo o que a norma estabelece: Nos sanitrios, rea de circulao, rea de servio, cozinha e varanda foram colocadas lampadas de 100VA, pois esses cmodos possuem rea igual ou inferior 6m. Na sala estar/jantar e sutes foram colocadas lmpadas de 100VA para os primeiros 6m e uma arandela na parede com altura de 2,0m para cada aumento de 4m inteiro na rea dos mesmos. A quantidade de lmpadas de 100VA e 60VA, de tomadas de 100VA e 600VA e de tomadas de uso especfico bem como sua potncia (em VA), fator de potncia e potncia (em W) esto especificados no Anexo 2. Aps obter todas as potncias foi aclculada a potncia instalada verificando que o sistema de energia a ser fornecido pela concecionria trifsico. Projeto de Instalaes Eltricas Pgina 3

Em seguida foram divididos os circuitos de modo a facilitar manuteno e evitar que uma grande rea prxima fique sem energia em caso de problema em um dos circuitos. A diviso dos circuitos foi baseada na NBR 5410:2004 que estabelece que para os circuitos de iluminao no ultrapassem uma potncia de 1200VA e os de tomada de uso geral no ultrapassem a potncia de 2200VA. A iluminao foi dividida em trs circuitos, a tomadas de uso geral (TUGs) foram dividas em cinco circuitos e oito circuitos para as tomadas de uso geral (Ver Anexo 3). Depois de divididos os circuitos foram calculadas as potncias (em VA e em W) multiplicando pelo fator de potncia adotado: 1 para iluminao, tomadas dos chuveiros e fogo. 0,8 para demais circuitos. Considerando uma alimentao F-N, 127/ 220V e iluminao incandescente foi calculado a corrente de Projeto (IB) dividindo a potncia (em W) pela DDP (em V). Seguindo adiante com os clculos de corrente, podemos calcular a corrente corrigida (Ic) atravs da corrente de projeto e do fator de agrupamento. Todos os valores esto colocados na tabela no anexo 3. 1. CLCULO DA CORRENTE CORRIGIDA (Ic) Atravs da frmula Ic = Ib/(f1.f2.f3), podemos calcular a corrente corrigida do projeto, em que Ib a corrente de projeto e f1, f2 e f3 so o fatores de correo que dependem de alguns fatores: O f1 corresponde temperatura do ambiente; O f2 corresponde temperatura do solo, caso o eletroduto seja subterrneo; O f3 corresponde ao fator de agrupamento, de acordo com o nmero de circuitos agrupados. As tabelas abaixo foram tomadas como referncia para o clculo do Ic. Tabela 1 fator f1 Temperatura Ambiente (C) 10 15 20 25 30 35 40 45 50 55 60 Tabela 2 fator f2 Projeto de Instalaes Eltricas Pgina 4 Fator de Correo 1,20 1,15 1,10 1,05 1,00 0,95 0,85 0,80 0,70 0,60 0,50 Temperatura Ambiente (C) 10 15 20 25 30 35 40 45 50 55 60 Fator de Correo 1,20 1,15 1,10 1,05 1,00 0,95 0,85 0,80 0,70 0,60 0,50

Tabela 3 fator f3 Disposio dos cabos Fatores de Correo Nmero de Circuitos ou de cabos multipolares 4 5 6 7 8 9 10 11 12

1

2

3

14

16 0,4

Agrupados sobre uma 1,0 0,8 0,7 0,65 0,6 0,55 0,55 0,5 0,5 0,5 0,45 0,45 0,45 superfcie

Projeto de Instalaes Eltricas

Pgina 5

DIV IS O DE CIRCUITO

CIRCUIT O N T IP O

P O T NCIA CO RRENTE CO RRENT E DE FATOR DE TENS N DE CIRC. CO M O DO P O T TO T AL TO T AL F AS E A AS E B AS E C F F CORREO P ORCO RRIG IDA P RO J. B ) (I O (V ) AG RUP ADO S (IC P (VA)\TENS O AGRUP AM ENTO (FC) ) IB\F C (V A) (V A) (W ) S A LA 280 Q UA RTO 220 127 S UITE 1 220 V A RA NDA 220 S A NT 1 100 CO ZINHA 160 RE A S E RV .100 S UITE 2 220 127 S A NT 2 100 S A NT 3 100 CIRC 100 S A LA 400 127 V A RA NDA 100 Q UA RTO 127 S UITE 1 S UITE 2 S A NT.1 S A NT.2 127 S A NT 3 CIRC. 127 CO ZINHA 300 300 300 600 600 600 100

1

ILUM . 1

1040

1040

X

__

__

4

8,19

0,65

12,6

2

ILUM . 2

780

780

X

__

__

4

6,14

0,65

9,45

3

TUG 'S

500

400

X

__

__

2

3,94

0,8

4,92

4

TUG 'S

900

720

X

__

__

4

7,08

0,65

10,89

5

TUG 'S

1900

1520

X

__

__

4

14,96

0,65

23,01

6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 TO TA L

TUG 'S TUG 'S TUE CHUV E IRO TUE CHUV E IRO TUE CHUV E IRO TUE A R CO ND. TUE A R CO ND. TUE A R CO ND. TUE M ICRO O NDA S TUE M Q . DE LA V A R __

1900 1900

1520 1440 4200 4200 4200 2100 2100 2100 1200 800

X X X X X __ __ __ __ __ __

__ __ X X X X X X __ __ __

__ __ __ __ __ X X X X X __

2 3 4 4 3 4 4 4 1 3 __

14,96 7,87 19,09 19,09 19,09 11,93 11,93 11,93 11,81 7,87 175,88

0,8 0,7 0,65 0,65 0,7 0,65 0,65 0,65 1 0.70 __

18,7 11,24 29,37 29,37 27,27 18,35 18,35 18,35 11,81 11,24 254,92

127 RE A S E RV 1 800 1800 . 220 S A NT.1 220 S A NT.2 220 S A NT.3 220 Q UA RTO 220 S UITE 1 220 S UITE 2 4200 4200 4200 4200 4200 4200 2625 2625 2625 2625 2625 2625

127 CO NZINHA 1500 1500 127 __ RE A DE S E RV . __ 1000 1000 __

31795 28320

2.Clculo para queda de tenso em relao para aferir sesso mnima do condutor: Projeto de Instalaes Eltricas Pgina 6

Este clculo feito atravs de uma distncia mxima de um circuito que se quer aferir, para que se possa achar a sesso adequada do condutor em relao a queda de tenso. Para realizao dos clculos, utiliza-se a seguinte frmula: Variao de Tenso = %e x V --------------D(km) x Ib %e = Queda de tenso mxima permitida em relao tenso nominal (2%). V = Tenso Nominal D (km) = Distncia mxima percorrida pelo condutor Ib = Corrente de projeto Circuito 1 : Variao de Tenso = 0,02 x 127 --------------0,00849 x 8,19 Circuito 2 : Variao de Tenso = 0,02 x 127 --------------0,00636 x 6,14 Circuito 3 : Variao de Tenso = 0,02 x 127 ------------------0,00955 x 394 Circuito 4 : Variao de Tenso = 0,02 x 127 ------------------0,01552 x 7,08 Circuito 5 : Variao de Tenso = 0,02 x 127 ------------------0,0072 x 14,96