manual epis

Download Manual EPIs

If you can't read please download the document

Upload: bruno

Post on 20-Jun-2015

1.626 views

Category:

Documents


5 download

TRANSCRIPT

MANUAL D E

E P I'

5

Tetem C iq elular

E ; ,Telem Celular iq

M A N U A L D E E Q U IP A M E N T O D E P R O T E O IN D IV ID U A L

SUM ARIO1. APRESENTAAO........................................ 3 2. DEFINIAO DE EPI.................................... 4 3. OBJETIVO DOS EPI's.................................. 4 4. CONSIDERAOES GERAIS.......................... 4 5. CERTIFICADOS.......................................... 5 6. COMPETENCIA.......................................... 5 7. OBRIGAOES............................................ 6 a)IMPLICAOES QUANTO AO NAO USO......... 10 b)RELAO E DESCRIO DOS EPI'S............. 11 10. TABELA DE EPICARGO............................ 25 X,..., ,..., ,..., ,..., ,..., ,...,

,

,...

ELABORAO:

SETOR DE SEGURANA E SADE

DATA:

REVISomATA:

Julho/2004

00/00

PG.2

E ; ,Telem Celular iq

M A N U A L D E E Q U IP A M E N T O D E P R O T E O IN D IV ID U A L

1. APRESENTAAO:

-

O objetivo deste m anual, elaborado pelo Seto Segurana e Sade assegurar a correta utilizao conservao dos equipam entos de proteo indivi EPI's, necessrios s atividades exercidas.

A s inform aes, objeto deste m anual, esto previs na Portaria 3.214/78 - N orm a R egulam entadora-N R C abe ressaltar a im portncia deste m anual, principalm ente aos tens correspondentes c utilizao e conservao e as sanes previstas apenas do ponto de vista obrigatrio e punitivo principalm ente de danos sade e integridade fsi em pregado.

ELABORAO:

SETOR DE SEGURANA E SADE

DATA:

REVISomATA:

Julho/2004

00/00

PG.3

E ; ,Telem Celular iq

M A N U A L D E E Q U IP A M E N T O D E PR O T E O IN D IV ID U A L

- DE EPI: 2. DEFINIAOE todo dispositivo ou produto, de uso individual utilizado pelo trabalhador, destinado proteo de riscos suscetveis de ameaar a segurana e a sade no trabalho.r

Os equipamentos de proteo individual no evitam acidentes. Os EPI'S tem a funo de proteger o usurio das leses quando da ocorrncia de acidentes de trabalho e das doenas ocupacionais.

3. OBJETIVO DO EQUIPAM ENTO DE PROTEAO INDIVIDUAL - EPI.

4. CONSIDERAOES GERAIS:A adoo dos equipamentos de proteo individual somente ser realizada, pela Telemig Celular, nas seguintes circunstncias: Sempre que as medidas de proteo coletiva no oferecerem completa proteo contra os riscos de acidentes do trabal ho ou de doenas profissionais; Enquanto as medidas de proteo coletiva estiverem sendo implantadas; Para atender a situaes de emergncia.ELABORAO:

-

SETOR DE SEGURANA E SADE

DATA:

REVISomATA:

Julho/2004

00/00

PG.4

E ; ,Telem Celular iq

M A N U A L D E E Q U IP A M E N T O D E PR O T E O IN D IV ID U A L

E um certificado expedido pelo Ministrio do Trabalho e emprego, que comprova a eficincia do equipamento proteo oferecida. Portanto, todo EPI de obrigatoriamente, possuir o C.A.

- : C.A. - CERTIFICADO DE APROVAAOr

5. CERTIFICADOS:

CRF - CERTIFICADO DE REGISTRO DE FABRICANTE:E um certificado expedido pelo Ministrio do Trabalho e emprego, com o objetivo de cadastrar os fabricantes de equipamentos de proteo individual.r

E um certificado expedido pelo Ministrio do Trabalho e emprego, que regula a importao de equipamentos de proteo individual.

