Matriz curricularlinguaportuguesasaepe

Download Matriz curricularlinguaportuguesasaepe

Post on 25-Jun-2015

1.170 views

Category:

Entertainment & Humor

1 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

<ul><li> 1. P452b Pernambuco. Secretaria deEducaoBase Curricular Comum para as Redes Pblicas de Ensino de Pernambu-co: lngua portuguesa / Secretaria de Educao. - Recife : SE. 2008.110p.Inclui bibliografia.1. C UR RC UL O ES CO L A R - M E T O DO L O GI A - E NS IN O F UN D AM E N T AL .2. CU RR CU L O E S CO L AR - M E T OD O L OG IA - E N S INO M D IO . 3. PO RT U G U S- C UR RC UL O S. 4. P AR M E T RO S C UR RICU L A RE S N A CIO NA IS - P E RN A M-BU CO . 5. L E I D E D IRE T R IZ E S E BA SE S D A E D U CA O. 1996 - BR AS IL . 6. L I-VR OS DID T ICO S - A SP E CT O S E D UC AC ION A IS. 7. IN T E RD IS CIP L IN AR IDA D E .8. A PR E ND IZ A G EM . 9 . P OL T IC A P E DA G G IC A. 1 0. CO N ST R UT I VIS M O (E D U-CA O - PE R NA M BU CO . 11. PR T IC A P E DA G G ICA . 1 5. E D UC A O E E S -,T AD O . II. T t ul o. CDU 371.214 CDD 375PeR - BPE 08-0217</li></ul><p> 2. BASE CURRICULAR COMUM PARA AS REDES PBLICAS DE ENSINO DE PERNAMBUCOGOVERNADOR DOESTADO DE PERNAMBUCOEduardo Henrique Accioly CamposSECRETRIODE EDUCAO DOESTADODanilo Jorge de BarrosCabralCHEFE DE GABINETENilton da Mota Silveira FilhoUNDIME-PEPresidentes EstaduaisEdla Lira SoaresLeocdia Maria da Hora NetaSECRETARIA DEEDUCAOSecretriaExecutiva de Gesto de RedeMargareth Costa ZaponiSecretriaExecutiva de Desenvolvimento daEducaoAda Maria Monteiro da SilvaGerente dePolticas Educacionais de Educao Infantil e Ensino FundamentalZlia Granja PortoGerente dePolticas Educacionais do Ensino MdioCantaluce Mrcia Ferreira Paiva de Barros LimaGerente Geral do Programa deCorreo de Fluxo EscolarAna Coelho Viera SelvaGerente de Polticas Educacionais em Direitos Humanos,Diversidadee CidadaniaGenilson Cordeiro MarinhoGerente dePolticas de Educao EspecialAlbanize Cardoso da SilvaGerente deAvaliao e Monitoramento das Polticas EducacionaisMaria Epifnia de Frana GalvoGerente deNormatizao do EnsinoVicncia Barbosa de Andrade TorresREVISO FINALAna ProsiniCAPAUNDIME-PEDIAGRAMAOJosu Paulo Santiago Jnior 3. COMISSO DE ELABORAO Perodo: 2004 a 2006Professores assessores: equipe de coordenao da elaboraoElizabeth Marcuschi (L. Portuguesa ) UNDIMEIrand Antunes (L. Portuguesa SEDUC )Paulo Figueiredo (Matemtica )Marcelo Cmara (Matemtica UNDIME) SEDUCProfessores especialistas das redes pblicas de ensinoFabiana Jlia A. Tenrio (L. Portuguesa ) UNDIMEMissimeire Maria C. Silva (L. Portuguesa ) UNDIMETarcsia Maria T. de Aguiar (L. Portuguesa ) SEDUCJeanne Amlia de A. Tavares (L. Portuguesa )Edmundo Fernandes C. Silva (MatemticaSEDUC)Ricardo Jos M. Ferreira (Matemtica ) UNDIMEMarcos Antnio Heleno Duarte (Matemtica ) UNDIMEFrancisco Sales da Costa (Matemtica ) SEDUC SEDUCPareceristasCeli Aparecida Espasandin Lopes UNICSUL/SPEgon de Oliveira RangelPUC/SPFlvio Henrique Albert BraynerLvia Suassuna UFPEMaria Manuela UFPE DavidPaulo Henrique Martins UFMGRegina Luzia Corio de Buriasco UFPE UEL/PR 4. COMISSO DE REVISO E ATUALIZAO Perodo: 2007Accia Silva Pereira Fabiana Oliveira de ArajoAdalse M Arcanjo da SilvaFlvia Jones da Costa LimaAdalva M Nascimento S. deFrancinete Monteiro da SilvaAlmeida FranciscoJairoTimteo de SAdriana Maria Vidal NeryGeisa B. de N. ConceioMachado Gilka Nascimento de NovaesAna Francinete V. CavalcantiGivaldo da Silva CostaAna Maria Morais Rosa Graa OliveiraAna Paula Bezerra da SilvaHilda Susiane Muniz SilvaAna Paula Pacheco da SilvaIraneide Domingos da SilvaAnelcia Maria de Souza Correia Isva M Modesto Moraes de SouzaAnglica Maria Gomes de Jeane de Oliveira LimaVasconcelos Jos Carlos Julio de MeloAntonia Isalida B. de Almeida Jos Luiz Lucena TravassosAri Jos Rodrigues da Silva Jos