manual de boas prticas - de boas prticas - fundecitrus 11 condies limites para realizao de...

Download MANUAL DE BOAS PRTICAS -   de boas prticas - fundecitrus 11 condies limites para realizao de pulverizao de qualidade e com menor risco de deriva:

Post on 07-Feb-2018

225 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • 1MANUAL DE BOAS PRTICAS - FUNDECITRUS

    MANUAL DE BOAS PRTICASCITRICULTURA - APICULTURA

  • 2 MANUAL DE BOAS PRTICAS - FUNDECITRUS

    IMPORTNCIA DAS ABELHAS PARA O ECOSSISTEMA

    Os insetos polinizadores prestam importante funo ambiental, efetiva e necessria sustentabilidade do ecossistema. As abe-lhas, especialmente, colaboram com a produo agrcola mundial e a manuteno da biodiversidade das plantas que produzem flo-res e sementes.

    Na sua ausncia, seria necessria total modificao da estrutura das florestas, que perderiam a capacidade de produzir sementes. Aproximadamente 73% das espcies agrcolas cultivadas no mundo so polinizadas por abelhas, um desempenho muito superior a outros animais como moscas (19%), morcegos (6,5%), vespas (5%), besou-ros (5%), pssaros (4%) e borboletas e mariposas (4%).

    A polinizao pode ocorrer na prpria planta, quando o gro de plen (parte masculina) transportado para o estigma da flor (parte feminina), mas a polinizao entre duas plantas, quando a transfe-rncia dos gros de plen feita por meio de agentes polinizadores, constitui importante adaptao evolutiva das plantas, melhora o vigor das espcies, possibilita novas combinaes de fatores hereditrios e aumenta a produo de frutos e sementes.

    No Brasil, entre as diversas espcies sociais (que vivem em gru-pos organizados por castas), as abelhas africanizadas so as mais abundantes. Elas foram introduzidas no pas em 1956 e coloniza-ram todo o continente americano. Suas colmeias possuem entre

    50 a 60 mil indivduos, com uma rainha, centenas de zanges e milhares de operrias.

    IMPORTNCIA DAS ABELHAS PARA OS CITROS E DOS CITROS PARA AS ABELHAS

    Os citros (laranjas, tangerinas, limas, limes e pomelos) so as frutas mais produzidas no mundo e tm como caracterstica a autopoliniza-o. No entanto, seu perfume e a abundncia de nctar das flores so muito atrativos a insetos, como formigas, vespas, besouros, moscas e borboletas, sendo que 80% das visitas so feitas por abelhas.

    A polinizao realizada por abelhas contribui com aumento de at 35% na produo das laranjeiras, 22% de aumento no peso dos frutos, 33% de aumento na quantidade de suco (sem mudana em slidos) e 36% de aumento no nmero de sementes.

    Nos pomares de citros, o vento um agente polinizador de mnima importncia, uma vez que o plen viscoso, aderente e bastante pesado. Entretanto, pode ser transportado por correntes de vento acima de 40 km/h, mas dificilmente alcana distncias maiores que 15 metros.

    A cultura dos citros uma das mais importantes para o setor ap-cola no estado de So Paulo. O mel de laranjeira tem mais aceitao devido ao seu tom claro e sabor suave.

    IMPORTNCIA DAS ABELHAS

    1

    2 MANUAL DE BOAS PRTICAS - FUNDECITRUS

  • 3MANUAL DE BOAS PRTICAS - FUNDECITRUS

  • 4 MANUAL DE BOAS PRTICAS - FUNDECITRUS

    EFEITO DOS INSETICIDAS

    NAS ABELHAS

    2

    O hbito forrageiro de algumas espcies de abelhas est relacio-nado a vrias atividades fora da colnia, como a visita a flores para coleta de poln e nctar, o que possibilita sua exposio a produtos fitossanitrios, sobretudo se essas substncias estiverem nos campos de coleta. Assim, a maioria dos casos de contaminao de colnias ocorre quando h pulverizao durante o perodo de florescimento na citricultura e em outras culturas.

    Os inseticidas podem afetar negativamente as abelhas por trs modos: contato, ingesto e fumigao, sendo que os efeitos txi-cos esto diretamente relacionados s concentraes administra-das e ao tempo de exposio. Nessas situaes, tais compostos podem causar a morte, ou em casos de baixas doses, alteraes fisiolgicas, como diminuio da longevidade, viabilidade e mu-dana no comportamento.

    Atualmente, as avaliaes de risco de inseticidas s abelhas so realizadas de acordo com diretrizes mundiais, elaboradas e publicadas pela Organizao para Cooperao e o Desenvolvi-mento Econmico (OECD), Organizao Europeia e do Mediterr-neo para Proteo das Plantas (EPPO) e Comisso Internacional das Relaes Abelha-Planta (ICPBR).

    No Brasil, j foram avaliados mais de 30 compostos com relao toxicidade para abelhas africanizadas, em diversas fases de desen-

    volvimento, assim como para algumas espcies de abelhas nativas.Devido ao intenso uso de inseticidas dos grupos neonicotinoides

    e fenipirazol, diversos estudos foram realizados para avaliar seus efeitos sobre as abelhas. O fenipirazol provoca alteraes em nvel ultraestrutural (interior das clulas) no ventrculo, tbulos de Malpighi e glndulas de seda em larvas, alm de afetar negativamente a capacidade de aprendizado, memria e locomoo de abelhas adultas.