CRI - CERTIFICADO DE REGISTRO DE IM PORTAAO:r

6. COM PETENCIA:A

Compete ao Setor de Segurana e Sade: Indicar o EPI adequado ao risco existente em cada atividade; Elaborar e fornecer o catlogo de distribuio de EPI's por cargo/setor.ELABORAO:

SETOR DE SEGURANA E SADE

DATA:

REVISomATA:

Julho/2004

00/00

PG.5

E ; ,Telem Celular iq

M A N U A L D E E Q U IP A M E N T O D E P R O T E O IN D IV ID U A L

7. OBRIGAOES:Cabe Telemig Celular:a)

Adquirir o EPI adequado ao risco de cada atividade, de acordo com o catlogo de distribui cargo/atividade (Anexo I) elaborado pelo Seto Segurana e Sade;

b) O rientar e treinar os usurios sobre o uso adequado, guarda, conservao, higienizao e tro dos EPI's ,

ELABORAO:

SETOR DE SEGURANA E SADE

DATA:

REVISomATA:

Julho/2004

00/00

PG.6

E ; ,Telem Celular iq

M A N U A L D E E Q U IP A M E N T O D E PR O T E O IN D IV ID U A L

c) Substituir imediatamente quando danificado ou extraviado;

d)

Exigir o seu uso de forma correta no sentido de proteger adequadamente o usurio em caso de acidentes; Fornecer ao trabalhador, gratuitamente, somente EPI aprovado pelo Ministrio do Trabalho;

e)

ELABORAO:

SETOR DE SEGURANA E SADE

DATA:

REVISomATA:

Julho/2004

00/00

PG.7

E ; ,Telem Celular iq

M A N U A L D E E Q U IP A M E N T O D E PR O T E O IN D IV ID U A L

f) Responsabilizar-se pela higienizao e manuteno peridica; g) Comunicar ao MTE (Ministrio do Trabalho e emprego) qualquer irregularidade observada no EPI.

Cabe ao empregado quanto ao EPI:a) Utilizar o EPI apenas para a finalidade a que se destina durante a jornada de trabalho, de acordo com a natureza das atividades desenvolvidas, bem como dos fatores de riscos existentes; b) Receber os EPI's recomendados e assinar a ficha de controle individual; c) Responsabilizar-se pela guarda e conservao;

d) Cumprir as determinaes do Servio de Segurana e Sade sobre o uso adequado, guarda e conservao dos equipamentos de proteo;ELABORAO:

SETOR DE SEGURANA E SADE

DATA:

REVISomATA:

Julho/2004

00/00

PG.8

E ; ,Telem Celular iq

M A N U A L D E E Q U IP A M E N T O D E P R O T E O IN D IV ID U A L

e) Com unicar ao Coordenador/Supervisor im ediato

Setor de Segurana e Sade da Telem ig Celular, qua condio que o torne im prprio para uso; f) Solicitar ao Coordenador/Supervisor a requisio efetuar a troca do EPI danificado e ou sem condi uso, devolvendo o equipam ento usado;

g) O em pregado que, por dolo, extraviar, danificar ou a o EPI sob sua responsabilidade, fica obrigad reem bolsar a em presa o seu valor, apurado na oc do evento, sem prejuzo de outras punies; h) No caso de desligam ento definitivo do em pregad EPI's utilizados devero ser devolvidos ao Seto Segurana e Sade.

ELABORAO:

SETOR DE SEGURANA E SADE

DATA:

REVISomATA:

Julho/2004

00/00

PG.9

E ; ,Telem Celular iq

M A N U A L D E E Q U IP A M E N T O D E P R O T E O IN D IV ID U A L

- QUANTO AO NAO USO 8. IMPLICAOESOU UTILIZAAO INCORRETA:

A om isso ou recusa, sem justificativa, do em prega usar os EPI's fornecidos pela em presa im portar e passvel de punio prevista em lei. C abe ao G erente/Coordenador orientar, tornar obriga uso e tom ar as aes punitivas, em caso da no util dos EPI's pelos em pregados.

ELABORAO:

SETOR DE SEGURANA E SADE

DATA:

REVISomATA:

Julho/2004

00/00

PG.10

a)

E ; ,Telemiq Celular Telemiq Celular

MANUAL DE EQUIPAMENTO DE PROTEO MANUAL DE EQUIPAMENTO DE PROTEO INDIVIDUAL INDIVIDUAL

EPI 9. RELAO E UEDISTA. DESCRIO DOS EPI's EPICAPACETE DESEGURANAEspecificaco:Capacete de segurana v-gard, tipo aba total, injetados em plstico e compostos de suspenso staz-on (carneira injetada em plstico, com pea absorvente de suor em espuma de polister e coroa composta de duas cintas cruzadas montadas em quatro clips de plstico e fixadas com uma costura).

