material rh

Download Material Rh

Post on 03-Dec-2015

213 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Administração

TRANSCRIPT

  • Processos de Recursos Humanos

  • CONFEDERAO NACIONAL DA INDSTRIA CNI

    Armando de Queiroz Monteiro NetoPresidente

    SERVIO NACIONAL DE APRENDIZAGEM INDUSTRIAL SENAIConselho Nacional

    Armando de Queiroz Monteiro NetoPresidente

    SERVIO NACIONAL DE APRENDIZAGEM INDUSTRIAL SENAIDepartamento Nacional

    Jos Manuel de Aguiar MartinsDiretor Geral

    Regina Maria de Ftima TorresDiretora de Operaes

  • Confederao Nacional da Indstria Servio Nacional de Aprendizagem Industrial Departamento Nacional

    Processos de Recursos Humanos

    Braslia

    2010

    Preciosa do Vale

    Gilson Luis da Silva Borges

  • 2010. SENAI Departamento Nacional

    Qualquer parte desta obra poder ser reproduzida, desde que citada a fonte.

    Equipe tcnica que participou da elaborao desta obra

    SENAI Servio Nacional de Aprendizagem IndustrialDepartamento Nacional

    Setor Bancrio Norte, Quadra 1, Bloco C Edifcio Roberto Simonsen 70040-903 Braslia DF

    Tel.:(61)3317-9000 Fax:(61)3317-9190 http://www.senai.br

    Coordenador Projeto Estratgico 14 DRs

    Luciano Mattiazzi Baumgartner -

    Departamento Regional do SENAI/SC

    Coordenador de EaD SENAI/MT

    Ricardo Caporossi Silva

    Coordenador de EaD SENAI/SC em

    Florianpolis

    Diego de Castro Vieira - SENAI/SC em

    Florianpolis

    Design Grfico e Diagramao

    Equipe de Desenvolvimento de Recursos

    Didticos do SENAI/SC em Florianpolis

    Design Educacional, Ilustraes e Reviso

    Textual

    FabriCO

    Fotografias

    Banco de Imagens SENAI/SC

    http://www.sxc.hu/

    http://office.microsoft.com/en-us/images/

    http://www.morguefile.com/

    http://www.photoxpress.com/

    http://www.everystockphoto.com/

    Ficha catalogrfica elaborada por Luciana Effting CRB 14/937

    SENAI/SC Florianpolis

    V149p

    Vale, Preciosa do

    Processos de recursos humanos

    /

    Preciosa do Vale, Gilson Luis da Silva Borges. Braslia: SENAI/DN, 2010.

    Inclui bibliografias.

    1. Relaes trabalhistas.

    2. Administrao de pessoal. 3. Sade e trabalho. 4.

    Salrios. I.

    Borges, Gilson Luis da Silva. II.

    SENAI.

    Departamento Nacional. III. Ttulo.

    CDU 658.3

    93 p. : il. color ; 30 cm.

  • Sumrio

    Apresentao do curso .................................................................................. 07

    Plano de estudos ............................................................................................. 09

    Unidade 1: Relaes de Trabalho ............................................................... 11

    Unidade 2: Processo de Recrutamento e Seleo ................................ 25

    Unidade 3: Os Processos de Admisso, Integrao, Avaliao de

    Desempenho, Treinamento e Desenvolvimento de Pessoas ............ 33

    Unidade 4: Contrato de Trabalho ............................................................... 49

    Unidade 5: Programa Segurana e Sade Ocupacional ..................... 55

    Unidade 6: Jornada de Trabalho/Remunerao .................................... 67

    Conhecendo o autor ...................................................................................... 91

    Referncias ........................................................................................................ 93

  • 7Apresentao do Curso

    Caro aluno:

    Seja bem-vindo ao curso Processos de Recursos Humanos! Neste curso, voc vai aprender que Administrao de Recursos Humanos significa conquistar e manter pessoas trabalhando, dando o mximo de si na organizao, com uma atitude positiva e favorvel. Ver que o seu planejamento consiste na organizao, no desenvolvimento, na coordenao e no controle de tcnicas capazes de promover o desempenho eficiente dos profissionais, ao mesmo tempo em que a organizao representa o meio que permite s pessoas que com ela colabo-ram alcanar os objetivos individuais relacionados direta ou indiretamente com o trabalho.

    Entender porque os processos de Recursos Huma-nos podem ser tambm denominados de proces-sos de proviso ou suprimento de pessoas e ainda saber mais sobre as funes de recrutamento e seleo de pessoal. Espero que voc tire o melhor proveito de todas as informaes aqui detalhadas e que este aprendizado lhe sirva como mais um degrau no sucesso de sua carreira.

    Bom estudo!

  • 9Plano de Estudos

    Carga horria:

    20 horas

    Ementa

    Histrico das relaes de trabalho; direito do tra-balho; Fontes do direito do trabalho; empregado e empregador; processo de recrutamento e seleo; processos de admisso, integrao, avaliao de desempenho, treinamento e desenvolvimento de pessoas; contrato de trabalho; programa segurana e sade ocupacional; jornada de trabalho; remunera-o; frias e benefcios previdencirios.

