marco antonio s. vasconcellos manuel enriquez garcia 4 edi§£o | 2012 | fundamentos de...

Download Marco Antonio S. Vasconcellos Manuel Enriquez Garcia 4 Edi§£o | 2012 | Fundamentos de Economia

Post on 22-Apr-2015

145 views

Category:

Documents

10 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Slide 1
  • Marco Antonio S. Vasconcellos Manuel Enriquez Garcia 4 Edio | 2012 | Fundamentos de Economia
  • Slide 2
  • Captulo 6 Produo e Custos
  • Slide 3
  • I Teoria da Produo 6.1 Introduo A teoria da produo e a teoria dos custos de produo constituem a teoria da oferta da firma individual, seus princpios so importantes para a anlise dos preos, do emprego dos fatores e de sua alocao. As teorias servem de base para a anlise das relaes entre produo e custo de produo. Teoria da produo: preocupa-se com a relao tcnica ou tecnolgica entre a quantidade fsica de produtos (outputs) e de fatores de produo (inputs). Teoria dos custos de produo: relaciona a quantidade fsica de produtos com os preos dos fatores de produo.
  • Slide 4
  • 6.2 Conceitos bsicos da teoria da produo 6.2.1 Produo: processo de transformao dos fatores adquiridos pela empresa em produtos para a venda no mercado. processos de produo: intensivos em mo-de-obra, intensivos em capital ou intensivos em terra. processo de produo simples: produo de um nico produto. processo de produo mltiplo: quando mais de um produto. eficincia do mtodo: uso de menor quantidade de insumos para produzir uma quantidade equivalente de produtos. eficincia econmica: associada ao mtodo de produo mais barato para produzir uma determinada quantidade de produto.
  • Slide 5
  • 6.2.2 Funo de produo: relao que mostra quantidade fsica obtida do produto a partir da quantidade fsica utilizada dos fatores de produo em determinado perodo de tempo. q= f (N, K) N= quantidade utilizada de mo-de-obra; K= quantidade utilizada de capital. 6.2.3 Fatores fixos e fatores variveis de produo > curto e longo prazos fatores de produo variveis: quantidades utilizadas variam quando se altera o volume da produo. fatores de produo fixos: quantidades no muda quando a quantidade do produto varia.
  • Slide 6
  • Relaes entre quantidade produzida e quantidade utilizada dos fatores: curto prazo: perodo em que pelo menos um fator de produo se mantm fixo, na funo de produo. longo prazo: quando todos os fatores da funo de produo so considerados variveis. 6.3 Anlise de curto prazo: a curto prazo, a quantidade produzida s depende de uma variao da quantidade usada do fator varivel. 6.3.1 Conceitos de produto total, produtividade mdia e produtividade marginal produto total: quantidade de produto obtido da utilizao do fator varivel, mantendo-se fixa a quantidade dos demais fatores.
  • Slide 7
  • produtividade mdia do fator: resultado do quociente da quantidade total produzida pela quantidade utilizada desse fator. a) produtividade mdia da mo-de-obra= quantidade de produtos sobre/nmero de trabalhadores b) produtividade mdia do capital= quantidade de produto/quantidade de mquinas produtividade marginal: a)Produtividade marginal de mo-de-obra= variao de produto/acrscimo de 1 unidade de capital b)Produtividade marginal do capital= variao de produto/acrscimo de 1 unidade de capital
  • Slide 8
  • No caso da agricultura: c) produtividade mdia da terra= quantidade produzida/rea cultivada d) produtividade marginal da terra= variao de produto/acrscimo de 1 unidade de rea cultivada 6.3.2 Lei dos rendimentos decrescentes: elevando-se a quantidade do fator varivel, permanecendo fixa a quantidade dos demais fatores, a produo inicialmente aumentar a taxas crescentes; e depois de certa quantidade do fator varivel, continuar a crescer, mas a taxas decrescentes; continuando o incremento da utilizao do fator varivel, a produo total chegar a um mximo, para ento decrescer.
  • Slide 9
  • A lei do rendimento crescente um fenmeno de curto prazo, com pelo menos um insumo fixo. desemprego disfarado: agricultura de subsistncia. 6.4 Anlise de longo prazo: hiptese de que todos os fatores so variveis. A suposio de que todos os fatores de produo variam d origem aos conceitos de economias ou deseconomias de escala. q= f (N,K) 6.4.1 Economias de escala: resposta da quantidade produzida a uma variao da quantidade utilizada de todos os fatores de produo. a) rendimentos crescentes de escala: quanto a variao na quantidade do produto total mais do que proporcional variao da quantidade dos fatores de produo.
  • Slide 10