CINTO DE SEG. TIPO PARA

CA - 498

~r.lentlg Cluur

Aplicaco:Proteo da cabea do usurio contra impactos e perfuraes provenientes da queda de objetos e riscos associados ao trabalho com alta voltagem.

Como utilizar corretamente: A suspenso dever estar posicionada a uma distncia de 40 mm em relao ao casco do capacete. A suspenso dever estar adequadamente presa ao capacete e estar ajustada cabea do empregado. Nunca coloque ou carregue objetos entre a suspenso e o casco ou entre a suspenso e a sua cabea. Este espao necessrio quando o conjunto casco/suspenso absorve a fora do impacto. Nos servios em torres obrigatrio o uso da a jugular devidamente ajustada sob o queixo.

Cuidados necessrios:Todos os componentes (casco, suspenso, jugular, etc.) devero sofrer inspeo visual, antes do seu uso, para verificar se h sinais de trincas, penetrao ou outra danificao qualquer resultante de impacto, ou desgaste que possa reduzir o grau de segurana original. Qualquer capacete de segurana que requeira substituio total ou parcial ou de qualquer parte gasta, danificada ou defeituosa, dever ser removido do servio at que a condio de uso seja restituda. No use tintas, solventes, produtos qumicos, gasolina ou substncias similares para limpar o capacete. Estas substncias podem destruir a resistncia ao impacto e outras propriedades mecnicas do equipamento.

ELABORAO:

SETOR DE SEGURANA E SADE

DATA:

REVISomATA:

Julho/2004

00/00

PG.11

CA - 11621Especificaco:Cinturo tipo pra-quedista com cinturo abdominal, tiras do cinturo abdominal e das pernas em poliamida. Cinturo abdominal e perneiras almofadadas com espuma de polister. Pontos de ancoragem frontal, umbilical para resgate, dorsal e lateral. Fivelas automticas e com dupla trava de segurana em duralumnio e ao inoxidvel para fechamento do cinturo abdominal e das pernas. Argola em ao inoxidvel para afixao do trava quedas no ponto de ancoragem dorsal.

Aplicaco:Proteo do usurio em caso de queda, nos trabalhos em altura, em torres de telecomunica o.

Como utilizar corretamente:Antes de cada uso, o usurio deve certificar-se que: Todas as fitas de nylon estejam perfeitas, sem cortes, furos, rupturas, partes queimadas, desfiamentos, mesmo que parciais. Todos os pontos de costura estejam perfeitos, sem desfiamentos ou descosturados. Todos os componentes metlicos estejam sem ferrugem, amassados ou danificados. No h suspeita de contaminao por produtos qumicos. Importante:o cinturo no dever ser utilizado quando houver constatao de ual uer roblema na ins e o.

Cuidados necessrios:

Armazen-lo: em local seco, sombra, sem contato com piso de cimento, fontes de calor, produtos qumicos, abrasivos ou cortantes. Teoricamente, a vida til do cinturo no pode ser preestabelecida, dependendo muito da freqncia e cuidados durante o uso, grau de exposio a produtos umicos, elementos abrasivos e luz solar.

ELABORAO:

SETOR DE SEGURANA E SADE

DATA:

REVISomATA:

Julho/2004

00/00

PG.12

E ; ,Telemiq Celular

MANUAL DE EQUIPAMENTO DE PROTEO INDIVIDUAL

EPI

TALABARTE DE SEGURAM :4Especificaco:

CA - 11260

Talabarte em Y, com fita de polister, com 23 mm de largura e resistncia esttica superior a 100 DaN, com absorvedor de energia em uma das pontas. Contm 3 mosquetes modelo N-S01 e 01 mosqueto modelo GS20. O mosqueto modelo N-S01 apresenta resistncia superior a 220 DaN. Enquanto que o GS20 apresenta resistncia superior a 2200 DaN.

Absorvedor de Energia:O princpio de funcionamento do absorvedor de energia baseia-se no rompimento dos pontos de costura de uma fita de nylon com o valor de 6 kn, ou seja, no momento da reteno de uma queda, havendo ancoragem crtica, o absorvedor vai rompendo sua costura de forma a garantir que a fora aplicada ao trabalhador no ultrapasse a 6 kn.

Aplicaco:Proteo do usurio em caso de queda nos trabalhos em altura, em torres de telecomunica o.