Wagner Queiroz de AlmeidaAriandne Arajo Alves Josefa Rita de Cssia Lima SerafimArundo Nunes da Silva JniorJosemar Barbosa de AlmeidaAurelcio Braga de Oliveira Jussara Maria Pereira de AzevedoDayse Cabral de Moura Ktia ArajoEldio Alves dos Santos Ktia Cilene de Silva PereiraElizabeth Gomes de Arajo Sousa Leda Soares de AlmeidaEmrcia Oliveirad ArajoLcia Amlia Paiva LinsEriberto Vitorino da SilvaLus Renan Leal de MeloEvanilson Landim AlvesM das Dores da Silva VasconcelosEzinete Alencar de S Mendes 5. Maria de Marinaldo Alves de Souza Lourdesde SM Inz de Menezes Lafayette Marizete de Farias Gomes FonscaMarcela Simone Santos Secundes Milton Perseus Santos de MeloMrcia Andrada Brito Msia Arlane Alves BatistaMrcia Regina Vilaverde LopesNayra Maria ChavesMarconi Benedito da SilvaOnilda Patrcia de Sousa BeloMarcos Antnio Heleno Duarte Paulo Jos Alves PedrosaMaria Aparecida Silva Rufino Pedro Marques de SouzaMaria Cristiane DutraReginaCeli de Melo AndrMaria da Conceo B. deRicardo Jos OliveiraAlbuquerqueRicardo Marins da SilvaMaria da Conceio Viana ZobyRobson Gustavo de SantanaMaria do Carmo Barbosa Almeida Rosa Maria de Souza Leal SantosMaria do Socorro de S Tavares Rosimere Carlos Ferreira da CostaSantos Rozineide Novaes FerrazMaria Emlia Soares da S. Santos Sandra Maria SantosMaria Jos de Almeida Carvalho Silvania Flix BarbosaMaria Jos Holanda Barbosa Silvnia Maria da Silva AmorimMaria Jos Pereira Gomes Snia Virgnia Martins PereiraMaria Jucileide Lopes AlencarTarcisia Maria Travassos de AguiarMaria Lcia A. FreireValdir Ferreira da SilvaMaria Lcia Angelina TorresVelria Batista CostaMaria Lcia da Silveira Santos Valria Maria TavaresMaria Marcia Moura Brito Vanda Maria Braga CardosoMaria Nbia de Jesus Silva Vnia de Moura BarbosaMaria Valria Sabino R. Carvalho Vernica de Queiroz ArrudaMarilene Raimunda da Silva Wilson Pereira de Miranda 6. SUMRIOAPRESENTAO 9INTRODUO11PRESSUPOSTOS TERICOS E METODOLGICOS DABASE CURRICULAR COMUM151. FUNDAMENTOS E BASES LEGAIS 171.1 Paradigma: solidariedade, vnculo social e cidadania1.2 Bases legais da proposta curricular241.3 Diretrizes: identidade, diversidade e autonomia282. EIXOS METODOLGICOS: MOBILIZANDO SABERES 312.1 Ensino-aprendizagem orientado para o desenvolvimento de saberes e competncias 312.2 Interdisciplinaridade e dialogismo392.3 Contextualizao e sentido413. EIXOS DA ORGANIZAO CURRICULAR463.1 Flexibilidade na organizao da educao escolar173.2 Avaliao e direito aprendizagem484. QUESTES DO ENSINO E DA APRENDIZAGEM 574.1 Concepes de ensino-aprendizagem 574.2 A idia de contrato didtico4.3 A transposio didtica e a transformao dos saberes 46594.4 O livro didtico: funo pedaggica e papel cultural60625. PROJETO POLTICO-PEDAGGICO DA ESCOLA:AUTONOMIA E RESPONSABILIDADE64 7. 6. PRINCPIOS ORIENTADORES6.1 A lngua como interao socia676.2 As condies de realizao da intera verbal6.3 Tipos de conhecimento mobilizados na interao verbal 696.4 O lxico da lngua: marcas e funes696.5 A gramtica da lngua: funes e limites7172677. COMPETNCIAS E SABERES 737.1 O processo de desenvolvimento das competncias737.2 A seleo e a apresentao dos textos757.3 As competncias bsicas em produo e compreenso de textos orais 787.4 As competncias bsicas em leitura e compreenso de textos837.5 As competncias bsicas em produo de textos escritos 937.6 As competncias bsicas em anlise lingstica e em reflexo sobre a lngua 978. ASPECTOS DIDTICOS1048.1 O lugar do texto no desenvolvimento de competncias em linguagem 1048.2 O lugar do livro didtico no desenvolvimento de competnciasem linguagem 1068.3 A avaliao no desenvolvimento de competncias em107linguagem9. REFERNCIAS BIBLIOGRFICAS109 8. Base Curricular Comum para as Redes Pblicas de Ensino de PernambucoAPRESENTAO A Secretaria de Educao de Pernambuco SE e a Unio dosDirigentes Municipais de Educao de Pernambuco