Manual Programa Mais Cultura Nas Escolas

Download Manual Programa Mais Cultura Nas Escolas

Post on 19-Oct-2015

153 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

<ul><li><p>maisculturanasescolas@cultura.gov.br </p><p>www.cultura.gov.br/Mais-Cultura-nas-Escolas</p><p>Distribuio: escolas e iniciativas culturais</p><p>Elaborao: Diretoria de Educao e Comunicao para a Cultura/ SPC-MinC</p><p>Parceria SEB/MEC e SPC/MinC</p><p>ndice</p><p>1. Apresentao do Programa Mais Cultura nas Escolas </p><p>1.1 O que o Mais Cultura nas Escolas?1.2 Quais os objetivos do Mais Cultura nas Escolas?1.3 Quais atividades devero ser desenvolvidas? 1.4 Quais so os eixos temticos propostos pelo Mais Cultura nas Escolas?1.5 Quem pode participar do Mais Cultura nas Escolas1.6 Qual o valor a ser destinado a cada projeto, como ser repassado e em que deve ser utilizado? 1.7 Por quanto tempo as atividades devero ser oferecidas? 1.8 Execuo e prestao de contas dos recursos</p><p>2. Como participar do Mais Cultura nas Escolas?</p><p>2.1 O que a escola deve fazer?2.2 O que a Iniciativa Cultural Parceira deve fazer?</p><p>3. Construindo o Plano de Atividade Cultural da Escola</p><p>3.1 O que o Plano de Atividade Cultural da Escola? 3.2 Quais tpicos devero ser detalhados no Plano de Atividade Cultural da Escola?</p><p>4</p><p>44568</p><p>899</p><p>10</p><p>1014</p><p>16</p><p>16</p><p>17</p></li><li><p>4 5</p><p>O PROGRAMA MAIS CULTURA NAS ESCOLAS consiste em iniciativa interministerial firmada entre os Ministrios da Cultura (MINC) e da Educao (MEC), que tem por finalidade fomentar aes que promovam o encontro entre o projeto pedaggico de escolas pblicas contempladas com os Progra-mas Mais Educao e Ensino Mdio Inovador e experincias culturais e artsticas em curso nas comunidades locais.</p><p>Os projetos inscritos no Mais Cultura nas Escolas devero ser uma ao conjunta entre as escolas, artistas e/ou entidades culturais, que elaboraro o Plano de Atividade Cultural da Es-cola, com o objetivo de aproximar prticas artsticas e cultu-rais do fazer pedaggico das escolas. A responsabilidade pela construo e gesto do Plano de Atividade Cultural mtua, da escola e da iniciativa cultural parceira, e deve ser mantida ao longo do desenvolvimento do projeto.</p><p>Os projetos inscritos no Mais Cultura nas Escolas devem orientar suas aes a partir de pelo menos um dos 9 eixos temticos e prever durao mnima de seis (6) meses, ainda que no contnuos. </p><p>Em 2013, sero selecionados 5 mil projetos e cada um deles ser contemplado com valores entre R$ 20 e R$ 22 mil, va-riveis conforme o nmero de alunos registrado no ltimo censo escolar. Os recursos sero repassados, atravs do PDDE (Programa Dinheiro Direto na Escola), numa parcela nica. Podero custear: contratao de servios culturais necess-rios s atividades artsticas e pedaggicas; aquisio de ma-teriais de consumo; contratao de servios diversos; locao de transportes; servios e equipamentos; aquisio de mate-riais permanentes e equipamentos.</p><p> Reconhecer e promover a escola como espao de circulao e produo da diversidade cultural brasileira.</p><p> Contribuir com a formao de publico para as artes e am-pliar o repertrio cultural da comunidade escolar. </p><p>1. Apresentao do Programa Mais Cultura nas Escolas </p><p>1.1 O que Mais Cultura nas Escolas?</p><p>1.2 Quais os objetivos do Mais Cultura nas Escolas?</p><p> Desenvolver atividades que promovam a interlocuo en-tre experincias culturais e artsticas e o projeto pedaggico da escola pblica.</p><p> Promover, fortalecer e consolidar territrios educativos, va-lorizando o dilogo entre saberes comunitrios e escolares, integrando na realidade escolar as potencialidades educati-vas do territrio em que a escola est inserida.</p><p> Ampliar a insero de contedos artsticos que contem-plem a diversidade cultural na vivncia escolar, assim como o acesso a diversas formas das linguagens artsticas.