Como utilizar corretamente:Antes do uso, o usurio deve certificar-se que: Todas as fitas de nylon estejam perfeitas, sem cortes, furos, rupturas, partes queimadas, desfiamentos, mesmo que parciais; Todos os pontos de costura estejam perfeitos, sem desfiamentos ou descosturados; Todos os componentes metlicos estejam sem ferrugem, amassados ou danificados; No h suspeita de contaminao por produtos qumicos Ateno: Jamais retire ou viole o absorvedor de energia do seu cinto de segurana.

Cuidados necessrios: Os cintos e seus acessrios devem sofrer inspeo de pr-uso e serem vistoriados constantemente e, caso seja notado algum sinal de insegurana em alguma parte de seus componentes estes no podero ser usados, devendo ser substitudos ou sofrer manuteno. Durante a utilizao do Talabarte verifique se o mesmo no est em contato com partes cortantes da torre, situao que pode comprometer a condio de uso do e ui amento e causar acidentes raves.DATA: REVISomATA:

ELABORAO:

SETOR DE SEGURANA E SADE

Julho/2004

00/00

PG.13

E ; ,Telem Celular iq

M A N U A L D E E Q U IP A M E N T O D E P R O T E O IN D IV ID U A L

EPI

DISPOSITIVO TRA VA UEDASEspecificaco:

CA - 7025

Trava quedas em ao inox para cabo de ao de 8 mm de dimetro, sistema duplo de travamento, mola de posicionamento com talabarte e mosqueto de trava dupla acoplado na ponta.

Aplicaco:Trabalhos a serem executados com deslocamento vertical onde ha'a riscos de uedas.

Como utilizar corretamente:Todos os Trava-quedas devem ser utilizados, obrigatoriamente, com cinto de segurana tipo pra-quedista. A ligao do aparelho ao cinto (talabarte) deve ser, obrigatoriamente, nas costas (dorsal) ou peito (frontal). Antes de usar o cinto no se esquea de testar o aparelho. Para isso: c) Coloque o aparelho com cinto no cabo vertical. d) Puxe o cinto para cima at que o aparelho desloque-se alguns centmetros para cima. e) S use o aparelho aps constatar que o mesmo trava-se imediatamente no cabo vertical aps o cinto deixar de ser puxado para cima. Nota: Cada aparelho deve proteger uma s pessoa. O cabo de ligao entre a pessoa e o aparelho (talabarte) constitudo de dois mosquetes e no mximo seis elos de corrente.

Cuidados necessrios:Inspeo de pr-uso: Os Trava-quedas no devem ter rebites frouxos, peas gastas, tortas ou de aparncia duvidosa. Nota: inutilizar o aparelho que apresentar algum dos problemas acima. Manuteno: Manter os Trava-quedas limpos, afastados de produtos qumicos nocivos ao ao inox e protegidos das intempries em local seco. Os aparelhos podero ficar mergulhados em solventes para limpeza e ter seus eixos lubrificados com leo tipo "mquina de costura", para voltar a ter perfeita mobilidade. Os trava-quedas, sem o mosqueto, devem apresentar perfeita mobilidade das alavancas, isto , movendo totalmente as alavancas para cima, elas devem retornar totalmente e rapidamente sua posio original. Nota: havendo problema de mobilidade, verificar orientao em Manuteno.

ELABORAO:

SETOR DE SEGURANA E SADE

DATA:

REVISomATA:

Julho/2004

00/00

PG.14

E ; ,Telemiq Celular

MANUAL DE EQUIPAMENTO DE PROTEO INDIVIDUAL

EPI

LUVA DE VA UETAEspecificaco:

CA - 9998

Luva de proteo confeccionada em vaqueta, com tira de reforo externo em vaqueta entre o polegar e o indicador, reforo interno na palma, elstico para ajuste no dorso.

Aplicaco:Proteo das mos do usurio contra agentes abrasivos, escoriantes e riscos mecnicos leves, ideais para trabalhos que requeiram tato.

Como utilizar corretamente: Certifique-se que suas mos estejam limpas e secas antes de calar as luvas. No usar se estiver molhada, ou se seu interior estiver sujo.

Cuidados necessrios: No deixe suas luvas jogadas em qualquer lugar, impregnadas de substncias agressivas e expostas a intempries. Ao final das atividades guarde-a em local adequado. No reutilize luvas que estejam rasgadas ou de alguma forma danificadas. Ao final das atividades guarde-a em local adequado, distante de umidade.

