mateus - m. henry

Download Mateus - M. Henry

Post on 09-Mar-2016

225 views

Category:

Documents

4 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

COMENTÁRIO BÍBLICO DE MATTHEW HENRY

TRANSCRIPT

  • MATEUS Introduo Captulo 1 Captulo 8 Captulo 15 Captulo 22 Captulo 2 Captulo 9 Captulo 16 Captulo 23 Captulo 3 Captulo 10 Captulo 17 Captulo 24 Captulo 4 Captulo 11 Captulo 18 Captulo 25 Captulo 5 Captulo 12 Captulo 19 Captulo 26 Captulo 6 Captulo 13 Captulo 20 Captulo 27 Captulo 7 Captulo 14 Captulo 21 Captulo 28

    Introduo Mateus, tambm chamado Levi, antes de sua converso era um

    publicano, ou cobrador de impostos, sujeito aos romanos em Cafarnaum. De maneira geral se reconhece que ele escreveu seu evangelho antes de quaisquer dos demais evangelistas. O contedo deste evangelho e a prova dos escritores antigos mostram que foi escrito primordialmente para o uso da nao judaica. O cumprimento da profecia era considerado pelos judeus como uma prova firme, portanto, Mateus usa este feito de forma especial. Aqui h partes da histria e dos sermes de nosso Salvador, particularmente selecionados por adaptar-se melhor para despertar a nao judaica a ter conscincia de seus pecados; para eliminar suas expectativas errneas de um reino terrestre; derrubar o orgulho e engano existentes em si mesmos; para ensinar-lhes a natureza e magnitude espiritual do Evangelho; e para prepar-los para admitir os gentios na Igreja.

    Mateus 1 Versculos 1-17: A genealogia de Jesus; 18-25: Um anjo aparece a

    Jos. Vv. 1-17. Acerca desta genealogia de nosso Salvador, observe a

    inteno principal. No uma genealogia desnecessria, nem foi

  • Mateus (Comentrio Bblico de Matthew Henry) 2 2 elaborada por vanglria como costuma ser a dos grandes homens. Demonstra que nosso Senhor Jesus Cristo da nao e famlia da qual iria surgir o Messias. A promessa da beno foi feita a Abrao e sua descendncia; a do domnio, a Davi e sua descendncia. Foi prometido a Abrao que Cristo descenderia dele (Gn 12.3; 22.18), e a Davi que descenderia dele (1 Sm 7.12, Sl 89.3; 132.11); portanto, a menos que Jesus seja filho de Davi e filho de Abrao, no o Messias. Isto se prova nesta passagem com registros bem conhecidos.

    Quando o Filho de Deus quis tomar a nossa natureza, Ele se aproximou de ns em nossa condio cada e miservel, porm estava perfeitamente livre de pecado; e enquanto lemos os nomes de sua genealogia no nos esqueamos de quo baixo se inclinou o Senhor da glria para salvar a raa humana.

    Vv. 18-25. Vejamos as circunstncias em que o Filho de Deus entrou neste mundo inferior, at que aprendamos a desprezar as honras vs deste mundo, quando as comparamos com a piedade e santidade.

    O mistrio de Cristo feito homem deve ser adorado; no devemos inquirir nisto por curiosidade. Foi assim ordenado que Cristo participasse de nossa natureza, mas puro da contaminao do pecado, em que toda a raa de Ado havia andado.

    Observe que Deus guiar aqueles que pensam, e no aqueles que no pensam. o tempo de Deus para chegar com instruo ao seu povo se d quando esto perdidos. os consolos divinos confortam mais a alma quando esta est pressionada por pensamentos que confundem.

    Foi dito a Jos que Maria traria o Salvador ao mundo, e que ele poria no menino o nome de Jesus, o Salvador. O nome Jesus tem o mesmo significado de Josu. A razo deste nome clara, porque aqueles a quem Cristo salva, salva-os dos pecados deles, da culpa do pecado pelo mrito de sua morte e do poder do pecado pelo esprito de sua graa. Ao salv-los do pecado, salva-os da ira e maldio e de toda desgraa, aqui e depois. Cristo veio salvar o seu povo no nos pecados deles, mas dos

  • Mateus (Comentrio Bblico de Matthew Henry) 3 3 pecados deles, e assim redimi-los de entre os homens para si. Ele que separado dos pecadores.

    Jos fez como ordenou o anjo do Senhor, rapidamente e sem demora, com jbilo, sem discutir. Aplicando as regras gerais da Palavra escrita, devemos seguir a direo de Deus em todos os passos de nossa vida, particularmente em suas grandes mudanas, que so dirigidas por Deus, e encontraremos que isto seguro e consolador.

    Mateus 2 Versculos 1-8: Os magos buscam a Cristo; 9-12: Os magos

    adoram a Jesus; 13-15: Jesus levado ao Egito; 16-18: Herodes ordena que se matem as crianas de Belm; 19-23: Morte de Herodes. Jesus trazido a Nazar.

    Vv. 1-8. Os que vivem completamente afastados dos meios da graa, costumam usar a mxima diligncia e aprendem a conhecer o mximo de Cristo e de sua salvao. Porm, nenhuma habilidade especial, e nenhum aprendizado puramente humano, so capazes de levar os homens a Ele. Devemos aprender de Cristo obedecendo a palavra de Deus, como luz que brilha em um lugar escuro, e buscando os ensinos do Esprito Santo. Aqueles em cujos coraes se levanta o sol da manh, para dar-lhes o necessrio conhecimento de Cristo, fazem de sua adorao sua atividade preferida.