  • Causas dos rendimentos crescentes de escala: maior especializao no trabalho; existncia de indivisibilidades entre os fatores de produo. b) rendimentos constantes de escala: quando a variao do produto total proporcional variao da quantidade utilizada dos fatores de produo. c) rendimentos decrescentes de escala: quando a variao do produto menos do que proporcional variao da utilizao dos fatores. Pode ocorrer uma descentralizao das decises que faa com que o aumento de produo no compense o investimento feito.
  • Slide 11
  • I Custos de Produo 6.5 Introduo O objetivo bsico de uma firma maximizar os resultados quanto da realizao da atividade produtiva, podendo ser conseguida quando for alcanada a: maximizao da produo para um dado custo total; ou maximizao do custo total para um dado nvel de produo. Equilbrio da firma: situao de maximizao dos resultados. 6.6 Custos totais de produo: total das despesas realizadas pela firma a partir da combinao mais econmica dos fatores que resultar em determinada quantidade de produto.
  • Slide 12
  • custos variveis totais (CVT): parcela dos custos totais, que dependem da produo e por isso muda com a variao do volume de produo. Representam as despesas realizadas com os fatores variveis de produo (custos diretos). custos fixos totais (CFT): parcela dos custos totais que independe da produo, decorrentes dos gastos com fatores fixos de produo (custos indiretos). Diviso da anlise dos custos de produo: custos totais de curto prazo: compostos por parcelas de custos fixos e de custos variveis; custos totais de longo prazo: formados somente por custos variveis.
  • Slide 13
  • 6.6.1 Custos de curto prazo Custos Mdios e Marginais: custo total mdio: obtido por meio do quociente entre o custo total e a quantidade produzida. custo varivel mdio: o quociente entre o custo varivel total e quantidadeproduzida. custo fixo mdio: o quociente entre o custo fixo total e a quantidade produzida. custo marginal: dado pela variao do custo total em resposta a uma variao da quantidade produzida.
  • Slide 14
  • Lei dos custos crescentes: lei da teoria dos rendimentos decrescentes, da teoria da produo, aplicada teoria dos custos da produo. 6.6.2 Custos de longo prazo: o comportamento do custo total e do custo mdio de longo prazo est ligado ao tamanho ou dimenso da planta escolhida para operar em longo prazo. 6.7 Diferenas entre a viso econmica e a viso contbil- financeira dos custos de produo: 6.7.1 Custos de oportunidade versus custos contbeis: custos contbeis: custos explcitos, que envolvem dispndio monetrio; custos de oportunidade: custos implcitos, relativos aos insumos que pertencem empresa e que no envolvem desembolso monetrio.
  • Slide 15
  • 6.7.2 Custos privados e custos sociais: as externalidades ou economias externas Externalidades: alteraes de custos e benefcios para a sociedade derivadas da produo das empresas ou das alteraes de custos e receitas de fatores externos. Externalidade positiva: quando uma unidade econmica cria benefcios para outras, sem receber pagamento por isso. Externalidade negativa: quando uma unidade econmica cria custos para outras, sem pagar por isso. tica privada: custos efetivos como mo-de-obra, materiais, etc. tica social: externalidades provocadas pelo empreendimento.
  • Slide 16
  • 6.7 Custos versus despesas Custos: gastos associados ao processo de fabricao de produtos. custos diretos: custos variveis; custos indiretos: custos fixos. Despesas: associadas ao exerccio social e alocadas para o resulta do geral do perodo. Conceito fixos tambm engloba as despesas financeiras, comerciais e administrativas. Exceo: teoria da organizao industrial.
  • Slide 17
  • III Maximizao dos Lucros 6.8 Maximizao do lucro total: no curto ou no mdio prazo. Lucro total= receita total de vendas custo total de produo Maximizao do lucro em um nvel de produo que: RMg da ltima unidade produzida = CMg da ltima unidade produzida 6.9 Conceitos de lucro normal e lucro extraordinrio: ganho alternativo que os proprietrios aufeririam se empregassem o capital em outra atividade ou aplicao.
  • Slide 18
  • Conceitos: lucro contbil: diferena entre receita e custos efetivamente incorridos; lucro normal: custo de oportunidade de capital; lucro extraordinrio: diferena entre receita e total dos custos contbeis e custos de oportunidade. 6.10 O conceito de break-even point: ponto de equilbrio representa o nvel de produo em que a receita total igual ao custo total e a partir do qual a empresa passa a gerar lucros.