manual solda thermit

Download Manual Solda Thermit

Post on 15-Jul-2015

1.210 views

Category:

Documents

3 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

Eficincia no processo

Thermit do Brasil

Manual do Soldador

THERMIT DO BRASIL manual do soldador 1

SumrioINTRODUO A SEGURANA O MATERIAL PARA SOLDAGEM 1) maTErIal ConsumVEl a) Poro Thermit b) acendedores c) Formas d) Pasta de Vedao e) Cadinho longa Vida f ) Cadinho descartvel g) Cadinho degradvel h) Bujo automtico 2) FErramEnTas BsICas Para soldaGEm O TRILHO 1) TaBEla dE TrIlHo O PROCESSO DE SOLDAGEM 1) PrEParao a) Exame das extremidades dos trilhos 2) CorTE do TrIlHo a) Corte com disco abrasvel b) Corte com maarico 3) lImPEza do TrIlHo 4) alInHamEnTo a) ajuste da folga da junta b) remoo da fixao dos trilhos c) alinhamento da junta d) Tabela de alinhamento 5) soldaGEm a) Fixao da prensa universal b) ajuste da altura do maarico c) montagem das formas d) Preparao do cadinho e) Posicionamento do cadinho f ) regulagem da chama do maarico g) Pr aquecimento da junta h) Colocao do tampo i) Ignio da poro

THERMIT DO BRASIL manual do soldador 2

j) retirada do Cadinho k) retirada das Presilhas l) rebarbamento 6) aCaBamEnTo a) Esmerilhamento preliminar b) limpeza da solda c) Esmerilhamento final d) Finalizao do Trabalho 7) ConFErnCIa FInal a) Inspeo dimensional da soldagem b) Verificao da Geometria da solda c) Verificao dos defeitos internos e externos NORMAS TCNICAS TIPOS DE SOLDAGEM

THERMIT DO BRASIL manual do soldador 3

introduoCom o objetivo de oferecer um diferencial a seus clientes , a Thermit do Brasil, empresa do Grupo Goldschmidt Thermit Group, desenvolveu o manual do soldador, que servir como ferramenta de trabalho, para voc soldador, orientando-o no passo a passo, dE Forma CorrETa, PrECIsa E sEGura; na execuo de solda Thermit. Esperamos que esse manual possa agregar valor ao seu conhecimento e ser um facilitador na execuo de suas atividades. agradecemos antecipadamente a parceria e nos colocamos disposio para esclarecer qualquer dvida. atenciosamente, Thermit do Brasil

A SEGurAnA imprescindvel que o soldador use todos os equipamentos de segurana individuais (EPI) necessrios para a execuo da soldagem. alm do uso correto dos EPIs, no se deve esquecer que, para realizarmos uma atividade segura e sem riscos que possam prejudicar a vida humana e tambm a empresa, devemos avaliar e considerar os mtodos de trabalho e seus processos, a qualificao do pessoal, o local onde ser realizado as atividades e separar o que pode ser considerado uma ameaa a vida do trabalhador na execuo do trabalho. listamos abaixo a relao de EPIs necessrios : 1. Botina de segurana com Biqueira de Policarbonato (Fibra), no pode ser com Biqueira de ao; 2. Cala em brim (mais resistente); 3. avental de raspa, ou de Kourion; 4. culos de segurana Tonalidade 5-9, com lentes verdes, ou ainda culos de segurana com lentes escuras contendo pelcula refletora;

THERMIT DO BRASIL manual do soldador 4

5.

Camisa em Brim de manga. H a possibilidade de substituir por uma Camisa em Brim leve e utilizar avental reforado e mangas especficas; 6. mangas de raspa, ou Kourion ( um importante o uso deste equipamento); 7. luva de raspa de Couro Cano longo para movimentao de materiais pesados, robustos e quentes (temperaturas amenas); 8. luva de Vaqueta com dorso em raspa (Para movimentao de materiais leves e menores; 9. luva de Grafatex (utilizao prximas a temperaturas altas, importante ter Kevlar na luva), usado na realizao da solda; 10. Protetor Facial simples com lente Incolor para esmerilhar; 11. Capacete de segurana com Protetor Facial ou no, este equipamento facultativo.

relacionamos a seguir instrues importantes para que haja uma segurana adequada na execuo do seu trabalho : durante a execuo da soldagem siga as normas de segurana legais, assim como, as impostas pela ferrovia. no manuseio de nossos produtos recomendamos: 1. no guardar os acendedores nos bolsos da cala ou camisa. mantenha-os na embalagem e longe das pores; 2. Proteger as pores, formas, cadinhos e bujes contra a umidade; 3. Pores midas reagem de forma explosiva e devem ser rejeitadas; 4. durante a reao Thermit mantenha uma distncia de segurana. use sempre o EPI; 5. nunca colocar a escria, ainda quente, na gua; 6. Verifique se no h vazamentos no seu equipamento de oxicorte e pr aquecimento; 7. antes de acender o maarico, abra primeiro a vlvula de oxignio, em seguida a de propano; 8. Para apagar o maarico feche primeiro a vlvula de propano e depois a de oxignio; 9. no caso de retrocesso da chama, caracterizado pelo assobio tpico, feche rapidamente a vlvula de oxignio e depois a de propano; 10. durante o esmerilhamento, use culos de proteo e perneiras; 11. no utilize mquinas de esmerilhar sem protetor para o rebolo; 12. no trabalho em altura use sempre o cinto de segurana. na falta de passarelas, solicite a montagem de andaimes.

