memorial descritivo impermeabilização

Download Memorial Descritivo Impermeabilização

Post on 03-Jul-2015

1.048 views

Category:

Documents

16 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

MINISTERIO PBLICO DO TRABALHO PROCURADORIA REGIONAL DO TRABALHO 23 REGIO RUA E S/N , CENTRO POLTICO ADMINISTRATIVO , CUIAB - MT

MEMORIAL DESCRITIVOImpermeabilizao

Sumrio

1. Objetivo 2. Mtodo Executivo 3. Desenhos 4. Impermeabilizaes 5. Execuo dos Servios 5.1 CAIXA DE GUAS PLUVIAIS 5.2 CAIXA DE ESGOTO 5.3 LAJE IMPERMEABILIZADA 6. Resumo dos Materiais

1.OBJETIVO Este memorial descritivo refere-se aos procedimentos bsicos que devem ser tomados para a execuo das impermeabilizaes das estruturas em concreto da Procuradoria Regional do Trabalho 23 Regio. A impermeabilizao tem como objetivo impedir a passagem indesejvel de guas, fluidos ou vapores devendo cont-los ou afast-los para fora do local que se deseja proteger. Visa portanto proteger os ambientes contra problemas patolgicos que podem surgir com infiltraes de gua associada ao oxignio e outros agentes agressivos da atmosfera como gases poluentes, chuvas acidas, oznio etc., pois os principais materiais de construo em uso sofrem um processo de deteriorao e degradao quando sobre a influncia de um meio agressivo.

2.MTODO EXECUTIVO A impermeabilizao dever ser aplicada apenas em superfcies resistentes, uniformes e perfeitamente secas. Nenhum produto ser aplicado, sem a devida preparao das superfcies a serem impermeabilizadas. Os cantos e arestas internas das superfcies devero ser convenientemente arredondados. A aplicao de qualquer produto indicado nestas especificaes est condicionada a mais completa obedincia as recomendaes do Fabricante quanto ao manuseio, dosagem e cuidados especiais para garantia da qualidade e durabilidade dos servios, no esquecendo inclusive os aspectos de segurana do pessoal envolvido nas operaes de execuo.

3. DESENHOS O projeto referente as estruturas de concreto em que haver impermeabilizao est composto de 2 pranchas, de acordo com o apresentado na listagem abaixo. FL-H01/06- Planta baixa Pav. Trreo A06/00- Planta Cobertura(Laje Impermeabilizada)

4. IMPERMEABILIZAES 4.1 Estruturas / Alvenarias As alvenarias, pequenos muros de arrimo em contato com a terra, executadas para patamarizao do piso, bem como outros elementos nas mesmas condies (particularmente galerias de instalaes), sero impermeabilizados pela aplicao de argamassa de cimento e areia 1:3 com hidro-repelente (HIDROFUGANTE a 3% ou equivalente) devidamente aplicada sobre a alvenaria/estrutura, inclusive no reboco e argamassa de assentamento, at a altura de 1 metro acrescentada de posterior pintura asfltica (A BASE DE ASFALTO ou equivalente) em trs demos. 4.2 Calhas e Instalaes Pluviais Sero de ao galvanizado. As caixas de coleta de esgotos ou guas pluviais devero ser impermeabilizadas. Os encontros da impermeabilizao com ralos e bordas canalizaes, grelhas ou outros materiais ou peas devero ser cuidadosamente executados, sempre arredondados e em perfeita concordncia. As calhas de ao, quando existirem, e a critrio da fiscalizao, podero substituir as calhas de ao galvanizado, sero devidamente protegidas por pintura anti-ferruginosa, preferencialmente antes de sua colocao. Essa pintura ser executada em trs demos de tinta anti-oxidante de cromato o que dever ser controlado pela fiscalizao. A base de acabamento da superfcie ser dado pela aplicao de duas demos de pintura com tinta resistente (primer), especialmente destinada tinta de acabamento especificada no captulo pinturas. Ou, ento, pela aplicao de elastmeros em diversas demos at ser atingida a espessura entre 1 e 1.5mm (cerca de

seis demos que sero obrigatoriamente de cores diferentes, para maior facilidade de controle, e aplicadas uma por dia). Entre a segunda e a terceira demo dever ser aplicada uma camada de tecido de algodo ou fibra sinttica especial para esta finalidade a fim de obter maior resistncia mecnica. A impermeabilizao das caixas de captao de guas pluviais ser executada pela aplicao de duas camadas de argamassa e areia (1:3) com adio de hidro-repelente, intercaladas por chapiscado de cimento e areia (1:2) e posterior pintura com tinta epoxlica em duas demos, na cor branca.

5. EXECUO DOS SERVIOS 5.1 Caixa de guas PluviaisNecessidades de Materiais Material rea (m) Viaplus 1000 35,20 Viafix 1 Monopol Evo-Stick 11 Necessidade 70.40 kg/m2 36 Kg 3.41 litros

5.1.1 DESCRIO DO SISTEMA Impermeabilizao com Cimento Modificado VIAPLUS 1000 5.1.2 MATERIAL VIAPLUS 1000 um revestimento impermeabilizante semi-flexvel, bicomponente (A+B) base de disperso acrlica, cimentos especiais e aditivos minerais de excelentes caractersticas impermeabilizantes, com perfeita aderncia e excepcional resistncia mecnica. Atende as exigncias da NBR11905/92. Produto fornecido em dois componentes: Componente A (resina): Polmeros acrlicos emulsionados. Componente B (p cinza): Cimentos especiais aditivos impermeabilizantes, plastificantes e agregados minerais. com Polmeros

