material complementar.pptx

Download MATERIAL COMPLEMENTAR.pptx

Post on 30-Sep-2015

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

Gesto de Custos

CONTABILIDADE INTERMEDIARIAProf. Marlucia LimaEsp.em Auditoria, Controladoria e Planejamento e EstratgiasMestrando em Administrao

Prof.marlucialima@gmail.com98881-4160 (oi)98896-3236 (vivo)1

CONTEUDO PROGRAMATICOUNIDADE ICONTABILIDADE GERAL

UNIDADE IIDEMONSTRAO DOS FLUXOS DE CAIXACPC 03- DEMONSTRAO DOS FLUXOS DE CAIXADFC- CONCEITOS, OBJETIVOS, ALCANCE, BENEFCIOS DA INFORMAO,APRESENTAODFC- CONSIDERAES LEGAISCONCEITO DE CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXATRANSAES QUE DEVEM E QUE NO DEVEM INTEGRAR A DFCDFC X DOARCONTABILIDADE INTERMEDIARIAProf Esp. Marlucia Lima2CONTABILIDADE INTERMEDIARIA

CONTEUDO PROGRAMATICO

UNIDADE III

DEMONSTRAO DO VALOR ADICIONADO (DVA)CPC 09: DEMONSTRAO DO VALOR ADICIONADODVA: CONCEITO, OBJETIVO, ALCANCE, APRESENTAO, DEFINIESCARACTERSTICAS DAS INFORMAES DA DVANECESSIDADE DE ELABORAORIQUEZAS CRIADASRIQUEZAS DISTRIBUDASREPRESENTAO GRFICABALANO SOCIAL

Prof Esp. Marlucia Lima3CONTABILIDADE INTERMEDIARIACONTEUDO PROGRAMATICO

UNIDADE IV

DEMONSTRAO DO LUCRO OU PREJUZO ACUMULADO E DEMONSTRAO DAS MUTAES DO PATRIMNIO LQUIDO (DLPA E DMPL)OBRIGATORIEDADE E FORMA DE APRESENTAOSALDO ANTERIORAJUSTES DE EXERCCIO ANTERIORMOVIMENTAO DO PERODO E SALDOS AJUSTADOS

Prof Esp. Marlucia Lima4CONTABILIDADE INTERMEDIARIACONTEUDO PROGRAMATICO

UNIDADE V

REORGANIZAO SOCIETRIAREORGANIZAO SOCIETRIA: CISOREORGANIZAO SOCIETRIA: FUSOREORGANIZAO SOCIETRIA: INCORPORAOMOVIMENTAO DO PERODO E SALDOS AJUSTADOS

Prof Esp. Marlucia Lima5CONTABILIDADE INTERMEDIARIA

Prof Esp. Marlucia LimaUNIDADE ICONTABILIDADE GERALCONCEITO DE CONTABILIDADEContabilidade a cincia social que visa ao registro e ao controle dos atos e fatos econmicos, financeiros e administrativos das entidades.

OBJETO DE ESTUDO CONTABILIDADEA contabilidade tem como objeto de estudos o Patrimnio das Entidades, sejam elas entidades de fins lucrativos ou no. Tem como Funo Administrativa controlar o patrimnio visando demonstrar a sua situao em um determinado momento e como Funo Econmica visa apurar resultados a fim de demonstra-los periodicamente independente se positivos ou negativos.

OBJETIVOS DA CONTABILIDADEO principal objetivo da contabilidade permitir aos usurios a avaliao da situao econmica e financeira da entidade, num sentido esttico, bem como fazer inferncias sobre suas tendncias futuras.

