manual do acadêmico de graduação

Click here to load reader

Post on 07-Jan-2017

218 views

Category:

Documents

2 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • 1

    UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA "JLIO DE MESQUITA FILHO" Cmpus de So Joo da Boa Vista

    Prof. Dr. Julio Cezar Durigan Reitor

    Prof. Dr. Jozu Vieira Filho Coordenador Executivo

    Avenida Dr. Octvio Bastos, 2439 Jardim Nova So Joo

    So Joo da Boa Vista SP

  • 2

    N D I C E

    01. HISTRICO DA UNESP ................................................... 03

    02. O CMPUS DE SO JOO DA BOA VISTA........................... 03

    03. A CIDADE DE SO JOO DA BOA VISTA............................ 03

    04. O CURSO DE ENGENHARIA DE TELECOMUNICAES. ......... 04

    05. O MERCADO DE TRABALHO E A IMPORTNCIA PARA A REGIO ... 04

    06. A VIDA ACADMICA....................................................... 05

    07. PROGRAMAS DE BOLSAS E AUXILIOS DA UNESP................ 12

    08. ESTGIOS.................................................................... 14

    09. INICIAO CIENTFICA .................................................. 14

    10. BIBLIOTECA ................................................................. 14

    11. CALENDRIO ESCOLAR ................................................. 15

    12. DISCIPLINAS DA ESTRUTURA CURRICULAR COM PR E CO-

    REQUISITOS ............................................................... 19

    13. DISCIPLINAS DE CONTEDO PROFISSIONAIS ESPECFICOS.... 23

    14. PROIBIO DO TROTE (Resoluo UNESP n 86, de

    04/11/1999 Proibio do Trote na UNESP) ........................ 24

  • 3

    01. HISTRICO DA UNESP

    Criada em 1976, a partir de institutos isolados de ensino superior que existiam em vrias regies do Estado de So Paulo, a Unesp tem 34 unidades em 24 cidades, sendo 22 no Interior; uma na Capital do Estado, So Paulo; e uma no Litoral Paulista, em So Vicente.

    Hoje, a Unesp (Universidade Estadual Paulista Jlio de Mesquita Filho) uma das maiores e mais importantes universidades brasileiras, com destacada atuao no ensino, na pesquisa e na extenso de servios comunidade.

    Mantida pelo Governo do Estado de So Paulo, uma das trs universidades pblicas de ensino gratuito, ao lado da USP (Universidade de So Paulo) e da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas). Sua Reitoria funciona na cidade de So Paulo.

    02. O CMPUS DE SO JOO DA BOA VISTA

    O Cmpus de So Joo da Boa Vista ser construdo, com incio das obras previsto para 2013, em terreno cedido pela Prefeitura Municipal de So Joo da Boa Vista e, provisoriamente, o incio de suas atividades ser nas dependncias do Cmpus II da Fundao de Ensino Octvio Bastos UNIFEOB.

    03. A CIDADE DE SO JOO DA BOA VISTA

    So Joo da Boa Vista faz parte da regio de Campinas, que um grande polo de desenvolvimento tecnolgico e concentra muitas empresas importantes nos setores de Tecnologia da Informao e Comunicaes. Porm, a tendncia ainda de crescimento e esse polo dever se expandir mais ainda em direo ao interior. Nesse sentido, os egressos do curso devero encontrar mercado de trabalho na prpria regio, mas tambm sero estimulados a desenvolver novas tecnologias e aplicaes, com possibilidade at de criao, no futuro, de um polo de desenvolvimento na regio de So Joo da Boa Vista. Um bom exemplo o polo de Santa Rita do Sapuca, MG, onde cursos especficos na rea de telecomunicaes e incentivos ao empreendedorismo resultaram em um polo avanado na rea de eletrnica e comunicaes.

  • 4

    04. O CURSO DE ENGENHARIA DE TELECOMUNICAES

    O curso de Engenharia de Telecomunicaes trata de conceitos aplicados aos sistemas eletrnicos, computacionais e de comunicaes que permitem entender e projetar sistemas relacionados, dentre vrios, a telefonia fixa e celular; sistemas de rdio e televiso; comunicaes por satlite; comunicaes atravs de fibras pticas; comunicaes via rdio; redes de computadores e internet; etc. Para tal, so estudadas disciplinas de formao bsica, como clculo, fsica, lgebra, etc.; e disciplinas profissio-nalizantes, como eletrnica analgica e digital; antenas e propagao de ondas eletromagnticas; telefonia; sistemas de comunicaes analgicos e digitais; instrumentao aplicada s telecomunicaes; microprocessadores; circuitos para comunicaes, regulamentao do setor.

    O curso de Engenharia de Telecomunicaes da Unesp em So Joo da Boa Vista est recebendo 40 alunos neste ano de 2013, selecionados por vestibular, e tem durao de 5 anos, com uma carga horria de 3.915 horas-aula. O curso reconhecido pelo MEC e os profissionais devero ser registrados no CREA.