    Objetivos

    Objetivo Geral

    Capacitar profissionais para atuar em processos de recrutamento e contratao de pessoas, de acordo com as legislaes trabalhistas e as nor-mas tcnicas, ambientais, de qualidade, de segu-rana e de sade do trabalho.

    Objetivos Especficos

    Conhecer os princpios do direito do trabalho.

    Elaborar e executar processo de recrutamento e seleo.

    Aplicar e monitorar a avaliao de desempenho.

    Elaborar e executar programas de treinamento e desenvolvimento.

    Confeccionar contrato de trabalho.

    Elaborao e aplicao de programa de segurana e sade ocupacional.

  • 11

    1Relaes de TrabalhoObjetivos de Aprendizagem

    Ao final desta unidade, voc ser capaz de:

    compreender os objetivos, os fundamentos e o processo evolutivo da construo das leis trabalhistas.

    Aulas

    Aula 1: Histrico das relaes de trabalho

    Aula 2: Direito do trabalho

    Aula 3: Fontes do direito do trabalho

    Aula 4: Empregado e empregador

  • 12

    Aula 1: Histrico das relaes de trabalho

    A regulamentao das relaes de trabalho fruto de rduas lutas, que resul-taram em conquistas importantes e essenciais dignidade dos trabalhadores. Acompanhe o resumo a seguir.

    1o Perodo: da independncia do Brasil abolio da escravatura (1888)

    Perodo escravo, com pouco trabalho urbano.

    1850 Cdigo Comercial, regulando a preposio, o aviso prvio.

    1870 Fundao da Liga Operria, no Rio de Janeiro.

    1a Fase

    O Brasil tratava-se de uma colnia portuguesa, presa a polticas mercantilistas base de agricultura, com apropriao de mo de obra escrava. Em 1888, com a abolio da escravatura, iniciou-se a primeira fase de formao do Direito Laboral. Nesse perodo, no se falava em Direito do Trabalho. A escassez de mo de obra livre e sua reduzida importncia na sociedade, justificam o vcuo legislativo.

    Para Iniciar

    Brasil, 1930: com o crescimento da industrializao, motivados pela Revoluo e pela Era Vargas, surgiu a necessidade de uma disciplina das relaes de trabalho em Direito. Cria-se ento, com a Constituio de 1934, a Justia do Trabalho como rgo do Poder Executivo. Assim, procedeu-se sistematizao das normas laborais existentes, desenvol-vendo autonomia a esse novo ramo do Direito.

  • 13Unidade 1

    Processos de Recursos Humanos

    2o Perodo: de 1888 a 1930

    1891 lei proibindo o trabalho dos menores de 12 anos.

    1907 primeira lei sindical.

    1916 Cdigo Civil, com carter individualista e regulando a relao de em-prego como locao de servios.

    1919 primeira lei de acidentes do trabalho.

    1923 lei instituindo caixa de aposentadoria e penses dos ferrovirios.

    1925 lei de frias de 15 dias anuais.

    2a Fase

    A segunda fase teve incio a partir da libertao dos escravos, estendendo-se at o ano de 1930. Com a queda da escravatura, caiu tambm a monarquia, que dependia da mo de obra escrava. Assim, o trabalho livre ganhou importncia na teia social e com isso deu-se incio sua regulamentao. Como exemplo, pode-se citar a Lei no 1869/22, que criou os tribunais Rurais, a Lei Eli Chaves 1923 sobre caixas de penses e aposentadorias dos ferrovirios, e a Lei de Frias (15), de 1925.

    3o Perodo: da Revoluo de 1930 aos dias atuais

    1939 Criao da Justia do Trabalho.

    1943 CLT.

    1946, 1964 e 1989 Leis regulando a greve.

    1949 Lei do repouso semanal remunerado.

    1962 Lei do 13o salrio.

    1966, 1989, 1990 Leis do FGTS.

    1972 Lei do empregado domstico.

    1973 Lei do trabalho rural.

    1976 Lei do plano de alimentao do trabalhador.

    1985 Lei do vale-transporte.

    1988 Constituio Federal do Brasil.

    1990 Lei do seguro-desemprego.

  • 14

    3a Fase

    Iniciou-se em 1930, com a Revoluo e a Era Vargas, procedendo sistemati-zao das normas laborais existentes e desenvolvendo autonomia deste novo ramo de Direito. Com o crescimento da industrializao, surgiu a necessidade de uma disciplina das relaes de trabalho; criou-se ento, com a Constitui-o de 1934, a Justia do Trabalho como rgo do Poder Executivo. So desse perodo: a primeira lei de indenizao por despedida injusta (1935); a organiza-o da Justia do Trabalho (1939); a Consolidao das Leis do Trabalho (1943); o reconhecimento do direito de greve (1946); o repouso semanal remunerado (1949); a Gratificao Natalina (1962); o Estatuto do Trabalhador Rural (Lei no 4.214/66); o Fundo de Garantia do Tempo de Servio (1966) e a Lei de Trabalho Rural (5.859/73).

    Aula 2: Direito do trabalho

    Conceito

    Direito do trabalho, ou direito laboral, o conjunto de normas jurdicas que rege as relaes entre empregados e empregadores e os direitos resultantes da condio jurdica dos trabalhadores. Essas normas, no Bra