    Pesquisas tambm constataram que neonicotinoides so extre-mamente txicos para as abelhas, com mortalidade de 100% aps nove horas de aplicao. Quando fornecidos junto ao alimento, in-seticidas deste grupo qumico podem causar 46% de mortalidade aps uma hora da ingesto e 99% em 24 horas.

    J em contato com resduos de tiametoxam, a mortalidade foi de 100% nove horas aps a aplicao. Estes inseticidas causam alte-raes no sistema nervoso, afetando algumas funes fisiolgicas, como locomoo e viso. Baixas concentraes afetam negativa-mente a capacidade dos insetos de eliminar substncias resultantes do metabolismo ou txicas.

    Os organofosforados, quando pulverizados, provocam sobre as abelhas distrbios motores durante as primeiras horas da intoxica-o. Quando oferecido no alimento, h 100% de mortalidade aps 15 horas de contaminao.

    4 MANUAL DE BOAS PRTICAS - FUNDECITRUS

  • 5MANUAL DE BOAS PRTICAS - FUNDECITRUS

  • 6 MANUAL DE BOAS PRTICAS - FUNDECITRUS

    Aes conjuntas e acordadas entre o citricultor e o apicultor so importantes para a preservao das abelhas dentro do agroecos-sistema, contribuem para a manuteno da polinizao das flores de citros pelas abelhas e colaboram com a sustentabilidade da apicultura e citricultura.

    BOAS PRTICAS DO CITRICULTOR

    Manter comunicao com os apicultores que utilizam seus poma-res para a prtica da apicultura e indicar locais seguros para alocar as colmeias. Se possvel estabelecer acordo por escrito;

    Avisar o apicultor sobre momentos de pulverizao a tempo de possibilitar o confinamento das abelhas ou mudana das colmeias para reas livres de resduos;

    No realizar aplicao de inseticidas em talhes que esto em flo-rada. O citricultor pode considerar que o pomar est em florada quando apresentar 10% das flores abertas (veja item 4 protocolo para determinao da porcentagem de florada);

    Em caso de pulverizao area, respeitar as distncias mnimas em relao s reas de risco, conforme legislao;

    Se informar sobre os defensivos agrcolas utilizados em sua proprie-

    BOAS PRTICAS

    3

    dade e estar atento a informaes como: seletividade a abelhas, for-ma e pocas com restrio de aplicao (seguir rtulo do produto).

    BOAS PRTICAS DO APICULTOR

    Manter comunicao com citricultores e deix-los informados sobre o nmero e localizao das colmeias colocadas dentro ou prximo propriedade citrcola. Se possvel estabelecer acordo por escrito;

    Estabelecer previamente com os citricultores reas exclusivas para colocao de colmeias e comunicar suas atividades e a distribui-o das caixas;

    Realocar as colmeias para reas seguras (livres de inseticidas ou onde no h resduos) sempre que necessrio;

    Identificar as colmeias com nome, endereo e outras informaes que permitam a comunicao entre os citricultor e apicultor;

    Informar os citricultores a ocorrncia de morte de abelhas imedia-tamente aps a deteco, mesmo depois de tomadas as medidas citadas acima;

    No fazer a coleta de mel quando houver trabalhadores no pomar para evitar acidentes com abelhas.

    6 MANUAL DE BOAS PRTICAS - FUNDECITRUS

  • 7MANUAL DE BOAS PRTICAS - FUNDECITRUS

  • 8 MANUAL DE BOAS PRTICAS - FUNDECITRUS

    FLORAO

    4

    DETERMINAO DA PORCENTAGEM DE FLORAO EM POMARES DE CITROS

    Os pomares de citros no Brasil, geralmente, apresentam uma ou duas floradas durante o ano (uma principal aps inverno e uma secundria no vero). Sua induo influenciada, principalmente, por temperaturas mais frias e gua livre no solo. Essas condies com-preendem o final do inverno e o incio da primavera. A florao pode ser influenciada tambm pela variedade, idade da planta e tipo de solo. As plantas podem emitir alguns botes florais semanas ou me-ses antes da florao.

    Os citricultores devem realizar o monitoramento da porcentagem de florao para determinar as pulverizaes dos talhes. Isso pode ser feito por metdo de amostragem usando um quadro de 60 x 60 cm (feito de cano de PVC ou outro material) que colocado na copa da rvore (tero mdio). Na rea do quadro, o citricultor deve contabilizar todas as fases reprodutivas (cabea de alfinete, palito de fsforo, coto-nete, cotonete expandido e flores abertas) e dividir o nmero de flores abertas dentro do quadro pelo nmero total de estruturas de florao (inclusive flor aberta) e multiplicar por 100 (veja na pgina ao lado).

    Caso a amostragem seja realizada no final da florao, frutos pe-quenos (chumbinho) devem ser contabilizados juntamente com as demais fases de florao.

    Este mtodo baseado no que praticado na Flrida.

    FASES REPRODUTIVAS

    8 MANUAL DE BOAS PRTICAS - FUNDECITRUS

    Cabea

    de alfi

    nete

    Palito

    de fs

    foro

    Cotone

    te

    Cotone

    te expa

    ndido

    Flor ab

    erta

  • 9MANUAL DE BOAS PRTICAS - FUNDECITRUS

    MTODO DE AMOSTRAGEM DE FLORAO

    9MANUAL DE BOAS PRTICAS - FUNDECITRUS

    O mtodo deve ser realizado em 12 plantas de cada variedade presente na propriedade. Para isso, o citricultor deve selecionar duas ruas na parte central do talho, com um espaamento de 10 a 15 ruas entre elas e fazer a avaliao em trs plantas em cada linha de plantio (esquerda e direita).

View more >