manual - merenda escolar

Download Manual - Merenda Escolar

Post on 02-Jan-2016

42 views

Category:

Documents

5 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • MANUAL DE ORIENTAO PARA A

    EXECUO DO PROGRAMA NACIONAL

    DE ALIMENTAO ESCOLAR NO

    ESTADO DE GOIS

    1 Edio

    Goinia

    2012

  • Governador do Estado de Gois

    Marconi Ferreira Perillo Jnior

    Secretrio de Estado da Educao

    Thiago Mello Peixoto da Silveira

    Superintendncia de Administrao,

    Finanas e Planejamento

    Snia Maria Costa Pierobon

    Gerncia da Merenda Escolar

    Bianka Moraes Jordo Sousa

  • APRESENTAO

    A busca pela qualidade de vida, em se tratando de alimentao representa a

    base de sobrevivncia. Sendo a alimentao um assunto de suma importncia, este deve

    ser explorado desde a infncia, pois nesse perodo que os escolares iro formar seus

    hbitos alimentares, contribuindo para um bom desenvolvimento fsico, psquico e motor.

    O presente Manual espelha bem essa verdade, abordando e incentivando

    prticas de uma alimentao saudvel no ambiente escolar, envolvendo a todos em

    aes multiprofissionais, seja a Nutrio com implementao de cardpios balanceados

    e atrativos com o intuito de suprir no s as necessidades nutricionais, mas tambm a

    boa aceitao por parte dos alunos; o(a) Executor(a) de merenda, na aplicao de Boas

    Prticas Higinico-Sanitrias no momento da preparao da merenda e o(a) Professor(a)

    com o contedo programtico.

    A Gerncia da Merenda Escolar, preocupada com a qualidade de vida e

    Segurana Alimentar dos alunos, promove a alimentao saudvel englobando a

    insero de bons hbitos e cuidados Higinico-Sanitrios, evitando a propagao de

    fatores ocasionais de intoxicaes alimentares e Doenas Crnicas No Transmissveis,

    como Diabetes, Hipertenso e Obesidade, resultantes da transio nutricional. Esta

    caracteriza-se pela passagem de prevalncia da desnutrio para obesidade,

    decorrentes do novo estilo de vida, pontuado por maus hbitos alimentares e

    sedentarismo, enfatizando, portanto, a importncia de uma alimentao adequada.

  • INTRODUO O Programa Nacional de Alimentao Escolar (PNAE), implantado em

    1955, garante, por meio da transferncia de recursos financeiros, a

    alimentao escolar dos alunos de toda a educao bsica (educao infantil,

    ensino fundamental, ensino mdio e educao de jovens e adultos)

    matriculados em escolas pblicas e filantrpicas.

    Seu objetivo atender as necessidades nutricionais dos alunos durante

    sua permanncia em sala de aula, contribuindo para o crescimento, o

    desenvolvimento, a aprendizagem e o rendimento escolar dos estudantes, bem

    como promover a formao de hbitos alimentares saudveis.

    Desde 2003, o Programa tem desenvolvido cooperao com outros

    pases, para o fortalecimento de polticas de alimentao escolar sustentvel,

    diretamente ou por meio da Organizao das Naes Unidas para a

    Alimentao e a Agricultura (ONUAA) e do Programa Mundial de Alimentos

    (PMA), atravs da Agncia Brasileira de Cooperao (ABC/MRE).

    O PNAE apresenta alguns princpios:

    A universalidade: que garante a alimentao escolar gratuita aos alunos

    da rede pblica;

    A equidade: que garante o acesso ao alimento de forma igualitria;

    A sustentabilidade e a continuidade: que visa o acesso regular e

    permanente da alimentao saudvel e adequada;

    Respeito aos hbitos alimentares e as prticas tradicionais;

    Responsabilidade de educao alimentar e nutricional;

    Participao da comunidade.

    As principais metas do Programa, de acordo com o artigo IV da RESOLUO/CD/FNDE N 38, de 16 de julho de 2009, contribuir para o crescimento e desenvolvimento biopsicossocial, a aprendizagem, a reduo dos ndices de evaso escolar, o rendimento escolar e a formao de prticas alimentares saudveis dos alunos, por meio de aes de educao alimentar e nutricional e da oferta de refeies

  • que cubram as suas necessidades nutricionais durante o perodo letivo. Os alunos

    atendidos pelo PNAE, sero segundo o Artigo V, dessa mesma Resoluo, aqueles

    matriculados na educao bsica das redes pblicas federal, estadual, do Distrito

    Federal e municipal, inclusive aqueles localizados em escolas de reas indgenas e de

    reas remanescentes de quilombos, em conformidade com o censo escolar do ano

    anterior ao do atendimento.

    De acordo com a Portaria Interministerial N. 1010, de 8 de maio de 2006,

    destaca os seguintes eixos prioritrios vinculados ao PNAE: aes de educao

    alimentar e nutricional; estmulo produo de hortas escolares; estmulo

    implantao de boas prticas de manipulao de alimentos; restrio ao comrcio e

    promoo comercial de alimentos e preparaes com altos teores de gordura saturada,

    gordura trans, acar livre e sal; incentivo ao consumo de frutas, legumes e verduras e

    monitoramento da situao nutricional dos escolares.

