Manual de prevenção de acidentes com empilhadeiras

Download Manual de prevenção de acidentes com empilhadeiras

Post on 22-Apr-2015

257 views

Category:

Education

10 download

DESCRIPTION

Manual de Preveno de acidentes com empilhadeiras

TRANSCRIPT

<ul><li> 1. MMAANNUUAALL DDEE PPRREEVVEENNOO DDEE AACCIIDDEENNTTEESS NNOO UUSSOO DDEE EEMMPPIILLHHAADDEEIIRRAASS 1 </li> <li> 2. 2 EMPILHADEIRAS Conceito A Empilhadeira um veculo automotor utilizado para transporte e movimentao de materiais. Caractersticas da Empilhadeira Dotada de garfos e outros dispositivos de sustentao de carga, a empilhadeira foi projetada de forma a permitir a movimentao e o deslocamento de materiais tanto no sentido horizontal como na vertical, seus garfos podem ser inclinados para frente e para trs, com garras para rolos e garras para transporte de fardos, paletes, containeres, bobinas, e assim por diante. utilizada para transportar, empilhar e desempilhar cargas, possuindo a capacidade de se autocarregar e descarregar, de acordo com as especificaes dos fabricantes. Empilhadeiras so tracionadas pelas rodas dianteiras e direcionadas com as rodas traseiras. (As empilhadeiras do tipo alcance so tracionadas e direcionadas pelas rodas traseiras). Empilhadeiras podem ser usadas em espaos pequenos, por isso seus componentes so compactos para aumentar o seu raio de giro. Motor e outros componentes pesados esto na parte traseira para atuar como um contra-peso para as cargas colocadas na frente da empilhadeira. Alm disso, so instalados contra-peso na parte traseira das empilhadeiras. Nas empilhadeiras eltricas as baterias de acionamento atuam como contra-peso. um veculo de grande utilidade, que substitui, com vantagens, talhas, pontes rolantes, monovias e tambm o prprio homem, pois realiza tarefas que ocupariam vrias pessoas. Seu custo e manuteno so elevados. O operador tem em mos, diariamente, um patrimnio inestimvel. CLASSIFICAO DAS EMPILHADEIRAS As empilhadeiras podem ser classificadas de duas maneiras: quanto ao abastecimento e quanto s caractersticas. a) Classificao quanto ao abastecimento Neste caso temos os seguintes tipos Gasolina a empilhadeira que mais polui o ambiente; Diesel apresenta menor poluio que a anterior; lcool - polui menos que as duas anteriores; </li> <li> 3. Gs polui menos que as duas anteriores, por ser mais perfeita a queima do combustvel; Eletricidade no apresenta poluio por no haver combusto. Por essa razo mais usada nas empresas alimentcias, farmacuticas e em espaos confinados. Neste tipo de empilhadeira existe maior possibilidade de incndio que nas demais. Tipos de Motor Existem 3 tipos de motor utilizados em empilhadeiras: 1. Motor de combusto interna, com ignio por centelha, com kits de ignio e carburao ou com injeo eletrnica. Ex: gasolina, gs e lcool; 2. Motor de combusto interna com ignio por compresso. Neste caso no existem Kits, a ignio ocorre por compresso gerada pela bomba injetora e bicos de injeo. Ex: motor diesel; 3. Motor eltrico: Neste caso o sistema de funcionamento todo eltrico alimentado por bateria tracionria. Obs.: Atualmente pode-se adaptar a qualquer dos trs primeiros tipos acima um dispositivo denominado oxicatalizador que economiza combustvel e elimina os odores e o monxido de carbono, reduzindo o ndice de poluio Quanto transmisso, as empilhadeiras com motor de combusto interna podem ser: Mecnica Normal possui cmbio com conversor de torque; Mecnica Normal com acoplamento fludo facilita as operaes e diminui a quantidade de mudanas de marchas ao sair e ao parar; Hidramtica Normal possui cmbio hidramtico e os garfos da torre so basculantes. Automtica a mudana de marcha e sentido de direo feito automaticamente atravs de controle de alavanca e/ou pedal, cuja fora e velocidade desenvolvida de acordo com a necessidade Cada um dos tipos citados acima escolhido pela empresa de acordo com suas necessidades. IDENTIFICAO Toda empilhadeira deve ter afixado em local visvel, sua placa de identificao. 3 </li> <li> 4. 