THERMIT DO BRASIL manual do soldador 5

mAtEriAL ConSumVELPoro tHErmit use somente pores adequadas ao perfil e resistncia mecnica do trilho a ser soldado; no use pores cuja embalagem esteja danificada e no adicione (em hiptese alguma) parte de outra poro para aumentar seu volume. Toda poro fabricada individualmente e dimensionada de acordo com sua aplicao; PROTEjA AS PORES cOnTRA A uMIDADE. PORES uMEDEcIDAS, MESMO DEPOIS DE SEcAS, nO PODEM SER APROvEITADAS; Guarde as Pores em ambiente seco e arejado, nunca coloque as pores em contato direto com o cho. armazene as Pores em cima de Estrados de madeira.

as caractersticas que definem o tipo de poro so: 1. 2. 3. o perfil do trilho o processo de soldagem a resistncia mecnica (nmero caracterstico) (soWos, skV,etc.) (grupo em kg/mm)

a denominao segue a seguinte grafia: perfil do trilho + processo de soldagem + resistncia mecnica Ex.: a denominao da poro Thermit indicada para a soldagem de trilhos Tr-57 com 90 kg/mm de resistncia a trao, pelo processo soWos 57 soWos 90 a denominao da poro Thermit pode vir acrescida de: HC - alto carbono (para tratamento trmico de perlitizao) CD - destinado ao uso com cadinho descartvel

THERMIT DO BRASIL manual do soldador 6

na soldagem de trilhos com perfis e/ou resistncia mecnica diferentes, utilize a poro indicada para o maior perfil e/ou resistncia mecnica, exceto para trilhos perlitizados ou ligados, onde voc deve usar o de maior perfil e menor resistncia mecnica.

ACEndEdorESarmazene os acendedores sempre longe das pores, inclusive no canteiro de obra. mantenha-os em lugar seco.

FormAS Guarde as formas em lugar seco; no canteiro de obra mantenha-as protegidas da umidade; use somente formas apropriadas ao perfil do trilho. Existem formas para todos os perfis e transies entre perfis diferentes.

nas formas de transio para a soldagem de trilhos de perfis diferentes so mencionados os dois perfis dos trilhos. nas transies entre trilhos de mesmo perfil com alturas diferentes (trilhos gastos ou reperfilados), cita-se o perfil e a terminao transio. Ex.: Formas soWos uIC-60 Formas soWos Tr-57 / uIC-60 d Formas skV Tr-68 transio

a denominao das formas de transio entre dois perfis com diferena na largura do boleto acima de 2 mm, vem acrescida da sigla d (direito) ou E (esquerdo), conforme o lado da via. a forma interna da via marcada com I e a externa com E. o lado das formas identificado posicionando-se no centro da via e olhando do perfil maior para o menor.

THERMIT DO BRASIL manual do soldador 7

PAStA/ArEiA dE VEdAo a pasta/areia de vedao fornecida em potes pronto para o uso. a pasta/areia no contem produtos txicos.

CAdinHo LonGA VidA armazene os cadinhos longa vida em lugar seco; no transporte considere que eles so frgeis; sempre manter um cadinho reserva; Para a montagem da extenso do cadinho, aplique a pasta na borda superior do cadinho, assente a extenso sobre a borda e, mediante o anel de fixao, aperte o conjunto com os trs parafusos; remova o excesso de pasta em torno da extenso; antes do uso aquea o cadinho longa vida, por dentro, com o maarico de pr aquecimento, at que a sua parte externa alcance aproximadamente 100C.

CAdinHo dESCArtVEL abra o cadinho descartvel somente por ocasio do uso; Por ser hermeticamente fechado, no necessita de secagem ou aquecimento antes do uso; Verifique se o cadinho descartvel apresenta, externamente, alguma deformao no seu invlucro metlico. Faa a mesma verificao interna. se a superfcie interna apresentar alguma trinca, no o use.

THERMIT DO BRASIL manual do soldador 8

CAdinHo dEGrAdVEL abra o cadinho degradvel somente por ocasio do uso; Por ser hermeticamente fechado, no necessita de secagem ou aquecimento antes do uso; Verifique se o cadinho degradvel apresenta, externamente, alguma deformao no seu invlucro metlico. Faa a mesma verificao interna. se a superfcie interna apresentar alguma trinca, no o use.

BuJo AutomtiCo Guarde-o em lugar seco; no retire o bujo automtico do interior de sua embalagem antes do uso.

modo de uso do produto: retire o bujo automtico de sua embalagem; Introduza a ponta da vareta de montagem no copinho metlico do bujo; Posicione o bujo em sua sede no cadinho e fixe-o com leves golpes com a mo sobre a vareta de montagem; despeje a areia refratria ao redor do copinho do bujo. a capa sobre a ponta da vareta de montagem impede que a areia refratria penetre no copinho; remova a vareta de montagem com cuidado no sentido vertical.

THERMIT DO BRASIL manual do soldador 9

FErrAmEntAS BSiCAS PArA SoLdAGEm01 unidade alavanca pequena; 01 unidade Cabeote de corte Completo Wm com Bico de corte Wm; 01 unidade Carro Guia para maarico de Corte; 01 unidade Cunha Graduada; 01 dzia Cunha para nivelamento; 01 unidade Cronmetro; 01 unidade Corta Quente e marreta (acima de 5 kg) ou rebarbadora Hidrulica(acionamento manual ou mecnico); 01 unidade limitador ( soWos e/ou skV) - obs.: um para cada processo; 25 metros de Conjunto de mangueiras - Vermelha (Thermolene ou Propano) & Verde(oxignio);