6CONTABILIDADE INTERMEDIARIA

Prof Esp. Marlucia LimaUNIDADE ICONTABILIDADE GERALFUNOES DA CONTABILIDADEAs principais funes da Contabilidade so: registrar, organizar, demonstrar, analisar e acompanhar as modificaes do patrimnio em virtude da atividade econmica ou social que a empresa exerce no contexto econmico. Registrar todos os fatos que ocorrem e podem ser representados em valor monetrio; Organizar um sistema de controle adequado empresa; Demonstrar com base nos registros realizados, expor periodicamente por meio de demonstrativos, a situao econmica, patrimonial e financeira da empresa; Analisar os demonstrativos financeiros com a finalidade de apurao dos resultados obtidos pela empresa; Acompanhar a execuo dos planos econmicos da empresa, prevendo os pagamentos a serem realizados, as quantias a serem recebidas de terceiros e alertando para eventuaisproblemas.7CONTABILIDADE INTERMEDIARIA

Prof Esp. Marlucia LimaUSURIOS DA CONTABILIDADE

So todas as pessoas fsicas ou jurdicas que tenha interesse na avaliao da situao e do progresso de determinada entidade, seja tal entidade empresa, ente de finalidades no lucrativas, ou mesmo patrimnio familiar.UNIDADE ICONTABILIDADE GERAL8CONTABILIDADE INTERMEDIARIA

Prof Esp. Marlucia LimaUNIDADE ICONTABILIDADE GERALINFORMAES CONTABEISSCIOSADMINISTRADORESBANCOSGOVERNOSFORNECEDORES9CONTABILIDADE INTERMEDIARIA

Prof Esp. Marlucia LimaPATRIMNIOA finalidade da Contabilidade controlar o Patrimnio das entidades com o objetivo de fornecer informaes sobre a sua composio e suas variaes. Portanto todas as movimentaes possveis de mensurao monetria so registradas pela contabilidade, que, em seguida, resumeos dados registrados em forma de relatrios contbeis.UNIDADE ICONTABILIDADE GERALPATRIMONIOATIVO

BENS EDIREITOSPASSIVOOBRIGAES(Com Terceiros e com os Scios)10CONTABILIDADE INTERMEDIARIA

Prof Esp. Marlucia LimaELEMENTOS PATRIMONIAISBENS So os itens que a empresa possui para satisfazer suas necessidades de troca, consumo ou aplicao, que sejam suscetveis de avaliao econmica. Os Bens de uma entidade podem ser classificados como Tangveis ou Intangveis. TANGIVEIS: So bens matrias, concretos, ou seja, so corpreos. INTANGIVEL: So bens imateriais, abstratos, ou seja, que no tem forma fsica.UNIDADE ICONTABILIDADE GERAL Bens Tangveis: Bens Intangveis: Caixa; Estoques; Equipamentos; Terrenos. MaquinasSoftwares; Marcas; Patentes;11CONTABILIDADE INTERMEDIARIA

Prof Esp. Marlucia LimaProf Esp. Marlucia LimaDIREITOS: a representao do que a empresa tem a receber de terceiros por conta de uma operao. Os direitos so facilmente identificados por conta das expresses A Receber ou A Recuperar.

Aplicaes financeiras; Duplicatas a receber; Clientes.

OBRIGAES: So as dvidas ou repasses de responsabilidade da empresa junto a terceiros. As obrigaes tambm so facilmente identificadas por contas das expresses A Pagar ou A Recolher.

Fornecedores; Emprstimos; Salrios a pagar. Duplicatas a Pagar Tributos a RecolherUNIDADE ICONTABILIDADE GERAL12CONTABILIDADE INTERMEDIARIA

Prof Esp. Marlucia LimaPRINCIPIOS DE CONTABILIDADE(Resoluo CFC n 750/93, com alteraes pela Resoluo CFC n 1.282/10)

Os Princpios de Contabilidade so regras, doutrinas, essncias e teorias que a profisso contbil utiliza para fixar padres de comparao e de credibilidade em funo do reconhecimento dos critrios adotados para a elaborao das demonstraes financeiras. Desta forma, as regras gerais da cincia contbil no Brasil so regidas pelos Princpios de Contabilidade.