4 O EQUILIBRIO DA EMPILHADEIRA A empilhadeira construda de maneira tal que o seu princpio de operao o mesmo de uma gangorra . Assim sendo, a carga colocada nos garfos dever ser equilibrada por um contrapeso igual ao peso da carga colocada no outro extremo, desde que o Ponto de Equilbrio ou Centro de Gravidade esteja bem no meio da gangorra. ( fig. 1 ) Contra-peso 100 Kg Carga 100 Kg ( fig. 1 ) Entretanto, podemos, com um mesmo contrapeso, empilhar uma carga mais pesada, bastando para isso deslocar o Ponto de Equilbrio ou Centro de Apoio para mais prximo da carga. ( fig. 2 ) Contra-peso 100 Kg ( fig. 2 ) Assim sendo, muito importante saber qual distncia do centro das rodas at onde a carga colocada. Toda empilhadeira tem a sua capacidade de carga especificada a um determinado centro de carga, isto em virtude de transportar sua carga fora da base dos seus eixos, ao contrario do que acontece com uma carga transportada por caminho. (figs. 3 e 4) Centro da Contra-peso carga Centro da carga ( fig. 4 ) 50 Kg 50 Kg = Carga 100 Kg ( fig. 3 ) </li> <li> 5. O centro de carga (D) a medida tomada a partir da face anterior dos garfos at o centro da carga ( fig. 5 ). Tem-se como norma especificar as empilhadeiras at 4.999 a 50 cm de centro de carga e, dessa capacidade em diante, 60 cm. Centro da carga D ( fig. 5 ) Caso o peso da carga exceda a capacidade nominal da empilhadeira ou o centro de carga esteja alm do especificado para ela, poder ocorrer um desequilbrio e conseqente tombamento, com srios prejuzos tanto para o operador quanto para o equipamento ou para a carga. (figs. 6 e 7). Contra-peso 100 Kg Carga 5 800 Kg ( fig. 6 ) 70 cm Centro de carga real Centro de carga especificado 50 cm </li> <li> 6. Os fatores que influem no equilbrio de uma gangorra so os pesos utilizados em seus extremos e as distncias desses pesos em relao ao centro de apoio ou ponto de equilbrio. Como no se pode variar o peso prprio de uma empilhadeira, nem a posio do seu centro de gravidade e em relao ao centro das rodas dianteiras, ficamos limitados a procurar o equilbrio somente escolhendo adequadamente as dimenses e peso da carga e sua posio sobre os garfos. (figs. 8, 9 e 10) 6 Carga apanhada c/ a coluna na vertical C.C. X1 ( fig.8 ) ( fig. 9 ) Coluna inclinada para trs C.C. X2 Coluna elevada e inclinada para a frente C.C. X 3 ( Fig.10 ) </li> <li> 7. As empilhadeiras tm uma tabela onde especificado o centro de carga e a carga correspondente; a Placa de identificao. P laca de Identificao - Tabela de Carga 3000 2500 2000 1500 1000 500 Se o operador tentar pegar a mercadoria, com centro de carga maior que o especificado, sem obedecer diminuio de peso relativo, pode comprometer a estabilidade frontal da empilhadeira Para se manter as cargas bem firmes em cima dos garfos, o comprimento dos mesmos deve atingir pelo menos 3/4 da profundidade da carga, ou seja 75%. 7 0 200 300 400 500 600 700 800 900 1000 1100 1200 1300 1400 1500 Centro de Carga ( m m ) Carga Nominal Kg </li> <li> 8. Estabilidade Lateral Todo operador deve conhecer o que estabilidade lateral, ou seja, como operar a mquina sem ocorrer o risco de que ela tombe para os lados. Para que haja estabilidade, qualquer equipamento precisa Ter uma base de apoio. Por exemplo: mesa e cadeira Na empilhadeira, a base feita em trs pontos: dois deles esto na parte frontal da mquina, so as rodas de trao. O terceiro ponto o de unio entre o chassi e o eixo de direo, que formado por um pino montado no meio do eixo de direo e fixado ao chassi. Eixo traseiro de direo Rodas de trao 8 </li> <li> 9. Este tipo de montagem permite que as rodas de direo acompanhem as irregularidades do terreno, fazendo com que as quatro rodas sempre estejam tocando o solo. Centro de gravidade Alm da base, h um outro dado importante para a estabilidade lateral, que o Centro de Gravidade. Vamos tomar como exemplo a famosa Torre de Pisa. Imaginemos que possamos amarrar um fio de prumo de pedreiro no centro de gravidade da Torre. Enquanto a ponta do prumo estiver dentro da base da torre ela no tombar, porm o dia que a inclinao for tanta que a ponta do prumo estiver fora da base ela no resistir e cair. Centro de Gravidade Fio de prumo Numa empilhadeira o ponto central de gravidade est localizado em algum lugar na altura do motor, mas no devemos esquecer que a carga tambm tem um centro de gravidade. 9 </li> <li> 10. Neste caso surge um terceiro ponto que o resultado da combinao dos dois primeiros e vai variar de acordo com a movimentao feita com a carga. Quando elevamos ou inclinamos a carga, o centro de gravidade muda de posio. Considerando o fio de prumo no (C G), no momento em que a empilhadeira passar sobre uma pedra ou um buraco se a ponta do prumo cair fora da base, ela tombar. 