VIAFIX uma emulso adesiva a base de resinas sintticas, com a funo de incrementar a aderncia da argamassa de regularizao ao substrato. MONOPOL uma massa elstica mono componente a base de polissulfetos que vulcaniza-se temperatura ambiente. 5.1.3 TESTE DE CARGA DAGUA Antes da preparao da superfcie, executar teste de carga dgua por no mnimo 72 horas, de modo a propiciar o aparecimento de eventuais vazamentos que venham a ocorrer na estrutura quando da carga total e possibilitar a preparao adequado para a superfcie a ser impermeabilizada. 5.1.4 PREPARAO DA SUPERFCIE A superfcie dever apresentar-se limpa, sem partes soltas ou desagregadas, nata de cimento, leos, desmoldantes, etc. Para tanto recomenda-se a lavagem da estrutura com escova de ao e gua ou jato dgua de alta presso. Ninhos e falhas de concretagem devero ser escareadas e tratadas com argamassa de cimento e areia, trao 1:3, amassada com soluo de gua e emulso adesiva VIAFIX na relao em volume 3:1. As tubulaes devero estar limpas e chumbadas convenientemente. Ao redor destas, executar canaleta em forma de U, para posterior preenchimento com mstique de polissulfeto MONOPOL. Quando houver ocorrncia de jorros de gua, no caso de reservatrios enterrados com influncia do lenol fretico, executar tamponamento com utilizao de cimento de pega ultra rpida Heydi P 2, aps prvio preparo do local. Verificar a integridade da misula estrutural. Em reas onde as armaduras ou concreto estiverem comprometidas, devero ser executadas recuperao das estruturas, posteriormente avaliao de tcnicos especializados.

5.1.5 PREPARO DO MATERIAL Adicionar aos poucos o componente B (p cinza) ao componente A (resina) e misturar mecanicamente por 3 minutos ou manualmente por 5 minutos, dissolvendo os possveis grumos que possam vir a formar; Uma vez misturados os componentes A + B, o tempo de utilizao deste no dever ultrapassar o perodo de 40 minutos; 5.1.6 FORMA DE APLICAO

Pintura (trao em volume)Uma parte do componente A (resina) para 2,5 partes do componente B (p cinza) Aplicar com trincha, vassoura de plo ou escova. 5.1.7 APLICAO A superfcie a ser impermeabilizada com VIAPLUS 1000, dever estar previamente umidecida e no encharcada; Aplicar sobre a superfcie de concreto, 4 demos em sentido cruzado do VIAPLUS 1000, com intervalos de 2 a 6 horas entre demos, dependendo da temperatura ambiente, se a demo anterior estiver seca, molhar o local antes da nova aplicao. Impermeabilizar o teto do reservatrio com aplicao do VIAPLUS 1000 - 2kg/m2. Em regies crticas como ao redor de ralos, juntas de concretagem e fissuras, calafetar com mstique de polissulfeto MONOPOL, aps a secagem completa do VIAPLUS 1000. Em reas abertas ou sob incidncia solar, promover a hidratao do VIAPLUS 1000 por, no mnimo, 72 horas.

Observao:

a) No aplicar o VIAPLUS 1000 sobre a massa de regularizao que contenha cal ou hidrofugo. Caso seja necessria a utilizao destes, substituir por VIACAL. b) Produto formulado para reservatrio e tanque de gua potvel. Casa haja alterao na composio da gua, consultar o departamento tcnico da

c) d) e) f) g)

Viapol. Quando utilizado em reservatrios, aguardar no mnimo 3 dias antes de enche-lo, conforme condies de temperatura ambiente, umidade relativa e ventilao. Antes da proteo mecnica, fazer o teste de estanqueidade, enchendo o local impermeabilizado com gua, mantendo o nvel por no mnimo 72 horas. Promover a sanitizao do reservatrio lavando previamente com sabo neutro e vassoura de plo. Desprezar o primeiro carregamento de gua, para consumo humano ou animal. Misturar constantemente o produto da embalagem durante a aplicao. A impermeabilizao deve atender o disposto na norma NBR-9575/2003Impermeabilizao - Seleo e projeto.

5.1.8 PROTEO MECNICA

Argamassa de Proteo Mecnica - no PisoExecutar argamassa de cimento e areia, trao 1:3, desempenada, com espessura mnima de 3 cm, no piso do reservatrio. Esta argamassa dever subir nas verticais at uma altura mnima de 30cm, e estruturada com tela galvanizada ou tela plstica. 5.1.9 CONSUMO Cimento Modificado com Polmeros VIAPLUS 1000 - Pisos e Paredes - 4,0 kg/m2. Cimento Modificado com Polmeros VIAPLUS 1000 - Teto - 2,0 kg/m2. Emulso Adesiva VIAFIX: 0,30 l/m2. Mstique de polissulfeto MONOPOL (para juntas de 2x1 cm): 0,30 m/linear. 5.1.10 ESTOCAGEM Cimento Modificado com Polmeros VIAPLUS 1000 e Emulso adesiva VIAFIX- Armazenar por at 9 meses, a partir da data de fabricao, em local seco, ventilado e nas embalagens originais e intactas. Mstique MONOPOL- Armazenar por 6 meses a partir da data de fabricao, em local seco e ventilado e nas embalagens originais e intactas.

5.1.11 DESENHO

5.2. Caixa de Esgoto

Necessidades de Materiais Material rea (m) Viapoxi Alcatro 12.80 Viafix .36 m3 Monopol Evo-Stick .3

Necessidade 18 kg 13 litros 1.2 litros (4 bisnaga)

5.2.1 DESCRIO DO SISTEMA Impermeabilizao com resina epxi VIAPOXI ALCATRO 5.2.2 MATERIAIS VIAPOXI ALCATRO um produto bi-componente (A+B) a base de resina epxi, alcatro de hulha, aditivos e filler mineral,

Recommended

View more >