mat mrp 2007 10 novo

Download Mat MRP 2007 10 Novo

Post on 18-Feb-2015

38 views

Category:

Documents

12 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

CRONOGRAMA 2007 Item 2a feira 3a feiraIntroduo a dinmica e avaliao de recursos pesqueiros

4a feiraCONBEP Conferncia 1: Diversidade biolgica Mesa-Redonda 1: Acordos de Pesca

5a feiraCONBEP Conferncia 4: Sustentabilidade Mesa-Redonda 4: Situao da pesca

6a feira

Introduo a dinmica e avaliao Manh de recursos pesqueiros

Prtica

Tarde

PROVA 1 Introduo a IBAMA-IPAAM: bases Apresentao de dinmica e avaliao Pontos Referenciais por Meta Pontos Referenciais tcnico-cientficas para Seminrios de recursos e Limite para o manejo por Meta e Limite para tomada de deciso individuais pesqueiros o manejo CONBEP

Noite

Preparao seminrio

Conferncias Situao Atual Preparao seminrio Aquicultura-Pesca / Desenvolvimento Sustentvel e Pesca na Amaznia

Preparao seminrio

Happy hour

Seminrios Manejo de Recursos Pesqueiros CIPET/BADPI 2007Ordem 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 SEMINRIO 1 - Fazer trabalho escrito (envio apenas pela internet ou arquivo) e apresentao 10 min em ppt na 6a CONTEDO BSICO: - Introduo - Histrico da explotao - Mtodos de pesquisa utilizados - Principais avaliaes obtidas - Decises tomadas e consequncias - Situao atual dos estoques SEMINRIO 2 Discentes BADPI - Fazer resumo escrito com at 10 pginas, fonte Arial, tipo 12, espao simples (envio apenas pela internet para tchoni@uol.com.br) Texto 1 - FAO Fisheries Technical Paper. 443. - The ecosystem approach to fisheries Texto 2 - Lv_NAP - IMPROVING FISH STOCK ASSESSMENTS Texto 3 - Lv_Walters & Martell - Harvest Management for Aquatic Ecosystems Texto 4 - FAO DTP 262 - Pesca Fluvial Marco Antnio de Souza Brito - UFAM Discente-Curso Fabiane - Mestrado CIPET Daniel - Mestrado CIPET Isabela - Mestrado CIPET Anglica - Mestrado CIPET Valria - Mestrado CIPET Jos Carlos de Almeida Dout. BADPI Adriana Affonso - INPE Fabiola Gentica INPA Seminrio 1 Bagres do Meckong Pelgicos da costa africana Anchoveta na costa Peruana Sardinha no litoral Brasileiro Bacalhau do Canad Salmo nos EUA Recursos Pesq. no Alaska Atuns no Atlntico Texto 4 Texto 1 Texto 2 Seminrio 2 / BADPI

1

INTRODUO- Estudos tericos e aplicados - Tendncia a uniespecfico, univariado, determinstico - Estudos trficos - Descritivos Definies e conceitos bsicos: Unidade da dinmica de populaes = populao Populao Indivduo Populao = grupo de organismos de uma mesma espcie que ocupam um espao ou lugar comum. Apresenta como caractersticas principais a densidade, a natalidade, a mortalidade, a distribuio etria, o potencial bitico, a disperso , a forma de crescimento, a adaptabilidade, a capacidade reprodutiva (seletiva) e a persistncia. (probabilidade de deixar descendentes durante longos perodos de tempo) Estoque = subconjunto de uma espcie que possui os mesmos parmetros de recrutamento, crescimento e mortalidade e habita uma rea geogrfica em particular. = grupo de indivduos de uma espcie que tm uma nica rea de desova, para qual retornam os adultos ano aps ano. = a parte da populao que considerada utilizvel pela frota que explora uma rea geogrfica, de acordo com seu potencial, seja atualmente ou no futuro. Cada peixe nasce de outro peixe semelhante a si mesmo Cada peixe se alimenta a si mesmo Cada peixe cresce Cada peixe se reproduz Cada peixe morre Todos os peixes fazem tudo isto similarmente em uma populao, mas no igual. Em uma populao, isto feito similarmente, mas no igual no tempo

2

Uma populao pesqueira ainda apresenta uma caracterstica suplementar: o recrutamento pesqueiro recrutamento biolgico. A dinmica de populaes : - o estudo da vida da unidade chamada populao. - um ramo da biologia fortemente apoiada na matemtica, desenvolvido para descrever e quantificar as mudanas que ocorrem continuamente nas populaes.

Os integrantes de uma populao mudam com o tempo, mudando a composio e a estrutura da populao continuamente. Com isto, a populao aumentar ou diminuir ou mantem-se estvel com o passar do tempo. Russell (1931) props um modelo descritivo simples, mas bsico para o futuro: S2 = S1 + (G + R) - (C + M) onde, G = Crescimento R = Recrutamento C = Captura ou Mortalidade por pesca M = Mortalidade Natural

Modelos analticos surgiram posteriormente, assim como outros parmetros como densidade populacional, idade e tamanho mdio dos indivduos, condies ambientais, etc. tiveram sua importncia reconhecida.