UNDIME/PE tm asatisfao de apresentar o documento do componente curricular de LnguaPortuguesa que compe a srie de documentos da Base Curricular Comumda EducaoBsica para as Redes Pblicas de Pernambuco.A Base Curricular Comum para as Redes Pblicas de Ensino dePernambuco BCC resulta de projeto proposto pela UNDIME-PE, elaborado conjuntamente, por vrias instituies educacionais do Estadode Pernambuco: a Unio dos Dirigentes Municipais de Educao(UNDIME); a Secretaria Estadual de Educao (SE); o Conselho Estadualde Educao (CEE); a Associao Municipalista de Pernambuco(AMUPE) e a Confederao Nacional dos Trabalhadores em Educao(CNTE). A elaborao da BCC foi resultado de um processo democrtico eparticipativo sob a responsabilidade de gestores das redes municipais eestaduais, atravs da coordenao do projeto e das comisses deelaboradores, compostas por assessores de universidades e por professoresespecialistas das redes pblicas de ensino, estes formados nesse processo,como Especialistas em Avaliao Educacional, em Lngua Portuguesa. Esse processo possibilitou o debate em diversas etapas e, em 2007, foirealizado um seminrio de atualizao, tendo em vista a necessidade deincorporar orientaes sobre a legislao referente ao EnsinoFundamental, que inclui a educao obrigatria para as crianas de seis anosde idade nesse nvel de ensino. Ao destacar os saberes e os conhecimentos comuns aos vriossistemas pblicos, os quais todos os alunos devero ter acesso,considerando a formao para a cidadania, entendida como a construo9 9. Base Curricular Comum para as Redes Pblicas de Ensino de Pernambucodo direito a ter direitos, a BCC cumpre o objetivo de contribuir e orientaros sistemas de ensino, na formao e atuao dos professores da EducaoBsica. Por dar realce aos eixos considerados comuns aos sistemas, a BCC-PE deve ser complementada em cada rede de ensino, de forma a garantir aabordagem de conhecimentos e a diversidade das manifestaes culturaislocais. Alm disso, a BCC deve servir como referencial avaliao dodesempenho dos alunos, atualmente conduzida pelo Sistema de AvaliaoEducacional do Estado de Pernambuco (SAEPE), que tem procuradoavaliara qualidade do sistema pblico deensino neste Estado, nas reas de Lngua Portuguesa e de Matemtica. Convidamos a todos os segmentos sociais da escola para conhecerem odocumento e debat-lo numa viso coletiva, compartilhada e ao mesmo tempo, crticae transformadora. Essas contribuies devem ser transformadas em cadernos decomplementao curricular nessa rea especfica do conhecimento, comvistas construo de uma Educao Bsica de qualidade, voltada para a formao dacidadania ativa e a construo de instituies educativas e sociedades mais justas e maisdemocrticas.Danilo Cabral Leocdia da HoraSecretrio de Educao Presidente da UNDIME-PE do Estado de Pernambuco10 10. Base Curricular Comum para as Redes Pblicas de Ensino de PernambucoINTRODUO A proposta deuma base curricular comum para as redes pblicas deensino de Pernambuco tem razes na necessidade de se colocar em outropatamar a educao em nosso Estado. Hoje, quase todas as crianasbrasileiras tm vaga assegurada nas redes pblicas de Ensino Fundamental.Contudo, preciso procurar atingir o estgio em que, alm de no havercrianas e jovens fora da escola, a relao idade-srie se revele adequada, e aqualidade da educao oferecida seja ampliada. Educao que est,reconhecidamente, longe de atender aos requisitos imprescindveis a umaformao que incorpore crtica e articuladamente os conhecimentos, ossaberes e as competncias atinentes aos campos cultural, social, esttico,tico, cientfico e tecnolgico. No esprito do regime de colaborao preceituado pela Lei deDiretrizes e Base da Educao Nacional (LDBEN), o documento da BCC-PE responde, em primeiro plano, aspirao dos sistemas pblicos deensino localizados no Estado de Pernambuco