</p><p> Proporcionar o encontro da vivncia escolar com as mani-festaes artsticas desenvolvidas fora do contexto escolar.</p><p> Promover o reconhecimento do processo educativo como construo cultural em constante formao e transformao.</p><p> Fomentar o comprometimento de professores e alunos com os saberes culturais locais.</p><p> Integrar experincias artsticas e culturais locais no projeto poltico pedaggico das escolas pblicas, contribuindo para a ampliao do nmero dos agentes sociais responsveis pela educao no territrio.</p><p> Proporcionar aos alunos vivncias artsticas e culturais promovendo a afetividade e a criatividade existentes no pro-cesso de ensino e aprendizagem.</p><p>O Plano de Atividade Cultural pode ser composto das mais diversas linguagens artsticas (msica, audiovisual, teatro, circo, dana, artes visuais, etc.) e/ ou manifestaes da cul-tura (tradio oral, rdio, culinria, mitologia, vesturio, internet, mmica etc.). No h formas preestabelecidas para as atividades; a criatividade e a inovao devem ser incenti-vadas. As propostas devem:</p><p> Dialogar com o projeto pedaggico da escola, evidenciando as trocas de experincias entre os parceiros, bem como as respectivas contribuies potenciais de cada um realizao do Plano de Atividade Cultural; </p><p> Dialogar com pelo menos um dos eixos temticos propos-tos pelo Mais Cultura nas Escolas;</p><p>1.3 Quais atividades devero ser desenvolvidas?</p></li><li><p>6 7</p><p> Desenvolver processos artsticos e culturais contnuos, podendo ser realizadas dentro ou fora do espao escolar, em comum acordo entre os parceiros, iniciativa cultural e escola;</p><p> Contribuir para a promoo e reconhecimento de territ-rios educativos, valorizando o dilogo entre saberes escola-res e comunitrios e a integrao de espaos escolares com espaos culturais diversos (equipamentos pblicos, centros culturais, bibliotecas pblicas, pontos de cultura, praas, par-ques, museus e cinemas).</p><p>O plano de atividade cultural a ser desenvolvido em conjun-to pelas escolas e pelas iniciativas culturais parceiras dever considerar, a partir da realidade escolar, um ou mais eixos temticos descritos a seguir:</p><p>I. Residncia de artistas para pesquisa e experimentao nas escolas: </p><p>Sero consideradas propostas com artistas do campo da arte contempornea de diferentes segmentos e linguagens, que por meio da residncia artstica promovam intercmbio cultural e esttico contnuo entre o artista proponente e a escola. As aes propostas devero romper os limites social-mente determinados nas linguagens artsticas, entre arte consagrada e cultura popular, valorizando a inovao. As residncias artsticas devem potencializar as escolas como espaos de experimentao e de reflexo artstica;</p><p>II. Criao, circulao e difuso da produo artstica: </p><p>Sero consideradas atividades de formao cultural e apren-dizado que compreendam as manifestaes populares e eruditas que fazem uso de linguagens artsticas como: artes cnicas (circo, teatro, dana, mmica, pera), audiovisual (ci-nema, vdeo, TV), msica, artes da palavra (literatura, cordel, lendas, mitos, dramaturgia, contao de histrias), artes vi-suais (artes grficas, pintura, desenho, fotografia, escultura, grafite, performance, intervenes urbanas);</p><p>III. Promoo cultural e pedaggica em espaos culturais: </p><p>Sero consideradas atividades de formao cultural e apren-dizado que promovam aes contnuas de atividades arts-tico pedaggicas em pontos de cultura, espaos culturais diversos, centros culturais, bibliotecas pblicas e/ou comuni-trias, praas, parques, teatros, museus e cinemas;</p><p>1.4 Quais so os eixos temticos propostos pelo "Mais Cultura nas Escolas"?