MANUAL DE INSTALAÇÃO , OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO ?· NPSHr = altura de sucção requerida (m) Hs =…

Download MANUAL DE INSTALAÇÃO , OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO ?· NPSHr = altura de sucção requerida (m) Hs =…

Post on 25-Nov-2018

214 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • MANUAL DE INSTALAO, OPERAO E MANUTENO

    BOMBAS BEW

  • 1

    Sr. Proprietrio Parabns! Voc acaba de adquirir um equipamento de construo simples, projetado e fabricado com a mais avanada tecnologia, com excelente desempenho e que proporciona fcil manuteno. A finalidade deste Manual informar ao usurio, os detalhes do equipamento e as tcnicas corretas de Instalao, Operao e Manuteno. A IMBIL recomenda que o equipamento seja instalado e cuidado conforme recomenda a boa tcnica e de acordo com as instrues contidas neste Manual, e seja utilizado de acordo com as condies de servio para o qual foi selecionado (vazo, altura manomtrica total, velocidade, voltagem, frequncia e temperatura). A IMBIL no se responsabiliza por defeitos decorrentes da inobservncia destas prescries de servio e recomenda que este Manual seja utilizado pelo pessoal responsvel pela instalao, operao e manuteno.

    IMB

    IL IN

    D. E

    MA

    N D

    E B

    OM

    BA

    S ITA

    LTD

    A -

    R

    UA

    JA

    CO

    B A

    UD

    I, 6

    90 ITA

    PIR

    A In

    dst

    ria B

    rasi

    leira

    CN

    PJ.: 5

    1.4

    826

    776/0

    001-2

    6 -

    FO

    NE

    (19) 3

    843-9

    833

    ww

    w.im

    bil.

    com

    .br

    No caso de consulta sobre o equipamento ou na encomenda de peas sobressalentes, indicar o cdigo da pea, modelo, linha da bomba e tambm o no de srie encontrado na plaqueta de identificao e gravado em baixo relevo no flange de suco.

    NOTA A IMBIL pede ao cliente que, logo aps receber o TERMO DE GARANTIA do seu equipamento , preencha os dados e envie o canhoto IMBIL, facilitando a troca de informaes entre a IMBIL e o CLIENTE.

  • 2

    ndice

    ASSUNTO PGINA

    Inspeo de Recebimento 3

    Transporte 3

    Armazenamento 4

    Localizao 4

    Fundao 5

    Nivelamento e Assentamento da Base 5

    Alinhamento do Acoplamento 6

    Recomendaes Gerais para as Tubulaes 6 e 7

    Estgio Cego 8

    Rebaixamento do Dimetro do Rotor 8

    Providncias para Incio de Funcionamento 9

    Providncias Imediatas aps Incio de Funcionamento 9

    Providncias para Parada da Bomba 10

    Manuteno do Mancal 10

    Manuteno da Gaxeta 10 e 11

    rea de Desgaste 12

    Superviso Peridica do Equipamento 12

    Detalhes para Desmontagem e Montagem 13

    Anomalias de Funcionamento e Causas Provveis 14, 15 e 16

    Peas Sobressalentes Recomendadas 17

  • 3

    INSPEO DE RECEBIMENTO Inspecione o equipamento logo que receb-lo e confira com a Nota Fiscal, comunicando imediatamente peas porventura faltantes ou danificadas.

    TRANSPORTE 1 O Transporte do conjunto acoplado ou dos equipamentos separados, deve ser feito com

    cuidado e dentro das normas de segurana. 2 O motor e a bomba antes de serem acoplados, devem ser transportados pelo olhal de

    iamento ou iado conforme figura abaixo.

    3 O conjunto moto-bomba deve ser transportado conforme figura abaixo.

  • 4

    ARMAZENAMENTO

    1 Quando for necessrio armazenar uma bomba at que possa ser instalada, no devem

    ser removidos os flanges de proteo dos bocais ou qualquer outra proteo enviada pela IMBIL.

    2 Os mancais recebem lubrificao na fbrica , que protege contra oxidao por curto

    perodo de tempo.

    Em bombas armazenadas por prazo superior a 30 dias, precaues especiais sero exigidas.

    Retire as gaxetas e os selos mecnicos para evitar a corroso das buchas ou danificar os componentes de vedao tais como orings, juntas, e sedes.

    A cada 30 dias aspergir leo rustilo DW 301 na bomba. Rolamentos com graxa no precisam receber nova carga.

    Gire semanalmente o eixo com a mo para que todas as partes mveis sejam lubrificadas.