Entidade; Continuidade; Oportunidade; Registro pelo Valor Original; Competncia; Prudncia.UNIDADE ICONTABILIDADE GERAL13CONTABILIDADE INTERMEDIARIA

Prof Esp. Marlucia LimaUNIDADE ICONTABILIDADE GERALPrincipio da Entidade: Reconhece o Patrimnio como objeto da Contabilidade e afirma a autonomia patrimonial, ou seja, a Contabilidade deve ter plena distino e separao entre pessoa fsica e pessoa jurdica. Enfim, o patrimnio da empresa jamais se confunde com o dos seus scios.

Principio da Continuidade: O Princpio da Continuidade pressupe que a Entidade continuar em operao no futuro e, portanto, a mensurao e a apresentao dos componentes do patrimnio levam em conta esta circunstncia. 14CONTABILIDADE INTERMEDIARIA

Prof Esp. Marlucia LimaUNIDADE ICONTABILIDADE GERALPrincipio da Oportunidade: Refere-se ao momento em que devem ser registradas as variaes patrimoniais. Devem ser feitas de forma integra e tempestiva, independentemente das causas que as originaram, contemplando os aspectos fsicos e monetrios. A integridade dos registros de fundamental importncia para a anlise dos elementos patrimoniais, pois todos os fatos contbeis devem ser registrados.

Principio do Registro pelo Valor Original: Os componentes do patrimnio devem ser registrados pelos valores originais das transaes com o mundo exterior, expressos a valor presente na moeda do Pas, que sero mantidos na avaliao das variaes patrimoniais posteriores, inclusive quando configurarem agregaes ou decomposies no interior da entidade. 15CONTABILIDADE INTERMEDIARIA

Prof Esp. Marlucia LimaUNIDADE ICONTABILIDADE GERALPrincipio da Competncia: As receitas e as despesas devem ser includas na apurao do resultado do perodo em que ocorrerem, sempre simultaneamente quando se relacionarem, independentemente de recebimento ou pagamento.

Principio da Prudncia: Determina a adoo do menor valor para os componentes do Ativo e do maior valor para os componentes do Passivo, sempre que se apresentem alternativas igualmente vlidas para a quantificao das mutaes patrimoniais que alterem o patrimnio lquido. visa a prudncia na preparao dos registros contbeis, com a adoo de menor valor par os itens do ativo e da receita, e o de maior valor para os itens do passivo e de despesa. 16CONTABILIDADE INTERMEDIARIA

Prof Esp. Marlucia LimaCaractersticas qualitativas de informao em demonstraes contbeis

Alm dos Princpios de Contabilidade estudados anteriormente, existem caractersticas qualitativas de enorme importncia no estudo da cincia contbil. A seguir destacamos algumas dessas caractersticas apresentadas na integra na pela Resoluo CFC n 1255/10. UNIDADE ICONTABILIDADE GERAL17CONTABILIDADE INTERMEDIARIA

Prof Esp. Marlucia LimaCompreensibilidade A informao apresentada em demonstraes contbeis deve ser apresentada de modo a torn-la compreensvel por usurios que tm conhecimento razovel de negcios e de atividades econmicas e de contabilidade, e a disposio de estudar a informao com razovel diligncia. Entretanto, a necessidade por compreensibilidade no permite que informaes relevantes sejam omitidas com a justificativa que possam ser de entendimento difcil demais para alguns usurios. UNIDADE ICONTABILIDADE GERAL18CONTABILIDADE INTERMEDIARIA

Prof Esp. Marlucia LimaUNIDADE ICONTABILIDADE GERALRelevncia A informao fornecida em demonstraes contbeis deve ser relevante para as necessidades de deciso dos usurios. A informao tem a qualidade da relevncia quando capaz de influenciar as decises econmicas de usurios, ajudando-os a avaliar acontecimentos passados, presentes e futuros ou confirmando, ou corrigindo, suas avaliaes passadas.

Materialidade A informao material e, portanto tem relevncia se sua omisso ou erro puder influenciar as decises econmicas de usurios, tomadas com base nas demonstraes contbeis. 19CONTABILIDADE INTERMEDIARIA

Prof Esp. Marlucia LimaUNIDADE ICONTABILIDADE GERALConfia