</p><p>IV. Educao patrimonial - patrimnio material e imate-rial, memria, identidade e vnculo social: </p><p>Atividades participativas de formao cultural e aprendi-zado que promovam vivncias, pesquisas e valorizao de bens culturais de natureza material e imaterial referentes memria e identidade cultural dos variados segmentos da populao brasileira, como os monumentos e obras de arte, os modos de vida, as festas, as comidas, as danas, as brincadeiras, as palavras e expresses, saberes e fazeres da cultura brasileira, podendo incluir produo de materiais didticos, realizao de oficinas de transmisso de saberes tradicionais, pesquisas em arquivos e locais referenciais para a histria e a identidade local, regional e nacional, dentre outras atividades;</p><p>V. Cultura digital e comunicao: </p><p>Sero consideradas atividades de formao cultural e apren-dizado que abranjam desde tcnicas de comunicao mais tradicionais (como orais e gestuais) at as mais contem-porneas, entre as quais ambientes digitais que utilizem, preferencialmente, software livre, internet e mdias diversas (multimdia, rdio e TV comunitrias, videoclipe, vdeo arte, web arte) para democratizao da produo, acesso, registro e divulgao da informao e contedos culturais;</p><p>VI. Cultura afro-brasileira: </p><p>Sero consideradas atividades de formao cultural e apren-dizado que valorizam o conjunto de manifestaes culturais que contenham elementos das culturas africanas e cultura afro-brasileira: msica, dana, cultura tradicional/oral, fes-tas, culinria, linguagem, entre outros;</p><p>VII. Culturas indgenas: </p><p>Sero consideradas atividades de formao cultural e apren-dizado que valorizam o conjunto de manifestaes culturais indgenas em suas diversas etnias: msica dana cultura tradicional/oral, festas, culinria, linguagem, entre outros;</p><p>VIII. Tradio oral: </p><p>Sero consideradas atividades de formao cultural e aprendizado que valorizam a transmisso de saberes feita oralmente pelos mestres e gris. Referem-se cultura das comunidades tradicionais, seus costumes, memria, contos populares, lendas, mitos, provrbios, oraes, adivinhas, ro-manceiros e outros.</p></li><li><p>8 9</p><p>IX. Educao Museal: </p><p>Atividades de identificao, pesquisa, seleo, coleta, preser-vao, registro, exposio e divulgao de objetos, expresses culturais materiais e imateriais e de valorizao do meio--ambiente e dos saberes da comunidade, bem como a utili-zao de ferramentas educacionais para a interpretao e difuso do patrimnio cultural, prticas museais que possi-bilitam comunidade escolar e territrios educativos experi-mentarem situaes de ensino/aprendizagem relacionadas fruio da memria e a construo da cidadania cultural, museus escolares como espaos dialgicos que permitem a interdisciplinaridade de diferentes reas do conhecimento ligadas realidade escolar e ao seu entorno. </p><p>ESCOLAS</p><p>34 mil escolas municipais e estaduais da rede pblica con-templadas pelos Programas Mais Educao e Ensino Mdio Inovador, podero se inscrever no Programa. A lista das escolas pode ser consultada via internet, nas pginas virtuais do Ministrio da Cultura (www.cultura.gov.br/Mais--Cultura-nas-Escolas), Fundo de Desenvolvimento da Educa-o (www.fnde.mec.gov.br), e do Ministrio da Educao. </p><p> INICIATIVAS CULTURAIS PARCEIRAS</p><p>As iniciativas culturais parceiras so variadas formas de or-ganizao e de ao cultural e artstica. So pessoas fsica ou jurdica, grupos formais ou informais: artistas, grupos cultu-rais, pontos de cultura, museus, bibliotecas, espaos culturais diversos, que trabalhem com artes visuais, audiovisual, circo, cultura afro-brasileira, cultura digital, culturas indgenas, culturas quilombolas, culturas populares, dana, livro e lei-tura, moda, msica, patrimnio material e imaterial, teatro, entre outras prticas.</p><p>O recurso para os fins previstos no Plano de Atividade Cul-tural aprovado ser repassado em parcela nica, calculada tomando como parmetro o nmero de alunos matriculados na unidade educacional e os valores correspondentes, con-forme tabela de referncia a seguir:</p><p>1.5 Quem pode participar do Mais Cultura nas Escolas?