ELABORAO:

SETOR DE SEGURANA E SADE

DATA:

REVISomATA:

Julho/2004

00/00

PG.15

...-;, INDIVIDUALTelemiq Celular

MANUAL DE EQUIPAMENTO DE PROTEO

EPI

I '. .....: -

LUVA NITRILICAEspecificaco:

CA - 10146

Luva de segurana, confeccionada em borracha nitrlica verde, c1orinada, palma antiderrapante alto relevo, forma anatmica.

Aplicaco:Proteo das mos do usurio do contato de produtos qumicos, tais como: leo Diesel, manuseio de baterias ; e produtos qumicos em geral. ,

Como utilizar corretamente:

Certifique-se que suas mos estejam limpas e secas antes de calar as luvas. Dobre os punhos, isto evita que produtos qumicos escorram para os braos. Lave as luvas antes de retir-Ias e seque-as com um pano. Retire a luva sem tocar em sua superfcie externa, vire o punho e puxe a luva tirandoa do avesso. Lave as mos aps retirar as luvas. Certifique-se que o interior das luvas est seco antes de reutiliz-Ias. No reutilize luvas que estejam rasgadas ou de alguma forma danificadas. No deixe suas luvas jogadas em qualquer lugar, impregnadas de substncias agressivas e expostas a intempries. Ao final das atividades guarde-a em local adequado.

,~I S..... .:.. . . . , - '\I

Cuidados necessrios:

ELABORAO:

SETOR DE SEGURANA E SADE

DATA:

REVISomATA:

Julho/2004

00/00

PG.16

E ; ,Telemiq Celular

MANUAL DE EQUIPAMENTO DE PROTEO INDIVIDUAL

EPI

LUVA DE SEG. ALTA TENSAO 20 KVEspecificaco:120-02.

-

CA - 1383

Luvas confeccionadas em borracha de alta resistncia, de acordo com a norma ANSIj ASTM D Quando corretamente utilizada oferece proteo contra choques eltricos, queimaduras e leses srias, necessitando para seu melhor aproveitamento uma Luva de cobertura confeccionada em vaqueta.

Aplicaco:

Nos trabalhos em que haja riscos de choque eltrico.

Como utilizar corretamente: As luvas isolantes de borracha devem ser usadas sempre com luvas protetoras de couro, sendo que ambas devem ser inspecionadas antes da utilizao. Certifique-se que suas mos estejam limpas e secas antes de calar as luvas. Nunca utilize anis, relgios e objetos afiados quando do uso das luvas de borracha.

Cuidados necessrios: As luvas devem ser inspecionadas visualmente antes da utilizao. A inspeo deve incluir o interior e a superfcie externa; As luvas podem ser danificadas por produtos qumicos, especialmente a base de petrleo, como leos, gasolina, fluido hidrulico, inibidores, se houver contato com esses ou outros produtos, a luva deve ser limpa imediatamente, usando-se um sabonete neutro, depois de lavadas, devem ser enxaguadas minuciosamente com gua limpa e secas ao ar; Se algum sinal de dano fsico ou deteriorao for observado, como inchamento, amolecimento, endurecimento, pegajosidade, deteriorao por ao de oznio ou luz solar, no devero ser utilizadas; As luvas devem ser armazenadas na embalagem protetora quando no estiverem sendo utilizadas e afastadas da irradiao de qualquer fonte de calor; Para aumentar a vida til do equipamento e evitar a deteriorao precoce do material, guardar em local protegido de substncias agressivas e intempries.

ELABORAO:

SETOR DE SEGURANA E SADE

DATA:

REVISomATA:

Julho/2004

00/00

PG.17

E ; ,Telemiq Celular

MANUAL DE EQUIPAMENTO DE PROTEO INDIVIDUAL

EPI

LUVA DE COBERTURA (ALTA TENSO)Especificaco:

CA - 8880

Luva de segurana, confeccionada em vaqueta na palma, dorso e dedos, com tira de ajuste no dorso, com fechamento em fivela de plstico, punho em raspa.

Aplicaco:Proteo das mos do usurio contra agentes abrasivos e escoriantes, devendo ser usada como Luva de cobertura para trabalhos com alta tenso.

Como utilizar corretamente: Certifique-se que suas mos estejam limpas e secas antes de calar as luvas. No usar se estiver molhada, ou se seu interior estiver sujo.

Cuidados necessrios:As luvas devem ser inspecionadas visualmente antes da utilizao. A inspeo deve incluir o interior e a superfcie externa; No deixe suas luvas jogadas em qualquer lugar, impregnadas de substncias agressivas e expostas a intempries. Ao final das atividades guarde-a em local adequado. No reutilize luvas que estejam rasgadas ou de alguma forma danificadas. Ao final das atividades guarde-a em local adequado, distante de umidade.