    NOTA: Antes da instalao da bomba, limpar as protees da ponta de eixo, da luva e dos flanges, com solvente adequado e seguir as instrues contidas neste Manual.

    LOCALIZAO

    Escolha o local de instalao de modo que:

    1 Seja facilmente acessvel inspeo e manuteno.

    2 Esteja acima do nvel de inundao.

    3 As tubulaes sejam simples e diretas para que o NPSH* seja suficiente, evitando cavitao.

    4 Exista espao suficiente para remover o motor.

    5 A fundao seja estvel para que no se desloque horizontal e/ou verticalmente, deixando a bomba suportada pelas tubulaes.

    6 As plaquetas de identificao da bomba e do motor sejam visveis.

    7 Haja circulao de ar suficiente em torno do motor para garantir uma perfeita refrigerao.

    NPSHr = 10 Hs + g2

    V 2 + 0,5

    Onde: NPSHr = altura de suco requerida (m) Hs = altura de suco (m) V = velocidade de suco (m/s) g = acelerao da gravidade (m/s2)

  • 5

    FUNDAO

    De preferncia a bomba deve ser instalada em posio horizontal. Utilizar uma base nica para a bomba e o motor, sobre fundao permanente de concreto ou ao estrutural com massa suficiente para absoro das vibraes normais, evitando que o conjunto sofra distores ou tenha seu alinhamento prejudicado.

    NIVELAMENTO E ASSENTAMENTO DA BASE

    1 Colocar os chumbadores nas cavas feitas no bloco de fundao sob a furao da base. E

    entre os chumbadores e a base, colocar calos metlicos para o seu nivelamento.

    2 Introduzir argamassa de cimento especfico ao redor dos chumbadores e sob a base atravs das aberturas existentes, preenchendo todos os vazios para uma slida fixao e um funcionamento livre de vibraes.

    3 Apertar as porcas dos chumbadores aps a cura da argamassa, verificando o nivelamento transversal e longitudinal com nvel de preciso (0,1 mm/m). Se estiver desnivelado, acrescentar chapas finas entre a base e o calo para correo.

    Nivelamento da Base

    Assentamento da Base

    BLOCO DE FUNDAO

    CHAPINHA

    CALO

    CHUMBADOR

    ARGAMASSA

    CALO

    CAVA

    ARGAMASSA

  • 6

    ALINHAMENTO DO ACOPLAMENTO

    1 Executar o alinhamento com as tubulaes de suco e recalque j conectadas.

    2 A instalao do acoplamento deve ser feita a quente (forno ou banho de leo a 100C). No bater para efetuar a operao de montagem do acoplamento.

    3 Com auxlio de relgio comparador ou, na sua falta, rgua metlica e clibre de lminas, controlar o desalinhamento radial e axial para evitar vibraes anormais que interferem na vida til do equipamento.

    Controle Radial

    Controle Axial Alinhamento com Rgua Metlica e Clibre de

    Lminas

    4 Quando o acionamento for feito por correias, os eixos da bomba e do acionador devero

    estar paralelos, as polias alinhadas entre si, e por sua vez, as correias corretamente esticadas.

    5 Os alinhamentos radial e axial devero permanecer dentro da tolerncia de 0,15 mm, obedecida a folga entre as pontas de eixo do motor e da bomba, conforme especificado pelo fabricante do acoplamento.

    6 Para melhor segurana na operao, deve ser instalado um Protetor de Acoplamento ou um Protetor de Acionamento (exemplo: Guarda-Correias), conforme Lei 65/4 portaria MTb 3214 (NR 12 item 12.3).

    RECOMENDAES GERAIS PARA AS TUBULAES

    Para Tubulao de Suco e Recalque

    1 A tubulao deve ser conectada ao flange da bomba somente aps a cura da argamassa de assentamento da base.

    2 Para evitar perdas de carga a tubulao, tanto quanto possvel, deve ser curta, reta e estanque. As curvas, quando necessrias, devem ser de raio longo.

    3 A bomba no deve servir de apoio para tubulao. Os flanges da tubulao devem ser conectados aos da bomba, totalmente livres de tenses, sem transmitir esforos carcaa, evitando o desalinhamento e suas consequncias.

    RGUA METLICA

    CLIBRE DE LMINAS

  • 7

    4 Deve-se prever juntas de expanso para quando o lquido bombeado estiver sujeito a altas variaes de temperatura.

    Somente para a Tubulao de Suco

    1 O segmento horizontal da tubulao de suco quando positiva, deve ser instalado com

    um ligeiro aclive no sentido bomba-tanque de suco e quando negativa um ligeiro declive no mesmo sentido, evitando a formao de bolsas de ar. Vide figuras 8 e 9.