</p><p>1.6 Qual o valor a ser destinado a cada projeto, como ser repassado e em que deve ser utilizado? </p><p>Nmero de Alunos Valor do Repasse para Despesas de Custeio (R$)</p><p>Valor do Repasse para Despesas de Capital (R$)</p><p>Valor Total por Escola (R$)</p><p>At 500 18.000,00 2.000,00 20.000,00501 a 1.000 18.500,00 2.500,00 21.000,00Acima de 1.000 19.000,00 3.000,00 22.000,00</p><p>O Plano de Atividade Cultural dever prever a distribuio de recursos a partir das seguintes rubricas:</p><p>I. aquisio de materiais de consumo (custeio); </p><p>II. contratao de servios de formao, produo e disse-minao de contedos culturais e artsticos necessrios s atividades artsticas e pedaggicas (custeio);</p><p>III. contratao de servios diversos (custeio);</p><p>IV. locao de instrumentos, transporte, equipamentos (custeio);</p><p>V. aquisio de materiais permanentes e equipamen-tos (capital);</p><p>O valor estipulado para aquisio de bens de capital, defini-do no item V (aquisio de materiais permanentes e equipa-mentos) no podero ultrapassar 20% (vinte por cento) do valor total do projeto.</p><p>O cronograma dever ser executado, de acordo com o Plano de Atividade Cultural da Escola, de forma a garantir o desenvolvi-mento de atividades do Mais Cultura nas Escolas pelo perodo mnimo de 6 (seis) meses letivos, ainda que no consecutivos, a contar do ms da efetivao do repasse de recursos.</p><p>A Unidade Executora Prpria (UEx) da escola pblica benefi-ciria do repasse dever proceder a execuo do numerrio e a prestao de contas nos moldes e sob a gide da Resoluo FNDE n 7, de 12 de abril de 2012, que dispe sobre o Progra-ma Dinheiro Direto na Escola (PDDE). </p><p>A iniciativa cultural receber da Unidade Executora Prpria (UEx) os recursos definidos em comum acordo com a escola p-blica parceira; dever prestar contas do material adquirido, ou requisitar que a prpria escola adquira o material necessrio. </p><p>1.7 Por quanto tempo as atividades devero ser oferecidas?</p><p>1.8 Execuo e prestao de contas dos recursos</p></li><li><p>10 11</p><p>2. Como participar do Mais Cultura nas Escolas?</p><p>2.1 O que a escola deve fazer? Cada escola s poder inscrever um (1) nico </p><p>projeto, elaborado conjuntamente com uma (1) nica iniciativa cultural parceira.</p><p>O primeiro passo estabelecer contato com uma iniciativa cultural parceira para, junto com ela, elaborar o Plano de Atividade Cultural da Escola. E como encontr-la? Mais Cultura nas Escolas foi pensado, prioritariamente, para criar e fortalecer as relaes entre iniciativas artsticas e culturais e escolas pblicas de um mesmo territrio. Por isso, a construo do Plano de Atividade Cultural pode ser a ocasio para que a escola conhea e reconhea artistas, grupos, organizaes e entidades prximos a ela. A escola tambm pode aprofundar contatos estabelecidos antes, que interessem ao desenvolvimento de seu projeto pedag-gico, por exemplo: um artista interessado nas histrias do prdio que abriga a escola, um museu antes visitado, ofici-nas desenvolvidas por um ponto de cultura ou uma folia de reis da regio. Tambm pode acontecer o inverso, da escola ser procurada por uma iniciativa cultural interessada em aspectos da co-munidade em que ela est inserida. O Ministrio da Cultu-ra vem trabalhando para mobilizar as iniciativas culturais, e os contatos das escolas esto disponveis em vrios ende-reos eletrnicos.</p><p>As Secretarias Estaduais e Municipais de Cultura tambm podem ajudar na procura.</p><p>O Ministrio da Cultura e o Ministrio da Educao esto desenvolvendo uma platafor-ma virtual aberta (Creative Commons) para compartilhamento de informaes, prticas e experincias intersetoriais de cultura e educa-o. Essa plataforma, chamada Cultura Educa est em desenvolvimento e pode ser acessada atravs do endereo eletrnico culturaeduca.cc. O portal tambm pode ser acessado por meio do SIMEC (Sistema Integrado de Monitoramen-to, Execuo e Controle do Ministrio da Educa-o), clicando no cone Portal CulturaEduca, disponvel em todas as abas do sistema de inscrio (http://simec.mec.gov.br/, aba Mai...</p></li></ul>