ELABORAO:

SETOR DE SEGURANA E SADE

DATA:

REVISomATA:

Julho/2004

00/00

PG.18

E ; ,Telemiq Celular

M A N U A L D E E Q U IP A M E N T O D E P R O T E O IN D IV ID U A L

EPI

OCULOS AMPLA VISAO

-

Especificaco:

CA - 8034

culos de segurana, modelo ampla-viso, constitudo de armao confeccionada em uma nica pea de material plstico transparente, com sistema de ventilao indireta composto de dezenove fendas localizadas nas bordas, tirante elstico para ajuste face do usurio e visor de policarbonato incolor.

Aplicaco:Proteo dos olhos do usurio contra impactos de partculas volantes multidirecionais.

Como utilizar corretamente: Ajuste-o adequadamente ao rosto, evitando deixar aberturas que possam permitir a entrada de cor os estranhos, causando um acidente. Para a limpeza das lentes lave com gua e sabo e enxge em gua limpa. No caso de uso de gua e sabo deixe secar no ar ou use leno de papel macio. No use amnia, solues alcalinas, solventes, etc. No coloc-los sobre qualquer superfcie deixando que as lentes tenham contato com a mesma. No deix-los prximo a fontes de calor. No deix-los em locais onde possam receber respingos de leo, graxa ou qualquer outro produto qumico. Nunca o guarde em bolsos traseiros.

Cuidados necessrios:

ELABORAO:

SETOR DE SEGURANA E SADE

DATA:

REVISomATA:

Julho/2004

00/00

PG.19

E ; ,Telem Celular iq

M A N U A L D E E Q U IP A M E N T O D E P R O T E O IN D IV ID U A L

EPI

OCULOS DE SEGURAM :4Especificaco:

CA - 8030

culos de segurana, constitudo de arco de plstico preto com trs pinos (um central e dois nas extremidades) para o encaixe de um visar de policarbonato verde, com proteo lateral na mesma pea. As hastes so confeccionadas do mesmo material do arco e possuem tamanho regulvel.

Aplicaco:Proteo dos olhos do usurio contra impactos de partculas volantes multidirecionais e proteo filtro de luz.

Como utilizar corretamente:Ajuste-o adequadamente ao rosto, evitando deixar aberturas que possam permitir a entrada de cor os estranhos, causando um acidente.

Cuidados necessrios: Ao coloc-lo ou tir-lo do rosto segure-os sempre nas duas hastes. Para a limpeza das lentes lave com gua e sabo e enxge em gua limpa. No caso de uso de gua e sabo deixe secar no ar ou use leno de papel macio. No use amnia, solues alcalinas, solventes, etc. No coloc-los sobre qualquer superfcie deixando que as lentes tenham contato com a mesma. No deix-los prximo a fontes de calor. No deix-los em locais onde possam receber respingos de leo, graxa ou qualquer outro produto qumico. Nunca o guarde em bolsos traseiros.

ELABORAO:

SETOR DE SEGURANA E SADE

DATA:

REVISomATA:

Julho/2004

00/00

PG.20

b)

E ; ,Telemiq Celular

MANUAL D EQUIPAMENTO O D E P R O T E M A N U A LDEE E Q U IP A M E N T DE PROTEO O IN D IV ID U A L INDIVIDUAL

EPI EPI

CAL AVENTAL TYVEK ~ ~DO DE SEGURAM Especificaco: Especificaco:

CA -- 10395 CA 12232

I

Avental de segurana, confeccionado amarrar, Calado de segurana, em couro, de em no tecido de acolchoado, sistemadensidade com colarinho polietileno de alta Strobel, solado tratamento antiesttico tyvek 1422A. em poliuretano bidensidade, isolante eltrico, Biqueira frontal em material resinado termoconformado com espessura mnima de 1,3 mm de alta resistncia mecnica e trmica para maior conforto e proteo do usurio em reas onde h influncia de eletricidade.

Aplicaco:Proteo dos ps do usurio, devendo ser utilizada obrigatoriamente nos trabalhos de cam o.

Como utilizar corretamente:Por se tratar de um calado de fabricao rstica procure sempre fazer uso de meias de ai odo.