10 Centro de Gravidade ( C G ) Centro Combinado Centro de Carga ( C C ) 1 3 2 </li> <li> 11. Distncia de Segmento Distncia de seguimento outro fator de segurana. Recomenda-se que os operadores mantenham distncia igual ao comprimento de 2 (duas) empilhadeiras. COMPONENTES DA EMPILHADEIRA Carcaa ou chassi a estrutura metlica, geralmente de ferro fundido, que serve de contra-peso para a carga e de proteo para vrios componentes da empilhadeira. Torre de elevao ou coluna Torre de elevao um dispositivo empregado na movimentao de materiais no sentido vertical. Pode ser inclinada para frente e para trs. Garfos So dispositivos utilizados para carregar, transportar e empilhar materiais. Podem ser deslocados manualmente no sentido horizontal e verticalmente pelos controles da empilhadeira. Contrapeso Carga situada na parte traseira, que serve para equilibrar o veculo quando carregado, e que faz parte da prpria carcaa. Volante Dispositivo de controle de direo do veculo. Pode ser girado tanto para a direita como para a esquerda. As empilhadeiras que tm trs rodas podem dar uma volta completa sem sair do lugar. O volante deve ser mantido limpo, evitando-se choques que possam danific-lo, bem como trao desnecessria como, por exemplo, utiliz-lo como apoio para subir na empilhadeira. Pedais So dispositivos que auxiliam o comando do veculo para movimentar, trocar de marcha, diminuir velocidade e parar. 11 </li> <li> 12. Alavanca de freio de estacionamento Deve ser usada para estacionar a empilhadeira ou para substituir o pedal de freio em caso de uma eventual falha. Pneus Componentes sobre os quais se movimenta o veculo. Podem ser macios ou com cmeras de ar. Alavancas de Comando da Coluna ou Torre As operaes de elevao e inclinao da coluna so controladas por alavancas de at quatro posies que comandam a ao telescpica dos cilindros de elevao e inclinao, munidas de vlvulas de controle colocadas no circuito hidrulico principal da mquina. As alavancas de comando da coluna encontram-se situadas ao lado direito do operador e altura da borda superior da chapa-suporte do assento ou do painel de instrumento. Alavanca de Cmbio (controle de frente e r) Dispositivo que serve para mudana de velocidade e sentido de direo do veculo. conveniente no dirigir com velocidade mxima, levando carga perigosa no veculo ou quando tiver que fazer curvas bruscas e rpidas. As direes em que a alavanca deve ser mudada sempre constam em plaquetas fixadas na empilhadeira. Nunca mude a alavanca para a r se a empilhadeira (inclusive eltrica) estiver em movimento. Motor o conjunto de fora motriz do veculo que tambm movimenta as bombas hidrulicas e o cmbio mecnico ou hidramtico. Sistema Eltrico o conjunto formado pelo gerador, bateria, velas, platinado, alguns instrumentos do painel, lmpadas, etc . Qualquer avaria nesse sistema indicado pelo ampermetro Sistema Hidrulico o sistema movimentado pela presso do leo hidrulico. Proporciona movimento ao cilindro de elevao e aos cilindros de inclinao que so responsveis pelo deslocamento da carga. Sistema de Alimentao o conjunto de peas que serve para fornecer e dosas o combustvel utilizado na alimentao do motor exploso. A gua e o leo so elementos indispensveis para o bom funcionamento do motor. Diferencial o conjunto de engrenagem que faz as rodas girarem, e conserva o veculo em equilbrio nas curvas, permitindo que as rodas traseiras movimentem-se com velocidades diferentes uma das outras. 12 </li> <li> 13. Caixa de Cmbio o conjunto de engrenagem, que serve para mudar as velocidades e o sentido de movimento do veculo, a partir do posicionamento que se d alavanca de cmbio. Transmisso Automtica o conjunto que permite a mudana automtica das marchas de velocidades. Filtro de Ar Serve para efetuar a filtragem do ar utilizado pelo motor. No filtro, o ar lanado sobre o leo, saindo purificado para o carburador. O motor nunca deve trabalhar sem a mangueira do filtro de ar. Painel No painel de leitura, o operador encontra um observador fiel, que registra os principais pontos vitais dos componentes da empilhadeira. Por isso, o operador deve prestar muita ateno nesse painel, conserv-lo e, quando indicar qualquer falha, levar a empilhadeira oficina de manuteno. O painel de instrumentos deve ser conservado sempre limpo, com todos os instrumentos apresentando bom funcionamento. Existem vrios modelos de empilhadeiras, os instrumentos abaixo so bsicos para todas. Com o avano da tecnologia, existem outros tipos de marcadores no painel e digital. Ao constatar uma anormalidade grave, o operador deve desligar...</li></ul>

Recommended

View more >