    2 O dimetro nominal do flange de suco da bomba, no determina o dimetro nominal da

    tubulao de suco. A velocidade de fluxo do lquido deve ser estabelecida entre 1 e 2 m/s. Quando houver necessidade do uso de reduo, esta dever ser excntrica, montada com o cone para baixo, evitando assim a formao de bolsas de ar. Vide figuras 8 e 9.

    3 Vlvula de p quando aplicvel, geralmente recebe um filtro para evitar que corpos

    estranhos cheguem bomba. Providenciar para que a rea de passagem da vlvula seja 1,5 vezes maior que a rea da tubulao e que a rea de passagem livre do filtro seja de 3 a 4 vezes maior que a rea da tubulao.

    4 Em instalaes com suco positiva, recomenda-se instalar um registro para bloquear a

    passagem do lquido. Verificar para que durante o funcionamento da bomba o registro permanea totalmente aberto.

    5 aconselhvel evitar a montagem de mais de uma bomba em uma nica tubulao de

    suco, principalmente quando nesta tubulao, a presso absoluta for inferior a presso manomtrica, com a bomba em operao.

    6 Deve-se providenciar um registro para cada bomba em instalaes onde vrias bombas

    succionam de um mesmo tanque, e interligar o tanque e a tubulao de suco com mudanas de direes inferiores a 45 graus.

    Somente para a Tubulao de Recalque

    1 necessrio instalar um registro para regulagem da vazo e presso de bombeamento, logo aps o flange de recalque da bomba.

    2 aconselhvel instalar uma vlvula de reteno entre a sada da bomba e o registro,

    quando o comprimento da tubulao de recalque for relativamente grande, e a altura total de elevao da bomba for maior que 15 metros.

    3 Quando o dimetro da tubulao for diferente do dimetro do flange de recalque, a

    ligao dever ser feita atravs de uma reduo concntrica. 4 Prever vlvulas ventosas onde houver necessidade de expurgar o ar. 5 Para bombas instaladas em paralelo, cada bomba dever ter a sua vlvula de reteno,

    para impedir o retorno da gua ou a sobrecarga da vlvula de p, quando uma das bombas for desligada.

  • 8

    6 Proteger a bomba contra operao abaixo da Vazo Mnima usando Orifcio Calibrado que mantm by-pass permanente ao reservatrio de suco ou Vlvula de Vazo Mnima que abre uma via alternativa toda vez que a vazo for reduzida abaixo de um valor mnimo (0,2 x Q). Dimensionar velocidade neste ramal de 4,5 m/s.

    ESTGIO CEGO

    Caso a bomba deva operar durante um perodo em condies diferentes das que foram originalmente dimensionadas, portanto elimina-se provisoriamente um ou mais rotores e difusores substituindo-os por luvas e buchas conforme figura e tabela a seguir:

    Onde: S = Estgio Cego, N = Estgio Normal Nota: Seguir a sequncia acima a partir do lado da Suco e sempre finalizando com um Estgio Normal

    No de

    estgios da Bomba

    NMERO DE ESTGIOS CEGOS

    1 2 3 4 5 6 7 8

    1 S N N N N N N N N N N N N N N N

    2 N S S S S S S S S S S S S S S S

    3 N S N S N S N S N S N S N S N

    4 N S N S N S N S N S N S N S

    5 N S N S N S N S N S N S N

    6 N S N S N S N S N S N S

    7 N S N S N S N S N S N

    8 N S N S N S N S N S

    9 N S N S N S N S N

    10 N S N S N S N S

    11 N S N S N S N

    12 N S N S N S

    13 N S N S N

    14 N S N S

    15 N S N

    16 N S

    17 N

    REBAIXAMENTO DO DIMETRO DO ROTOR Para execuo desse servio, observar a figura ao lado quanto a usinagem das palhetas com a conservao das paredes laterais.

    VLVULA DE RETENO

    REDUO EXCNTRICA

    TUBULAO DE SUCO

    VLVULA DE P COM CRIVO

    RESERVATRIO DE SUCO

    REDUO EXCNTRICA

    NOTA: As tubulaes de entrada e sada de gua de refrigerao, devem ter visor e registro de controle de vazo sendo detalhadas em desenhos especficos.