    O Programa ainda apoia o desenvolvimento sustentvel, incentivando a

    agricultura familiar, ou seja, aquisio de alimentos produzidos em mbito local,

    priorizando empreendedores familiares, comunidades tradicionais indgenas, de

    remanescentes de quilombo, e os de assentamento de reforma agrria, conforme o

    Artigo 14, da Lei N 11.947/ 2009.

    De acordo com o Artigo VI, da RESOLUAO/CD/FNDE N 38, de 16 de julho

    de 2009, participa da execuo do PNAE:

    FNDE;

    Entidade Executora (EE), por meio da Secretaria de Estado da Educao;

    Conselho de alimentao escolar (CAE);

    Unidade Executora (UEx).

    Dentre as entidades executoras do Programa, evidencia-se o Conselho de

    Alimentao Escolar (CAE), rgo composto por representantes da sociedade que

    desempenham papel de superviso, acompanhamento e aconselhamento das outras

    entidades executoras, emitindo parecer sobre a execuo e prestao de contas dos

    municpios, estados e Distrito Federal.

  • Para o sucesso do Programa, imprescindvel a atuao das supervisoras e

    executoras de merenda escolar, pois a elas esto confiadas s preparaes, e

    distribuio da alimentao escolar. Alm disso, possuem conhecimento e experincia

    que devem ser reconhecidos no processo de formao de comportamentos

    alimentares.

    Destaca-se, tambm, a importncia de outros profissionais envolvidos na

    formao de hbitos saudveis: Supervisores Tcnicos e Supervisores Especiais da

    Merenda Escolar.

    1 ESTADO DE GOIS

    No estado de Gois so atendidos atualmente 528.562 mil alunos, sendo 1.088

    Unidades Escolares beneficiadas pelo PNAE atravs da Secretaria de Estado da

    Educao de Gois.

    A clientela atendida pelo PNAE e a verba do primeiro repasse do FNDE do ano

    de 2011 pode ser observada na tabela abaixo.

    Clientela Nmero de alunos Valor do repasse

    FUNDAMENTAL 294.037 mil R$ 2.209.214,70

    PNAP 228 mil R$ 1.710,00

    ETI 15.973 mil R$ 119.916,00

  • CONTRA TURNO 5.341mil R$ 40.267,50

    MAIS EDUCAAO 42.059 mil R$ 630.885,00

    PNAC 0 -

    EJA FUNDAMENTAL 12.797 mil R$ 99.666,30

    EJA MEDIO 28.803 mil R$ 232.175,10

    MEDIO 214.751 mil R$ 1.623.207,00

    ENSINO ESPECIAL 983 mil R$ 7.372,50

    ENSINO PRISIONAL 744 mil R$ 5.467,20

    TOTAL 615.716 mil R$ 4.969.881,30

    J os valores encontrados na tabela abaixo se referem ao repasse que

    realizado por clientela por dia que feito pelo FNDE e pelo Tesouro Estadual TE.

    Clientela Repasse FNDE Repasse TE

    PNAQ 0,60 0,14

    PNAI 0,60 0,14

    MAIS EDUCAO 0,90 0,14

    ETI - 1,00

    PNAE 0,30 0,14

  • 2 ALIMENTAO SAUDVEL

    Entende-se que o alimento fornece a energia e os nutrientes necessrios para

    formao de inmeras substncias que so fundamentais para o crescimento e

    sobrevivncia dos seres vivos. Quando se trata de alimentao, fundamental lembrar

    que a diversidade dos alimentos imprescindvel, devendo oferecer alimentos de alto

    valor nutritivo, fornecendo gua, carboidratos, protenas, lipdios, vitaminas, fibras e

    minerais.4

    A prtica alimentar saudvel deve priorizar alguns atributos bsicos, tais como:

    Acessibilidade fsica e financeira;

    Sabor;

    Cores variadas dos alimentos;

    Segurana do ponto de vista higinico-sanitria.

    Segundo o Guia Alimentar para a populao brasileira, 2005:

    A natureza e a qualidade daquilo que se come e se bebe de

    importncia fundamental para a sade e para as possibilidades de se

    desfrutar todas as fases da vida de forma produtiva, ativa, longa e

    saudvel.

    durante o perodo escolar, que a populao infantil ir formar hbitos

    alimentares de maneira gradual e se desenvolver nas reas social, cognitiva e

    emocional. As prticas alimentares inadequadas j adquiridas devem ser sempre

    corrigidas respeitando os valores culturais e sociais.

    Cerca de 1/3 da populao mundial no atinge seu potencial intelectual e de

    crescimento devido deficincia crnica de vitaminas e minerais. As deficincias

    nutricionais mais comuns so as de ferro, vitamina A e iodo. Quando crnicas e graves,

    resultam em anemia, cegueira e cretinismo, respectivamente. Porm, atualmente sabe-

    se que mesmo a deficincia moderada pode ter efeitos negativos: a deficincia de ferro

    prejudica o desenvolvimento intelectual de crianas; a vitamina A compromete o

  • sistema imunolgico e a deficincia de iodo causa o nascimento de bebs mentalmente

    prejudicados.

    Ainda no contexto da alimentao saudvel, possvel visualizar abaixo uma

    figura conhecida como Pirmide Alimentar, que serve para exemplificar populao,

    quais alimentos devem ter seu consumo aumentado durante o dia

Recommended

View more >