Cuidados necessrios: Mantenha seu calado sempre limpo, antes de subir em torres certifique-se que o soldado no esteja impregnado de leo ou graxa. A fim de conservar a maciez e a resistncia do couro, remova periodicamente a sujeira acumulada com pano levemente mido, aguardar a secagem e aplicar produto de engraxe. Jamais secar ou armazenar o calado prximo a fontes de calor e nem to pouco ao sol. Altas temperaturas e tentativas de acelerar a secagem afetam negativamente o couro, endurecendo-o e favorecendo sua quebra devido perda de flexibilidade e elasticidade. O certo que o calado seja seco temperatura ambiente e sombra. Ao armazenar o calado, faa-o em lugar arejado, sem incidncia de calor e livre de umidade.

ELABORAO:

SETOR DE SEGURANA E SADE

DATA:

REVISomATA:

Julho/2004

00/00

PG.21

r:.

l ~;

: . :.......

~~i ~~ ; .

Aplicaco:

. ~". : . \ .. .'

Proteo do usurio em operaes em que exista risco de contaminao com solues umicas l uidas, txicas ou aler nicas e artculas secas e midas.

Como utilizar corretamente: A roupa de proteo qumica evita que o usurio que lida com agentes qumicos em seu trabalho, adquira doenas ocupacionais relacionadas com a pele. A roupa dever ser utilizada toda vez que houver contato com estes agentes. A utilizao de camiseta e cala de algodo por baixo da vestimenta Tyvek melhora a performance do produto, com maior absoro de suor, melhorando o conforto do trabalhador com relao ao calor. No deve ser usado prximo do calor, fogo, fascas ou em ambientes potencialmente inflamveis ou explosivos, pois derreter. No utilize a vestimenta se apresentar defeitos de fabricao. No caso de problemas com zper, costuras ou outras imperfeies, providencie a troca do equipamento. No deixe o equipamento junto a materiais que possam danific-lo, como produtos qumicos, materiais cortantes e perfurantes, etc. No reutilize o macaco ue esteja rasgado ou de alguma forma danificado.

Cuidados necessrios:

ELABORAO:

SETOR DE SEGURANA E SADE

DATA:

REVISomATA:

Julho/2004

00/00

PG.22

E ; ,Telemiq Celular

M A N U A L D E E Q U IP A M E N T O D E P R O T E O IN D IV ID U A L

EPI

PERNEIRAEspecificaco:

CA - 2233

Perneira confeccionada em trevira, com cinco lminas de ao embutidas na frente, fechamento atravs de solda eletrnica.

Aplicaco:Proteo contra risco proveniente de picadas de animais peonhentos.

Como utilizar corretamente:

Cuidados necessrios: A s o uso, caso necessrio, fa a a Iim amento, antes de uard-lo,

Utilize o equipamento antes de entrar em rea de risco e somente as retire aps o trmino da atividade.

ELABORAO:

SETOR DE SEGURANA E SADE

DATA:

REVISomATA:

Julho/2004

00/00

PG.23

E ; ,Telem Celular iq

MANUAL DE EQUIPAMENTO DE PROTEO INDIVIDUAL

EPI

PROTETOR AURICULAR TIPO CONCHAEspecificaco:

CA - 7441

Protetor auditivo circum-auricular constitudo por 2 conchas em plstico, resistente a choque mecnico, revestidas com almofadas de espuma em sua laterais (que entram em contato com a cabea do usurio) e no interior das conchas possui tambm um arco que serve para manter as conchas firmemente seladas contra a regio das orelhas do usurio.

Aplicaco:Deve ser utilizado em situaes onde o nvel de rudo elevado e em reas onde o seu uso obrigatrio (Grupo Moto Gerador).

Como utilizar corretamente: Alinhe a altura das conchas de acordo com o tamanho de sua cabea, de modo que as conchas cubram completamente o ouvido. Retire o excesso de cabelo que estiver entre o abafador e o ouvido. Certifique-se de que a vedao satisfatria, sem a interferncia de objetos como elstico de respiradores ou armao de culos, de modo a obter melhor desempenho. As conchas devem ficar alinhadas verticalmente de modo a proporcionar a melhor vedao. Nunca utilize com as conchas viradas para trs. Mantenha o protetor auricular sempre limpo e em condies de uso. No manusear com as mos sujas, o equipamento no deve ter contato com lcool ou outros solventes qumicos.

