manual orientativo de fiscaliza†ƒo c‚mara especializada de ... - adotar medidas de...

Download MANUAL ORIENTATIVO DE FISCALIZA‡ƒO C‚MARA ESPECIALIZADA DE ... - Adotar medidas de Preven§£o

Post on 17-Nov-2018

213 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • MANUAL ORIENTATIVO DE FISCALIZAO

    CMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA DE SEGURANA

    DO TRABALHO

    MODALIDADE ENGENHARIA DE SEGURANA DO TRABALHO

    Laudo Ergonmico

    Laudo de Periculosidade/Insalubridade

    Laudo Tcnico das Condies Ambientais do Trabalho LTCAT

    Programa de Conservao Auditiva

    Programa de Condies e Meio Ambiente de Trabalho na

    Indstria da Construo PCMAT

    Programa de Gerenciamento de Riscos

    Programa de Proteo Respiratria

    Programa de Proteo Radiolgica

    Programa de Preveno de Riscos Ambientais - PPRA

  • Laudo Ergonmico

    DESCRIO

    Documento que avalia as condies organizacionais do trabalho (presso por metas, organizao das atividades, frustrao com metas divergentes, entre outros), as condies ambientais (temperatura, vento, luminosidade, rudo e umidade do ar) e as condies fsicas do posto de trabalho (biomecnica corporal envolvida no desempenho da tarefa, postura, dimensionamento dos equipamentos e mobilirios, entre outros).

    EXEMPLOS DE ONDE FISCALIZAR

    Industrias, escritrios, empresas de telemarketing, etc

    PARMETROS PARA A FISCALIZAO

    Segundo a Norma Regulamentadora 17 do Ministrio do Trabalho e Emprego, em seu Anexo II que

    dispe sobre os trabalhos em tele atendimento e telemarketing dispe:

    8.4. As anlises ergonmicas do trabalho devem contemplar, no mnimo, para atender NR-17: a) descrio das caractersticas dos postos de trabalho no que se refere ao mobilirio, utenslios, ferramentas, espao fsico para a execuo do trabalho e condies de posicionamento e movimentao de segmentos corporais; b) avaliao da organizao do trabalho demonstrando: 1. trabalho real e trabalho prescrito; 2. descrio da produo em relao ao tempo alocado para as tarefas; 3. variaes dirias, semanais e mensais da carga de atendimento, incluindo variaes sazonais e intercorrncias tcnico-operacionais mais frequentes; 4. nmero de ciclos de trabalho e sua descrio, incluindo trabalho em turnos e trabalho noturno; 5. ocorrncia de pausas interciclos; 6. explicitao das normas de produo, das exigncias de tempo, da determinao do contedo de tempo, do ritmo de trabalho e do contedo das tarefas executadas; 7. histrico mensal de horas extras realizadas em cada ano; 8. explicitao da existncia de sobrecargas estticas ou dinmicas do sistema osteomuscular; c) relatrio estatstico da incidncia de queixas de agravos sade colhidas pela Medicina do Trabalho nos pronturios mdicos; d) relatrios de avaliaes de satisfao no trabalho e clima organizacional, se realizadas no mbito da empresa; e) registro e anlise de impresses e sugestes dos trabalhadores com relao aos aspectos dos itens anteriores; f) recomendaes ergonmicas expressas em planos e propostas claros e objetivos, com definio de datas de implantao. 8.4.1. As anlises ergonmicas do trabalho devero ser datadas, impressas, ter folhas numeradas e rubricadas e contemplar, obrigatoriamente, as seguintes etapas de execuo: a) explicitao da demanda do estudo; b) anlise das tarefas, atividades e situaes de trabalho; c) discusso e restituio dos resultados aos trabalhadores envolvidos; d) recomendaes ergonmicas especficas para os postos avaliados; e) avaliao e reviso das intervenes efetuadas com a participao dos trabalhadores, supervisores e gerentes; f) avaliao da eficincia das recomendaes.

    O agente de fiscalizao ao analisar o Laudo deve verificar o profissional responsvel pela sua

    elaborao. O programa elaborado por:

    1) Tcnico de Segurana do Trabalho

  • - Laudo Ergonmico elaborado por tcnicos de segurana do trabalho com registro no CREA

    Notificar o profissional por exerccios de atividades estranhas (Alnea b da Art. 6 da Lei 5194/66)

    - Laudo Ergonmico elaborado por tcnicos de segurana do trabalho sem registro no CREA

    Notificar o profissional por notific-lo por exerccio ilegal da profisso (Alnea a da Art. 6 da Lei 5194/66);

    2) Engenheiro de Segurana do Trabalho - Laudo Ergonmico elaborado por engenheiro de segurana do trabalho Caso no seja verificado a ART referente a elaborao do PPRA: Notificar o profissional a

    apresentar a Anotao de Responsabilidade Tcnica ( Art. 1 da Lei 6496/77).

    3) Mdico do Trabalho

    - Laudo Ergonmico elaborado por mdico do trabalho No abrir RF.

    DOCUMENTAO COMPROBATRIA

    Documentao comprobatria: So os documentos aceitos para comprovar que o servio foi realizado, de fato, pelo fiscalizado. 1) ART

    2) Cpia do Laudo

    3) Nota Fiscal que ateste a realizao de atividade tcnica

    4) Fotografia do Laudo

    EXIGNCIA DE ART

    Exigir ART relativa a elaborao do laudo identificado na obra.