3

O CONCEITO DE ECOSSISTEMA PARA POPULAES PESQUEIRAS- Baseado na inter relao entre diversos conceitos bsicos: 1. Teoria estatstica 2. Avaliao da disperso e distribuio vegetacional e de bentos 3. Comunidades trficas x Comunidades ambientalmente afins 4. Nicho ecolgico, incorporando demandas fisiolgicas ao ambiente fsico 5.Energia de populaes, diversidade de comunidades e estabilidade de ecossistemas e sucesso de comunidades clmax Obs. Cuidados com eficincia de amostragem e efeitos de outras variveis ambientais 6. Indicadores da taxa de mudana de atividades dos organismos 7. Estudos de produo animal 8. Controles sobre o impacto dos poluentes e nutrientes, assim como em mudanas em correntes e outros impactos antropognicos 9. A classificao do ecossistema em funo de seus nveis trficos x Estrutura de tamanhos - Alguns temas principais esto se destacando: 1. Determinao de comunidades ecolgicas em diversas escalas; 2. O conceito de interao trfica, energia da comunidade e sua sistematizao em forma de malha alimentar; 3. Hbitos alimentares e estratgia de vida (r-k); 4. Associaes de espcies (respostas comuns) x Comunidade de espcies (interrelao); 5. Nicho: de territrio e suas n variveis ambientais respostas a necessidades fisiolgicas + fatores biticos especficos (e.g. competio e integrao); 6. Estratgias evolutivas: sedentrias x vgeis; 7. Complexidade ecolgica funo direta da ausncia de equilbrio; 8. Rendimento em equilbrio x Estruturas de dissipao (2 lei termodinmica)

4

- Demandas maiores por conhecer tendncias do que valores exatos -> aumentar poder preditivo - Um gestor de recursos pesqueiros necessita conhecer: 1. Quais as relaes interespecficas ? 2. A natureza das variaes normais da abundncia 3. Quais espcies podem ser manejadas e a qual custo ? 4. Como funciona o sistema para prever expectativas de abundncia CIRCULAO DE ENERGIA E MUDANAS TRFICAS - Pirmide trfica e cadeia alimentar Ecologia terrestre, indicando nveis -> raros casos simples - Rede trfica problemas com ciclagem, mudanas temporais, espaciais e ontogenticas - Nova tendncia:

- Produo de matria orgnica tende a se concentrar em espaos restritos - Por disperso, predao e migrao, a matria se redistribui

5

REDISTRIBUIO LATERAL

6

REDITRIBUIO VERTICAL

7

Mudanas trficas

Tamanho peixe + tamanho boca = estratgia alimentar

8

9

ZOOGEOGRAFIA E ESTRATGIA DE VIDA - Trpicos x Temperados riqueza alta x baixa distribuio descontnua x contnua composio e abundncia menos previsveis ou estveis em curto prazo - Muitos grupos etrios maior segurana - Efeitos do hidro dinamismo em vrias escalas - Efeitos da tipologia do substrato fsico para invertebrados e demersais - Natureza fractal de substratos e das zonas litorneas

- Nmero de organismos x escala de tamanho das fendas (e dos organismos?)

10

CONCEITOS FUNDAMENTAIS EM ECOLOGIA DE PEIXESMUDANAS TEMPORAIS E ESTABILIDADE - Produo -> base na produo primria - Rede alimentar dissipa energia - Fatores limitantes no transporte de energia - Efeitos sazonais em todas regies em vrias escalas e.g. Bacalhau

11

- Estabilidade com sazonalidade regular x em sistema errtico

- Estratgias de organismos indicam tipo estabilidade do sistema - Coortes fortes mantm estabilidade do sistema

Estabilidade em ambientes aquticos diferente de terrestre

12

CARACTERIZAO ESPACIAL - Facilita compreender estrutura da comunidade e resposta a perturbaes - Facilita compreenso de comunidades aquticas Exemplo de sistema de ressurgncia na frica

13

- Relao funcional e temporal da abundncia da rede alimentar com os fatores biticos e fsicos. - Mapas espcies sedentrias x controle de migradores - Perguntas crticas para o mapeamento: 1. Qual escala? 2. Qual distribuio espacial e abundncia ao longo do ano? 3. Qual informao existe (com pescadores)? 4. Quais espcies migradoras x sedentrias? 5. Informaes sobre inter-relaes ecolgicas das espcies? 6. Quais mudanas trficas so obvias? - Interao interseco espacial e temporal EQUILIBRO E FLUXO DE ENERGIA - Em termodinmica, diferena entre A e B em matria ou energia tendem a ser equilibradas por transferncias. - Conceito de equilbrio entre explorador-presa

M

- Excedentes Rendimento explotvel gera novo nvel de sustentabilidade - Paralelo entre sistemas ecolgicos e humanos: - Aprender com o uso humano e sistmico atual 14

CLASSIFICAO DE ESTRATGIAS DE VIDA - Base da classificao: Verhulst-Pearl ou logstica: dN/dt = rN - (r/K)N - Estratgia r espcies que ocupam rapidamente o ecossistema - Estratgia K espcies que ocupam eficazmente o ecossistema

- Nvel de sustentabilidade depende de disponibilidade de recursos e da estratgia de vida das espcies varia por estgio da vida/nmero de classes etrias.

- Quais implicaes espao temporais de mudanas de habitat e na densidade das populaes? 15

- Outras perguntas fundamentais: 1. Quais fatores regulam o tamanho das populaes de interesse ? 2. Quais etapas de vida so mais definidoras do recrutamento, e o que mais afeta neste momento ? 3. Como se regula a preferncia alimentar, particularmente em ambientes de alta riqueza especfica DIVERSIDADE E ESTABILIDADE - Populaes podem ter: Equilbrio tempo Flutuaes regulares ao longo do

peridicas

Fortes irregularidades de ano a ano Irregulares ou transitrias

16

DADOS PARA ESTUDOS TRFICOS - Tipos: Filtradores (e.g. planctfagos) / Sugadore