Cuidados necessrios:

ELABORAO:

SETOR DE SEGURANA E SADE

DATA:

REVISomATA:

Julho/2004

00/00

PG.24

...-;, INDIVIDUALTelemiq Celular

MANUAL DE EQUIPAMENTO DE PROTEO

EPI

CAPA DE CHUVAEspecificaco:

CA - 5309

Capa de segurana com capuz, confeccionada em tela de polister revestida de pvc em ambas as faces, de diferentes gramaturas, ou em tecido de polister (pvc forrado) revestido de pvc em uma face. Fechamento frontal.

Aplicaco:Proteo dos membros superiores e inferiores usurio contra intempries (chuva).

Como utilizar corretamente: Feche toda a parte frontal e sempre faa uso do capuz. Leve sempre a capa de chuva juntamente com outros equipamentos.

Cuidados necessrios: Aps o uso deixa-a secar antes de guardar. No deixe o equipamento junto a materiais que possam danific-lo, como produtos qumicos, materiais cortantes e perfurantes, etc.

ELABORAO:

SETOR DE SEGURANA E SADE

DATA:

REVISomATA:

Julho/2004

00/00

PG.25

Telemia Celular

-=:-s

M A N U A L D E E Q U IP A M E N T O D E P R O T E O IN D IV ID U A L

A N E X O I: A N E X O I:CARGO Tcnico de Telecomunicaes CARGO

CATLO G O: EPI CARG O xEPI's INDICADOS I NO CATLOGO:01, 02, 03, 04, O S,09, lO , 12, 13, 14.

EPI CARGO X NO01 NO 02 01 03 04 02 05 03 06 04 07 05 08 06 09 07 10 08 11 09 12 10 13 11 14 12 15

EPI

DURAB. MEDIA5 anos DURAB. MEDIA 2 anos 5 anos anos 2 2 anos 2 anos 3 meses 2 anos 3 meses 2 anos 1 ano 3 meses 6 meses 3 meses meses 6 1 meses 6 ano 6 meses 6 meses 6 meses 2 anos 6 meses 2 anos 6 meses 1 ano 2 ano 1 anos

Engenheiro de Telecomunicaes

EPI's INDICADOS I NO 01, 02, 03, 04, OS, 06, 07, 08, 09, lO, 11, 12, 13, 14.

Perneira 13 2 anos IMPORTANTE: Protetor auricular tipo concha 14 1 ano f) Cabe ao Setor de Segurana e Sade, especificar outros EPI's em caso de necessidade em atividades especiais ou mudana de Capa de chuva 15 1 ano processo. IMPORTANTE: g) Os EPI's indicados sero utilizados conforme a necessidade da execuo das tarefas. l) Cabe ao Servio de Segurana e Sade, especificar outros EPI's em caso de necessidade em atividades especiais ou mudana h) A vida til do EPI depender dos cuidados do usurio, tempo de uso, concentraes dos agentes agressivos, locais de de processo. armazenamento, manuteno peridica e recomendaes especficas do fabricante. m) Os EPI's indicados sero utilizados conforme a necessidade da execuo das tarefas. i) A Superviso de rea responsvel: n) A vida til do EPI depender dos cuidados do usurio, tempo de uso, concentraes dos agentes agressivos, locais de j) Pela requisio, distribuio e registro dos EPI's entregues aos funcionrios. armazenamento, manuteno peridica e recomendaes especficas do fabricante. k) Pela orientao e acompanhamento quanto utilizao dos EPI's em sua rea de atuao. o) A Superviso de rea responsvel: p) Pela requisio, distribuio e registro dos EPI's entregues aos funcionrios. q) Pela orientao e acompanhamento quanto utilizao dos EPI's em sua rea de atuao.

Capacete de segurana EPI Cinto de sequranca tipo ora-ouedista Capacete de segurana Talabarte Trava quedas Cinto de sequrancatipo pra-ouedista Luva de vaqueta Talabarte Luva nitrlica Trava quedas Luvas de eletricista (alta tenso 20 kv) Luva de vaqueta Luva de Cobertura em vaqueta Luva nitrlica Oculos de sequranca amplaviso Luvas de eletricista (alta tenso - 20 kv) Oculos de seouranca contra impacto Luva de Cobertura em vacueta Botina para eletricista Oculos de segurana amplaviso Avental de Tvvek Oculos de sequrancacontra impacto Perneira Botina para eletricista Protetor auricular tipo concha Avental Tvvek Capa de chuva

ELABORAO:

DATA:

REVISomATA:

SETOR DE SEGURANA E SADE

Julho/2004

00/00

PG.27 PG.26