    PROFISSIONAIS HABILITADOS

    Profissionais que possuem atribuies para responderem tecnicamente pelas atividades, conforme normativos

    vigentes e entendimento da Cmara Especializada de Engenharia de Segurana do Trabalho: Engenheiro de Segurana do Trabalho Mdico do Trabalho

    IDENTIFICAO DE IRREGULARIDADES

    Verificar procedimento padro vigente.

    LEGISLAO PERTINENTE

    Lei Federal n 5.194/1966. Lei Federal n 6.496/1977. Resoluo n 1.025/2009 do CONFEA. Norma regulamentadora 17 do Ministrio do Trabalho e Emprego

  • OBSERVAES E CUIDADOS

    Os parmetros acima so orientativos. Os casos omissos ou no previstos devero ser encaminhados, atravs de consulta tcnica, Cmara Especializada para anlise.

  • Laudo de Periculosidade/Insalubridade

    DESCRIO

    O Laudo de Insalubridade o documento tcnico-legal que estabelece se o empregado da empresa tem ou no direito ao recebimento do adicional de insalubridade (10%, 20% ou 40% do salrio-mnimo), em virtude da exposio a agentes fsicos, qumicos e/ou biolgicos, considerando os limites de tolerncias estabelecidos pelas legislaes e as protees fornecidas pela empresa. O Laudo de Periculosidade o documento tcnico-legal que estabelece se o empregado da empresa tem ou no direito ao recebimento do adicional de periculosidade (30% do salrio-base do emprego), em virtude da exposio a explosivos, inflamveis, eletricidade e radiao ionizante, considerando as legislaes especficas e as protees fornecidas pela empresa.

    EXEMPLOS DE ONDE FISCALIZAR

    Empresas que expem seus colaboradores a riscos que ocasionem a concesso do recebimento do adicional de insalubridade ou periculosidade.

    PARMETROS PARA A FISCALIZAO

    No h um padro definido do Laudo de Insalubridade/Periculosidade.

    De maneira geral os referidos laudos devem conter no mnimo, os seguintes itens:

    - Descrio das atividades do setor avaliado;

    - Descrio de cada funo especfica de cada setor;

    - Anlise dos agentes agressivos conforme enquadramentos nos anexos da NR 15, NR16;

    - Aspectos legais para os enquadramentos.

    - Metodologia utilizada;

    - Certificados de calibrao dos equipamentos.

    O agente de fiscalizao ao analisar o Laudo deve verificar o profissional responsvel pela sua

    elaborao. O programa elaborado por:

    1) Tcnico de Segurana do Trabalho

    - Laudo de Periculosidade/Insalubridade elaborado por tcnicos de segurana do trabalho com

    registro no CREA

    Notificar o profissional por exerccios de atividades estranhas (Alnea b da Art. 6 da Lei 5194/66)

    - Laudo de Periculosidade/Insalubridade elaborado por tcnicos de segurana do trabalho sem

    registro no CREA

    Notificar o profissional por notific-lo por exerccio ilegal da profisso (Alnea a da Art. 6 da Lei 5194/66);

    2) Engenheiro de Segurana do Trabalho

  • - Laudo de Periculosidade/Insalubridade elaborado por engenheiro de segurana do trabalho Caso no seja verificado a ART referente a elaborao do PPRA: Notificar o profissional a

    apresentar a Anotao de Responsabilidade Tcnica ( Art. 1 da Lei 6496/77).

    3) Mdico do Trabalho

    - Laudo de Periculosidade/Insalubridade elaborado por mdico do trabalho Arquivar o processo.

    DOCUMENTAO COMPROBATRIA

    Documentao comprobatria: So os documentos aceitos para comprovar que o servio foi realizado, de fato, pelo fiscalizado.

    1) ART

    2) Cpia do Laudo;

    3) Nota Fiscal que ateste a realizao de atividade tcnica;

    4) Fotografia do Laudo;

    EXIGNCIA DE ART

    Exigir ART relativa a elaborao do laudo identificado na obra.

    PROFISSIONAIS HABILITADOS

    Profissionais que possuem atribuies para responderem tecnicamente pelas atividades, conforme normativos

    vigentes e entendimento da Cmara Especializada de Engenharia de Segurana do Trabalho: Engenheiro de Segurana do Trabalho Mdico do Trabalho

    IDENTIFICAO DE IRREGULARIDADES

    Verificar procedimento padro vigente.

    LEGISLAO PERTINENTE

    Lei Federal n 5.194/1966. Lei Federal n 6.496/1977. Resoluo n 1.025/2009 do CONFEA. Normas regulamentadores 15 e 16 do Ministrio do Trabalho e Emprego

    OBSERVAES E CUIDADOS

    Os parmetros acima so orientativos. Os casos omissos ou no previstos devero ser encaminhados, atravs de consulta tcnica, Cmara Especializada para anlise.

  • Laudo Tcnico das Condies Ambientais do Trabalho LTCAT

    DESCRIO

    O Laudo Tcnico das Condies Ambientais do Trabalho LTCAT tem objetivo comprovar o exerccio do trabalho em condies insalubres ou perigosas, bem como a adoo de medidas preventivas pelas empresas com intuito de eliminar e/ou neutralizar os agentes agressores que podem prejudicar a sade ou a integridade fsica do trabalhador.

    EXEMPLOS DE ONDE FISCALIZAR

    Empresas que expem seus colaboradores a riscos que ocasionem a concesso de aposentadoria especial.

    PARMETROS PARA A FISCALIZAO

    A Instruo Normativa INSS/PRES N 45 de 6 de agosto de 2010, o LTCAT deve ser elaborado por mdico do

    trabalho ou engenheiro de segurana