manual do orçamento participativo de maputo

Download Manual do Orçamento Participativo de Maputo

Post on 08-Jan-2017

241 views

Category:

Documents

6 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • MANUAL METODOLGICO

    ORAMENTO PARTICIPATIVO DE MAPUTO

    MUNICPIO DE MAPUTO CONSELHO MUNICIPAL

    JULHO DE 2015

    ORAMENTO PARTICIPATIVO DE MAPUTOPOR MEU BAIRRO PARTICIPO

    ASSISTNCIA TCNICA

  • FICHA TCNICA

    TTULO:

    Oramento Participativo de MAPUTO Manual

    Metodolgico

    PROJECTO:

    Oramentos Participativos para a Melhoria da

    Governao Municipal - Moambique

    ENTIDADE EXECUTORA:

    Associao In Loco

    AUTOR:

    Nelson Dias

    APOIO:

    Vnia Martins

    FINANCIADOR:

    Banco Mundial / DFID

    DATA:

    Julho de 2015

  • Introduo

    1. OBJECTIVOS

    2. CARACTERIZAO DO MUNICPIO DE MAPUTO

    3. ESTRUTURA ORGNICA DO CMM

    4. MECANISMOS DE GESTO DEMOCRTICA EM CURSO

    5. QUADRO ORAMENTAL DO CMM

    6. ENQUADRAMENTO DA 6 EDIO DO OP

    6.1 Processo de Formulao da MetodologiaDas lies

    6.2 reas de Competncia do Municpio (menu de investimentos)

    6.3 Arranjo Institucional e Responsabilidades na Gesto do Processo

    7. CICLOS DO ORAMENTO PARTICIPATIVO

    7.1 Ciclo de Definio Oramental

    7.2 Ciclo de Execuo Oramental do OP

    Anexos

    Guio de Preparao das Reunies nos Bairros

    Normas e Procedimentos

    Plano de Formao para os Grupos de Monitoria Participativa

    Instrumentos de Gesto do Processo

    - Tipologia de Projectos do OP de Maputo

    - Folha de Presenas

    - Ficha de Propostas Grupos de Trabalho

    - Boletim de Contagem de Votos

    - Modelo de Acta da Reunio de Bairro

    - Ficha de Anlise Tcnica

    - Ficha de Monitoria e Avaliao da Execuo dos Projectos

    02

    03

    03

    04

    05

    06

    07

    07

    08

    10

    11

    11

    16

    20

    21

    23

    29

    31

    31

    33

    35

    39

    41

    45

    49

    NDICE

  • METODOLOGIA DO ORAMENTO PARTICIPATIVO DE MAPUTO PGINA 02

    Oramento Participativo (OP) um instrumento de pla-nificao, com mecanismos estabelecidos, atravs do qual o Conselho Municipal juntamente com os muncipes define as actividades prioritrias e a distribuio de recursos fi-nanceiros.

    Ao ampliar e aprofundar a participao dos cidados na alocao de recursos pblicos, o Oramento Participativo constitui um pro-cesso positivo para a construo de municpios inclusivos, onde os que so geralmente marginalizados conseguem alcanar maiores nveis de integrao. uma ferramenta importante para a demo-cratizao do poder local e, deste modo, o OP contribui para a boa governao municipal.Desta forma, a partir de 2011, o Conselho Municipal de Maputo aprovou uma Metodologia que assentava na atribuio do limite anual de 25.000.000,00 MT, no oramento municipal, com vista a financiar projectos, exequveis e com impacto social, cabendo a cada bairro um valor fixo de 1.500.000,00Mt, o que permitiu suportar vrios investimentos eleitos pelos muncipes dos Distritos Municipais de Nhlamankulu, KaMaxakeni, KaMavota e KaMu-bukwana.A primeira fase de implementao decorreu de 2011 a 2015, onde foram executadas 3 (trs) edies. Durante este perodo ocorreram factos positivos que so de se estimular e outros negativos que nos remeteram para a reflexo e a devida reformulao, dos quais des-tacamos: A adeso dos muncipes foi crescendo ao longo do perodo tendo passado de 2.666 para aproximadamente 8.297; O respeito pelos projectos eleitos pelos muncipes, o que contri-buiu de certo modo para aumentar a participao e a confiana no OP; O limite aprovado por cada bairro, no valor de 1.500.000,00 MT, mostrou-se exguo para cobrir integralmente alguns dos projectos eleitos, o que levou o CMM a transferi-los para o Oramento de Investimento; Alguns projectos revelaram ter uma natureza complexa e de difcil execuo (ex: valas de Mafalala).

    Com a presente metodologia pretende-se continuar o esprito de beneficiar os muncipes de melhores condies de habitabilidade, com infra-estruturas bsicas, mas tambm envolv-los cada vez mais na governao municipal, enaltecendo assim o seu papel em todo o processo. A implementao desta metodologia ser gradual, abrangendo, nos prximos trs anos, 44 bairros dos DM de Nhla-mankulu, KaMaxakeni, KaMubukwana e KaMavota.Nesta metodologia, constam alteraes dos limites oramentais anteriormente definidos, como forma de dar resposta concreti-zao dos projectos escolhidos, dentro dos padres de qualidades aceitveis, assim como obteno de resultados que concorram para a melhoria das infra-estruturas que ajudam a promover o de-senvolvimento da Urbe. Para potenciar a capacidade de execuo do Oramento Participativo, a todos os nveis, foram introduzidas algumas alteraes na estrutura de funcionamento e criado um lo-gtipo representativo do processo.Facto relevante a destacar prende-se ainda com a associao das actividades do Oramento Participativo com a mobilizao dos muncipes como contribuintes atentos e cumpridores dos prazos no pagamento de taxas e impostos.