    BUCHA ESPECIAL

    LUVA ESPECIAL LUVA

    2

    40

    mm

    2

    25

    mm

    2

    40

    mm

  • 9

    PROVIDNCIAS PARA INCIO DE FUNCIONAMENTO

    1 Certificar-se que o conjunto est alinhado e bem fixado na base, que os flanges de

    suco e recalque esto bem conectados nas tubulaes e, quando houver, colocar em funcionamento as conexes auxiliares.

    2 Eliminar possveis sujeiras e umidade nos mancais e preencher com leo na quantidade e qualidade conforme instrues no item Manuteno do Mancal.

    3 Fazer a ligao eltrica de modo a garantir que o sistema de proteo do motor funcione.

    4 Verificar o sentido de rotao do acionador com a bomba desacoplada.

    5 Escorvar (encher) a bomba e a sua tubulao de suco, eliminando o ar nela existente. Girar o eixo da bomba com a mo, afim de garantir um bom escorvamento. O escorvamento tambm poder ser feito por vcuo.

    6 Quando houver registro da tubulao de suco, este dever ser mantido totalmente aberto, nunca deve ser usado para regular a vazo da bomba, evitando a possibilidade de cavitao, sendo o mesmo apenas usado para isolamento de manuteno.

    7 O registro da tubulao de recalque, dever estar fechado no incio de funcionamento, para no sobrecarregar o motor e a rede eltrica durante a partida.

    8 Quando o acionador j estiver trabalhando com a rotao nominal, abrir lentamente o registro da tubulao de recalque, de modo a regular a capacidade da bomba.

    9 Em tubulaes de recalque longas e vazias quando da partida da bomba, essencial que o registro de recalque esteja fechado no incio da operao.

    PROVIDNCIAS IMEDIATAS APS O INCIO DE FUNCIONAMENTO

    1 Certificar-se de que o conjunto opera sem vibraes e rudos anormais.

    2 Controlar o valor da tenso da rede e a amperagem do motor eltrico.

    3 Controlar a temperatura dos mancais, sendo que a mesma no deve exceder a 45C acima da temperatura ambiente.

    4 Ajustar o engaxetamento apertando as porcas do aperta-gaxeta de maneira uniforme, permitindo o gotejamento (observando os valores de fuga mnimo 10 cm3/minuto e mximo 20 cm

    3/minuto). A lubrificao da gaxeta feita pelo prprio lquido bombeado.

    5 Verificar a presso de suco, presso de descarga e vazo.

    6 Verificar se o diferencial de temperatura da gua de refrigerao no ultrapasse 10C, e seu dispositivo que garante a vazo mnima est operando.

    Nota: Controlar os itens acima a cada 30 minutos nas duas primeiras horas, de hora em hora at as prximas 10 horas e depois semanalmente.

  • 10

    PROVIDNCIAS PARA A PARADA DA BOMBA

    1 Fechar o registro da tubulao de recalque.

    2 Fechar o registro de suco quando houver necessidade de manuteno.

    3 Desligar o acionador observando a parada gradual do equipamento.

    4 Fechar tubulaes auxiliares quando houver.

    MANUTENO DO MANCAL

    A bomba j sai da fbrica com os mancais lubrificados graxa a base de Ltio com ponto

    de gotejamento inferior a 180C.

    O mancal deve ser relubrificado a cada 3 meses, evitando assim, deteriorao e oxidao e lavado a cada dois anos.

    Tabela de Graxas Recomendadas

    Fabricante At 3000 rpm

    CASTROL LM 2

    ATLANTIC LITHOLINE 2

    ESSO BEACON 2

    IPIRANGA ISAFLEX 2

    MOBIL MOBIL GREASE 77

    PETROBRS LUBRAX INDL GM A 2

    SHELL ALVANIA R 2

    TEXACO MARFAK MP 2

    MANUTENO DA GAXETA Se o aperta gaxeta j foi apertado mais do que 8 mm e ainda ocorrer vazamento excessivo, providenciar a troca das gaxetas procedendo da seguinte forma:

    1 Solte as porcas do aperta-gaxeta, e em seguida tire o aperta-gaxeta.

    2 Retire cuidadosamente as gaxetas com auxlio de uma haste flexvel, limpe bem o alojamento das gaxetas removendo eventuais resduos.

    3 Verifique a superfcie da bucha protetora que deve estar lisa, sem sulcos ou marcas que prejudicaro a gaxeta. Caso a bucha protetora apresente marcas, esta poder sofrer uma reusinagem no seu dimetro externo de no mximo 1mm, ou deve ser trocada.

  • 1...

Recommended

View more >