de disponibilizar uma basecurricular que sirva de referncia formao educacional do conjunto decrianas, jovens e adultos neles inserido com vistas a contribuir pararesponder aos desafios da educaodo Estado. Por tentar convergir diferentes realidades e concepes, a formulaode uma base curricular comum um processo muito complexo. No caso dePernambuco, a verso aqui apresentada um momento especial desseprocesso, mas novos encaminhamentos que ampliem seu alcance e eficciasoindispensveis. Uma clara e imprescindvel ampliao dever incluir as demais reas doconhecimento que fazem parte do sistema escolar. Ao se restringir LnguaPortuguesa e Matemtica, esse processo inicial responde a demandasespecficas, que tm reivindicado uma maior participao da escola na 11 11. Base Curricular Comum para as Redes Pblicas de Ensino de Pernambucoformao para o uso social da linguagem e dos saberes matemticos. Noentanto, impe-se o prosseguimento de aes que permitam incorporar BCC-PE, as demais reas do currculo da Educao Bsica. Uma outra ampliao, no menos relevante, dever contemplar a etapada Educao Infantil e a modalidade da Educao de Jovens e Adultos. Aprimeira, usualmente dedicada a crianas de 0 a 5 anos, tem sua inegvelimportncia cada vez mais reconhecida na legislao e na prticaeducacional em todo o mundo. A segunda, destinada s pessoas que notiveram acesso s oportunidades educacionais na idade esperada, tem atarefa de assegurar a escolarizao e a insero mais efetiva na sociedadedesse significativo contingente deindivduos. O documento da BCC-PE foi produzido em frutfero processo,iniciado em 2004, sob responsabilidade de gestores das redes municipais eestadual, da coordenao do projeto, das comisses de elaboradores,compostas por assessores de universidades e por professores especialistasdas redes pblicas de ensino. Desse processo, constou uma seqncia de oito reunies ampliadas ede seis seminrios regionais, nos quais foram debatidos temas relevantespara a BCC-PE e sugeridas modificaes no documento. Esses encontrosocorreram ao longo de todo o processo de elaborao da BCC-PE e delesparticiparam debatedores convidados (das reas de Sociologia, Educao,Cincias Polticas, Histria, Arte, Cincias, Lngua Portuguesa eMatemtica), membros da SEDUC e da diretoria da UNDIME,professores da educao bsica das redes pblicas, gestores municipais eestaduais de todos os nveis, integrantes de movimentos sociais, como aComisso de Professores Indgenas de Pernambuco (COPIPE) e oMovimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST), representantesdos ncleos de avaliao instalados em vrias redes municipais,representantes do Conselho Estadual de Educao e de conselhos12 12. Base Curricular Comum para as Redes Pblicas de Ensino de Pernambucomunicipais de educao oriundos de todas as regies do Estado dePernambuco. A BCC-PE contou, tambm, com a leitura crtica depareceristas das reas de Educao, Sociologia, Lngua Portuguesa e deMatemtica.A despeito do processo de ampla participao na elaborao destedocumento, so imprescindveis novas aes que permitam aprofundar aarticulao da BCC-PE com a prtica educacional da escola pblica noEstado de Pernambuco. Aes que devero integrar as polticas pblicas degesto das redes municipais e estadual, em particular das iniciativas deformao continuada deprofessores. Tais aes tornam-se ainda mais necessrias quando so levadas emconta a ordem de grandeza e a diversidade das redes pblicas de ensino aque se destina a BCC-PE.O contingente de professores que exerce o magistrio nas redesmunicipais e estadual de Pernambuco o interlocutor principal do presentedocumento. Para esses profissionais, a BCC-PE se prope ser umreferencial de aprofundamento de sua prtica pedaggica, uma propostacurricular, moldada por recortes terico-metodolgicos. No constitui,pois, um texto definiti...</p>