    Ainda que Herodes fosse muito velho, e nunca houvesse mostrado afeto por sua famlia, e sendo improvvel que vivesse at que o recm nascido chegasse idade adulta, comeou a turbar-se com o temor de um rival. No compreendeu a natureza espiritual do reino do Messias. Acautelemo-nos da f morta. o homem pode estar persuadido por muitas verdades e ainda odi-las, pelo fato de elas interferirem em sua ambio ou libertinagem. Tal crena o incomodar, e este se decidir mais a opor-se verdade e causa de Deus; e pode ser muito nscio para esperar ter xito nisto.

  • Mateus (Comentrio Bblico de Matthew Henry) 4 4 Vv. 9-12. Ningum sabe to bem quanto gozo sentiram estes sbios

    ao avistarem a estrela, como aqueles que depois de uma longa e triste noite de tentao e abandono, sob o poder de um esprito de escravido, finalmente recebem o Esprito de adoo, dando testemunho ao esprito de cada um que so filhos de Deus. Podemos pensar que desiluso foi para eles quando descobriram que uma cabana era seu palcio, e a nica serva que tinha era a prpria e pobre me. Contudo, estes magos no se sentiram impedidos, porque havendo encontrado o Rei que buscavam, ofereceram-lhe seus presentes. Quem humildemente busca a Cristo no tropear se encontr-lo, com seus discpulos em cabanas escuras, depois de t-lo buscado em vo em palcios e cidades populosas.

    Existe uma alma ocupada em buscar a Cristo? Desejar ador-lo e dizer-lhe: "Sim, sou uma criatura pobre e nscia e nada tenho a oferecer"? Claro que no! No tem um corao ainda indigno dEle, escuro, duro, nscio? Oferea-o tal como , e prepare-se para que Ele o utilize e o disponha da maneira como apraza a Ele; Ele o tomar, e o far melhor, e nunca se arrepender de hav-lo dado. Ele o modelar sua semelhana, e Ele mesmo ser dado, e ser seu para sempre.

    Os presentes dos magos eram ouro, incenso e mirra. A providncia divina os mandou como socorro oportuno para Jos e Maria, em sua atual condio de pobreza. Assim nosso Pai celestial, que sabe de que necessitam seus filhos, usa a alguns como mordomos para suprir a necessidade dos demais e dar-lhes o provimento desde os confins da terra.

    Vv. 13-15. O Egito havia sido uma casa de escravido para Israel, e particularmente cruel para as crianas de Israel; porm, seria um lugar de refgio para o Santo menino Jesus. Quando do agrado de Deus, Ele pode fazer com que o pior dos lugares sirva ao melhor dos propsitos. Esta foi uma prova da f de Jos e Maria. Porm, a f deles, sendo provada, foi achada firme. Se ns e nossos filhos estamos com problemas em qualquer tempo, recordemos os apertos em que Cristo esteve quando era uma criana.

  • Mateus (Comentrio Bblico de Matthew Henry) 5 5 Vv. 16-18. Herodes no matou somente todos os meninos de

    Belm, mas tambm a todos aqueles que moravam nas aldeias que pertenciam a esta cidade. A ira desenfreada, armada com um poder ilcito, s vezes leva os homens a crueldades absurdas. No foi uma atitude injusta de Deus permitir isto; cada vida entregue sua justia assim que nasce. As enfermidades e a morte dos pequenos no so prova do pecado original. o assassinato destes meninos foi um martrio. Como comeou cedo a perseguio contra Cristo e seu reinado!

    Herodes cria que obstrura as profecias do Antigo Testamento, e os esforos dos magos para encontrarem a Cristo; porm, o conselho do Senhor permanecer, por mais astutas e cruis que sejam as artimanhas dos coraes dos homens.

    Vv. 19-23. O Egito pde servir por um tempo como estada ou refgio, mas no de forma permanente, para viver ali. Cristo foi enviado s ovelhas perdidas da casa de Israel, e a elas deve retornar. Se observarmos o mundo como o nosso Egito, o lugar de nossa escravido e exlio, e s o cu como nossa Cana, nosso lar e nosso repouso, deveremos nos levantar rapidamente e partir daqui quando formos chamados, como Jos saiu do Egito.

    A famlia deveria estabelecer-se na Galilia. Nazar era um lugar tido em pouca estima, e Cristo foi crucificado com esta acusao: Jesus Nazareno. onde quer que a providncia nos designe os [imites de nossa habitao, devemos partilhar o vituprio de Cristo; ainda que possamos nos gloriar em ser chamados por seu nome, asseguremo-nos de que se sofrermos com Ele, tambm com Ele seremos glorificados.

    Mateus 3 Versculos 1-6. Joo Batista sua pregao, seu estilo de vida, e o

    batismo; 7-12: Joo reprova os fariseus e os saduceus; 13-17: O batismo de Jesus.

    Vv. 1-6. Depois de Malaquias no houve profeta at Joo Batista. Este apareceu primeiro no deserto da Judia. No era um deserto

  • Mateus (Comentrio Bblico de Matthew Henry) 6 6 desabitado, mas sim uma parte do pas, no densamente povoado nem muito ilhado. Nenhum lugar to remoto a pon