    INTRODUO

  • METODOLOGIA DO ORAMENTO PARTICIPATIVO DE MAPUTO PGINA 03

    O objectivo principal do OP criar um espao de convivn-cia democrtica pautado pelo debate poltico e pela tomada de decises sobre a alocao de recursos pblicos em prol do desenvolvimento municipal.

    Para alcanar tal objectivo, o Oramento Participativo preconiza: Estimular, de forma metdica, a participao dos muncipes na vida poltica da cidade e na identificao e resoluo dos problemas locais auscultando as suas preocupaes e prioridades a partir dos bairros; Permitir que os muncipes decidam, juntamente com o Conselho Municipal, sobre os investimentos identificados atravs do processo participativo; Coordenar com as organizaes de base a mobilizao dos mun-cipes na participao das actividades de ndole pblica; Consolidar uma nova lgica de distribuio de recursos pblicos, com prioridade para os bairros mais carentes, e fortalecer a solida-riedade e a cooperao entre os vrios grupos sociais participantes.

    01. OBJECTIVOS

    A metodologia do OP de Maputo dever garantir a vigncia de cinco princpios base, nomeadamente:1. Ao nvel de cada bairro, os muncipes podem apresentar propos-tas de investimento municipal e priorizar, atravs do voto, os que consideram ser os mais necessrios em cada momento.2. As propostas priorizadas pelos muncipes sero analisadas tecni-camente pelo CMM e cabimentadas no oramento municipal nas rubricas dos respectivos Distritos Municipais.3. O CMM (ao nvel central) respeitar as prioridades e aloca-es do OP definidas pelos participantes ao nvel dos Distritos Municipais.4. A elaborao de um Plano de Comunicao para o OP que incluir a divulgao das normas e procedimentos, os papis dos vrios actores e instituies, bem como os resultados do processo em termos das decises sobre os investimentos e a monitoria dos projectos.5. Os muncipes desempenham um papel importante na monitoria do processo, includo as decises finais sobre os investimentos, as aquisies e a execuo fsica e financeira dos projectos do OP.

    O Municpio de Maputo situa-se na baa do mesmo nome, a Norte do Esturio do Rio Maputo. Ocupa uma superfcie de cerca de 383 km que se distribuem entre o Norte e o Sul da baa, onde desa-guam os rios Tembe, Matola, Umbelzi e Infulene.A populao do Municpio de Maputo de 1.143.199 habitantes (Perfil Estatstico do CMM - 2011), distribuda por sete Distritos Municipais (DM) e 63 bairros. Os DM Kamavota e KaMubukwa-na so os mais populosos e o DM de KaNyaka o menos habitado, conforme se pode depreender do quadro seguinte.A 5 edio do inqurito populao da Cidade de Maputo sobre a prestao de servios municipais, aplicado a uma amostra de 3.061 muncipes, revelou assimetrias na distribuio de infra-estruturas e servios bsicos, o que se espelha nas diferenas de perfis de pobre-za entre os Distritos Municipais, sendo os KaNyaka e KaTembe

    02. CARACTERIZAO DO MUNICPIO DE MAPUTO

    os mais fragilizados, com mais de 90% e 70% dos muncipes nos ndices mais baixos. Estes Distritos so tambm os que tm acesso difcil a alguns servios bsicos, como gua, electricidade, recolha de lixo e limpeza da zona de residncia.Os resultados do inqurito acima referidos e do trabalho do OP nos anos de 2008 e 2010 so coincidentes sobre os servios mais demandados pelos muncipes. Os dez considerados mais priorit-rios na cidade, por ordem decrescente de importncia, so: recolha de lixo, abastecimento de gua, segurana do bairro, condies das estradas, limpeza do local de residncia, atendimento nas unidades sanitrias, transportes pblicos, fornecimento de energia elctrica, disponibilidade de vagas nas escolas e condies de higiene nos mercados municipais.

    METODOLOGIA DO ORAMENTO PARTICIPATIVO DE MAPUTO PGINA 03

  • METODOLOGIA DO ORAMENTO PARTICIPATIVO DE MAPUTO PGINA 04

    DISTRITOS

    Quadro 1: Distribuio populacional

    Fonte: Populao: Perfil Estatstico do CMM (2011). Nmero de bairros: CMM (2007). Estatuto Orgnico dos Servios Tcnicos e Administrativos do Municpio de Maputo. rea: Administraes dos DM.Municpio de Maputo

    DM KaMpfumuDM KaMaxakeniDM NhlamanuluDM KaMavotaDM KaMubukwanaDM KaTembeDM KaNyaka

    11118111453

    63 383 100 100 2.6801.143.199

    521220305217443

    110.285158.323230.751323.394293.99820.9755.473

    14358144511

    9.714.120.426.726.7190.5

    8.64619.38418.4262.7115.564119123

    BAIRROS REA Km2 / % POPULAO NMERO / % HAB. Km2

    03. ESTRUTURA ORGNICA DO CMM

    O Conselho Municipal um rgo executivo colegial do Municpio e exerce os seus poderes em conformidade com a Constituio, a lei e os seus regulamentos. Este rgo constitudo por um presidente eleito por sufrgio universal, igual, directo e secreto, para mandato de cinco (5) anos e por dezassete (17) vereadores por ele designados, sendo que sete (7) dirigem os Distritos Municipais. O CMM com-preende tambm quadros de apoio ao presidente do CMM.

    GRUPO DE CONSELHEIROS PRESIDENTE DO CONSELHO MUNICIPAL