    05. O MERCADO DE TRABALHO E A IMPORTNCIA PARA A REGIO

    Um engenheiro de telecomunicaes pode atuar em empresas de telefonia, de rdio e televiso, multimdia, de fabricao de equipamentos voltados para as telecomunicaes (transmissores e receptores, antenas e satlites, estaes rdio-base, telefones celulares, sistemas de comunicaes pticos), de projetos de sistemas de comunicaes (links via rdio, satlite e fibras pticas; planejamento de sistemas celulares), em rgos governamentais (Anatel, Anaac).

    Problemas recentes na telefonia celular, quando a Agncia Nacional de Telecomunicaes (Anatel) puniu algumas empresas, mostram que o Brasil ainda precisa crescer muito para atender de forma eficiente o mercado interno. Isso exige investimento em infraestrutura e tambm em pessoal especializado na rea de telecomunicaes. Outros segmentos, como Tecnologia da Informao e Televiso Digital, tambm precisam muito de profissionais com formao nessa rea.

  • 5

    Um engenheiro da rea deve ser capaz de criar novas aplicaes e novos conceitos. No curso, isso ser estimulado no somente atravs de uma formao acadmica de qualidade, mas tambm atravs de estgios, cursos especficos de empreendedorismo e pesquisa. Nesse sentido, os alunos do curso sero estimulados a formar empresa Jnior e a participar de projetos de iniciao cientfica. J os docentes sero incentivados a criar um curso de ps-graduao, no somente pela necessidade bsica de aprimoramento do conhecimento, mas tambm para alavancar novas possibilidades na regio.

    06. A VIDA ACADMICA

    a) Durao do Curso

    Para integralizao do Curso de Engenharia de Telecomunicaes o aluno ingressante dever cumprir um tempo mnimo de 05 anos e o mximo de 08 anos.

    b) Regime de Matrcula

    No Cmpus de So Joo da Boa Vista, a matrcula obedece ao chamado sistema de matrcula por disciplina. Nesse sistema, o aluno dever realizar sua matrcula semestralmente nas disciplinas oferecidas, observando a grade curricular recomentada.

    O aluno dever estar matriculado, no mnimo, em 03 disciplinas e cursar, no mximo, 40 crditos por semestre.

    c) Matrcula dos Alunos Ingressantes

    Todos os alunos ingressantes matriculados so obrigados confirmao de matrcula em data estipulada pela VUNESP.

    Fica caracterizado o abandono de curso, com consequente cancelamento da matrcula, quando o aluno ingressante faltar, consecutivamente, aos primeiros vinte dias letivos, sem justificativa. Os alunos ingressantes devero observar que:

    - vedado o ingresso, em cursos de graduao da UNESP, aos alunos matriculados em outro curso de graduao de instituio pblica de ensino superior, inclusive da prpria UNESP, ou em cursos de idntico currculo mnimo de qualquer estabelecimento de ensino superior, pblico ou particular.

    - O aluno dever preencher declarao no ato da matrcula.

  • 6

    - O aluno da UNESP, que vier a se matricular em qualquer curso de graduao de instituio pblica, ou em curso de idntico currculo mnimo de instituio pblica ou particular, dever ser desligado da UNESP.

    d) Trancamento de Matrcula

    O trancamento consiste na desistncia, por parte do aluno, de uma ou mais disciplinas desde que permanea matriculado em pelo menos trs.

    Todo trancamento de matrcula em disciplinas pela 1 vez estar automaticamente aprovado desde que satisfeitas as condies estabelecidas na Seo III da Resoluo Unesp n 106/12. Somente poder ser solicitado at o transcurso da metade do tempo til destinado ao respectivo desenvolvimento. Quando autorizado, ter validade a partir da data do protocolo ou da entrada oficial do requerimento.

    O trancamento de matrcula poder ser concedido uma segunda vez, na mesma disciplina.

    No ser concedido trancamento de matrcula em disciplinas semestrais ou anuais, respectivamente no primeiro semestre ou no primeiro ano letivo no curso, exceo feita ao aluno classificado em concurso vestibular, quando:

    - designado para incorporao, ou servindo as Foras Armadas, nas Organizaes Militares Ativas;

    - designado ou matriculado em rgos de Formao de Oficiais da Reserva, devendo comprovar sua incorporao.

    e) Suspenso de Matrcula

    A suspenso de matrcula implica na desistncia, por parte do aluno, da matrcula em todas as disciplinas.

    A suspenso da matrcula poder ser concedida uma nica vez, pelo prazo mximo de 1 ano, prorrogvel por mais um, sem que esse prazo entre no cmputo do tempo de integralizao do currculo.

    No ser concedida suspenso de matrcula nos dois primeiros semestres letivos do curso, exceo feita ao aluno classificado em concurso vestibular, quando:

    - designado para incorporao, ou servindo as Foras Armadas, nas Organizaes Militares Ativas;

  • 7

    - designando ou matriculado em rgos de Formao de Oficiais da Reserva.

    - impossibilitado de frequentar o curso e no puder usufruir do regime de amparo lei.

    O aluno que se enquadrar na exceo prevista numa das alneas acima dever comprovar sua incorporao mediante certificado de alistamento militar e declarao das Foras Armadas de que est servindo quela organizao militar e percia mdica devidamente reconhecida pela UNESP.

    f) Cancelamento de Matrcula

    Ocorre nas seguintes circunstncias:

    I - o aluno solicitar por escrito;

    II - o aluno no tiver mais possibilidade de integraliz